A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ENGENHARIA DE ALIMENTOS Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ENGENHARIA DE ALIMENTOS Universidade Estadual de Ponta Grossa."— Transcrição da apresentação:

1 ENGENHARIA DE ALIMENTOS Universidade Estadual de Ponta Grossa

2 COORDENAÇÃO DO CURSO: Profª. Deise Simões Prof. Ivo Demiate CHEFE DE DEPARTAMENTO: Prof. Alessandro Nogueira

3 Tópicos da apresentação Estrutura do curso; Campos de atuação; Grupos de pesquisa e extensão; Estágios extras e curriculares; Informações úteis oÔnibus, Biblioteca, Departamento, Colegiado.

4 Curso de Engenharia de Alimentos Criado pela Resolução314/9724 novembro1997 Reconhecido pelo(a) MEC novembro2002 Publicado no Diário Oficial da União novembro2002 Currículo atual aprovado pela Resolução CA 262/00

5 Carga horária do curso Formação básica geral1768 horas Formação específica padrão1938 horas Estágio curricular340 horas Diversificação ou aprofundamento 340 horas Atividades complementares200 horas TOTAL4246 horas

6 Duração máxima e mínima Turno ofertado Mínima: 5 (cinco) anosMáxima: 9 (nove) anos Matutino Vespertino X Integral Noturno Local: Campus de UVARANAS!

7 Número de vagas Vestibular de Inverno15 Vestibular de Verão15 Processo Seletivo Seriado - PSS 10 Total de Vagas40

8 Condições de ingresso X Concurso vestibular X Processo Seletivo Seriado (PSS) X Transferência Outra (qual) -

9 Profissão: Engenheiro de Alimentos COMPETÊNCIAS E HABILIDADES EXIGIDAS PARA O PROFISSIONAL: aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à engenharia; projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados; conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos; planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de engenharia; identificar, formular e resolver problemas de engenharia;

10 Profissão: Engenheiro de Alimentos COMPETÊNCIAS E HABILIDADES EXIGIDAS PARA O PROFISSIONAL: desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas; supervisionar a operação e a manutenção de sistemas; avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas; comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica; atuar em equipes multidisciplinares;

11 Profissão: Engenheiro de Alimentos COMPETÊNCIAS E HABILIDADES EXIGIDAS PARA O PROFISSIONAL: compreender e aplicar a ética e responsabilidade profissionais; avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e ambiental; avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia; assumir a postura de permanente busca de atualização profissional.

12 Campos de atuação O Engenheiro de Alimentos atua na indústria de alimentos desde a recepção da matéria-prima até o produto acabado, inclusive na área de marketing, vendas de equipamentos e produtos, gerenciamento e administração de empresas.

13 Campos de atuação Em órgãos públicos o Engenheiro de Alimentos tem a função de analisar normas e padrões de qualidade dos alimentos, atuando no setor de fiscalização e normalização de produtos alimentícios. Pode também trabalhar em instituições de ensino e pesquisa.

14 Projetos de pesquisa e extensão Os professores do Curso de Engenharia de Alimentos ministram aulas, desenvolvem projetos de pesquisa e extensão. A participação nestas atividades propicia aos acadêmicos estágios nos projetos de graduação e também de pós-graduação junto ao Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos da UEPG.

15

16 LINHAS DE PESQUISA DESENVOLVIDAS PELOS PROFESSORES DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS: Tratamento e aproveitamento de resíduos agroindustriais; Análise sensorial de alimentos; Tecnologia de carnes e derivados; Microbiologia de alimentos; Tecnologia de amidos e féculas; Fibra alimentar; Aproveitamento de recursos naturais;

17 LINHAS DE PESQUISA DESENVOLVIDAS PELOS PROFESSORES DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS: Agroindústria de maçã Bioquímica de alimentos Tecnologia de óleos e gorduras Tecnologia de fermentações Engenharia bioquímica; Projetos computacionais; Cristalização de sistemas alimentícios; Modelagem matemática de processos.

