A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Cenário Mundial da Indústria Siderúrgica São Paulo 02.09.2005 Rudolf R. Bülher Diretor Técnico do IBS Apresentação para Pós-Graduação ABM/FEI em Metalurgia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Cenário Mundial da Indústria Siderúrgica São Paulo 02.09.2005 Rudolf R. Bülher Diretor Técnico do IBS Apresentação para Pós-Graduação ABM/FEI em Metalurgia."— Transcrição da apresentação:

1 Cenário Mundial da Indústria Siderúrgica São Paulo Rudolf R. Bülher Diretor Técnico do IBS Apresentação para Pós-Graduação ABM/FEI em Metalurgia com ênfase em Siderurgia

2 O Desenvolvimento do Uso do Aço A origem da siderurgia perdeu-se nos tempos com a invenção das primeiras armas e implementos agrícolas. Antes do século XV, o ferro era obtido como massa pastosa moldada pelo uso do martelo e não como líquido que corre para um molde. O fim da Idade Média, que prepara a Europa moderna, é marcado pelo progresso na metalurgia. Começa o processo de refinação do ferro, no século XVIII, quando a maior parte das máquinas industriais era de madeira. O rápido desenvolvimento dos métodos de refino na segunda metade do século XIX abriu caminho a novas utilizações do metal. Construíram-se máquinas industriais, grande quantidade de objetos metálicos de uso geral e o ferro foram transformados no mais importante material de construção. A primeira ponte em estrutura metálica, foi construída na Inglaterra A construção de ferrovias no último quarto do século XIX impulsionou a indústria do aço para escalas de produção cada vez maiores. O mesmo ocorreu com a fabricação de navios a vapor, pontes, estações ferroviárias e construções em geral. O que distinguia a indústria do aço era sua escala de produção que se contrapunha a todo um processo de execução até então conhecido.

3 Fonte: World Mineral Production | Sumário Mineral / DNPM PRINCIPAIS METAIS METAIS PRODUÇÃO MUNDIAL PRODUÇÃO BRASILEIRA CONSUMO BRASILEIRO Aço Alumínio Cobre Zinco Níquel Estanho 967,0 27,9 15,2 9,9 1,4 0,3 31,1 1,4 0,2 0,3 0,03 0,01 18,3 0,7 0,3 0,2 0,02 0,006 milhões de t em 2003

4 A Economia e o Aço O aço é fator básico no processo de desenvolvimento de um país e a ele se acha estreitamente ligado. O desenvolvimento econômico, fundamentado na industrialização e baseado no modelo metal-mecânico teve no aço o seu insumo por excelência. Como matéria- prima, permitiu a combinação de propriedades como resistência, dutilidade, flexibilidade, conformabilidade, essenciais ao modelo. O nível de consumo de aço depende de ciclos econômicos. O consumo per capita é indicador de desenvolvimento dos países. A intensidade da demanda de aço (kg de aço/ US$ de PMB), se eleva nas etapas iniciais do desenvolvimento econômico dos países, declinando posteriormente de forma lenta com o amadurecimento da economia. O permanente desenvolvimento tecnológico da siderurgia vem permitindo ao aço enfrentar com sucesso a concorrência de outros materiais como: alumínio, plástico, vidro, papel, madeira, preservando assim sua condição de material essencial ao desenvolvimento industrial.

5 Brasil Chile México Argentina Coréia do Sul Itália Espanha EUA R.F. Alemanha Japão China Kg/hab. CONSUMO PER CAPITA DE AÇO BRUTO NO BRASIL E NO MUNDO

6 Unid.: kg aço bruto consumido/US$ PIB a preços 1990, em 1997 Fonte: IISI INTENSIDADE DO USO DO AÇO

7 Produção Mundial

8 Evolução da Produção Mundial de Aço Bruto Fonte: IISI 10 6 t 1º Choque do Petróleo 1º Choque do Petróleo 2º Choque do Petróleo 2º Choque do Petróleo Fragmentação da URSS Fragmentação da URSS Crescimento Acelerado da China Crescimento Acelerado da China % 2.4% -0.5% 1.4% 0.1% 2.2% 1.6% Ano Crescimento

9 10 6 t Fonte: IISI Evolução da Produção Mundial de Aço Bruto China: 70% do aumento da produção mundial entre 2001 e x 10 6 t/a 146 x 10 6 t/a

10 20 maiores países produtores Ranking Mundial por País (milhões de toneladas ) Produção mundial total = 1.056,6 milhões toneladas Produção de Aço Bruto Fonte: IISI

