A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AD Ciências Alunos: Pedro Junnqueira & Vinícius Bittar (buiate) Série:7ºano Atenção o nome BUIATE e JUNNQUEIRA foi brincadeira. Obrigado!

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AD Ciências Alunos: Pedro Junnqueira & Vinícius Bittar (buiate) Série:7ºano Atenção o nome BUIATE e JUNNQUEIRA foi brincadeira. Obrigado!"— Transcrição da apresentação:

1 AD Ciências Alunos: Pedro Junnqueira & Vinícius Bittar (buiate) Série:7ºano Atenção o nome BUIATE e JUNNQUEIRA foi brincadeira. Obrigado!

2 Peixes Peixes Reino: Animalia Reino: Animalia Filo: Chordata Filo: Chordata Os peixes são animais vertebrados, aquáticos, tipicamente ectotérmicos, que possuem o corpofusiforme, os membros transformados em barbatanas ou nadadeiras (ausentes em grupos mais basais) sustentadas por raios ósseos ou cartilaginosos, as guelras ou brânquias com que respiram o oxigênio dissolvido na água (embora os dipnóicos usem pulmões) e, na sua maior parte, o corpo coberto de escamas. Os peixes são animais vertebrados, aquáticos, tipicamente ectotérmicos, que possuem o corpofusiforme, os membros transformados em barbatanas ou nadadeiras (ausentes em grupos mais basais) sustentadas por raios ósseos ou cartilaginosos, as guelras ou brânquias com que respiram o oxigênio dissolvido na água (embora os dipnóicos usem pulmões) e, na sua maior parte, o corpo coberto de escamas.animaisvertebradosaquáticoscorpofusiformemembrosbarbatanas ou nadadeirasraiosósseoscartilaginososbrânquiasrespiramoxigênioáguadipnóicospulmõesescamasanimaisvertebradosaquáticoscorpofusiformemembrosbarbatanas ou nadadeirasraiosósseoscartilaginososbrânquiasrespiramoxigênioáguadipnóicospulmõesescamas

3 Classificação Classificação No uso comum, o termo peixe tem sido frequentemente utilizado para descrever um vertebrado aquático com brânquias, membros, se presentes, na forma de nadadeiras, e normalmente com escamas de origem dérmica no tegumento. No uso comum, o termo peixe tem sido frequentemente utilizado para descrever um vertebrado aquático com brânquias, membros, se presentes, na forma de nadadeiras, e normalmente com escamas de origem dérmica no tegumento. Já foram descobertas tipos de peixe. Já foram descobertas tipos de peixe. Classes Classes *Peixes ósseos: pertencem ao grupo os peixes que tem esqueleto ósseo, como a sardinha e o bacalhau. *Peixes cartilaginosos: à qual pertencem os tubarões e as raias; e tubarõesraiastubarõesraias vários grupos de peixes sem maxilas.

4 Peixes de água salgada Peixes de água salgada Peixes de água salgada

5 Tubarão serra Tubarão serra

6 Curiosidades Curiosidades A palavra peixe usa-se por vezes para designar vários animais aquáticos. Mas a maior parte dos organismos aquáticos muitas vezes designados por "peixe", incluindo as medusas (água-vivas), os moluscos e crustáceos e mesmo mamíferos muito parecidos com os peixes como os golfinhos, que não são peixes. A palavra peixe usa-se por vezes para designar vários animais aquáticos. Mas a maior parte dos organismos aquáticos muitas vezes designados por "peixe", incluindo as medusas (água-vivas), os moluscos e crustáceos e mesmo mamíferos muito parecidos com os peixes como os golfinhos, que não são peixes.medusasmoluscoscrustáceosmamíferosgolfinhosmedusasmoluscoscrustáceosmamíferosgolfinhos Os peixes encontram-se em praticamente todos os ecossistemas aquáticos, tanto em água doce como em água salgada, desde a água da praia até às grandes profundezas dos oceanos. Os peixes encontram-se em praticamente todos os ecossistemas aquáticos, tanto em água doce como em água salgada, desde a água da praia até às grandes profundezas dos oceanos.ecossistemaságua doceágua salgadaoceanosecossistemaságua doceágua salgadaoceanos

7 Peixes de água doce

8

9

10

11

12 Hábitos alimentares Os peixes pelágicos de pequenas dimensões como as sardinhas são geralmente planctonófagos, ou seja, alimentam-se quase passivamente do plâncton disperso na água, que filtram à medida que "respiram", com a ajuda de branquispinhas, que são excrescências ósseas dos arcos branquiais. Os peixes pelágicos de pequenas dimensões como as sardinhas são geralmente planctonófagos, ou seja, alimentam-se quase passivamente do plâncton disperso na água, que filtram à medida que "respiram", com a ajuda de branquispinhas, que são excrescências ósseas dos arcos branquiais.pelágicossardinhasplanctonófagosalimentam-seplânctonfiltrambranquispinhasósseaspelágicossardinhasplanctonófagosalimentam-seplânctonfiltrambranquispinhasósseas Algumas espécies de maiores dimensões têm também este hábito alimentar, incluindo algumas baleias (que não são peixes, mas mamíferos) e alguns tubarões como os zorros. Algumas espécies de maiores dimensões têm também este hábito alimentar, incluindo algumas baleias (que não são peixes, mas mamíferos) e alguns tubarões como os zorros.baleiasmamíferostubarõesbaleiasmamíferostubarões

