A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Luiz Henrique M. de Sousa. Introdução às redes, Internet e o protocolo HTTP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Luiz Henrique M. de Sousa. Introdução às redes, Internet e o protocolo HTTP."— Transcrição da apresentação:

1 Luiz Henrique M. de Sousa. Introdução às redes, Internet e o protocolo HTTP.

2 Definições de Rede na internet: Uma rede é uma quantidade de pontos (os nodos) interligados por relações que podem ser de vários tipos. A palavra começou por designar um dispositivo feito de cabos interligados numa malha, utilizado desde épocas pré-históricas na pesca e na caça. Mais modernamente, redes passaram também a ser utilizadas noutras actividades, como na navegação, na construção (actividades em que as redes são fundamentalmente mecanismos de segurança), no desporto, etc. pt.wikipedia.org/wiki/Rede Conjunto de computadores interligados, compartilhando um conjunto de serviços, arquivos e dispositivos. Um grupo de computadores interconectados, controlados individualmente, junto com o hardware eo software usado para conectá-los. Uma rede permite que usuários compartilhem dados e dispositivos periféricos como impressoras e mídia de armazenamento, troquem informações por meio do correio eletrônico e assim por diante.

3 Definições de Internet na internet: A Internet é uma rede de redes em escala mundial de milhões de computadores. Ao contrário do que se pensa comumente, Internet não é sinônimo de World Wide Web. Esta é parte daquela, sendo a World Wide Web, que utiliza hipermídia em sua formação básica, um dos muitos serviços oferecidos na Internet. A Web é um sistema de informação muito mais recente que emprega a Internet como meio de transmissão. pt.wikipedia.org/wiki/Internet 1. Com inicial maiúscula, significa a "rede das redes". Originalmente criada nos EUA, tornou-se uma associação mundial de redes interligadas, em mais de 70 países. Os computadores utilizam a arquitetura de protocolos de comunicação TCP/IP. Originalmente desenvolvida para o exército americano, hoje é utilizada em grande parte para fins acadêmicos e comerciais. Provê transferência de arquivos, login remoto, correio eletrônico, news e outros serviços; tumitus.com/glossario.php Rede de computadores de alcance mundial, conectado através do protocolo IP. Rede de computadores por meio da qual qualquer comunidade, desde especialistas em física quântica até interessados em fotos de mulher pelada, pode se comunicar e trocar informações. O inter já vem de interligada eo net de network, malha de comunicação. Quando a internet começou a ser definida em 1958, nada indicava que ela poderia vir a ser o que é hoje....

4 Rede mundial de computadores. Nasceu de uma experiência militar norte- americana para conectar computadores em várias partes do mundo. Inicialmente foi muito usada apenas em universidades. Tornou-se uma forma de conexão de computadores em todo o mundo, ligados via linha telefônica e satélite.... O que é um Protocolo ? Protocolo é uma linguagem usada para transmitir dados pela rede. Para que dois computadores possam se comunicar, eles devem usar o mesmo protocolo (ou seja, a mesma linguagem). Quando você envia um do seu computador, seu programa de (chamado cliente de ) envia os dados (seu ) para a pilha de protocolos, e então envia esses dados para o meio de transmissão da rede (normalmente cabo ou o ar, no caso de redes sem fio). No computador do outro lado (o servidor de ) os dados (seu ) são processados e enviados para o programa servidor de .

5 Protocolo HTTP: HTTP é a sigla em língua inglesa de HyperText Transfer Protocol (Protocolo de Transferência de Hipertexto), um protocolo da camada de Aplicação do modelo OSI utilizado para transferência de dados na rede mundial de computadores, a World Wide Web. Também transfere dados de hiper-mídia (imagens, sons e textos). Normalmente, este protocolo utiliza o porta 80 e é usado para a comunicação de "sites" (sítios), comunicando na linguagem HTML (Hipertext Markup Language, ou Linguagem de Marcação de Hipertexto). Contudo, para haver comunicação com o servidor do site é necessário utilizar comandos adequados, que não estão em linguagem HTML. Para acedermos a outro documento a partir de uma palavra presente no documento atual podemos utilizar os chamados links/ (ligações) ou âncoras. Estes documentos encontram-se num "site" (sítio) com um endereço de página da Internet - e para entrarmos neles devemos digitar o respectivo endereço, denominado URI (Universal Resource Indentifier ou Identificador Universal de Recurso), que não deve ser confundir com URL (Universal Resource Locator ou Localizador Universal de Recurso), um tipo de URI que pode ser directamente localizado.

