A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ENGENHARIA DE ALIMENTOS

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ENGENHARIA DE ALIMENTOS"— Transcrição da apresentação:

1 ENGENHARIA DE ALIMENTOS
Universidade Estadual de Ponta Grossa

2 CHEFE DE DEPARTAMENTO: Prof. Alessandro Nogueira
COORDENAÇÃO DO CURSO: Profª. Deise Simões Prof. Ivo Demiate CHEFE DE DEPARTAMENTO: Prof. Alessandro Nogueira

3 Tópicos da apresentação
Estrutura do curso; Campos de atuação; Grupos de pesquisa e extensão; Estágios extras e curriculares; Informações úteis Ônibus, Biblioteca, Departamento, Colegiado.

4 Curso de Engenharia de Alimentos
Criado pela Resolução 314/97 24 novembro 1997 Reconhecido pelo(a) MEC 6642 28 2002 Publicado no Diário Oficial da União 6368 29 Currículo atual aprovado pela Resolução CA 262/00

5 Carga horária do curso Formação básica geral 1768 horas
Formação específica padrão 1938 horas Estágio curricular 340 horas Diversificação ou aprofundamento Atividades complementares 200 horas TOTAL 4246 horas

6 Duração máxima e mínima
Mínima: 5 (cinco) anos Máxima: 9 (nove) anos Turno ofertado Matutino Vespertino X Integral Noturno Local: Campus de UVARANAS!

7 Número de vagas Vestibular de Inverno 15 Vestibular de Verão
Processo Seletivo Seriado - PSS 10 Total de Vagas 40

8 Condições de ingresso X Concurso vestibular
Processo Seletivo Seriado (PSS) Transferência Outra (qual) -

9 Profissão: Engenheiro de Alimentos
COMPETÊNCIAS E HABILIDADES EXIGIDAS PARA O PROFISSIONAL: aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à engenharia; projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados; conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos; planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de engenharia; identificar, formular e resolver problemas de engenharia;

10 Profissão: Engenheiro de Alimentos
COMPETÊNCIAS E HABILIDADES EXIGIDAS PARA O PROFISSIONAL: desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas; supervisionar a operação e a manutenção de sistemas; avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas; comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica; atuar em equipes multidisciplinares;

11 Profissão: Engenheiro de Alimentos
COMPETÊNCIAS E HABILIDADES EXIGIDAS PARA O PROFISSIONAL: compreender e aplicar a ética e responsabilidade profissionais; avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e ambiental; avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia; assumir a postura de permanente busca de atualização profissional.

12 Campos de atuação O Engenheiro de Alimentos atua na indústria de alimentos desde a recepção da matéria-prima até o produto acabado, inclusive na área de marketing, vendas de equipamentos e produtos, gerenciamento e administração de empresas.

13 Campos de atuação Em órgãos públicos o Engenheiro de Alimentos tem a função de analisar normas e padrões de qualidade dos alimentos, atuando no setor de fiscalização e normalização de produtos alimentícios. Pode também trabalhar em instituições de ensino e pesquisa.

14 Projetos de pesquisa e extensão
Os professores do Curso de Engenharia de Alimentos ministram aulas, desenvolvem projetos de pesquisa e extensão. A participação nestas atividades propicia aos acadêmicos estágios nos projetos de graduação e também de pós-graduação junto ao Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos da UEPG.

15

16 Tratamento e aproveitamento de resíduos agroindustriais;
LINHAS DE PESQUISA DESENVOLVIDAS PELOS PROFESSORES DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS: Tratamento e aproveitamento de resíduos agroindustriais; Análise sensorial de alimentos; Tecnologia de carnes e derivados; Microbiologia de alimentos; Tecnologia de amidos e féculas; Fibra alimentar; Aproveitamento de recursos naturais;

17 Bioquímica de alimentos Tecnologia de óleos e gorduras
LINHAS DE PESQUISA DESENVOLVIDAS PELOS PROFESSORES DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS: Agroindústria de maçã Bioquímica de alimentos Tecnologia de óleos e gorduras Tecnologia de fermentações Engenharia bioquímica; Projetos computacionais; Cristalização de sistemas alimentícios; Modelagem matemática de processos.

