A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

7º Ano – Professor Diego.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "7º Ano – Professor Diego."— Transcrição da apresentação:

1 7º Ano – Professor Diego

2 São partes de um todo, que possuem traços comuns.
O que é regionalizar? É dividir o espaço – um município, estado, país, continente ou todo o mundo – em regiões. São partes de um todo, que possuem traços comuns. Para que regionalizar? Para estudar melhor o espaço ou compreendê-lo, para fins administrativos ou de planejamento. Como regionalizar o mundo? Regionalizar depende não apenas do espaço a ser regionalizado, mas também dos nossos objetivos. por continentes por paisagens naturais Diversos critérios por países ricos e pobres por grandes culturas

3 O que são os continentes?
A divisão por continentes é uma forma de regionalizar o mundo fundamentada, principalmente, em fatores físicos ou naturais. O que são os continentes? São imensas massas sólidas na superfície terrestre. Os seis continentes são: Ásia Europa África

4 Continente ≠ ilha Menor continente Tamanho Maior ilha Austrália
Groenlândia Adaptado de: OXFORD Atlas of the World. New York: Oxford University Press, 2011. Adaptado de: ATLAS geográfico escolar. Rio de Janeiro: IBGE, 2009

5 Origem dos continentes
Evolução natural ou geológica do planeta, com a divisão da superfície terrestre em partes líquidas e sólidas. Há 220 milhões de anos: Pangeia. Europa Ásia África América Oceania Antártida Teoria da deriva continental: - Lenta movimentação dos continentes e das placas tectônicas.

6 Linha de contato entre duas placas
terremoto e erupções vulcânicas provoca Linha de contato entre duas placas Zona de atrito Principais placas tectônicas Adaptado de: ATLAS geográfico escolar. Rio de Janeiro: IBGE, 2009.

7 Qual é a semelhança entre os dois mapas?
Observe as áreas de contato entre as placas (mapa anterior) e as atividades sísmicas e ocorrência de vulcões (mapa abaixo). Qual é a semelhança entre os dois mapas? Zonas sísmicas: terremotos e vulcões Adaptado de: QUID Paris: Robert Laffont, 2006.

8 As massas continentais
Existem quatro grandes massas continentais – ou porções territoriais – na superfície da Terra. Velho mundo Novo mundo Novíssimo mundo Adaptado de: ATLAS geográfico escolar. Rio de Janeiro: IBGE, 2009. Continente antártico

9 O velho, o novo e o novíssimo mundo
Ponto de vista europeu Os termos se referem à história humana, ao processo de descoberta e colonização das diversas regiões do planeta pelos europeus. Local de surgimento das mais antigas civilizações. Local onde se encontram os fósseis mais antigos. Processo de alterações de hábitos e modo de vida tradicional de uma sociedade, que aos poucos vai incorporando os valores e tecnologia da cultura ocidental. Berço da civilização ocidental, que dominou o mundo a partir do século XV. Ocidentalização

10 Não foi chamado de “mundo” por não ser habitado por nenhum povo.
Antártida Não foi chamado de “mundo” por não ser habitado por nenhum povo. Não existem cidades nem áreas agrícolas. Não foi dividida em países e ninguém reside ali de forma permanente. Subsolo Águas Maior reserva de água potável: geleiras Interesse pela Antártida Localização Instalação de bases militares e aeroespaciais

11 Determina que até 1991 a Antártida não pertenceria a nenhum país
Tratado da Antártida (1961) todos tivessem o direito de instalar bases de estudo científico; porém, não haveria bases militares, nem de exploração mineral Determina que até 1991 a Antártida não pertenceria a nenhum país embora os 30 países signatários do Tratado da Antártida decidiram prorrogá-lo por mais 50 anos, até 2041 na reunião de 1991 apenas RENATA MELLO / PULSAR IMAGENS Estação Comandante Ferraz, base científica do Brasil na Antártida, em 2008, antes de ser parcialmente destruída por um incêndio em fevereiro de 2012. países que possuíssem bases científicas ou que tivessem realizado estudos nessas áreas poderiam participar de qualquer decisão sobre uma divisão territorial no futuro

12 As grandes regiões naturais
Regionalização por paisagens naturais mostrar como os fatores naturais se relacionam uns com os outros em determinadas áreas do espaço geográfico da Terra, caracterizando cada uma delas como uma paisagem natural. permite O que é uma paisagem natural? Relevo Solo É o resultado da própria dinâmica natural do planeta. Hidrografia Clima É o conjunto formado pelos elementos mais importantes da natureza para a vida humana Vegetação original

13 Exemplos de interação entre os elementos
Clima Relevo A chuva e o vento desgastam o relevo, aplainando-os e rebaixando-os. Áreas mais elevadas são, geralmente, mais frias. Uma cadeia montanhosa pode impedir a chegada de ventos úmidos em uma região, tornando o clima mais seco.

