A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Vânia Loureiro – Enfermeira do Trabalho. CEREST O que é? Quais são suas atribuições? Quantos são?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Vânia Loureiro – Enfermeira do Trabalho. CEREST O que é? Quais são suas atribuições? Quantos são?"— Transcrição da apresentação:

1 Vânia Loureiro – Enfermeira do Trabalho

2 CEREST O que é? Quais são suas atribuições? Quantos são?

3 O que é?

4 É... UM CENTRO DE REFERÊNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR. CEREST ESTADUAL CEREST REGIONAL

5 POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR E DA TRABALHADORA. PORTARIA Nº DE 23 DE AGOSTO DE Quais são suas atribuições?

6 CAPITULO IV DAS RESPONSABILIDADES Seção II Das Atribuições dos CEREST e das Equipes Técnicas. Art. 14. Cabe aos CEREST, no âmbito da RENAST:

7 CAPITULO IV -DAS RESPONSABILIDADES SEÇÃO II - DAS ATRIBUIÇÕES DOS CEREST E DAS EQUIPES TÉCNICAS Art. 14. Cabe aos CEREST, no âmbito da RENAST: I - Desempenhar as funções de suporte técnico, de educação permanente, de coordenação de projetos de promoção, vigilância e assistência à saúde dos trabalhadores, no âmbito da sua área de abrangência; II - Dar apoio matricial para o desenvolvimento das ações de saúde do trabalhador na atenção primária em saúde, nos serviços especializados e de urgência e emergência, bem como na promoção e vigilância nos diversos pontos de atenção da Rede de Atenção à Saúde;

8 CAPITULO IV -DAS RESPONSABILIDADES SEÇÃO II - DAS ATRIBUIÇÕES DOS CEREST E DAS EQUIPES TÉCNICAS Art. 14. Cabe aos CEREST, no âmbito da RENAST: III - Atuar como centro articulador e organizador das ações intra e intersetoriais de saúde do trabalhador, assumindo a retaguarda técnica especializada para o conjunto de ações e serviços da rede SUS e se tornando polo irradiador de ações e experiências de vigilância em saúde, de caráter sanitário e de base epidemiológica.

9 CAPITULO IV -DAS RESPONSABILIDADES SEÇÃO II - DAS ATRIBUIÇÕES DOS CEREST E DAS EQUIPES TÉCNICAS Art. 14. Cabe aos CEREST, no âmbito da RENAST: § 1º As ações a serem desenvolvidas pelos CEREST serão planejadas de forma integrada pelas equipes de saúde do trabalhador no âmbito das Secretarias Estaduais de Saúde (SES) e das Secretarias Municipais de Saúde (SMS), sob a coordenação dos gestores. § 2º Para as situações em que o Município não tenha condições técnicas e operacionais, ou para aquelas definidas como de maior complexidade, caberá às SES a execução direta de ações de vigilância e assistência, podendo fazê-lo, em caráter complementar ou suplementar, através dos CEREST.

10 CAPITULO IV -DAS RESPONSABILIDADES SEÇÃO II - DAS ATRIBUIÇÕES DOS CEREST E DAS EQUIPES TÉCNICAS Art. 14. Cabe aos CEREST, no âmbito da RENAST: § 3º O apoio matricial, de que trata o inciso II deste artigo, será equacionado a partir da constituição de equipes multiprofissionais e do desenvolvimento de práticas interdisciplinares, com estabelecimento de relações de trabalho entre a equipe de matriciamento e as equipes técnicas de referência, na perspectiva da prática da clínica ampliada, da promoção e da vigilância em saúde do trabalhador.

