A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Zootecnia II Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte João Paulo V. Alves dos Santos Engº Agrônomo/ESALQ-USP

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Zootecnia II Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte João Paulo V. Alves dos Santos Engº Agrônomo/ESALQ-USP"— Transcrição da apresentação:

1 Zootecnia II Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte João Paulo V. Alves dos Santos Engº Agrônomo/ESALQ-USP

2 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Objetivo: Compreensão dos mecanismos de comercialização Características do mercado de bovinos de corte Particularidades envolvendo transações comerciais Cuidados com comercialização de bovinos de corte

3 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Tipos de Comercialização: 1-) Comércio de Gado Vivo -Animais que não vão ao abate -Animais que vão ao abate 2-) Comércio de Carne

4 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte 1-) Comércio de Gado de Gado Vivo: Animais que NÃO vão ao abate: -Touros (reprodutores) -Vacas (matrizes) -Novilhas (futuras matrizes) -Bezerros (machos e fêmeas) -Garrotes -Boi Magro Vendas: na fazenda ou leilões

5 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte 1-) Comércio de Gado de Gado Vivo: Animais que NÃO vão ao abate: Regras: não são escritas, não há nenhum regulamento, no entanto: Ao comercializarmos bovinos de corte, algumas regras tradicionais características devem ser cumpridas; aqueles que não as seguir, possivelmente será taxado pelo próprio mercado como um desqualificado (popular: meia bomba) (C.M. Haddad)

6 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte a-) Separação dos animais (apartação): Animais devem ser separados em diferentes categorias (exceto comercialização de vacas com bezerro ao pé) Peso Sexo Raça Ex.: venda de bezerros (desmama) – machos separados de fêmeas

7 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte b-) Vendedor – ao apartar: 1º) Deve saber o preço (valor de mercado) 2º) Pede o preço a ser vendido: tem obrigação de saber o preço de mercado (óbvio mas não é sempre assim) 3º) Deve saber que não há rebanho 100% homogêneo (lote) e que há diferenças entre animais: sub-categorias

8 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte b-) Vendedor – ao apartar, separa: Machos Fêmeas Padrão Racial Cabeceira x Meio x Fundo: pode haver variação regional Quem efetua a apartação deve conhecer o mercado regional

9 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Apartação:

10 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte c-) Apresentação ao comprador: Separação: cabeceira x meio x fundo Determinação do: preço médio Posteriormente, mistura todo o lote (separado por sexo), à espera do comprador Deixa gado à disposição do comprador para que o mesmo efetua a sua própria apartação (se assim desejar)

11 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte c-) Apresentação ao comprador: A partir do momento em que o comprador adentra na mangueira e começa sua apartação: Zootecnia sai de campo Entra a questão da habilidade comercial entre as partes

12 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte c-) Apresentação ao comprador: Determinação de preço de um lote. Exemplo: machos (desmama), total: 40 cabeças Cabeceira: 20 x R$620, R$12.400,00 Meio: 10 x R$600, R$6.000,00 Fundo: 10 x R$580, R$5.800,00 Total: R$24.200,00 Média/Cabeça: R$605,00

13 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte d-) Ordem da prioridade: Comprador: nunca deve desistir Quem diz: infelizmente não conseguiremos fazer um negócio é o vendedor Se houver um outro comprador ele deve esperar por esse momento, ou seja: quando o vendedor dá por encerrada a negociação

14 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte d-) Ordem da prioridade: Um eventual, segundo comprador (fila de espera, na propriedade), deve aguardar o momento para se aproximar Acompanha de longe a visita do primeiro comprador Não interfere, sequer, ou acompanha uma negociação

15 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte d-) Ordem da prioridade: O comprador que não concretizar um negócio, deve, efetivamente, se retirar da propriedade Não deve ficar esperando a negociação de um terceiro (que o aguardara na fila) para verificar, eventual, nova chance de negociação Pode até voltar a comprar o gado (em outro momento do dia) se chamado pelo vendedor

16 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Leilão: É a terceirização da negociação Empresa leiloeira, teoricamente, deve arcar com todos os custos: Transporte (nem sempre) Separação de lotes Escolha de animais Troca: serviço x comissão sobre a venda

17 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Leilão: Responsabilidade do vendedor: Negociar bem a comissão sobre a venda com a Leiloeira Estabelecer preço mínimo para seu lote

18 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Leilão: Lances: captados pelos piteiros Local: cadeiras leiloeiro picadeiro Local adequado para se acompanhar um Leilão

19 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Leilão: como não ser otário 1º) Chegar antes do leilão, à luz do dia e observar todos os lotes 2º) Escolher os lotes de interesse (currais de espera) e fazer o seu preço (considerar despesas como custo do frete, etc), anotar num caderninho 3º) Sentar-se em local estratégico (discreto) não ser visado nem percebido entre os presentes

20 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Leilão: como não ser otário 4º) Não beber nunca!! (pois o caderninho pode ser esquecido) 5º) Esperteza. Quando queremos levar um lote (muito) quando alguém dá 1 lance, devemos dar em seguida: poder da impressão Esse cara está mandando bala, com ele não aguento! Tem um monte de lote... Deixa para lá..