6 A rede Internet e seus diversos protocolos (http, ftp, pop, smtp, https, telnet, ssh, etc.) Modelo OSI-Introdução. O OSI é um modelo usado para entender como os protocolos de rede funcionam. Normalmente quando estudamos redes de computadores este é um dos primeiros tópicos do guia de estudos. O problema, no entanto, é que muitas vezes as pessoas não entendem o porquê da existência deste modelo e/ou como ele funciona – mesmo pessoas que decoram os nomes de todas as sete camadas deste modelo para fazer prova de faculdade ou de certificação não compreendem de fato o seu funcionamento. Neste tutorial explicaremos a você o porquê da existência do modelo OSI e como ele funciona, além de fazer uma rápida correlação entre a pilha de protocolos TCP/IP e o modelo OSI. Quando as redes de computadores sugiram, as soluções eram, na maioria das vezes, proprietárias, isto é, uma determinada tecnologia só era suportada por seu fabricante. Não havia a possibilidade de se misturar soluções de fabricantes diferentes. Dessa forma, um mesmo fabricante era responsável por construir praticamente tudo na rede.

7 Para facilitar a interconexão de sistemas de computadores, a ISO (International Standards Organization) desenvolveu um modelo de referência chamado OSI (Open Systems Interconnection) para que os fabricantes pudessem criar protocolos a partir deste modelo. Algumas pessoas confundem esses dois acrônimos, já que eles são formados pelas mesmas letras. ISO é o nome da organização enquanto que OSI é o nome do modelo de referência para o desenvolvimento de protocolos. Protocolo é uma linguagem usada para transmitir dados pela rede. Para que dois computadores passam se comunicar, eles devem usar o mesmo protocolo (ou seja, a mesma linguagem). Quando você envia um do seu computador, seu programa de (chamado cliente de ) envia os dados (seu ) para a pilha de protocolos, que faz uma porção de coisas que falaremos neste tutorial e então envia esses dados para o meio de transmissão da rede (normalmente cabo ou o ar, no caso de redes sem fio). No computador do outro lado (o servidor de ) os dados (seu ) são processados e enviados para o programa servidor de e- mail.

8 A pilha de protocolos faz uma porção de coisas e o papel do modelo OSI é padronizar a ordem em que a pilha de protocolos faz essas coisas. Dois protocolos diferentes podem ser incompatíveis, mas se eles seguirem o modelo OSI, ambos farão as coisas na mesma ordem, ajudando aos desenvolvedores de software a entender como eles funcionam. Você pode ter notado que usamos a palavra pilha. Isto porque protocolos como o TCP/IP não são na verdade um único protocolo, mas sim vários protocolos trabalhando em conjunto. Portanto o nome mais apropriado não é simplesmente protocolo mas pilha de protocolos. O modelo OSI é dividido em sete camadas. É muito interessante notar que o TCP/IP (provavelmente o protocolo de rede mais usado atualmente) e outros protocolos famosos como o IPX/SPX (usado pelo Novell Netware) e o NetBEUI (usado pelos produtos da Microsoft) não seguem esse modelo ao pé da letra, correspondendo apenas a partes do modelo OSI. Todavia, o estudo deste modelo é extremamente didático, pois através dele há como entender como deveria ser um protocolo ideal, bem como facilita enormemente a comparação do funcionamento de protocolos criados por diferentes empresas.

9 A idéia básica do modelo de referência OSI é: cada camada é responsável por algum tipo de processamento e cada camada apenas se comunica com a camada imediatamente inferior ou superior. Por exemplo, a camada 6 só poderá se comunicar com as camadas 7 e 5, e nunca diretamente com a camada 1. Quando seu computador está transmitindo dados para a rede, uma dada camada recebe dados da camada superior, acrescenta informações de controle pelas quais ela seja responsável e passa os dados para a camada imediatamente inferior. Quando seu computador está recebendo dados, ocorre o processo inverso: uma dada camada recebe dados da camada inferior, processa os dados recebidos removendo informações de controle pelas quais ela seja responsável e passa os dados para a camada imediatamente superior. O que é importante ter em mente é que cada camada adiciona (quando o computador estiver transmitindo dados) ou remove (quando o computador estiver recebendo dados) informações de controle de sua responsabilidade.

