A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tendências da siderurgia Antonio Márcio Carvalho Junqueira Antonio Márcio Carvalho Junqueira Sistema Usiminas Sistema Usiminas Seminário Internacional.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tendências da siderurgia Antonio Márcio Carvalho Junqueira Antonio Márcio Carvalho Junqueira Sistema Usiminas Sistema Usiminas Seminário Internacional."— Transcrição da apresentação:

1 Tendências da siderurgia Antonio Márcio Carvalho Junqueira Antonio Márcio Carvalho Junqueira Sistema Usiminas Sistema Usiminas Seminário Internacional de Aciaria Associação Brasileira de Metais - ABM Belo Horizonte, 20 de maio de 2007

2 AGENDA Panorama da Siderurgia Mundial e a Consolidação do Setor Panorama da Siderurgia Mundial e a Consolidação do Setor Contexto das Siderurgias Latino-Americana e Brasileira Contexto das Siderurgias Latino-Americana e Brasileira Tendências tecnológicas de Aciaria Tendências tecnológicas de Aciaria Plano de expansão do Sistema Usiminas Plano de expansão do Sistema Usiminas Considerações finais Considerações finais

3 AGENDA Panorama da Siderurgia Mundial e a Consolidação do Setor Panorama da Siderurgia Mundial e a Consolidação do Setor Contexto das Siderurgias Latino-Americana e Brasileira Contexto das Siderurgias Latino-Americana e Brasileira Tendências tecnológicas de Aciaria Tendências tecnológicas de Aciaria Plano de expansão do Sistema Usiminas Plano de expansão do Sistema Usiminas Considerações finais Considerações finais

4 Produção Mundial de Aço Crescimento Médio Anual P 2015 P Fonte: IISI – World Steel in Figures / WSD CrescimentoBoomPós-Guerra 1950 ~ 1974 Estagnação Choques do Petróleo Recessão 1974 ~ 1994 CrescimentoSustentadoEfeito-China 1998 ~ 2005 Milhões de t Previsão ~ 4,0 % A INDÚSTRIA MUNDIAL DE AÇO ENTROU EM UMA NOVA FASE DE CRESCIMENTO ,130 bilhão t 5,3% ao ano 0,2 % ao ano 5,6 % ao ano 2006e1,17 bilhão t bilhão t 2010: 1,55 Bilhão t

5 A CHINA LIDERA A PRODUÇÃO MUNDIAL DE AÇO E O BRASIL É O DÉCIMO MAIOR PRODUTOR Mt Fonte: ISSI TOTAL: 1,239 bilhão t/ano

6 EXPORTAÇÕES DA CHINA DE PRODUTO ACABADO PARA CADA REGIÃO (%) Espera-se uma pequena queda na exportação de produtos semi acabados e um aumento de encomendas de produtos acabados para 2007

7 Orientação voltada para a busca da auto-suficiência em aço Orientação voltada para a busca da auto-suficiência em aço Limitação de recursos Limitação de recursos Crescimento contínuo da demanda alcançando a capacidade Crescimento contínuo da demanda alcançando a capacidade Tentativa do governo de frear as exportações Tentativa do governo de frear as exportações PROVÁVEL DUVIDOSO Fonte: IISI / setembro, 2006 A CHINA COMO CONTINUARÁ SENDO UMA GRANDE EXPORTADORA? Dúvida quanto à eficácia da política de controle Dúvida quanto à eficácia da política de controle da capacidade da capacidade Tendências das empresas siderúrgicas à exportação Tendências das empresas siderúrgicas à exportação Produtores chineses se tornarão mais competitivos Produtores chineses se tornarão mais competitivos

8 ÍNDIA: INDUSTRIA DE AÇO DOMÉSTICA MAIS DINÂMICA DEVERÁ SE DESTACAR NO CENÁRIO MUNDIAL A LONGO PRAZO CAGR* : 6,1% : 9,4% Fonte: IISI M t/ano * Compounded Annual Growth Rate: (Taxa Acumulada de Crescimento Anual) Evolução da Produção Aço Bruto na Índia

9 Consolidação das Cinco Maiores Empresas de Cada Setor Ano 2006 ALGUNS SETORES DA INDÚSTRIA MUNDIAL ESTÃO MAIS CONSOLIDADOS DO QUE O AÇO 20% 58% 77% 70% 0% 25% 50% 75% 100% Minério de Ferro NíquelIndústria Automobilística Siderurgia 0% 25% 50% 75% 100% Principais Produtores vs Total (%) *Considerando *Considerando o com é rcio transoceânico de min é rio de ferro Fonte: IISI, WSD

10 Fonte: SBB * Estimativa MAIORES NEGOCIAÇÕES EM 2006 As operações de aquisição e fusão na cadeia siderúrgica atingiram um montante total estimado em US$91 bilhões em 2006

