A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Hipertensão arterial Laiz Laura de Godoy, nº37.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Hipertensão arterial Laiz Laura de Godoy, nº37."— Transcrição da apresentação:

1 Hipertensão arterial Laiz Laura de Godoy, nº37

2 Hipertensão arterial Definição: pressão arterial usual de 140/90 mmHg ou mais alta,valor acima do qual os benefícios do tratamento parecem superar os riscos. Pré-hipertensão: pressões arteriais entre 120/80 e 139/89. A evolução para hipertensão é 2 vezes maior que a pressão abaixo de 120/80, aumenta-se também o risco cardiovascular.

3 estadiamento SISTÓLICA DIASTÓLICA 130-139 85-89 140-159 90-99 160-179
NORMAL (ELEVADO) 85-89 ESTÁGIO I 90-99 ESTÁGIO II ESTÁGIO III > > 110 SISTÓLICA ISOLADA >/= 140 < 90 ALVO < < 85

4 Hipertensão arterial primária
Equivale a 90-95% dos pacientes hipertensos, em que nenhum mecânismo fisiopatogênico foi, até hoje, identificado. Acredita-se que diversos defeitos moleculares em vários genes devem, em conjunto, explicar os principais mecânismos, mais a interação com fatores ambientais. Na maioria destes pacientes comportamentos facilmente identificáveis (consumo excessivo de calorias, sal ou alcool) contribuem para P.A elevada.

5 Hipertensão arterial secundária
Tem etiologia conhecida e fisiopatogenia razoavelmente esclarecida, que uma vez identificadas, podem ser curadas. Etiologias: 40-45% são de causa renal (nefrite, hidronefrose, nefropatia diabética), 20%são renovasculares ( estenose da artéria renal), 15% feocromocitoma ou hiperaldosteronismo e os 15% restantes por outras doenças endócrinas ou pelo uso de drogas.

6 HAS SECUNDÁRIA Em menores de 30 anos: GLOMERULOPATIAS (GESF)
ENDÓCRINAS (FÉO, HIPER, HIPO, CUSHING) VASCULARES DROGAS Maiores que 50 anos: CAUSAS VASCULARES SÍNDROME OBSTRUTIVA DA APNÉIA DO SONO

7 h.A de etiologia renal-patogenia
Controle pressórico renal: modular o conteúdo de Na e volume corporal e secretar hormônios vasoativos (renina, PGs). Retenção salina Efeito vasoativo

8 H.A NA I.R.A E NA I.R.C PA=DCXRP AUMENTO DO D.C AUMENTO DA P.A AUMENTO DA R.P FCXVOLS Nessas condições a retirada do componente Na-volume resultaria em normalização pressórica.

9 h.A na i.r.a e na i.r.c HA RENINA
Para explicar a hipertensão persistente, o sistema hormonal renina (ativação do SRAA) assim como a atividade simpática se exacerbam nos hipertensos renais. RENINA ATIVIDADE SINPÁTICA HA

10 Fatores de risco TABAGISMO DISLIPIDEMIA DIABETES MELLITUS NEFROPATIA
IDADE SUPERIOR A 60 ANOS HISTÓRIA FAMILIAR + (< 65/mulheres; < 55/homens) RELAÇÃO CINTURA/QUADRIL

11 Fatores de risco

12 TRATAMENTO NÃO MEDICAMENTOSO
Dieta e redução de peso Atividade física Parar de fumar e beber

13

14 tratamento Diuréticos: Contração de vol e efeitos vasodilatadores. Combinados com outras classes de medicações anti-hipertensivas, exercem um efeito sinérgico sobre a P.A. Em virtude de suas longas meias-vidas, as tiazidas são muito mais eficazes que os diuréticos de alça ( dç renal crônica e IC). Hidroclortiazida: é recomendada para hipertensão não complicada associada à IECA ou bloqueador do receptor da angio II. Clortalidona: é recomendada para hipertensão resistente.