11 CAPITULO IV -DAS RESPONSABILIDADES SEÇÃO II - DAS ATRIBUIÇÕES DOS CEREST E DAS EQUIPES TÉCNICAS Art. 15. As equipes técnicas de saúde do trabalhador, nas três esferas de gestão, com o apoio dos CEREST, devem garantir sua capacidade de prover o apoio institucional e o apoio matricial para o desenvolvimento e incorporação das ações de saúde do trabalhador no SUS. Parágrafo único - A execução do disposto no caput deste artigo pressupõe, no mínimo: I -A construção, em toda a Rede de Atenção à Saúde, de capacidade para a identificação das atividades produtivas e do perfil epidemiológico dos trabalhadores nas regiões de saúde definidas pelo Plano Diretor de Regionalização e Investimentos (PDRI); e II - A capacitação dos profissionais de saúde para a identificação e monitoramento dos casos atendidos que possam ter relação com as ocupações e os processos produtivos em que estão inseridos os usuários.

12 NECESSIDADES URGENTES I- CRIAÇÃO DE EQUIPES TÉCNICAS EM SAÚDE DO TRABALHADOR NOS MUNICÍPIOS. II –INTEGRAÇÃO COM A ATENÇÃO BÁSICA III-ADOTAR NOVO MODELO DE TERRITORIALIZAÇÃO.

13 CEARÁ

14 Centros de Referência em Saúde do Trabalhador no Ceará: 01 Estadual 07 Regionais: Fortaleza Sobral, Horizonte Juazeiro do Norte Tianguá Aracati Quixeramobim

15 CEREST FORTALEZA Hab. CEREST HORIZONTE Hab. CEREST ARACATI Hab. CEREST JUAZEIRO DO NORTE Hab. CEREST TIANGUÁ Hab. CEREST SOBRAL Hab. CEREST QUIXERAMOBIM Hab.

16 Em 2005, já existia o NST, que funcionava na CEVISA HABILITADO: Portaria nº614 de 17/08/2006 De Ago/2006 à Jan/2008: funcionou na CEVISA A partir de Maio/2007: atuação da equipe técnica. Nov/2008 – Inauguração da sede 2008: Município de Fortaleza – Integração da Vigilância em Saúde Ambiental à Saúde do Trabalhador HABILITAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO CEREST REGIONAL FORTALEZA

17 RUA CAPITÃO GUSTAVO,3552. JOAQUIM TÁVORA.

18

19 Área de abrangência 1ª CRES - Fortaleza: Fortaleza, Itaitinga, Euzébio e Aquiraz. 2ª CRES - Caucaia: Caucaia, São Luiz do Curu, Paracuru, Paraipaba, São Gonçalo do Amarante, Itapajé, Tejussuoca, General Sampaio, Apuiarés e Pentecoste. 3ª CRES - Maracanaú: Maracanaú, Pacatuba, Barreira, Acarape, Maranguape, Guaiúba, Redenção e Palmácia. 4ª CRES - Baturité: Baturité, Itapiúna, Capistrano, Aracoiaba, mulungu, Pacoti, Aratuba e Guaramiranga 6ª CRES - Itapipoca: Itapipoca, Miraíma, Amontada, Uruburetama, Trairi, Umirim e Tururu. 34 municípios.

20 4ª CRES 1ª CRES 2ª CRES 3ª CRES 4ª CRES 6ª CRES

21

22 MUNICÍPIOUNIDADE SENTINELAAGRAVO PACTUADO FORTALEZA Instituto Dr. José Frota – SER II Acidente de Trabalho Fatal e Grave Acidente de Trabalho Com Criança e Adolescente. Intoxicações Exógenas. Hospital Distrital Evandro Aires de Moura (Frotinha Antonio Bezerra- SER III). Acidente de Trabalho Fatal e Grave Acidente de Trabalho Com Criança e Adolescente. Hospital Distrital Maria José Barroso de Oliveira (Frotinha Parangaba- SER IV) Acidente de Trabalho Fatal e Grave Acidente de Trabalho Com Criança e Adolescente. CAC Lúcia de Fátima R.G.Sá. (CROA – Parangaba SER IV) Acidente de Trabalho Com Criança e Adolescente. Hospital Edmilson Barros de Oliveira (Frotinha Messejana SER VI) Acidente de Trabalho Fatal e Grave Acidente de Trabalho Com Criança e Adolescente. CEREST Regional Fortaleza Acidente de Trabalho Fatal e Grave Acidente de Trabalho Com Criança e Adolescente. Dermatoses Ocupacionais. LER/ DORT. PAIR. Transtorno Mental. 1ª CRES – FORTALEZA - CEREST REGIONAL FORTALEZA