10 Vejamos agora as 7 camadas do modelo OSI. O Modelo de Referência OSI Na Figura 1 você pode ver uma ilustração do modelo de referência OSI. Os programas comunicam-se apenas com a camada 7, a camada de Aplicação, enquanto que a camada abaixo da camada 1 é o meio de transmissão da rede (por exemplo, cabo ou ar, no caso de redes sem fio). O cabeamento de rede é às vezes referido como camada 0. As sete camadas podem ser agrupadas em três grupos: Aplicação, Transporte e Rede, como você pode ver na Figura 1.

11 Rede: As camadas deste grupo são camadas de baixo nível que lidam com a transmissão e recepção dos dados da rede. Transporte: Esta camada é responsável por pegar os dados recebidos da rede e transformá-los em um formato compreensível pelo programa. Quando seu computador está transmitindo dados, esta camada pega os dados e os divide em vários pacotes para serem transmitidos pela rede. Quando seu computador está recebendo dados, esta camada pega os pacotes recebidos e os coloca em ordem. Aplicação: Essas são as camadas mais altas que colocam os dados no formato usado pelo programa. Abaixo nós explicamos cada camada do modelo de referência OSI. Em nossos exemplos estamos assumindo que o computador está enviando dados pela rede – por exemplo, você está enviando um através do seu programa de .

12 Camada 7 – Aplicação: A camada de aplicação faz a interface entre o programa que está enviando ou recebendo dados e a pilha de protocolos. Quando você está baixando ou enviando s, seu programa de entra em contato com esta camada. Camada 6 – Apresentação: Também chamada camada de Tradução, esta camada converte o formato do dado recebido pela camada de Aplicação em um formato comum a ser usado pela pilha de protocolos. Por exemplo, se o programa está usando um código de página diferente do ASCII, esta camada será a responsável por traduzir o dado recebido para o padrão ASCII. Esta camada também pode ser usada para comprimir e/ou criptografar os dados. A compressão dos dados aumenta o desempenho da rede, já que menos dados serão enviados para a camada inferior (camada 5). Se for utilizado algum esquema de criptografia, os seus dados circularão criptografados entre as camadas 5 e 1 e serão descriptografadas apenas na camada 6 no computador de destino.

13 Camada 5 – Sessão: Esta camada permite que dois programas em computadores diferentes estabeleçam uma sessão de comunicação. Nesta sessão, esses dois programas definem como será feita a transmissão dos dados e coloca marcações nos dados que estão sendo transmitidos. Se porventura a rede falhar, os dois computadores reiniciam a transmissão dos dados a partir da última marcação recebida em vez de retransmitir todos os dados novamente. Por exemplo, você está baixando s de um servidor de s e a rede falha. Quando a rede voltar a estar operacional, a sua tarefa continuará do ponto em que parou, não sendo necessário reiniciá-la. Note que nem todos os protocolos implementam esta função.

14 Camada 4 – Transporte: Nas redes de computadores os dados são divididos em vários pacotes. Quando você está transferindo um arquivo grande, este arquivo é dividido em vários pequenos pacotes. No computador receptor, esses pacotes são organizados para formar o arquivo originalmente transmitido. A camada de Transporte é responsável por pegar os dados enviados pela camada de Sessão e dividi-los em pacotes que serão transmitidos pela rede. No computador receptor, a camada de Transporte é responsável por pegar os pacotes recebidos da camada de Rede e remontar o dado original para enviá-lo à camada de Sessão. Isso inclui controle de fluxo (colocar os pacotes recebidos em ordem, caso eles tenham chegado fora de ordem) e correção de erros, tipicamente enviando para o transmissor uma informação de reconhecimento (acknowledge), informando que o pacote foi recebido com sucesso. A camada de Transporte separa as camadas de nível de Aplicação (camadas 5 a 7) das camadas de nível Rede (camadas de 1 a 3). As camadas de Rede estão preocupadas com a maneira com que os dados serão transmitidos e recebidos pela rede, mais especificamente com os pacotes são transmitidos pela rede, enquanto que as camadas de Aplicação estão preocupadas com os dados contidos nos pacotes, ou seja, estão preocupadas com os dados propriamente ditos. A camada 4, Transporte, faz a ligação entre esses dois grupos.