14 A cobertura vegetal depende do solo e do clima.
Vegetação original Clima A cobertura vegetal depende do solo e do clima. Dificulta a erosão. Decomposição de folhas e frutos fertilizam o solo. A evapotranspiração ajuda a manter os índices pluviométricos do clima da região.

15 Relevo Hidrografia A direção dos rios depende do relevo, pois eles caminham das áreas mais altas para as mais baixas. Por onde passam, os rios erodem o terreno e, com o tempo, provocam a formação de vales.

16 As diversas paisagens naturais da Terra
Os cinco principais conjuntos ou grandes paisagens naturais são: Regiões temperadas ANDY SELINGER / ALAMY / OTHER IMAGES Áreas tropicais FABIO COLOMBINI / ACERVO DO FOTÓGRAFO Altas montanhas MIKE THEISS / NATIONAL GEOGRAPHIC SOCIETY / CORBIS / LATINSTOCK Zonas polares SUE FLOOD / THE IMAGE BANK / GETTY IMAGES Desertos IMAGEBROKER / ALAMY / OTHER IMAGES

17 Formações vegetais do globo
Adaptado de: ATLANTE Geografico Metodico De Agostini 2009 – 2010 Novara: Istituto Geografico De Agostini, 2009

18 Regiões temperadas Latitudes médias, isto é, entre os trópicos e os círculos polares: Existem exceções: é possível encontrarmos em médias latitudes desertos ou altas montanhas, ou ainda paisagens temperadas em áreas que ultrapassam os trópicos ou os círculos polares. Características: As quatro estações do ano são bem definidas. Intensamente povoadas e muito modificadas pela ação humana: - Vegetações cultivadas, como plantações agrícolas, pastagens ou florestas formadas artificialmente para extração de madeira. Gêneros agrícolas típicos: - Trigo; - Aveia; - Cevada; - Uva; - Oliva.

19 Paisagens tropicais Baixas latitudes, ou seja, próximos à linha do equador. São regiões intertropicais, pois estão situadas entre os dois trópicos. Existem exceções: presença de desertos e altas montanhas nas faixas tropicais; regiões subtropicais, que são semelhantes às temperadas. Características: Apenas duas estações do ano são bem definidas: verão e inverno; Clima quente e geralmente úmido: - Calor e umidade favorecem a vida vegetal e de microrganismos; - Flora e fauna muito mais rica e variada que as demais paisagens. Gêneros agrícolas tipicamente tropicais: - Cana-de-açúcar; - Milho; - Mandioca; - Algodão; - Café; - Arroz.

20 Zonas polares Altas latitudes, ou seja, acima dos círculos polares. Áreas vizinhas aos polos norte e sul. Características: Clima frio polar: - Inverno muito rigoroso; - Verão brando; - Queda de neve constante. Duas zonas polares: Região Ártica: Região Antártica: - Próxima ao polo norte; - Próxima ao polo sul; - Povoada. - Não existe ocupação permanente.

21 Plantas adaptadas a pouca umidade
Paisagens desérticas Clima seco: Pouca chuva e irregulares; Temperaturas variam muito no decorrer do dia, podendo atingir 50º C durante o dia e 0º C à noite. Rios e vegetação extremamente pobres. Intermitentes Plantas adaptadas a pouca umidade Áreas férteis: Oásis, litoral e vales fluviais; Irrigação para tornar os solos arenosos bons para a agricultura.

22 Altas montanhas Nas cadeias montanhosas, as paisagens naturais são sempre diferentes das áreas próximas. Altitude influi na temperatura: Áreas mais baixas, em geral, são mais quentes que as mais altas. Características: Clima frio e há geleira no topo; As chuvas e neve são abundantes; Vegetação se divide em “andares”: - De 0 a 300 metros: matas e pastos; - De 300 a metros: floresta de folhas caducas; - De a metros: pinheirais; - De a metros: campos alpinos; - Acima de metros: rochas nuas e geleiras.

