A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

JEFFERSON MAMEDE NUNES. ATMOSFERA & CÉU ATMOSFERA DEFINIÇÃO: do grego antigo – τμός, vapor, ar, e σφα ρα, esfera – é uma camada de gases que envolve.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "JEFFERSON MAMEDE NUNES. ATMOSFERA & CÉU ATMOSFERA DEFINIÇÃO: do grego antigo – τμός, vapor, ar, e σφα ρα, esfera – é uma camada de gases que envolve."— Transcrição da apresentação:

1 JEFFERSON MAMEDE NUNES

2 ATMOSFERA & CÉU

3 ATMOSFERA DEFINIÇÃO: do grego antigo – τμός, vapor, ar, e σφα ρα, esfera – é uma camada de gases que envolve (nem em todos os casos) um corpo material com massa suficiente. COMPOSIÇÃO: o ar seco contém, em volume: * 78,09% de nitrogênio; * 20,95% de oxigênio; * 0,93% de argônio; * 0,039% de gás carbônico * e pequenas quantidades de outros gases. OBS: OBS: O ar contém uma quantidade variável de vapor de água, em média 1%.

4 CAMADAS:CAMADAS: EXOSFERA: –A partir dos +/- 700 Km de altura; –Composição: hélio e hidrogênio; –Espaço sideral; –Altas temperaturas: mais de 1000°C. TERMOSFERA OU IONOSFERA: –Entre +/- 80 e 700 Km de altitude; –Presença de íons; –Reflete ondas de radiofrequência; –Ar rarefeito, altas temperaturas; –Escudo atmosférico (desintegração meteoros).

5 MESOSFERA: –Entre +/- 50 e 80 Km de altitude; –Fim da Camada de Ozônio (O 3 ). ESTRATOSFERA: –Entre +/- 20 e 50 Km de altitude; –Início da Camada de Ozônio (O 3 ); –Baixa umidade, ventos horizontais; –Quanto mais alto, mais quente.

6 TROPOSFERA: –Camada inferior até +/- 20 Km de altitude; –Mais importante; –Onde ocorrem os fenômenos meteorológicos; –Grande concentração de gases (75%); –Umidade atmosférica (80%); –Quanto mais alto, mais frio; –Maior parte da vida atmosférica.

7 TEMPO CLIMA É o estado físico das condições atmosférica em um determinado momento e local. Isto é, a influência do estado físico da atmosfera sobre a vida e as atividades do homem. É o estudo médio do tempo para um determinado período em uma certa localidade. Refere-se às características inseridas das observações contínuas durante um certo período. OBS: A caracterização de um CLIMA exige no mínimo três décadas de acompanhamento meteorológico. MeteorologiaClimatologia Nublado, frio, chuvoso, ensolarado, nevando, etc. Tropical, desértico, polar, equatorial, temperado, etc.

8 FATORES DO CLIMA 1.LATITUDE; 2.ALTITUDE; 3.MASSA DE AR; 4.CONTINENTALIDADE / MARITIMIDADE; 5.CORRENTES MARÍTIMAS; 6.VEGETAÇÃO; 7.RELEVO. ALTERAM O CLIMA

9 1. LATITUDE > Latitude = < Temperatura. Temperatura. > Inclinação = > área aquecida = < Temperatura. Temperatura.

10 > Altitude = < Temperatura. Temperatura. Altas altitudes: ar rarefeito – não conserva calor. Albedo – índice de reflexão: > Albedo = < absorção = < Temperatura. absorção = > Temperatura. 2. ALTITUDE

11 Bolsões de ar que se deslocam em escalas planetárias. Carrega temperatura e umidade. Descaracterizam com o deslocamento. Classificações: * equatoriais e tropicais: quentes; * temperadas e polares: frias; * oceânica úmidas; * continentais secas. 3. MASSAS DE AR

12 > ou < proximidade de água. Calor específico: capacidade de reter calor 4. CONTINENTALIDADE E MARITIMIDADE: ÁGUA > TERRA Demora para aquecerAquece rápido Retém calor mais tempo Retém calor menos tempo Demora irradiar a energia absorvida Irradiar rápido a energia absorvida Amplitude térmica < Amplitude térmica >

13 Grandes massas de água que se deslocam pelo oceano. Favorecem atividade pesqueira. 5. CORRENTES MARÍTIMAS

14 Retira a unidade do solo: envia para atmosfera (evapotranspiração). Impede a incidência direta dos raios solares. Desmatamento diminui umidade e aumenta temperatura. 6. VEGETAÇÃO