15 Camada 3 – Rede: Esta camada é responsável pelo endereçamento dos pacotes, convertendo endereços lógicos em endereços físicos, de forma que os pacotes consigam chegar corretamente ao destino. Essa camada também determina a rota que os pacotes irão seguir para atingir o destino, levando em consideração fatores como condições de tráfego da rede e prioridades. Camada 2 – Link de Dados: Essa camada (também chamada camada de Enlace) pega os pacotes de dados recebidos da camada de rede e os transforma em quadros que serão trafegados pela rede, adicionando informações como o endereço da placa de rede de origem, o endereço da placa de rede de destino, dados de controle, os dados em si e uma soma de verificação, também conhecida como CRC. O quadro criado por esta camada é enviado para a camada Física, que converte esse quadro em sinais elétricos (ou sinais eletromagnéticos, se você estiver usando uma rede sem fio) para serem enviados através do cabo de rede. Quando o receptor recebe um quadro, a sua camada de Link de Dados confere se o dado chegou íntegro, refazendo a soma de verificação (CRC). Se os dados estiverem o.k., ele envia uma confirmação de recebimento (chamada acknowledge ou simplesmente ack). Caso essa confirmação não seja recebida, a camada Link de Dados do transmissor reenvia o quadro, já que ele não chegou até o receptor ou então chegou com os dados corrompidos.

16 Camada 1 – Física: Esta camada pega os quadros enviados pela camada de Link de Dados e os transforma em sinais compatíveis com o meio onde os dados deverão ser transmitidos. Se o meio for elétrico, essa camada converte os 0s e 1s dos quadros em sinais elétricos a serem transmitidos pelo cabo; se o meio for óptico (uma fibra óptica), essa camada converte os 0s e 1s dos quadros em sinais luminosos; se uma rede sem fio for usada, então os 0s e 1s são convertidos em sinais eletromagnéticos; e assim por diante. No caso da recepção de um quadro, a camada física converte os sinais do cabo em 0s e 1s e envia essas informações para a camada de Link de Dados, que montará o quadro e verificará se ele foi recebido corretamente.

17 TCP/IP vs. Modelo de Referência OSI Como o TCP/IP é o protocolo de rede mais usado atualmente, vamos fazer uma correlação entre o protocolo TCP/IP e o modelo de referência OSI. Isto provavelmente ajudará a você entender tanto o modelo de referência OSI quanto o protocolo TCP/IP. Como vimos, o modelo de referência OSI tem sete camadas. O TCP/IP, por outro lado, tem apenas quatro camadas e dessa forma algumas camadas do protocolo TCP/IP representam mais de uma camada do modelo OSI. Na Figura abaixo você pode ver uma correlação entre o modelo de referência OSI e o protocolo TCP/IP.

18 CamadaProtocolo 5.Aplicação HTTP, SMTP, FTP, SSH, RTP, Telnet, SIP, RDP, IRC, SNMP, NNTP, POP3, IMAP, BitTorrent, DNS, Ping... 4.Transporte TCP, UDP, SCTP, DCCP... 3.Rede IP ( IPv4, IPv6 ), ARP, RARP, ICMP, IPSec... 2.Enlace Ethernet, WiFi, IEEE 802.1Q, g, HDLC, Token ring, FDDI, PPP, Frame Relay, 1.Física Modem, RDIS, RS-232, EIA-422, RS-449, Bluetooth, USB,...

19 A idéia por trás do TCP/IP é exatamente a mesma que explicamos para o modelo de referência OSI: na transmissão de dados, os programas se comunicam com a camada de Aplicação, que por sua vez se comunica com a camada de Transporte, que se comunica com a camada de Rede, que se comunica com a camada de Interface com a Rede, que então envia quadros para serem transmitidos pelo meio (cabo, ar, etc). Como mencionamos anteriormente, o TCP/IP não é o nome de um protocolo específico, mas o nome de uma pilha de protocolos. Cada protocolo individual usado na pilha de protocolos TCP/IP trabalha em uma camada diferente. Por exemplo, o TCP é um protocolo que trabalha na camada de Transporte, enquanto que o IP é um protocolo que trabalha na camada de Rede. É possível ter mais de um protocolo em cada camada. Eles não entrarão em conflito porque cada protocolo desempenha uma tarefa diferente. Por exemplo, quando você envia s seu programa de se comunica com o protocolo SMTP localizado na camada de Aplicação. Em seguida este protocolo, após processar os s recebidos do seu programa de , os envia para a camada inferior, a camada de Transporte. Lá os dados serão processados pelo protocolo TCP. Quando você acessa uma página da Internet, seu navegador também se comunicará com a camada de Aplicação, mas desta vez usando um protocolo diferente, HTTP, já que este é o protocolo responsável por processador paginas da Internet.processador