23 As grandes regiões culturais
Regionalização a partir de um critério social: A cultura: A civilização: Noção que inclui tudo aquilo que, ao longo da história da humanidade, os grupos sociais constroem do ponto de vista material e espiritual Uma cultura mais aprimorada, que já conhece a escrita, a vida urbana e a metalurgia Conjunto de técnicas, artesanato, costumes, crenças, normas, idiomas, etc., de um agrupamento humano São grandes culturas ou agrupamento de várias culturas com traços comuns Todos os povos têm sua cultura, e todo indivíduo, mesmo iletrado, participa da cultura de seu povo Uma civilização constitui uma identidade cultural que vai além das diversidades entre localidades, etnias ou nações

24 Regionalização a partir de um critério social a civilização
Cinco principais civilizações da atualidade Ocidental Hindu ou indiana Oriental, sínica ou chinesa Islâmica Negro- -africanas

25 As grandes civilizações do mundo atual
Adaptado de: HISTORY of the world, 1998.

26 Judaísmo Cristianismo Principais religiões Monoteístas Um único Deus =
Ocidental Nasce na Europa é herdeira dos antigos gregos e romanos expande Filosofia atualmente é dominante em vários continentes Direito e alfabeto latino Judaísmo Cristianismo Principais religiões Monoteístas Um único Deus = O ocidente só passou a conhecer a democracia e os direitos do ser humano quando se libertou do domínio da religião, no século XVIII

27 promove o acúmulo incessante de bens e obras
Ocidental promove o acúmulo incessante de bens e obras origina o sistema capitalista é fundamental para essa civilização Ideia materialista de progresso Tradição tem grande importância nas culturas na civilização ocidental o contínuo desejo de mudanças, de inovações, de aventuras é mais intenso mas

28 Expansão marítimo-comercial europeia
Ocidental Expansão marítimo-comercial europeia Século XV Civilização ocidental unificou o planeta, interligando todos os continentes Universalizou-se, se espalhou pelo planeta com o tempo encurtou as distâncias ao desenvolver os meios de transporte e a comunicação expandiu a chamada modernidade – atividade industrial e urbanização – por praticamente todo o globo mas também gerou a grande maioria dos problemas que atualmente afetam a humanidade: armas atômicas poluição enorme desigualdade de desenvolvimento enorme desigualdade de nível de vida

29 Princípios fundamentais da religião
Islâmica Princípios fundamentais da religião Fé em Alá e no profeta Maomé Reza obrigatória cinco vezes ao dia, de cócoras e com o rosto voltado em direção a Meca Cidade sagrada Elemento unificador da civilização Peregrinação pelo menos uma vez na vida à Meca Religião maometana ou muçulmana Jejum obrigatório durante o ramadã Mês sagrado no qual vários alimentos são proibidos e a alimentação só pode ser feita depois que o sol se põe Contribuição obrigatória de parte da renda – por volta de 2,5% – para ser distribuída aos pobres Fundada por Maomé no século VII, a nova fé deu início à união dos povos árabes Jihad ou “guerra santa” contra os infiéis

30 Correntes do islamismo
Islâmica Correntes do islamismo Sunismo Xiismo Corrente sunita é mais moderada Corrente xiita é mais radical no fundamentalismo religioso separa um pouco o Estado da religião Acredita que Estado e a política devem estar a serviço da expansão da fé e dos ensinamentos da religião

31 Árabe não é obrigatoriamente muçulmano
Islâmica Árabe Muçulmano Povo Religião Árabe não é obrigatoriamente muçulmano

32 Elemento unificador da civilização
Hindu ou indiana Elemento unificador da civilização Conjunto de ideias e costumes que organiza ou cimenta uma sociedade extremamente complexa e hierarquizada Hinduísmo Mistura de religião e filosofia fonte espiritual Coleção de antigas preces, hinos e poemas; Todas as coisas e acontecimentos são manifestações diversas de uma mesma realidade, que existe dentro de cada um e no Universo. Vedas

33 Hierarquia Hindu ou indiana Grupos de famílias que possuem determinadas tradições que as classificam hierarquicamente como mais “puros” ou “impuros” dentro da sociedade hinduísta Sistema de castas A noção de “pureza” se refere a hábitos e valores espirituais, não à higiene Dentro desse sistema não existe a possibilidade de mudança de castas; Contudo, essa rigidez não significa que a desigualdade social seja exagerada.

34 sem profissão definida e qualquer privilégio
Hindu ou indiana Sistema de castas não estão incluídos no sistema de castas Párias São os “intocáveis”, sem profissão definida e qualquer privilégio Sistema oficialmente abolido em 1946, mas que permanece atuante na sociedade Brâmanes Sacerdotes Principais castas Xátrias Guerreiros Vaixás Comerciantes, artesãos Sudras Trabalhadores manuais

35 É chamada de civilização hidráulica milenar.
Oriental, sínica ou chinesa Desenvolveu um rico sistema de linguagem e filosofias com grande significado religioso, político e até ecológico. Desenvolveu grande conhecimento de sistemas de irrigação, transportando água dos rios para áreas longínquas com secas periódicas. É chamada de civilização hidráulica milenar. DINODIA PHOTOS / ALAMY / OTHER IMAGES Confucionismo juntos formam Existem três principais correntes de pensamento que se completam Sankiao Taoísmo Budismo

36 Oriental, sínica ou chinesa
Deriva dos ensinamentos de Confúcio (século V a.C.). Confucionismo Prega uma série de regras de ética e virtude. Prega o respeito às tradições, aos idosos, à família e à pátria. Valoriza o ensino.