13 Hábitos de reprodução A maioria dos peixes é dióica, ovípara, fertiliza os óvulos externamente e não desenvolve cuidados parentais. Nas espécies que vivem emcardumes, as fêmeas desovam nas próprias águas onde os cardumes vivem e, ao mesmo tempo, os machos libertam o esperma na água, promovendo a fertilização. Em alguns peixes pelágicos, os ovos flutuam livremente na água – e podem ser comidos por outros organismos, quer planctónicos, quer nectónicos; por essa razão, nessas espécies é normal cada fêmea libertar um enorme número de óvulos. Noutras espécies, os ovos afundam e o seu desenvolvimento realiza-se junto ao fundo – nestes casos, os óvulos podem não ser tão numerosos, uma vez que são menos vulneráveis aos predadores. A maioria dos peixes é dióica, ovípara, fertiliza os óvulos externamente e não desenvolve cuidados parentais. Nas espécies que vivem emcardumes, as fêmeas desovam nas próprias águas onde os cardumes vivem e, ao mesmo tempo, os machos libertam o esperma na água, promovendo a fertilização. Em alguns peixes pelágicos, os ovos flutuam livremente na água – e podem ser comidos por outros organismos, quer planctónicos, quer nectónicos; por essa razão, nessas espécies é normal cada fêmea libertar um enorme número de óvulos. Noutras espécies, os ovos afundam e o seu desenvolvimento realiza-se junto ao fundo – nestes casos, os óvulos podem não ser tão numerosos, uma vez que são menos vulneráveis aos predadores.dióicaovíparaóvuloscuidados parentaiscardumesdesovammachosespermafertilizaçãopelágicosovosplanctónicosnectónicosfêmeapredadoresdióicaovíparaóvuloscuidados parentaiscardumesdesovammachosespermafertilizaçãopelágicosovosplanctónicosnectónicosfêmeapredadores

14 Hábitos de repouso Os peixes não dormem. Eles apenas alternam estados de vigília e repouso. O período de repouso consiste num aparente estado de imobilidade, em que os peixes mantêm o equilíbrio por meio de movimentos bem lentos. Os peixes não dormem. Eles apenas alternam estados de vigília e repouso. O período de repouso consiste num aparente estado de imobilidade, em que os peixes mantêm o equilíbrio por meio de movimentos bem lentos. Como não tem pálpebras, seus olhos ficam sempre abertos. Algumas espécies se deitam no fundo do mar ou no rio, enquanto os menores se escondem em buracos para não serem comidos enquanto descansam. Como não tem pálpebras, seus olhos ficam sempre abertos. Algumas espécies se deitam no fundo do mar ou no rio, enquanto os menores se escondem em buracos para não serem comidos enquanto descansam.

15 Camuflagem e outras formas de proteção Alguns peixes se camuflam para fugirem de certos predadores, outros para melhor apanharem as suas presas. Algumas espécies de arraia, por outro lado, se escondem na areia e podem mudar o tom da pele, para suas presas não notarem sua presença no ambiente. Alguns peixes se camuflam para fugirem de certos predadores, outros para melhor apanharem as suas presas. Algumas espécies de arraia, por outro lado, se escondem na areia e podem mudar o tom da pele, para suas presas não notarem sua presença no ambiente.predadorespresasarraiaareiapeleambientepredadorespresasarraiaareiapeleambiente

16 Formas do corpo A forma do corpo dos peixes "típicos" – basicamente fusiforme – é uma das suas melhores adaptações à locomoção dentro de água. A maioria dos peixes pelágicos (ver acima), principalmente os que formam cardumes activos, como os atuns, apresentam esta forma "típica". A forma do corpo dos peixes "típicos" – basicamente fusiforme – é uma das suas melhores adaptações à locomoção dentro de água. A maioria dos peixes pelágicos (ver acima), principalmente os que formam cardumes activos, como os atuns, apresentam esta forma "típica".fusiformepelágicoscardumesatunsfusiformepelágicoscardumesatuns No entanto, há bastantes variações a esta forma típica, principalmente entre os demersais e nos peixes abissais (que vivem nas regiões mais profundas dos oceanos). Nestes últimos, o corpo pode ser globoso e apresentar excrescências que servem para atrair as suas presas. No entanto, há bastantes variações a esta forma típica, principalmente entre os demersais e nos peixes abissais (que vivem nas regiões mais profundas dos oceanos). Nestes últimos, o corpo pode ser globoso e apresentar excrescências que servem para atrair as suas presas.demersaisabissaisglobosoexcrescênciaspresasdemersaisabissaisglobosoexcrescênciaspresas

17 Obrigado pela atenção! Ass:Pedro, Bittar e Victor-Hugo


Carregar ppt "AD Ciências Alunos: Pedro Junnqueira & Vinícius Bittar (buiate) Série:7ºano Atenção o nome BUIATE e JUNNQUEIRA foi brincadeira. Obrigado!"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google