20 Aqui está um breve resumo de cada camada do TCP/IP. Aplicação: Como mencionamos, os programas se comunicam com esta camada. Vários protocolos diferentes podem ser usados nesta camada, dependendo do programa que você estiver usando. Os mais conhecidos são HTTP (navegação web), SMTP (para envio de s), POP3 (para o recebimento de s) e o FTP (para transferência de arquivos). Transporte: Tudo o que dissemos sobre a camada de Transporte do modelo de referência OSI é válido para a camada de Transporte TCP/IP. Dois protocolos diferentes podem ser usados nesta camada, TCP (Transmission Control Protocol) e UDP (User Datagram Protocol). O primeiro usa o esquema de confirmação de recebimento, enquanto que o UDP não usa. O TCP é usado para transmitir dados do usuário (como páginas da web e s) enquanto que o UDP é mais usado para transmitir dados de controle. Rede: Tudo o que dissemos sobre a camada de Rede do modelo de referência OSI é válido para a camada de Rede do TCP/IP. Vários protocolos podem ser usados nesta camada e o mais comum deles é o protocolo IP. Interface com a Rede: Esta camada é responsável por enviar os dados para o meio de transmissão. O que há dentro desta camada dependerá do seu tipo de rede. Se você está usando uma rede Ethernet (o tipo mais comum) você encontrará as três camadas do Ethernet (LLC, MAC e Física – LLC significa Controle do Link Lógico e MAC significa Controle de Acesso ao Meio) dentro desta camada do TCP/IP. A camada Física da rede Ethernet corresponde à camada Física do modelo de referência OSI, enquanto que as outras duas camadas (LLC e MAC) correspondem à camada de Link de Dados do modelo OSI.

21 File Transfer Protocol FTP significa File Transfer Protocol (Protocolo de Transferência de Arquivos), e é uma forma bastante rápida e versátil de transferir arquivos (também conhecidos como arquivos), sendo uma das mais usadas na internet. Pode referir-se tanto ao protocolo quanto ao programa que implementa este protocolo (neste caso, tradicionalmente aparece em letras minúsculas, por influência do programa de transferência de arquivos do Unix). A transferência de dados em redes de computadores envolve normalmente transferência de arquivos e acesso a sistemas de arquivos remotos (com a mesma interface usada nos arquivos locais). O FTP (RFC 959) é baseado no TCP, mas é anterior à pilha de protocolos TCP/IP, sendo posteriormente adaptado para o TCP/IP. É o standard da pilha TCP/IP para transferir arquivos, é um protocolo genérico independente de hardware e do sistema operativo e transfere arquivos por livre arbítrio, tendo em conta restrições de acesso e propriedades dos arquivosRFC 959

22 Simple Mail Transfer Protocol Simple Mail Transfer Protocol (SMTP) é o protocolo padrão para envio de s através da Internet. SMTP é um protocolo relativamente simples, baseado em texto simples, onde um ou vários destinatários de uma mensagem são especificados (e, na maioria dos casos, validados) sendo, depois, a mensagem transferida. É bastante fácil testar um servidor SMTP usando o programa telnet. Este protocolo corre sobre a porta 25 numa rede TCP. A resolução DNS de um servidor SMTP de um dado domínio é possibilitada por sua entrada MX (Mail eXchange). A utilização em massa do SMTP remonta aos anos 80. Na altura era um complemento ao UUCP, que era mais adequado para transferências de correio eletrônico entre máquinas sem ligação permanente. Por outro lado, o desempenho do SMTP aumenta se as máquinas envolvidas, emissor e receptor, se encontrarem ligadas permanentemente. O Sendmail foi um dos primeiros (se não o primeiro) agente de transporte de a implementar SMTP. Em 2001, havia, pelo menos, cerca de 50 programas que implementavam SMTP como cliente (emissor) ou servidor (receptor). Outros servidores SMTP muito conhecidos são: exim, Postfix, Qmail, e Microsoft Exchange Server. Dada a especificação inicial, que contemplava apenas texto ASCII, este protocolo não é ideal para a transferência de arquivos (também chamados de arquivos). Alguns standards foram desenvolvidos para permitir a transferência de arquivos em formato binário através de texto simples, como o caso do MIME. Hoje em dia quase todos os servidores SMTP suportam a extensão 8BITMIME. O SMTP é um protocolo de envio apenas, o que significa que ele não permite que um usuário descarregue as mensagens de um servidor. Para isso, é necessário um cliente de com suporte ao protocolo POP3 ou IMAP, que é o caso da maioria dos clientes atuais.