11 A TATA STEEL SE POSICIONA COMO 5a NO RANKING MUNDIAL COM A COMPRA DA CORUS Nippon S Arcelor Mittal Nippon Steel JFE Steel Posco Tata Steel+ Corus Shanghai Baosteel US Steel Nucor Tangshan Riva **Inclui a compra da Corus pela Tata Steel em fev/2007 Fonte: IISI, An á lise e estimativas Usiminas Mt/ano

12 AGENDA Panorama da Siderurgia Mundial e a Consolidação do Setor Panorama da Siderurgia Mundial e a Consolidação do Setor Contexto das Siderurgias Latino-americana e brasileira Contexto das Siderurgias Latino-americana e brasileira Tendências tecnológicas de Aciaria Tendências tecnológicas de Aciaria Plano de expansão do Sistema Usiminas Plano de expansão do Sistema Usiminas Considerações finais Considerações finais

13 PRINCIPAIS PRODUTORES DE AÇO BRUTO NA AMÉRICA LATINA Obs:Dados Preliminares / Fonte:IBS - Anuário Estatístico 2006 Mt

14

15 CONSUMO PER CAPITA DE AÇO BRUTO Obs:Dados Preliminares Kg/habitante Média da América Latina: 121,1 Fonte: ILAFA - La Siderurgia de América Latina en Cifras e IBS - Anuário Estatístico

16 A produção brasileira de aço apresenta trajetória crescente. Produção brasileira de aço bruto Privatizações Usiminas : 1991 Cosipa: 1993 *Acidente do alto forno da CSN prejudicou o desempenho brasileiro Fonte: IBS-2006 Mt RecessãoMundial PRODUÇÃO BRASILEIRA DE AÇO : 30,9 Mt Queda de - 2,3 %* se comparado a 2005

17 PROJETOS DE EXPANSÃO DO ATUAL PARQUE SIDERÚRGICO BRASILEIRO NO CURTO PRAZO TOTAL US$ 12,5 bilhões (CST Arcelor, Villares, Açominas e Barra Mansa) 55,1% RECURSOS PRÓPRIOS DA EMPRESA 15,3% ÓRGÃOS NACIONAIS 29,6% MOEDA ESTRANGEIRAS MOEDA ESTRANGEIRAS AMPLIAÇÃO DA CAPACIDADE DE INSTALADA EM 7,3 Mt Fonte: IBS, dez 2006

18 CST: Alto-forno Alto-forno de 2,5 Mt CSN*: 2 usinas (placas) 6 Mt 6 Mt Usiminas*: Usiminas*: 5 Mt (placas) CSA: 5 Mt Ceará Steel**: 1,9 Mt Barra Mansa: 1 Mt Açominas: Açominas: Alto-forno de 1,5 Mt Mt * Projeto esperando aprovação ** O início das atividades da usina foi adiado de 2009 para 2010 devido aos impasses na negociação dos preços do gás entre a siderúrgica e a Petrobras....QUE IRÃO MUDAR O CENÁRIO DA SIDERURGIA BRASILEIRA SE OS PROJETOS FOREM CONCRETIZADOS. Aproximadamente 57 Mt/ano Capacidade da indústria siderúrgica brasileira para 2015

19 384 Fonte: World Steel Dynamics, 2006 Custo de placas (US$/t -2006) (US$/t -2006) Brasil Australia India China USA Média Global Japão Média Europa Coréia do Sul México CIS

20 DESEMPENHO SUPERIOR DA SIDERURGIA BRASILEIRA DEVIDO PRINCIPALMENTE A ÓTIMA COMPETITIVIDADE EM CUSTOS Brasil com os custos de produção mais baixos do mundo... Brasil com os custos de produção mais baixos do mundo devido a uma série de fatores Tecnologia e equipamentos modernos Elevada produtividade da mão-de- obra Disponibilidade de minérios de alta qualidade Usinas bem localizadas em relação ao abastecimento de insumos e próximas aos mercados consumidores (com logísticas favoráveis) Tecnologia e equipamentos modernos Elevada produtividade da mão-de- obra Disponibilidade de minérios de alta qualidade Usinas bem localizadas em relação ao abastecimento de insumos e próximas aos mercados consumidores (com logísticas favoráveis) Gestão moderna e atualidade tecnológica fazem da siderurgia brasileira uma das mais competitivas do mundo Gestão moderna e atualidade tecnológica fazem da siderurgia brasileira uma das mais competitivas do mundo Fonte: CRU International dados 2002 Custo de Produção – Bobina Quente Capacidade (M t) EUA (/t) União Européia JapãoÁsia China CIS BrasilBrasil Diferenças complementares da siderurgia brasileira