11 Ranking por Companhia (milhões de toneladas ) Arcelor LNM Group Nippon Steel JFE POSCO Shanghai Baostell Corus Group US Steel ThyssenKrupp Nucor Riva Acciao EvrazHolding ISG Sumitomo SAIL Gerdau Magnitogorsk China Steel Anshan Severstal Novolipetsk Wuhan Shougang INI Steel Kobe Steel Imidro Benxi Krivorozstal BlueScope Mariupol (Ilyich) Polskie Huty Stali Tangshan Maanshan Handan Voestalpine AK Steel Panshihua Azovstal CSN Baotou Produção Mundial de Aço Bruto

12 Demanda Mundial

13 EVOLUÇÃO DO CONSUMO APARENTE DE AÇO NO MUNDO 1990/2004 (10 6 t) Regiões Desenvolvidas União Européia (15) Japão NAFTA Outros Regiões em Desenvolvimento América Latina (Exc. México) Ásia (Exc. China) Outros China CIS TOTAL BRASIL Fonte: IISI ,1 + 1,5 - 1,3 + 2,6 + 0,8 + 4,9 + 5,3 + 4,7 + 5,2 + 12,2 - 5,6 + 2,9 + 5,1 Crescimento Anual (%) 1990/ ,0 + 0,5 + 0,3 + 5,3 + 5,4 + 4,2 + 4,6 + 9,2 + 20,9 + 4,9 + 6,3 + 3,0 Crescimento Anual (%) 2000/2004

14 Fonte: Metal Bulletin Preços de Bobinas Laminadas a Quente, Mercado Antuérpia, FOB, (US$ / tonelada)

15 Consumo Mundial de Aço 2004 = 968 Milhões t 182 Mi t 870 Mi 19 Mi t 850 Mi 192 Mi t 744 Mi 567 Mi t 3800 Mi 8 Mi t 32 Mi

16 Comércio Internacional

17 Mundo - Exportação e Percentagem da Produção Exportação (10 6 t) % da produção ,6 171,0 171,0 246,6 306,3 301,0 318,5 24,3 28,5 26,2 37,4 40,8 37,5 36,9 Em termos gerais, vem-se observando, por várias décadas, um crescimento do comércio internacional de produtos siderúrgicos tanto em volumes como porcentagem da produção total. Não há indicações de que essa tendência possa mudar no curto / médio prazo. Do total comercializado em 2003, 64% ou 211,1 milhões de t corresponde a comércio extra regional. COMÉRCIO MUNDIAL DE AÇO - EVOLUÇÃO

18 PRINCIPAIS EXPORTADORES E IMPORTADORES DE AÇO Milhões de toneladas em 2003 EXPORTAÇÕES TOTAIS 1. Japão 2. Rússia 3. Ucrânia 4. Alemanha 5. Bélgica - Luxemburgo 6. França 7. Coréia do Sul 8. Brasil 9. Itália 10. Turquia 33,7 32,3 26,6 24,7 20,4 17,5 14,1 13,0 11,3 11,1 IMPORTAÇÕES TOTAIS 1. China 2. EUA 3. Alemanha 4. Itália 5. Coréia do Sul 6. França 7. Bélgica - Luxemburgo 8. Espanha 9. Formosa 10. Tailândia EXPORTAÇÕES LÍQUIDAS (EXP. - IMP.) 1. Japão 2. Rússia 3. Ucrânia 4. Brasil 5. Bélgica - Luxemburgo 30,5 28,9 25,7 12,4 7,6 IMPORTAÇÕES LÍQUIDAS (IMP. - EXP.) 1. China 2. EUA 3. Formosa 4. Tailândia 5. Irã 34,7 13,8 11,1 7,6 6,8 Fonte: IISI 43,2 21,3 18,1 17,5 15,6 14,8 12,9 12,1 11,1 9,4

19 Siderurgia Brasileira

20 A CAPACIDADE EXPORTADORA DO SETOR CORRESPONDE A 60% DA DEMANDA INTERNA ATUAL. Siderurgia Brasileira (2004) PARQUE PRODUTOR DE AÇO: 24 USINAS (11 INTEGRADAS E 13 SEMI-INTEGRADAS), ADMINISTRADAS POR 11 EMPRESAS PRESENÇA EM 9 ESTADOS DA FEDERAÇÃO FATURAMENTO LÍQUIDO - R$ 51,5 bilhões (US$ 17,6 bilhões) IMPOSTOS - R$ 9,5 bilhões (US$ 3,3 bilhões) CAPACIDADE INSTALADA - 34 milhões de t/ano de Aço Bruto 8º PRODUTOR NO RANKING MUNDIAL PRODUÇÃO (t de aço bruto) BRASIL ,9 milhões de t MUNDIAL ,6 milhões de t 3,1% - BRASIL / MUNDO AMÉRICA LATINA ,9 milhões de t 51,5% - BRASIL / AM. LATINA NÚMERO DE EMPREGADOS PARTICIPAÇÃO NO PIB - 3,4% INVESTIMENTOS REALIZADOS : US$ 13,9 Bilhões