15 Associado à altitude. Facilita ou dificulte a circulação das massas de ar. 7. RELEVO

16

17 1.TEMPERATURA; 2.PRESSÃO ATMOSFÉRICA; 3.VENTOS; 4.UMIDADE; 5.CHUVAS. ELEMENTOS DO CLIMA OBS: Os Elementos Climáticos, estão inseridos no contexto de ação dos Fatores do Clima. FORMAM O CLIMA

18 Corresponde a quantidade de energia absorvida pela atmosfera após a propagação do calor absorvido pelo planeta nas porções sólidas e líquidas. 1. TEMPERATURA OBS: A atmosfera não é aquecida pelos raios solares quando emitidos diretamente pelo sol e, sim, após reagirem com as superfícies sólidas e líquidas do planeta, ou seja a troposfera é aquecida pela irradiação.

19 Força provocada pelo peso do ar. Pode variar 2. PRESSÃO ATMOSFÉRICA { Altitude Latitude OBS: Quanto maior a altitude, menor a pressão atmosférica e quanto mais próxima do nível do mar, maior a pressão atmosférica.

20 Pode ser considerado como o ar em movimento. Resulta do deslocamento de massas de ar, derivado dos efeitos das diferenças de pressão atmosférica entre duas regiões distintas e é influenciado por efeitos locais como o relevo e a rugosidade do solo. Tipos: * Ventos tranquilos: periódicos (brisas e monções) e locais ( mistral, föhn, simum, minuano). * Ventos violentos: furacões (ciclones, willy-willy, tufão, hurricane), tornados e trombas dágua. 3. VENTOS

21 Circulação geral da atmosfera:

22 Corresponde a quantidade de vapor de água encontrada na troposfera em um determinado instante. Pode ser expressa Ponto de saturação: precipitação. 4. UMIDADE { Valor absoluto (g/m 3 ) Valor Relativo ( % )

23 Tipos de nuvens:

24 Tipos de precipitação: Chuva Orvalho Granizo Neve Geada Garoa

25 Fenômeno meteorológico que consiste na precipitação de gotas de água no estado líquido sobre a superfície da Terra, formando-se nas nuvens. Nem todas as chuvas atingem o solo, algumas evaporam-se enquanto estão ainda a cair, num fenômeno que recebe o nome de virga e acontece principalmente em períodos/locais de ar seco. 5. CHUVAS

26 Chuva orográfica ou de relevo:Chuva orográfica ou de relevo: São causadas pelo choque do ar úmido do oceano com uma área montanhosa. As montanhas atuam como uma barreira no caminho do vento, obrigando-o a subir para a atmosfera e ao subir o ar se resfria e se condensa, caindo sob a forma de chuva sobre as vertentes, como ocorre no planalto da Borborema no Nordeste do Brasil. Neste caso, o outro lado da barreira montanhosa não é atingido pela chuva, mas pelo ar seco, é também comum na costa oeste da América do Norte.

27 Chuvas frontais: Resultam do choque entre duas massas de ar diferentes, uma quente e úmida e a outra fria e seca. O ar frio por ser mais pesado faz o ar quente subir na atmosfera, este ar quente e úmido se resfria e se condensa, provocando chuvas demoradas, e que são as mais freqüentes em todo o mundo.

28 Chuva de convecção: O ar que sobe em movimento contínuo na atmosfera se resfria a grandes altitudes, dando origem a nuvens do tipo cúmulo ou cúmulo-nimbo. São chuvas típicas da zona equatorial, como a Amazônia, onde o ar se aquece com muita frequência por causa da alta temperatura.

29 É uma descarga elétrica que se produz pelo contato entre nuvens de chuva ou entre uma destas nuvens e a terra. A descarga é visível a olho nu, com trajetórias sinuosas e de ramificações irregulares às vezes com muitos quilômetros de distância até o solo. Este fenômeno produz um clarão conhecido como relâmpago. Um raio é um fenômeno em que para acontecer é preciso que existam cargas opostas entre uma nuvem e o chão, quando isso acontece, a atração é muito forte, então temos uma enorme descarga elétrica. Existem três tipos de raios classificados pela sua origem, também menos comumente chamados descargas iônicas ou atmosféricas: * Da nuvem para o solo. * Do solo para a nuvem. * Entre nuvens. Raios:

30 É o ruído resultante da onda de choque provocada pelo aquecimento instantâneo do ar ao ser atravessado por um raio durante uma trovoada. Numa trovoada geram-se descargas elétricas para equilibrar a diferença de potencial entre o topo da nuvem (cargas positivas), a base da nuvem (cargas negativas) e o solo (carga positiva). A atmosfera funciona como isolador entre a nuvem e o solo. Quando a energia envolvida numa tempestade ultrapassa a resistência do ar, gera-se uma descarga entre os pólos de carga oposta. Esta descarga é caracterizada por um raio com temperaturas elevadas que aquecem o ar à sua passagem. O rápido aumento da pressão e temperatura fazem expandir violentamente o ar envolvente ao raio a velocidades superiores às do som, gerando-se uma onda de choque. O ribombar posterior a um trovão é conseguido pelo eco da onda de choque nas altas camadas da atmosfera e na geografia envolvente. Nas proximidades do ponto de contacto do raio com o solo regista-se um nível sonoro de 120 dB. A proximidade do trovão pode produzir surdez temporária e até mesmo rotura da membrana do tímpano e consequentemente, surdez permanente. Trovão:

31 TIPOS DE CLIMA

32 Ocorrem na chamada zona tórrida do planeta; Próximo ao equador (entre 5º N e 5º S); Apresenta temperaturas elevadas; Pequena variação entre o dia e a noite; Pequena variação na radiação absorvida; Chuvas abundantes o ano inteiro (chuvas de convecção); Pequena amplitude térmica anual (anual é inferior a 4ºC).. Equatorial: Tropical: Apresenta apenas duas estações definidas durante todo o ano (verão quente e chuvoso e inverno ameno e seco); Está na região tropical (entre 5º e 30º N e S); São climas quentes durante todo o ano; Áreas continentais: amplitude térmica maior; Áreas marítimas: amplitude térmica menor; Amplitude térmica anual entre 15º e 20ºC. Kuala Lumpur - Malásia Zinguinchor - Senegal

33 Característicos das médias latitudes; Apresentam as quatros estações definidas; Chuvas abundantes e bem distribuídas; Verões quentes e invernos frios; Elevada amplitude térmica anual. Subtropical: Temperado: Região entre os trópicos e os círculos polares; Quatro estações do ano bem definidas; Subdivide-se em: * oceânico (pouca amplitude térmica); * continental (grande amplitude térmica). Washington - EUA Valentia - Irlanda Moscou - Rússia

34 Localizado entre 30 e 40º N e S. Menores índices pluviométricos; São bastante parecidos com os climas tropicais; Suas chuvas concentram-se no outono e no inverno. Apresentam verões quentes e secos e invernos amenos e chuvosos; Mediterrâneo: Árido ou desértico: Extrema falta de umidade; Localizado entre 15º e 45º N e S; Apresentam elevada amplitude térmica diária; Os índices pluviométricos anuais são inferiores a 250mm; Badajoz - Espanha Uluru - Austrália

35 Clima de região de transição; Apresenta chuvas escassas e mal distribuídas ao longo do ano; OBS: Este tipo climático aparecem nas regiões tropicais (temperaturas elevadas durante todo o ano) e temperadas (apresentam invernos rigorosos). Semi-árido: Baku - Azerbaijão Subpolar ou frio: Localizado por volta dos 55º N; Amplitude térmica anual é elevada; Verão curto e pouco quente e o inverno é frio e longo; Temperaturas médias mensais são por vezes inferiores a -40°C; Precipitação muito baixa, geralmente ocorre na forma de neve. Angmagssalik - Groenlândia

36 Ocorrem em regiões de altas latitudes; Locais onde são grandes as variações entre o dia e a noite, conseqüentemente na quantidade de calor absorvido durante o ano; Apresentam sempre temperaturas baixas, máximo de 10ºC. Polar ou glacial: Frio de montanha: Encontra-se em todas as áreas de altitude elevada. Amplitude térmica anual não é muito elevada. A altitude varia a temperatura e a precipitação: a temperatura diminui com o aumento da altitude (6,4°C para cada metros) e a precipitação aumenta até um determinado nível. O verão muito curto, com temperaturas que raramente ultrapassam os 10°C e o inverno é muito frio A precipitação anual é muito abundante, ocorrendo, frequentemente, sob a forma de neve. Santis - Suíça Barrow - Canadá

37 MASSAS DE AR NO BRASIL

38

39

40

41

42

43 CLIMAS DO BRASIL

44

45

46

47

48

49

50


Carregar ppt "JEFFERSON MAMEDE NUNES. ATMOSFERA & CÉU ATMOSFERA DEFINIÇÃO: do grego antigo – τμός, vapor, ar, e σφα ρα, esfera – é uma camada de gases que envolve."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google