23 Telnet Telnet é um protocolo cliente-servidor de comunicações usado para permitir a comunicação entre computadores ligados numa rede (exemplos: rede local / LAN, Internet), baseado em TCP. Antes de existirem os chats em IRC o telnet já permitia este género de funções. O protocolo Telnet também permite obter um acesso remoto a um computador. Este protocolo vem sendo gradualmente substituído pelo SSH, cujo conteúdo é encriptado antes de ser enviado. O uso do protocolo telnet tem sido desaconselhado, à medida que os administradores de sistemas vão tendo maiores preocupações de segurança, uma vez que todas as comunicações entre o cliente e o servidor podem ser vistas, já que são em texto plano, incluindo a senha.

24 SSH Em informática, o Secure Shell ou SSH é, simultaneamente, um programa de computador e um protocolo de rede que permite a conexão com outro computador na rede, de forma a executar comandos de uma unidade remota. Possui as mesmas funcionalidades do TELNET, com a vantagem da conexão entre o cliente e o servidor ser criptografada. Uma de suas mais utilizadas aplicações é o chamado Tunnelling, que oferece a capacidade de redirecionar pacotes de dados. Por exemplo, se alguém se encontra dentro de uma instituição cuja conexão à Internet é protegida por um firewall que bloqueia determinadas portas de conexão, não será possível, por exemplo, acessar s via POP3, o qual utiliza a porta 110, nem enviá-los via SMTP, pela porta 25. As duas portas essenciais são a 80 para HTTP e a 443 para HTTPS. Não há necessidade do administrador da rede deixar várias portas abertas, uma vez que conexões indesejadas e que comprometam a segurança da instituição possam ser estabelecidas pelas mesmas.

25 Contudo, isso compromete a dinamicidade de aplicações na Internet. Um funcionário ou aluno que queira acessar painéis de controle de sites, arquivos via FTP ou amigos via mensageiros instantâneos não terá a capacidade de fazê-lo, uma vez que suas respectivas portas estão bloqueadas. Para quebrar essa imposição rígida (mas necessária), o SSH oferece o recurso do Túnel. O processo se caracteriza por duas máquinas ligadas ao mesmo servidor SSH, que faz apenas o redirecionamento das requisições do computador que está sob firewall. O usuário envia para o servidor um pedido de acesso ao servidor pop.xxxxxxxx.com pela porta 443 (HTTPS), por exemplo. Então, o servidor acessa o computador remoto e requisita a ele o acesso ao protocolo, retornando um conjunto de pacotes referentes à aquisição. O servidor codifica a informação e a retorna ao usuário via porta 443. Sendo assim, o usuário tem acesso a toda a informação que necessita. Tal prática não é ilegal caso o fluxo de conteúdo esteja de acordo com as normas da instituição. O SSH faz parte da suíte de protocolos TCP/IP que torna segura a administração remota de um servidor Unix.

26 Post Office Protocol O Post Office Protocol (POP3) é um protocolo utilizado no acesso remoto a uma caixa de correio eletrônico. O POP3 está definido no RFC 1225 e permite que todas as mensagens contidas numa caixa de correio eletrônico possam ser transferidas sequencialmente para um computador local. Aí, o utilizador pode ler as mensagens recebidas, apagá-las, responder-lhes, armazena-las, etc.RFC 1225 O funcionamento do protocolo POP3 diz-se off-line, uma vez que é o processo suportado se baseia nas seguintes etapas: É estabelecida uma ligação TCP entre a aplicação cliente de (User Agent - UA) e o servidor onde está a caixa de correio (Messsage Transfer Agent - MTA) O utilizador autentica-se; Todas as mensagens existentes na caixa de correio são transferidas sequencialmente para o computador local; As mensagens são apagadas da caixa de correio (opcionalmente, o protocolo pode ser configurado para que as mensagens não sejam apagadas da caixa de correio); Se esta opção não fôr utilizada, deve utilizar sempre o mesmo computador para ler o correio electrônico, para poder manter um arquivo das suas mensagens.