23 1ª CRES – FORTALEZA - CEREST ESTADUAL MunicípioUnidade SentinelaAGRAVO PACTUADO Fortaleza Hospital Geral Dr. César Cals LER/DORT Pneumoconioses Hospital Geral de Fortaleza Acidente de Trabalho Fatal e Grave Dermatoses Ocupacionais Intoxicações Exógenas LER/DORT PAIR Câncer Relacionado ao trabalho Hospital de Messejana – Dr. Carlos Alberto Studart Gomes Pneumoconioses Hospital de Saúde Mental de Messejana Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho. Hospital infantil Albert Sabin Acidente de Trabalho Com Criança e Adolescente.. Intoxicações Exógenas. Hospital São José – Doenças Infecciosas Acidente com Material Biológico Centro de referência Nacional em Dermatologia Sanitária Dona Libânia Dermatoses Ocupacionais CEREST EstadualTodos os agravos

24 2ª CRES – CAUCAIA - CEREST REGIONAL FORTALEZA MUNICÍPIOUNIDADE SENTINELAAGRAVO PACTUADO Caucaia Policlínica Caucaia Acidente com Material Biológico. LER/DORT Hospital Abelardo Gadelha Acidente de Trabalho Fatal e Grave Acidente de Trabalho Com Criança e Adolescente. Acidente com Material Biológico Dermatoses Ocupacionais. Intoxicações Exógenas. Itapagé Hospital Maternidade João Ferreira Gomes Acidente de Trabalho Fatal e Grave Acidente de Trabalho Com Criança e Adolescente. ParacuruSanta Casa de Paracuru Acidente de Trabalho Fatal e Grave Acidente de Trabalho Com Criança e Adolescente. São Gonçalo do Amarante Hospital Municipal Luiza Alcântara Silva,Acidente de Trabalho Fatal e Grave Acidente de Trabalho Com Criança e Adolescente. Acidente com Material Biológico Dermatoses Ocupacionais.

25 3ª CRES – MARACANAÚ - CEREST REGIONAL FORTALEZA MUNICÍPIOUNIDADE SENTINELAAGRAVO PACTUADO Maracanaú Hospital Municipal de Maracanaú – Dr. João Elísio de Holanda Acidente de Trabalho Fatal e grave Intoxicações Exógenas CAPS II de Maracanaú. Transtorno Mental Maranguape Hospital Municipal de Maranguape Dr. Argeu Herbster Acidente de Trabalho Fatal e Grave Intoxicações Exógenas

26 4ª CRES – BATURITÉ - CEREST REGIONAL FORTALEZA MunicípioUnidade SentinelaAGRAVO PACTUADO Aracoiaba Hospital e Maternidade Santa Isabel. Acidente de Trabalho Fatal e Grave Acidente de Trabalho Com Criança e Adolescente. Intoxicações Exógenas.

27 6ª CRES – ITAPIPOCA - CEREST REGIONAL FORTALEZA MunicípioUnidade SentinelaAGRAVO PACTUADO Itapipoca Hospital e Maternidade São Vicente de Paula. Acidente de Trabalho Fatal e Grave Acidente de Trabalho Com Criança e Adolescente. Acidente com Exposição a Material Biológico Intoxicações Exógenas.

28 PARA QUE HAJA FUTURO PRECISAMOS SER ATUANTES NO PRESENTE... SAÚDE DO TRABALHADOR, PORQUE TODOS FOMOS, SOMOS OU SEREMOS TRABALHADORES. ISLENE ROSA


Carregar ppt "Vânia Loureiro – Enfermeira do Trabalho. CEREST O que é? Quais são suas atribuições? Quantos são?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google