18 Professores Alessandro Nogueira: Frutas e Hortaliças, Tecnologia de bebidas não fermentadas; Ana Cláudia Barana: Tratamento de efluentes; Embalagens Deise Rosana Silva Simões: Análise Sensorial, Tecnologia de carne e derivados; Dorivaldo da Silva Raupp: Nutrição e alimentos especiais; Elis Regina Duarte: Fenômenos de transporte; Guilherme de Almeida S. Tedrus: Leite e derivados, Desenvolvimento de novos produtos, Projetos industriais; Ivo Mottin Demiate: Tecnologia de cereais, raízes e tubérculos, Matérias primas agropecuárias; Lara Tschopoko Pedroso Pereira: Microbiologia;

19 Leda Battestin Quast: Operações Unitárias II, Tecnologia de produtos açucarados, Projetos industriais; Marco Aurélio Praxedes: Termodinâmica aplicada e Operações I; Mareci Mendes de Almeida: Bioquímica dos Alimentos; Nelci Catarina Chiquetto: Desenvolvimento de novos produtos; Renata Dinnies: Tecnologia de Óleos e Gorduras; Ineuza Michels Marçal: Introdução e Princípios de Tecnologia de Alimentos; Marina Caldeira Tolentino: Tecnologia de Carnes.

20 CURSO DE EXTENSÃO EM FABRICAÇÃO DE QUEIJOS

21 ETL Queijos A Escola Tecnológica de Leites e Queijos dos Campos Gerais consiste na concretização de um projeto elaborado em cooperação entre o Governo do Estado do Paraná e o Governo de Rhône-Alpes na França. Objetivo: Capacitar os participantes nas áreas da qualidade do leite e tecnologia de processamento de queijo, incluindo noções sobre a comercialização dos produtos.

22

23 Apoio a implantação do Centro Mesorregional de Excelência em Tecnologia do Leite
O projeto está vinculado à ETLQueijos, auxiliando em eventos e na promoção da área de leites e derivados em evento e workshops;

24 Extensão – ENGEMÉDIO Interação da Engenharia com o ensino médio;
Busca inserir os conceitos da engenharia nas matérias básicas de matemática, física, química e biologia; Busca despertar a vocação do ensino médio para a engenharia de alimentos.

25 Extensão – Novos Talentos
Busca desenvolver atividades na área de ensino, pesquisa e extensão com alunos de ensino médio; Expõe o aluno à prática da Engenharia de Alimentos.

26 Universidade Sem Fronteiras projetos de extensão executados recentemente ou em execução
Apoio a implantação de cooperativa para beneficiamento de mel na região dos Campos Gerais;

27 Apoio Técnico aos pequenos produtores de Leite dos municípios de Tibagi e Ipiranga – PR;
Apoio Técnico a implantação de uma unidade processadora de derivados de tomate no município de Reserva.

28 IESOL – Incubadora de Empreendimentos Solidários
Empreendimento em parceria com instituições e outros projetos existentes. Fazenda Escola: Construção da unidade de ordenha; Consultoria juntamente com o projeto de apoio aos produtores de leite.

29 Grupo de trabalho sobre maçã – GTM
Compreende um conjunto eclético de pesquisadores, desde acadêmicos em processos de iniciação científica até profissionais com pós-doutorado. Volta-se, dentro das atividades universitárias de Ensino, Pesquisa e Extensão, à capacitação de recursos humanos e à geração de conhecimentos, estabelecendo o setor agroindustrial de maçãs como alvo.

30 PET – Programa de Educação Tutorial - Engenharia de Alimentos
São objetivos deste Programa: Desenvolver atividades acadêmicas em padrões de qualidade de excelência, de natureza coletiva e interdisciplinar; Contribuir para a elevação da qualidade da formação acadêmica dos alunos de graduação; Estimular a formação de profissionais e docentes de elevada qualificação técnica, científica, tecnológica e acadêmica. Formular novas estratégias de desenvolvimento e modernização do ensino superior no país; Estimular o espírito crítico, bem como a cidadania, consciência ambiental e pela função social da educação superior.

31 Atividades complementares no curso:
A Semana de Engenharia de Alimentos (SEMEA) é realizada pelo 4º Ano de Engenharia de Alimentos, auxiliada pelo grupo PET; Durante a semana são realizadas palestras de diversos temas relacionadas ao curso, com pesquisadores, palestrante e profissionais de diversas empresas; Também são oferecidos mini-cursos e visitas para conhecer melhores técnicas de áreas específicas.

32 Engenharíadas Objetivo:
Incentivar a prática esportiva entre os acadêmicos das universidades participantes, bem como, promover a confraternização entre os mesmos; Local Cascavel; Local Guarapuava.