27 A ligação com o servidor é terminada; O utilizador pode agora ler e processar as suas mensagens (off-line). A característica off-line do protocolo POP3 é particularmente útil para utilizadores que se ligam à Internet através de redes públicas comutadas, em que o custo da ligação é proporcional ao tempo de ligação (ex: a rede telefônica convencional ou a rede RDIS). Com o POP3, a ligação apenas precisa de estar activa durante a transferência das mensagens, e a leitura e processamento das mensagens pode depois ser efectuada com a ligação inactiva. Ping ping é um programa de computador desenvolvido para ser usado em redes TCP/IP (como a Internet). Ele permite que se realize um teste simples com a finalidade de se descobrir se um determinado equipamento de rede está funcionando e se o mesmo está acessível via rede. Seu funcionamento consiste no envio de pacotes ICMP para o equipamento de destino e na "escuta" das respostas. Se o equipamento de destino estiver ativo, uma "resposta" (o "pong", uma analogia ao famoso jogo de ping-pong) é devolvida ao computador solicitante. O autor da ferramenta, Mike Muuss, deu a ele este nome pois lembrava o som que o sonar emitia. (Depois Dave Mills arrumou um significado para a sigla, "Packet Internet Grouper (Groper)", algo como "Procurador de Pacotes da Internet").

28 O que é um servidor web? Como ele funciona... Servidor web : A expressão servidor web pode aplicar-se a duas coisas: Um computador (hardware + Software) responsável por aceitar e responder a pedidos http de outras aplicações; Um programa de computador (aplicativo) com a funcionalidade descrita anteriormente. Características Os pedidos http referem-se habitualmente a páginas html e são normalmente feitos através de browsers. O processo se inicia com a conexão entre o computador onde está instalado o servidor web e o computador do cliente; como na web não é possível prever a que hora se dará essa conexão, os servidores web precisam estar disponíveis dia e noite. A partir daí é processado o pedido do cliente, e conforme as restrições de segurança e a existência da informação solicitada, o servidor devolve os dados. Atualmente há cada vez mais programas que fazem pedidos http (leitores de rss e outros) e quase desde o inicio da web que os arquivos servidos pelo webserver vão para além dos arquivos html, incluindo imagens, arquivos de som, pdfs, etc. Genericamente tudo o que se enquadre no conceito de arquivo pode ser enviado como resultado de um pedido http. Finalmente, os servidores web também podem executar programas e scripts, interagindo mais com o usuário.

29 Exemplo do fluxo pedido/resposta gerado quando se acessa uma página estática Supondo que num servidor web existe um arquivo chamado introWebServer.html com o seguinte conteúdo olá mundo Se no browser tentar aceder a este arquivo a sequência pedido / resposta iria produzir os seguintes comandos Pedido GET /introWebServer.html HTTP/1.1 Accept: image/gif, image/x-xbitmap, image/jpeg, image/pjpeg, application/x- shockwave-flash, application/vnd.ms-excel, application/vnd.ms-powerpoint, application/msword, application/x-pdf */* Accept-Language: en-gb,pt;q=0.5 Accept-Encoding: gzip, deflate User-Agent: Mozilla/4.0 (compatible; MSIE 6.0; Windows NT 5.1; SV1;.NET CLR ;.NET CLR ) Host: localhost:79 Connection: Keep-Alive Cookie: infoview_userCultureKey=useBrowserLocale

30 Resposta HTTP/ OK Server: Microsoft-IIS/5.1 X-Powered-By: ASP.NET Date: Thu, 25 May :02:51 GMT Content-Type: text/html Accept-Ranges: bytes Last-Modified: Thu, 25 May :02:12 GMT ETag: "cd3bdd2380c61:ba9" Content-Length: 54 olá mundo

31 Embora estes valores variem de acordo com o browser que utilizarmos e com o servidor web que responde a este pedido http, muito do conteúdo será sempre igual: no pedido GET /introWebServer.html HTTP/1.1 ou seja estamos a pedir usando o protocolo http versão 1.1 o arquivo introWebServer.html que está na raiz do servidor na resposta HTTP/ OK ou seja o pedido é válido (200 OK) e o conteúdo segue em baixo. Como podemos ver depois de mais um conjunto de dados aparece finalmente o conteudo do arquivo html que tinhamos criado. Independentemente de estarmos a falar de páginas dinâmicas ou páginas estáticas este será sempre o fluxo que o pedido/resposta entre o servidor e o browser irá provocar.