18 Professores Alessandro Nogueira: Frutas e Hortaliças, Tecnologia de bebidas não fermentadas; Ana Cláudia Barana: Tratamento de efluentes; Embalagens Deise Rosana Silva Simões: Análise Sensorial, Tecnologia de carne e derivados; Dorivaldo da Silva Raupp: Nutrição e alimentos especiais; Elis Regina Duarte: Fenômenos de transporte; Guilherme de Almeida S. Tedrus: Leite e derivados, Desenvolvimento de novos produtos, Projetos industriais; Ivo Mottin Demiate: Tecnologia de cereais, raízes e tubérculos, Matérias primas agropecuárias; Lara Tschopoko Pedroso Pereira: Microbiologia;

19 Leda Battestin Quast: Operações Unitárias II, Tecnologia de produtos açucarados, Projetos industriais; Marco Aurélio Praxedes: Termodinâmica aplicada e Operações I; Mareci Mendes de Almeida: Bioquímica dos Alimentos; Nelci Catarina Chiquetto: Desenvolvimento de novos produtos; Renata Dinnies: Tecnologia de Óleos e Gorduras; Ineuza Michels Marçal: Introdução e Princípios de Tecnologia de Alimentos; Marina Caldeira Tolentino: Tecnologia de Carnes.

20 CURSO DE EXTENSÃO EM FABRICAÇÃO DE QUEIJOS

21 ETL Queijos A Escola Tecnológica de Leites e Queijos dos Campos Gerais consiste na concretização de um projeto elaborado em cooperação entre o Governo do Estado do Paraná e o Governo de Rhône-Alpes na França. Objetivo: Capacitar os participantes nas áreas da qualidade do leite e tecnologia de processamento de queijo, incluindo noções sobre a comercialização dos produtos.

22

23 Apoio a implantação do Centro Mesorregional de Excelência em Tecnologia do Leite O projeto está vinculado à ETLQueijos, auxiliando em eventos e na promoção da área de leites e derivados em evento e workshops;

24 Extensão – ENGEMÉDIO Interação da Engenharia com o ensino médio; Busca inserir os conceitos da engenharia nas matérias básicas de matemática, física, química e biologia; Busca despertar a vocação do ensino médio para a engenharia de alimentos.

25 Extensão – Novos Talentos Busca desenvolver atividades na área de ensino, pesquisa e extensão com alunos de ensino médio; Expõe o aluno à prática da Engenharia de Alimentos.

26 Universidade Sem Fronteiras projetos de extensão executados recentemente ou em execução Apoio a implantação de cooperativa para beneficiamento de mel na região dos Campos Gerais;

27 Apoio Técnico aos pequenos produtores de Leite dos municípios de Tibagi e Ipiranga – PR; Apoio Técnico a implantação de uma unidade processadora de derivados de tomate no município de Reserva.

28 IESOL – Incubadora de Empreendimentos Solidários Empreendimento em parceria com instituições e outros projetos existentes. –Fazenda Escola: Construção da unidade de ordenha; –Consultoria juntamente com o projeto de apoio aos produtores de leite.

29 Grupo de trabalho sobre maçã – GTM Compreende um conjunto eclético de pesquisadores, desde acadêmicos em processos de iniciação científica até profissionais com pós-doutorado. Volta-se, dentro das atividades universitárias de Ensino, Pesquisa e Extensão, à capacitação de recursos humanos e à geração de conhecimentos, estabelecendo o setor agroindustrial de maçãs como alvo.

30 PET – Programa de Educação Tutorial - Engenharia de Alimentos São objetivos deste Programa: Desenvolver atividades acadêmicas em padrões de qualidade de excelência, de natureza coletiva e interdisciplinar; Contribuir para a elevação da qualidade da formação acadêmica dos alunos de graduação; Estimular a formação de profissionais e docentes de elevada qualificação técnica, científica, tecnológica e acadêmica. Formular novas estratégias de desenvolvimento e modernização do ensino superior no país; Estimular o espírito crítico, bem como a cidadania, consciência ambiental e pela função social da educação superior.

31 Atividades complementares no curso: A Semana de Engenharia de Alimentos (SEMEA) é realizada pelo 4º Ano de Engenharia de Alimentos, auxiliada pelo grupo PET; Durante a semana são realizadas palestras de diversos temas relacionadas ao curso, com pesquisadores, palestrante e profissionais de diversas empresas; Também são oferecidos mini-cursos e visitas para conhecer melhores técnicas de áreas específicas.

32 Engenharíadas Objetivo: Incentivar a prática esportiva entre os acadêmicos das universidades participantes, bem como, promover a confraternização entre os mesmos; Local 2010 Cascavel; Local 2011 Guarapuava.

33 Estrutura do Curso O curso conta com 10 laboratórios para as disciplinas do núcleo básico: –Laboratório de Informática (CTA); –Laboratório de Física (bloco L); –Laboratório de Química Geral e Inorgânica (bloco M); –Laboratório de Química Orgânica (bloco L); –Laboratório de Eletrotécnica (bloco E); –Laboratório de Mecânica dos Fluidos (bloco E);

34 Estrutura do curso –Laboratório de Físico-Química (bloco L); –Laboratório de Química Analítica (bloco L); –Laboratório de Biologia (bloco M); –Laboratório de Microbiologia (bloco M); –Sala de desenho (Bloco E – sala 6); –Anfiteatros.