21 CEARÁ Gerdau - Cearense PERNAMBUCO Gerdau - Açonorte BAHIA Gerdau - Usiba RIO DE JANEIRO Barra Mansa CSN Gerdau - Cosigua Gerdau - Aços Especiais Rio (2007) SÃO PAULO Aços Villares - Pindamonhangaba Aços Villares - Mogi das Cruzes Belgo-Mineira - Piracicaba Cosipa Gerdau - São Paulo (2005) Villares Metals PARANÁ Gerdau - Guaíra RIO GRANDE DO SUL Gerdau - Piratini Gerdau - Riograndense MINAS GERAIS Acesita Gerdau Açominas - Ouro Branco Belgo-Mineira - Monlevade Belgo-Mineira - Juiz de Fora Gerdau - Barão de Cocais Gerdau - Divinópolis Usiminas V&M do Brasil ESPÍRITO SANTO Belgo-Mineira - Grande Vitória CST Fonte: IBS Usinas Siderúrgicas Parque Existente

22 Participação do Brasil (%) 2,1 2,9 2,7 3,3 3,3 3,3 3,2 3,1 Mundo 715,6 718,9 770,5 752,3 847,7 903,8 968, ,6 Brasil 15,3 20,5 20,6 25,1 27,9 29,6 31,1 32,9 Milhões de t Brasil Mundial Taxa de Crescimento ao Ano Mundial 1,6 % Brasil 3,2 % Mundial Brasil PRODUÇÃO DE AÇO BRUTO

23 * Vendas internas das empresas siderúrgicas + importações Fonte: IBS EVOLUÇÃO DO CONSUMO APARENTE* DE PRODUTOS SIDERÚRGICOS /2004

24 DISTRIBUIÇÃO SETORIAL DO CONSUMO APARENTE(*) DE PRODUTOS SIDERÚRGICOS 2004 (*) CA = Vendas Internas das Empresas Siderúrgicas + Importações (**) Semi-elaboração: tubos com costura, relaminados, perfis soldados, perfis conformados a frio e trefilados. Fonte: IBS

25 Exportações Brasileiras de Produtos Siderúrgicos

26 Destino das Exportações de Produtos Siderúrgicos Europa 10,7% América Latina 24,5 % América do Norte 30,0% Outros Ásia 22,5% Oriente Médio 0,4% Oriente Médio 0,4% África 3,6% Oceania 0,1% China 8,2%

27 Semi-Acabados Planos Longos Tubos e Acessórios Outros 35,0 121,1 60,6 21,8 1,1 MUNDO BRASIL Mistura de Exportação (média 1998/2002) % Participação Brasileira no Comércio Mundial (média 1998/2002) % PRODUTOS BRASILMUNDO UNID: 10 6 t Fonte: IISI/Secex PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA NAS EXPORTAÇÕES MUNDIAIS DE PRODUTOS SIDERÚRGICOS 51,0 148,1 71,0 23,8 1,8 5,4 2,5 0,6 0,2 - 7,2 3,4 2,1 0,3 - 16,1 50,3 24,6 8,5 0,5 58,1 27,2 12,4 2,3 - 14,7 2,2 2,1 1,1 - Total 239,6 295,7 8,7 13,0 100,0 4,1

28 Competitividade

29 Em média, 1/3 da rentabilidade da Empresa é decorrente da Estrutura do Setor M. Porter

30 COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA SIDERÚRGICA Modelo Conceitual Tamanho do Mercado Custo AltoBaixo Não Competitivo Importador crescente ou Reprocessador Competitivo / Balanceado Competitivo / Exportador Não Competitivo / Totalmente Importador

31 MATÉRIA PRIMA (minério de ferro, gusa, sucata) REDUTOR/ ENERGIA (carvão, gás, energia elétrica) MERCADO LOCALIZAÇÃO SIDERURGIA COMPETITIVA EQUIPAMENTOS FATORES GERENCIAIS MARCOS REGULATÓRIOS Liderança Metodologia Conhecimento INFRA- ESTRUTURA Transporte Educação Comunicação Econômicos Mercadológicos Legais FATORES EMPRESARIAIS FATORES NACIONAIS Qualidade Responsabilidade Social Atendimento ao Mercado Resultado Econômico Sustentável Demandas do Mercado FATORES ESTRUTURAIS SIDERURGIA COMPETITIVA - Fatores de Competitividade

32 Fonte: WSD 2004 Custo de produção de placa US$/t COMPETITIVIDADE DA SIDERURGIA

33 Fatores Intrínsecos Minérios Redutores carvão gás natural Energia elétrica Escala da produção Fatores Estruturais Tamanho do mercado interno Acesso a outros mercados Infraestrutura/logística Fatores Econômico Financeiros Custo de Capital p/ investimento Custo de Capital de Giro Carga Tributária Outros Fatores Relevantes Tecnologia Recursos Humanos Estabilidade Econômica ***** *** - **** *** * **** *** SITUAÇÃO ATUAL TENDÊNCIA ? ***** Benchmark FATORES CHAVE DA COMPETITIVIDADE - SIDERURGIA BRASILEIRA -