33 Estrutura do Curso O curso conta com 10 laboratórios para as disciplinas do núcleo básico: Laboratório de Informática (CTA); Laboratório de Física (bloco L); Laboratório de Química Geral e Inorgânica (bloco M); Laboratório de Química Orgânica (bloco L); Laboratório de Eletrotécnica (bloco E); Laboratório de Mecânica dos Fluidos (bloco E);

34 Estrutura do curso Laboratório de Físico-Química (bloco L);
Laboratório de Química Analítica (bloco L); Laboratório de Biologia (bloco M); Laboratório de Microbiologia (bloco M); Sala de desenho (Bloco E – sala 6); Anfiteatros.

35 Estrutura do Curso Disciplinas profissionalizantes:
Laboratório de Análise Físico-Química de Alimentos (CTA-01); Laboratório de Análise Microbiológica de Alimentos (CTA-02); Laboratório de Tecnologia de Fermentações (CTA-03 e CTA-04); Laboratório de Tecnologia de Cereais, Raízes e Tubérculos (CTA-05);

36 Estrutura do Curso Laboratório de Tecnologia de Frutas e Hortaliças (CTA-06); Laboratório de Análise Sensorial de Alimentos (CTA-07); Laboratório de Tecnologia de Lipídios (CTA-08); Laboratório de Tecnologia de Alimentos (CTA-09).

37 Estágios Para obter a graduação, o acadêmico deverá cumprir 200 horas de atividades complementares: 115 horas de estágio extra-curricular; 85 horas de outras atividades;

38 Estágio Extra-curricular
Monitorias (máx. 60 horas); Pesquisa (máx. 100 horas); Extensão (máx. 115 horas); Estágios em empresas (não-obrigatório).

39 Estágio Obrigatório O estágio obrigatório, como disciplina, só pode ser feito no último semestre do curso – 340h.

40 Programas – principais
PIBIC: é um programa de iniciação científica (cotista ou não cotista). Normalmente esse tipo de programa contempla o aluno com bolsa; PROVIC: é o mesmo do anterior, porém nesse programa o aluno não recebe bolsa; BIC: é um programa de iniciação científica porém o aluno deve ser cotista; BEC: programa extensionista com bolsa para alunos cotistas.

41 Horário de ônibus Campus: Segunda a sábado; Alternativa:
Paraíso/T. Uvaranas: Passa próximo a reitoria – Bloco E – Observatório Astronômico; Borsatto/T. Uvaranas: Passa pelos fundos da UEPG, próximo ao Colégio Agrícola/RU; Hospital Regional/T. Uvaranas: Passa pelos fundos da UEPG, próximo ao Colégio Agrícola/RU;

42 Horários de ônibus Para informações de horários:

43 Esportes Práticas esportivas: Inscrição: Bloco G Marcar exame médico
Musculação; Futsal; Vôlei; Natação; Hidroginástica. Inscrição: Bloco G Escolha de horários e de atividades; Documentos necessários: Carterinha de estudante e RG. Marcar exame médico

44 Esportes Inscrições: dia 02 à 10 de março; Início: 11 de março;
Telefones: CDR Administração: ; CDR Secretaria: ou ; Para maiores informações acesse:

45 Acadêmico on-line Como entrar no sistema:
Encaminhar-se a prograd, localizada no prédio da reitoria, tendo em mãos o extrato de matricula, que é fornecido no dia da matrícula, para conseguir a senha; Acessar site da uepg (http://portal.uepg.br/); Clicar no link: acadêmico on-line; Digitar RA e senha.

46

47

48 Horário de funcionamento
Biblioteca Horário de funcionamento Biblioteca Central Segunda a sexta feira: 08h00 às 12h00 e das 13h00 às 22h00 Sábado: 13h00 às 17h00 Fone: Biblioteca Campus Uvaranas Fone:

49 Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG
Setor de Ciências Agrárias e de Tecnologia - SCATE Departamento de Engenharia de Alimentos - DEA Colegiado de Engenharia de Alimentos - COALIM Av. Gal. Carlos Cavalcanti, Bairro Uvaranas CEP: Ponta Grossa - PR Fone: (42) 3220 – 3769 (42) 3220 – 3768 E – mail departamento: E – mail Deise: E – mail PET: SITE DO DEPARTAMENTO: SITE DA ETL Queijos: SITE GTM:

50 Biblioteca Para o empréstimo de livros, o acadêmico deve portar a carteira de identidade (RG) e o extrato de matrícula se ainda não tiver carteirinha do estudante; Cada usuário poderá emprestar até três títulos de livros e/ou multimeios de cada vez, em cada unidade do Sistema de Bibliotecas.

51 Obrigados pela atenção!
Grupo PET


Carregar ppt "ENGENHARIA DE ALIMENTOS"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google