35 Estrutura do Curso Disciplinas profissionalizantes: –Laboratório de Análise Físico-Química de Alimentos (CTA-01); –Laboratório de Análise Microbiológica de Alimentos (CTA-02); –Laboratório de Tecnologia de Fermentações (CTA-03 e CTA-04); –Laboratório de Tecnologia de Cereais, Raízes e Tubérculos (CTA-05);

36 Estrutura do Curso –Laboratório de Tecnologia de Frutas e Hortaliças (CTA-06); –Laboratório de Análise Sensorial de Alimentos (CTA-07); –Laboratório de Tecnologia de Lipídios (CTA- 08); –Laboratório de Tecnologia de Alimentos (CTA-09).

37 Estágios Para obter a graduação, o acadêmico deverá cumprir 200 horas de atividades complementares: –115 horas de estágio extra-curricular; –85 horas de outras atividades;

38 Estágio Extra-curricular Monitorias (máx. 60 horas); Pesquisa (máx. 100 horas); Extensão (máx. 115 horas); Estágios em empresas (não-obrigatório).

39 Estágio Obrigatório O estágio obrigatório, como disciplina, só pode ser feito no último semestre do curso – 340h.

40 Programas – principais PIBIC: é um programa de iniciação científica (cotista ou não cotista). Normalmente esse tipo de programa contempla o aluno com bolsa; PROVIC: é o mesmo do anterior, porém nesse programa o aluno não recebe bolsa; BIC: é um programa de iniciação científica porém o aluno deve ser cotista; BEC: programa extensionista com bolsa para alunos cotistas.

41 Horário de ônibus Campus: Segunda a sábado; Alternativa: –Paraíso/T. Uvaranas: Passa próximo a reitoria – Bloco E – Observatório Astronômico; –Borsatto/T. Uvaranas: Passa pelos fundos da UEPG, próximo ao Colégio Agrícola/RU; –Hospital Regional/T. Uvaranas: Passa pelos fundos da UEPG, próximo ao Colégio Agrícola/RU;

42 Horários de ônibus Para informações de horários:

43 Esportes Práticas esportivas: –Musculação; –Futsal; –Vôlei; –Natação; –Hidroginástica. Inscrição: Bloco G –Escolha de horários e de atividades; –Documentos necessários: Carterinha de estudante e RG. Marcar exame médico

44 Esportes Inscrições: dia 02 à 10 de março; Início: 11 de março; Telefones: –CDR Administração: ; –CDR Secretaria: ou ; Para maiores informações acesse:

45 Acadêmico on-line Como entrar no sistema: Encaminhar-se a prograd, localizada no prédio da reitoria, tendo em mãos o extrato de matricula, que é fornecido no dia da matrícula, para conseguir a senha; Acessar site da uepg (http://portal.uepg.br/);http://portal.uepg.br/ Clicar no link: acadêmico on-line; Digitar RA e senha.

46

47

48 Biblioteca Horário de funcionamento Biblioteca Central Segunda a sexta feira: 08h00 às 12h00 e das 13h00 às 22h00 Sábado: 13h00 às 17h00 Fone: Biblioteca Campus Uvaranas Segunda a sexta feira: 08h00 às 12h00 e das 13h00 às 22h00 Sábado: 13h00 às 17h00 Fone:

49 Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG Setor de Ciências Agrárias e de Tecnologia - SCATE Departamento de Engenharia de Alimentos - DEA Colegiado de Engenharia de Alimentos - COALIM Av. Gal. Carlos Cavalcanti, Bairro Uvaranas CEP: Ponta Grossa - PR Fone: (42) 3220 – 3769 (42) 3220 – 3768 E – mail departamento: E – mail Deise: E – mail PET: SITE DO DEPARTAMENTO: SITE DA ETL Queijos: SITE GTM:

50 Biblioteca –Para o empréstimo de livros, o acadêmico deve portar a carteira de identidade (RG) e o extrato de matrícula se ainda não tiver carteirinha do estudante; –Cada usuário poderá emprestar até três títulos de livros e/ou multimeios de cada vez, em cada unidade do Sistema de Bibliotecas.

51 Obrigados pela atenção! Grupo PET


Carregar ppt "ENGENHARIA DE ALIMENTOS Universidade Estadual de Ponta Grossa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google