15 Efeitos colaterais dos diuréticos
Hipopotassemia Hiperurecemia/gota Hiperglicemia Hipercolesterolemia Atenção: disfunção erétil

16 tratamento Simpatolíticos: diminuem o efluxo simpático destinado à musculatura lisa dos vasos (vasodilatação) e ao coração. São classificados em simpatolíticos de ação central e periférica. Simpatolíticos de ação central: agem estimulando receptores do subtipo alfa2 no SNC. Resultado: vasodilatação, queda da RP, e diminuição da PA. Ex: alfa-metildopa Efeitos colarerais: boca seca, tontura, dores de cabeça.

17 tratamento Simpatolíticos de ação periférica
Alfa e beta bloqueadores Alfa bloqueadores: bloqueadores específicos dos receptores alfa 1, não só impedem a ação como também a liberação de noradrenalina. Ex: prazosina.

18 tratamento ß-bloqueadores do D.C (receptores ß1)
na liberação de renina (receptores ß1) na liberação de norepinefrina (receptores ß2 juncionais) Propanolol: bloqueio não seletivo sobre os receptores ß1 e ß2. Atenolol: cardiosseletivo, maior efeito inibidor sobre receptores ß1.

19 Efeitos colaterais Bronco constrição ICC IV / Bloqueio AV 2º e 3ºgrau
Pioram intolerância à glicose Mascaram hipoglicemia Aumentam TG – Diminuem HDL (pioram resistência à insulina e sind. metabólica) Risco de AVC em idosos Fadiga Depressão

20 tratamento IECA Inibem a ação da ECA, responsável pela transformação de angio I em angio II. Melhora da função endotelial. Bloqueio do metabolismo da bradicinina, potente vasodilatador dependente do endotélio: da pré e da pós carga. do fluxo coronariano e renal (nefroprotetor) hipertofia de V.E (cardioprotetor) da sensibilidade à insulina Ex: captopril, enalapril, Lisinoprol.

21 Efeitos colaterais Tosse seca (principal) Edema angioneurótico
Hiperpotassemia (cuidado com espirolactona) Hipotensão arterial Na gravidez: oligodrâmio, restrição fetal, hipoplasia pulmonar, hipotensão, I.R, morte.

22 tratamento Antagonistas dos receptores da angiotensina:
Bloqueio dos receptores AT1. Bloqueio do SRAA. Adição de hidroclortiazida potencializa ação. Ação semelhante ao IECA, eficientes no tratamento da ICC e reversão da hipertrofia de V.E e nefropaia diabética. Não provocam tosse, contra-indicados na insuficiência hepática. Ex: Losartan

23 tratamento Bloqueadores dos canais de cálcio:
Bloqueiam a abertura dos canais de Ca ativados pela voltagem nos miócitos e cels do músculo liso vascular. Resultado: queda da FC e contratilidade ventricular e relaxa músculo liso vascular (vasodilatação). Acões: antiarrítmicos, antianginosos e anti- hipertensivos. Bem indicados em hipertensão sistólica isolada Ex: verapamil, diltiazem, nifedipina, amlodipina.

24 Efeitos colaterais Cefaléia, tonturas Rubor facial
Edema de extremidades Taquicardias reflexas Depressão miocárdica Constipação Alterações gengivais

25 tratamento Vasodilatadores de ação direta:
Minoxidil e a hidralazina são vasodilatadores arterias que operam abrindo canais de K vasculares ATP-sensíveis. Vasodilatação queda da RP queda do DC quda da PA. Hidralazina: gestantes e ICC Minoxidil:HAS grave, necessidade de diuréticos de alça Nitratos:coronariodilatadores, emergências.

26 RECOMENDAÇÕES DE DROGAS
Droga preferida evitar Contra-indicações Diuréticos IC, asma+DPOC, idoso,Hip sist gota Diabetes, hiperlipidemia, gravidez ß-bloqueadores Angina, pós infarto, arritmias, gravidez Asma, DPOC, dç vascular periférica, bloqueio cardíaco Hipertrigliceridemia, DM isulino-dependente, IC Inibidores da ECA IC, hipertrofia de VE, pós infarto e DM Gravidez, estenose renal bilateral negros ACC Dç vasc periférica, Hipert. sistólica, int. à glicose, negros gravidez ICC, bloqueio AV5 Alfa-bloqueadores Hipertrofia prostática Intolerância à glicose Hipotensão ortostática

27 Obrigada!!!


Carregar ppt "Hipertensão arterial Laiz Laura de Godoy, nº37."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google