21 Reduzidos custos operacionais – principal fonte de diferenciação das plantas localizadas no país; Reduzidos custos operacionais – principal fonte de diferenciação das plantas localizadas no país; Altos teores de Fe e baixos níveis de impureza do minério de ferro brasileiro; Altos teores de Fe e baixos níveis de impureza do minério de ferro brasileiro; Qualidade do produto e credibilidade no fornecimento; Qualidade do produto e credibilidade no fornecimento; Logística de insumos e acesso aos portos de entrada nos mercados consumidores; Logística de insumos e acesso aos portos de entrada nos mercados consumidores; Indústrias tecnologicamente atualizadas. Indústrias tecnologicamente atualizadas. Fonte: :Inter.B 2006 PORTANTO, O BRASIL PODERÁ SE TORNAR UM POLO COMPETITIVO DA SIDERURGIA MUNDIAL

22 AGENDA Panorama da Siderurgia Mundial e a Consolidação do Setor Panorama da Siderurgia Mundial e a Consolidação do Setor Contexto das Siderurgias Latino-Americana e Brasileira Contexto das Siderurgias Latino-Americana e Brasileira Tendências tecnológicas de Aciaria Tendências tecnológicas de Aciaria Plano de expansão do Sistema Usiminas Plano de expansão do Sistema Usiminas Considerações finais Considerações finais

23 Proporção por processo de fabricação de aço no mundo Fonte: EOSC (2006) 0,3% 38,15% 61,55%

24 Aproximação da siderurgia com os produtores de matérias-primas, por meio de alianças Exemplos: Exemplos: -Arcelor-Mittal com minas na Índia e Senegal - CSN com mina Casa de Pedra - CVRD presente na Usiminas, Baosteel e CSA

25 Europa

26 Tendências das aciarias européias Manutenção da produção existente (estratégica) Desenvolvimento de novas gerações de aços de alta resistência. Nível de automação elevado para aumento de competitividade. Preocupação com meio ambiente

27 Tamanho dos convertedores Capacidade dos convertedores a oxigênio na Europa

28 Eficiência energética e emissão de CO 2 na Europa A meta da Alemanha é reduzir a emissão de CO 2 em 22% de 1990 a 2012

29 Despesas com pesquisa e desenvolvimento A meta da Europa é chegar a 3%, sendo 1/3 de responsabilidade do estado.

30 Ásia

31 Tendências das aciarias asiáticas Japão e Coréia com crescimento pequeno. China e Índia em crescimento e modernização. Rússia em modernização e crescimento moderado.

32 Características da Índia 70% da produção destinadas a longos e planos em usinas integradas. Prevê-se crescimento de consumo de aço anual de 8% nos próximos 15 anos (hoje: 31 kg por habitante, sendo 2 kg por habitante no meio rural). Equilíbrio entre importação e exportação.

33 Américas

34 Tendências das aciarias nas Américas América Latina em crescimento e modernização. Enobrecimento da linha de produtos. Consolidação do processo de fusões, sendo os principais players Ternium, Gerdau e Mittal.

35 Fonte: ILAFA (2005)

36 Argentina espera crescimento de produção de 6% ao ano para os próximos 2 anos Chile prevê crescimento pequeno para os próximos anos Venezuela e Colômbia com previsão de crescimento de 4% a 5% ao ano

37 AGENDA Panorama da Siderurgia Mundial e a Consolidação do Setor Panorama da Siderurgia Mundial e a Consolidação do Setor Contexto das Siderurgias Latino-americana e brasileira Contexto das Siderurgias Latino-americana e brasileira Tendências tecnológicas de Aciaria Tendências tecnológicas de Aciaria Plano de expansão do Sistema Usiminas Plano de expansão do Sistema Usiminas Considerações finais Considerações finais

38 Investimentos da primeira fase

39 Segunda fase de crescimento Prevista para 2012 com conclusão em 2015 Investimentos de US$ 2,7 bilhões O local para receber estes investimentos tem como primeira opção a usina da Cosipa em Cubatão (SP)

40 Nova situação da produção do Sistema Usiminas após a conclusão do plano de expansão

41 AGENDA Panorama da Siderurgia Mundial e a Consolidação do Setor Panorama da Siderurgia Mundial e a Consolidação do Setor Contexto das Siderurgias Latino-americana e brasileira Contexto das Siderurgias Latino-americana e brasileira Tendências tecnológicas de Aciaria Tendências tecnológicas de Aciaria Plano de expansão do Sistema Usiminas Plano de expansão do Sistema Usiminas Considerações finais Considerações finais

42 O Brasil tem um enorme potencial de crescimento no consumo de aço. Para o primeiro trimestre de 2007 planejamos um crescimento de demanda no país de 8,2% e alcançamos 15%. Já estamos revendo o Planejamento Anual para números nesta ordem. Portanto as perspectivas de novos investimentos ou antecipações de investimentos já planejados DEVE SER REALIDADE. CONSIDERAÇÕES FINAIS

43


Carregar ppt "Tendências da siderurgia Antonio Márcio Carvalho Junqueira Antonio Márcio Carvalho Junqueira Sistema Usiminas Sistema Usiminas Seminário Internacional."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google