21 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Animais que VÃO ao abate: Carcaça = produto final do abate, retirado: Sangue Vísceras (barrigada) Patas Cabeça Rabo Couro

22 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Carcaça = ossos + gordura + músculos

23 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Comercialização em geral: Bezerro: gado em pé (por cabeça) ou por kg de peso vivo Garrotes, Novilhos, Novilhas, Boi Magro: por cabeça Boi Gordo ou Vaca = peso morto (sendo = 15 kg peso morto)

24 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Comercialização: gado gordo (abate) Boi Gordo: (aproximadamente 480 kg PV) Vaca Gorda: depende do frigorífico,em geral = 11 a Mercado do Boi Gordo: Conceito: Rendimento de Carcaça

25 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Conceito: Rendimento de Carcaça (RC) % RC = ________________ Exemplo: categoria = boi Peso Vivo = 500 kg Peso Morto = 250 kg (pós limpeza) Peso Morto (parte) Peso Vivo (todo)

26 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Conceito: Rendimento de Carcaça (RC) % RC = 250 kg : 500 kg = 0,50 ou 50% RC * Pode ser superior dependendo das condições RaçaSexoRendimento de Carcaça (%) NeloreMacho52 a 56 Europeus (Red Angus, LImousin, Simenthal) Macho52 a 56* Cruzamento IndustrialMacho52 a 59 NeloreVaca45 a 50 Nelore e CruzamentoNovilha48 a 52

27 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Conceito: Rendimento de Carcaça (RC) Exemplo: Peso Vivo = 513 kg Peso Morto = 267 kg (carcaça) % RC = 267 : 513 = 52% RC

28 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Conceito: Rendimento de Carcaça (RC) Fundamental para o pecuarista (confinador) Pode determinar o sucesso ou fracasso do empreendimento Dependência do frigorífico: quanto mais cortar antes da pesagem no gancho (carcaça), mais o pecuarista perde (toalete pesada)

29 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Conceito: Rendimento de Carcaça (RC) Cálculo do preço do boi: Exemplo: mercado = considerando dados do peso anterior 267 kg carcaça (PM) : 15 kg = x = R$1.424,00/cabeça

30 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Conceito: Rendimento de Carcaça (RC) Engorda de Bovinos de Corte: Confinamento ou Pastejo (à pasto) CUSTO = calculado em engordada Premissa básica: deve ser inferior ao valor de mercado

31 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Engorda: Boi Magro: 360 kg de PV ou Dados aproximados Na boiada podemos ter 340 a 380 kg PV Categoria chave Ciclo de engorda: 90 a 120 dias (tradicional)

32 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Opções: Engorda 100% à pasto (mais comum) – do nascimento até abate à pasto Recria à pasto + Terminação (mais comum) – terminação (confinamento) no cocho 90 a 120 dias Confinamento Total (mais raro) – da desmama ao abate no cocho

33 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Boi Magro – melhor opção para engorda: Por quê? Curva de crescimento: ganho compensatório Fase de maior desempenho: conversão alimentar Confinador: faz a conta de trás para frente Exemplo:

34 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Boi Magro – melhor opção para engorda: Mercado atual: Boi Magro: R$1.000,00/cab Período de engorda: 120 dias Entrada no confinamento: 360 kg PV Estimativa de saída (objetivo): 500 kg Diferença: 140 kg

35 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Taxa de ganho (necessária): 140 kg : 120 dias Ganho de peso vivo (GPV): 1,167 kg/dia Nutricionista – formulará dieta para este ganho (necessidade de energia + proteína e demais ingredientes) Considerando custo de alimentação: R$2,80/cab/dia, temos: R$2,80/dia : 1,167 kg/dia = R$2,399/kg PV ganho

36 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Pergunta: quanto vai custar (engordada)? = 15 kg peso morto Devemos estimar o RC (esperado no abate) Considerando mínimo de 52%, temos: = 15 kg PM : 0,52 = 28,8 kg PV, ou seja: Para cada 28,8 kg de ganho PV, teremos no gancho. Logo:

37 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Custo calculado: R$2,399/kg PV ganho x 28,8 kg PV Custo: engordada Este número pode variar muito Se a estimativa for feita errada podemos ter problemas Considerando mercado:

38 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Custo calculado: – imposto (2,3%) = R$78,16 (líquido) Média: 500 kg PV = (a 52% RC) x = R$1.354,51/boi Saldo = Receita – Custo Engorda Receita Bruta: R$ 1.354,51 Engorda: - = x R$69,09 = R$336,00 Saldo = R$1.354,51 – (aquisição + engorda)

39 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Saldo = R$1.354,51 – (R$1.000,00 + R$336,00) Saldo = R$1.354,51 – R$1.336,00 = (R$18,51) Desta forma, é necessário fazer contas!! Considerando que o pecuarista considere uma margem de 10%: Receita: R$1.354,51 10% = R$135,45, logo:

40 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte R$1.354,51 – R$135,45 = R$1.219,06 deve ser o preço final do seu boi Antes de confinar (engordar) o pecuarista já tem projetado o seu custo de engorda (estimado) e faz a sua programação No caso: R$336,00, logo: Teto (custo final): R$1.219,06 R$1.219,06 – R$336,00 = R$883,06 é o valor máximo que o pecuarista poderia pagar pelo seu Boi Magro

41 Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte Simulador: Excel (planilha – aula discussão) Auxiliar para estimativas Nota: mercado do boi: BM&F (alternativa)


Carregar ppt "Zootecnia II Aula 6. Comercialização de Bovinos de Corte João Paulo V. Alves dos Santos Engº Agrônomo/ESALQ-USP"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google