32 Páginas Dinâmicas e Páginas Estáticas: A origem do conteúdo enviado pelo servidor web numa resposta a um pedido http pode ser: estática - se vier diretamente de um arquivo já existente no servidor dinâmica - se for criada dinamicamente por outro programa, script ou api chamado pelo servidor. no caso de uma página dinâmica, o pedido, depois de recebido, é processado pelo servidor web que vai criar dinamicamente o conteúdo que depois será enviado para o cliente. as páginas dinâmicas têm a vantagem de poderem ser programadas, ou seja usando alguma linguagem de programação (que dependendo do servidor web pode ser asp, php, java, perl, Visual Basic.NET, C#,...) podemos criar programas que correm no servidor web, eventualmente acedendo a bases de dados e cujo resultado é enviado para o browser.

33 Exemplo do fluxo pedido/resposta gerado quando se acede a uma página dinâmica: Num servidor web capaz de responder a páginas dinâmicas (no nosso caso o IIS da Microsoft) temos um arquivo chamado introWebServer.asp com o seguinte conteúdo <% for i=1 to 10 Response.Write(" olá mundo ") next %> Se no browser tentar aceder a este arquivo, a sequência pedido / resposta iria produzir os seguintes comandos

34 Pedido: GET /introwebserver.asp HTTP/1.1 Accept: image/gif, image/x-xbitmap, image/jpeg, image/pjpeg, application/x- shockwave-flash, application/vnd.ms-excel, application/vnd.ms-powerpoint, application/msword, */* Accept-Language: en-gb,pt;q=0.5 Accept-Encoding: gzip, deflate User-Agent: Mozilla/4.0 (compatible; MSIE 6.0; Windows NT 5.1; SV1;.NET CLR ;.NET CLR ) Host: localhost:79 Connection: Keep-Alive Cookie: infoview_userCultureKey=useBrowserLocale; ASPSESSIONIDQSRCCSAS=KJLFNNNCNHKODOIOCIICJFBA

35 Resposta: HTTP/ OK Server: Microsoft-IIS/5.1 Date: Thu, 25 May :20:34 GMT X-Powered-By: ASP.NET Content-Length: 198 Content-Type: text/html Cache-control: private olá mundo olá mundo olá mundo olá mundo olá mundo olá mundo olá mundo olá mundo olá mundo olá mundo Como podemos o pedido/resposta de um arquivo estático ou de um arquivo dinâmico gera fluxos de informação praticamente iguais, isto é, na web a informação que circula é essencialmente a mesma. a diferença é que um arquivo dinâmico tem que ser primeiro processado pelo servidor web.

36 Por que usar o servidor Apache ? Apache como servidor web tem destinação como servidor de páginas para internet, mas pode ser usado como um servidor web para acesso restrito, servir exclusivamente para estações da rede interna. Considere usar o micro que compartilha a internet, firewall ou proxy como um servidor web interno, não consome muitos recursos, consome espaço em HD conforme o que for disponibilizado. Algumas vantagens de manter o servidor web interno. Disponibilizar a página da empresa em maquina interna, economia de banda, ou disponibizar documentos diversos, tutoriais, instruções, normas da empresa e etc... Baixar arquivos grande e disponibilizar internamente, grande economia de banda, download interno muito rápido, separação destes arquivos com o do servidor de arquivos, proteção contra virus quando acessado por estações windows, evita que usuários fiquem navegando na net a procura do pacote e outras vantagens... Criar páginas com senha para restringir o acesso..

37 Disponibilizar relatórios do SARG, relatórios de uso da internet com dados dos logs do Squid. Webmail interno, considere usar servidor de interno com webmail e neste servidor fazer o controle de , aplicar suas regras e filtros. Repositório local do seu gerenciador de pacotes smart, apt e etc.., use as imagens ISO da distro para disponibilizar a instalação de pacotes, faça o mesmo com pacotes extras da distro, tem exemplos nos tutorias sobre smart e algumas distro. Disponibilizar gravador de CD via rede, para backup ou outras apliações, via browser (web).

38 Luiz Henrique M. de Sousa. Introdução às redes, Internet e o protocolo HTTP.


Carregar ppt "Luiz Henrique M. de Sousa. Introdução às redes, Internet e o protocolo HTTP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google