A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

G ESTÃO DE N EGÓCIOS Aula 6 Haroldo Andrade. BENCHMARKING É a arte de aprender com as empresas que apresentam um desempenho superior em algumas tarefas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "G ESTÃO DE N EGÓCIOS Aula 6 Haroldo Andrade. BENCHMARKING É a arte de aprender com as empresas que apresentam um desempenho superior em algumas tarefas."— Transcrição da apresentação:

1 G ESTÃO DE N EGÓCIOS Aula 6 Haroldo Andrade

2 BENCHMARKING É a arte de aprender com as empresas que apresentam um desempenho superior em algumas tarefas. Pode haver até dez vez mais diferenças entre uma empresa mundialmente conhecida e uma empresa média. A Kodak o tem utilizado para conquistar credibilidade para suas máquinas fotográficas e a Xerox tem usado para reduzir prazos de entrega.

3 O objetivo é copiar ou aprimorar com base em melhores práticas. O Benchmarking não é um método aleatório de recolher informação, mas trata-se de um processo sistemático estruturado etapa a etapa, com o objetivo de avaliar os métodos de trabalho no mercado. Os outputs deste processo proporcionam às empresas comparar os seus produtos, serviços e métodos de trabalho com os das organizações representantes das melhores práticas. BENCHMARKING

4 É um processo gerencial permanente, que requer atualização constante da coleta e análise cuidadosa daquilo que há de melhor externamente em práticas e desempenho para as funções de tomada de decisões e de comunicações em todos os níveis da empresa. Um processo que obriga ao teste constante das ações internas em relação aos padrões externos das práticas. A idéia por trás do benchmarking é de que ninguém é melhor em tudo. Então, "copiar" modelos de outras empresas significa "economizar" tempo e trabalho. BENCHMARKING

5 Por definição, as "cópias" nunca serão iguais. Haverá sempre ajustes, adaptação e aprimoramentos, o que garante a "evolução" da idéia original. BENCHMARKING

6 VANTAGENS Um processo contínuo; Uma procura que fornece informação valiosa; Um processo de aprendizagem; Um leque de oportunidades; Uma análise aos processos; Uma ferramenta de gestão, aplicável aos processos da empresa.

7 DESVANTAGENS Um ato isolado; Um livro de receitas; Uma cópia ou uma imitação; Reinventar o que já foi inventado; Uma constatação de fatos; Uma moda de gestão.

8 TIPOS DE BENCHMARKING Benchmarking competitivo Caracteriza-se por ter como alvo específico as práticas dos concorrentes. Na prática, é o menos usual uma vez que é quase impossível que as empresas se prestem a facilitar dados que estão ligados diretamente com a sua atividade à concorrência. Por isso muitas vezes é necessário contratar uma consultoria externa para obter informações sobre o Benchmarking Competitivo. Um método recomendado para obter as informações dos concorrentes é a utilização de "cliente oculto". Além disso, tem como objetivo atividades similares em diferentes locais, departamentos, unidades operacionais, país, etc.

9 Benchmarking interno A procura pelas melhores práticas ocorre dentro da própria organização em unidades diferentes (outros departamentos, sedes, etc.). Tem como vantagens a facilidade para se obter parcerias, custos mais baixos e a valorização pessoal interna. A grande desvantagem é que as práticas estarão sempre impregnadas com os mesmos paradigmas. Este é o tipo mais utilizado TIPOS DE BENCHMARKING

10 Benchmarking genérico Ocorre quando o Benchmarking é baseado num processo que atravessa várias funções da organização e pode ser encontrado na maioria das empresas do mesmo porte, como por exemplo, o processo desde a entrada de um pedido até a entrega do produto ao cliente. É neste tipo de Benchmarking que encontramos a maioria dos exemplos práticos e onde as empresas estão mais dispostas a colaborar e a ser mais verdadeiras. TIPOS DE BENCHMARKING

11 Benchmarking funcional Baseado numa função específica, que pode existir ou não na própria organização e serve para trocarmos informações acerca de uma atividade bem definida como, por exemplo, a distribuição, o faturamento ou embalagem. Alguns autores vinculam o conceito de benchmarking funcional ao benchmarking genérico, pela possibilidade dos mesmos serem utilizados sem se levar em consideração a concorrência direta da organização que aprende ou patrocina o estudo e a organização "investigada". TIPOS DE BENCHMARKING

12 MARKETING E LOGÍSTICA Os limites entre o marketing e a logística nem sempre têm sido os mais claros, há quem diga que o marketing parte da logística e a logística parte deste e que a logística é uma função de marketing e que estes dois conceitos estão sempre ligados mas cada um faz as suas funções, o marketing ocupa-se com a satisfação e a fidelização do cliente enquanto a logística promove o serviço ao cliente.

13 O marketing é importante mas no entanto se não houver um bom serviço logístico acaba por não servir e não fideliza clientes como é sempre o objetivo de qualquer empresa. É através do bom serviço logístico que o cliente dá valor a empresa. Uma empresa com bom marketing e maus serviços não vinga no mercado, no entanto uma empresa com um bom serviço logístico poderá vingar no mercado mesmo com um marketing mau ou ausente. MARKETING E LOGÍSTICA

14 MARKETING Em administração, marketing é o conjunto de métodos e atividades relacionadas com o fluxo de bens e serviços do produtor para o consumidor. Corresponde à implantação da estratégia comercial, que abrange um leque muito alargado de atividades, desde o estudo de mercado, promoção, publicidade, vendas e assistência pós-venda.

15 MIX DE MARKETING OU COMPOSTO DE MARKETING O composto mercadológico, composto de marketing, marketing mix ou simplesmente 4Ps (quatro pês) foi formulado primeiramente por Jerome McCarthy em seu livro Basic Marketing (1960) e trata do conjunto de pontos de interesse para os quais as organizações devem estar atentas se desejam perseguir seus objetivos de marketing. O composto é dividido em 4 secções, as quais são: Produto do inglês product Preço do inglês price Praça do inglês place Promoção do inglês promotion

16 LOGISTICA A Logística é a área da gestão responsável por prover recursos, equipamentos e informações para a execução de todas as atividades de uma empresa. Fundamentalmente a logística possui uma visão organizacional holística, onde esta administra os recursos materiais, financeiros e pessoais, onde exista movimento na empresa, gerenciando desde a compra e entrada de materiais, o planejamento de produção, o armazenamento, o transporte e a distribuição dos produtos, monitorando as operações e gerenciando informações.

17 LOGISTICA A logística é dividida em dois tipos de atividades - as principais e as secundárias: Principais: Transportes, Gerenciar os Estoques, Processamento de Pedidos. Secundárias: Armazenagem, Manuseio de materiais, Embalagem, Obtenção / Compras, Programação de produtos e Sistema de informação.


Carregar ppt "G ESTÃO DE N EGÓCIOS Aula 6 Haroldo Andrade. BENCHMARKING É a arte de aprender com as empresas que apresentam um desempenho superior em algumas tarefas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google