34 MINAS GERAIS SÃO PAULO ESPÍRITO SANTO RIO DE JANEIRO Usinas Portos Ferrovias Fonte: CSN BH Minas LOGÍSTICA E INFRAESTRUTURA PARA PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE AÇO

35 Consolidação do Setor

36 Participação das 10 maiores empresas nos setores industriais Base: 2004 Comércio Internacional Fonte: JFE %

37 A consolidação da indústria siderúrgica - Evolução Produção de aço bruto (10 6 t) Participação dos 5 maiores: 12% 17% Participação dos 20 maiores: 31% 39% Fonte: IISI / Metal Bulletin empresas de mais de 50 milhões t/ano

38 CONSOLIDAÇÃO DA SIDERURGIA MUNDIAL 2005 a 2010/2012

39 Matérias Primas

40 Steel Supply

41 Minério de Ferro - Oferta X Demanda Mundial

42 Carvão Metalúrgico - Oferta X Demanda Mundial

43 Total Coke Supply X Demand

44 Tendências / Perspectivas

45 FMinério de ferro abundante e de boa qualidade; FDisponibilidade de mão-de-obra; FParque industrial atualizado; FProximidade entre as usinas, o mercado consumidor e os portos; FRelevantes exportações; FExperiência de sucesso nas rotas integradas e semi-acabadas; FCompetitividade internacional - baixos custos de produção. Cenário Atual da Siderurgia Brasileira

46 FCrescimento da demanda interna de aço; FÊnfase na internacionalização; FExpansão da capacidade em semi-acabados e ferro- gusa; FElevação das exportações de semi-acabados; FContinuidade do processo de reestruturação interno. FCompetitividade internacional preservada Cenário Prospectivo da Siderurgia Brasileira

47 FCompetição com outros materiais FSuprimento de matérias-primas. Concentração de Fornecedores FPosicionamento da China FRestrições ambientais FPossível excesso de Capacidade / Subsídios FVolatilidade dos Mercados / Barreiras de comércio PRINCIPAIS DESAFIOS PARA A SIDERURGIA MUNDIAL

48 FInternacionalização do setor FIntenso Processo de Fusões e Aquisições FAumento da Escala Empresarial Mínima FAumento da produção de semi-acabados para exportação em países que oferecem vantagens comparativas FMudanças na Geografia da Produção e Consumo do Aço Continuam Tendências na Siderurgia Mundial

49 Produção de Aço Bruto Mundial Previsto ~ ~ ~ Fonte: Various & IISI RAMCO Expert Group Milhões de t

50 CRESCIMENTO DO CONSUMO APARENTE DE AÇO NO MUNDO /2010 (10 6 t) Fonte: IISI Regiões Desenvolvidas Regiões em Desenvolvimento e CIS China TOTAL MUNDO % a.a. 5% a.a. 6% a.a. Consumo Aparente

51 China - Cenário Siderúrgico 2010 Fonte: IISI - China Project t I II III

52 Capacidade Instalada x Produção x Consumo Aparente Aço Bruto PARQUE INSTALADO Elasticidade e Renda: 2, t Capacidade Instalada Produção Consumo Aparente Realizado Previsto

53 PERSPECTIVAS - VISÃO GERAL Demanda de aço Crescimento médio anual acima de 4% a.a. Consumo aparente 2010 = 1230 mil t/ano (est.). Acréscimo de 260 milhões t / ano sobre Preços Menores flutuações que no passado Comércio Internacional Crescimento de comércio com suporte de: - Aumento de demanda - Maior abertura comercial - Internacionalização das empresas Produção / Estrutura Produtiva Aumentos de produção com utilização relativamente alta de capacidade até 2008 Consolidação do setor Melhores condições para ajustes da produção Aumentos globais dos custos das matérias-primas elevam os custos do aço Mudanças nos fluxos de origem X destino e mistura de produtos - Auto-suficiência da China - Novos pólos exportadores - migração de etapas da produção integrada para regiões de vantagens comparativas Maior disciplina no comércio - Aumentos de escala e internacionalização de empresas - Medidas contra práticas de comércio desleal - Grandes exportadores associados à OMC

54 Se você não viver no futuro hoje, viverá no passado amanhã. (P. Elliyart)

55


Carregar ppt "Cenário Mundial da Indústria Siderúrgica São Paulo 02.09.2005 Rudolf R. Bülher Diretor Técnico do IBS Apresentação para Pós-Graduação ABM/FEI em Metalurgia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google