37 Fundado por Lao-tsé (século V a.C.).
Oriental, sínica ou chinesa Fundado por Lao-tsé (século V a.C.). Taoísmo O mundo é visto como um processo dinâmico e cíclico, com frequentes oposições de lados contrários que se complementam. “Caminho” ou “processo do Universo” A vida é a harmonia combinada do yin e do yang, a busca do equilíbrio.

38 Oriental, sínica ou chinesa
Chegou à China no século I d.C. Budismo É fundamental a ideia de “despertar” ou nirvana, um estágio de meditação profunda que conduz ao conhecimento último das coisas e à ausência de todo sofrimento. Tudo é mutável, se transforma. Portanto, não devemos nos apegar às coisas transitórias, nem ao próprio “eu”.

39 Culturas diversificadas, produzidas por povos africanos
Negro- -africanas Culturas diversificadas, produzidas por povos africanos São oito principais culturas, cada uma abrangendo inúmeros povos, idiomas e costumes diferentes, mas com características comuns Grupos de base rural e com redes de parentesco comuns, com códigos de conduta Têm base nas comunidades tribais e religiões fetichistas ou animistas, com importante papel da família Admitem que todas as coisas da natureza têm espírito, cultuam alguns animais como deuses Não é nuclear (pais e filhos) como na cultura ocidental. É formada por um imenso conjunto de centenas de indivíduos que inclui os primos e seus parentes, avós e seus primos, sobrinhos, cunhados e seus parentes, etc.

40 Partilha do continente pelo colonizador europeu com a descolonização
Negro- -africanas África Partilha do continente pelo colonizador europeu com a descolonização ignorou as elites dominantes reproduziram a forma de governo das autoridades coloniais os interesses ou características culturais dos africanos gerando artificialismo dos países e de suas fronteiras lutas internas e guerrilhas

41 Longa dominação ocidental
Negro- -africanas Longa dominação ocidental crise Definição arbitrária das fronteiras Comunidades tradicionais de origem rural Urbanização acelerada Expansão do islamismo Industrialização Novos valores e hábitos (ocidentalização) Perda de referências culturais

42 Não existe civilização superior ou inferior, melhor ou pior
Etnocentrismo Avaliar as demais culturas pelos valores da nossa nos traz uma visão parcial da outra cultura. Além disso, é uma atitude preconceituosa que não reconhece o outro, procurando apenas desvalorizá-lo. Não existe civilização superior ou inferior, melhor ou pior As trocas de experiências entre as culturas e a diversidade cultural são riquíssimas, pois permitem caminhos e experiências distintas. DIEGO MARTINEZ / EASYPIX Traços das culturas negro-africanas na cultura brasileira: flores para Iemanjá, em Salvador (BA), em 2 de fev. de 2008.

43 Observe as fotos abaixo e discuta a diversidade cultural de cada uma.
MONKEY BUSINESS IMAGES / SHUTTERSTOCK RENATO SOARES / PULSAR IMAGENS TIMGRAHAM / CORBIS / LATINSTOCK DINODIA PHOTOS / ALAMY / OTHER IMAGES WANG BO / XINHUA PRESS / CORBIS / LATINSTOCK FREDERIC COURBET / CORBIS / LATINSTOCK

44 Regiões geoeconômicas: o Norte e o Sul
joaquín salvador lavado (quino) / acervo do cartunista Regionalização do mundo utilizando o desenvolvimento econômico e social como critério; A diferença entre os países ricos e pobres se iniciou na Revolução Industrial (século XVIII); Contudo, a divisão entre o Norte rico e o Sul pobre surge na década de 1980;

45 Antes de 1980, os termos subdesenvolvido e desenvolvido não eram utilizados, porque parte dos atuais países pobres eram colônias europeias. Imperialismo e nacionalismo (1919 a 1941) Adaptado de: grand atlas historique. Paris, Larousse, 2006.

46 desenvolvidos subdesenvolvidos Norte geoeconômico Sul geoeconômico
Países ricos e países pobres Norte geográfico desenvolvidos subdesenvolvidos Norte geoeconômico a partir do século XX não corresponde aos dois hemisférios Norte geoeconômico Sul geoeconômico Sul geográfico conceito de agrupamento que simplifica a realidade Sul geoeconômico

47 • Existência de dois “mundos”
Divisão do mundo em Norte e Sul geoeconômicos Adaptado de: Atlante Geografico Metodico De Agostini Novara: Istituto Geografico De Agostini, 2006.

48 • Existência de dois “mundos”
Imagebroker / Glow images Yawar Nazir / Getty Images Dois países tidos como símbolo de riqueza e pobreza há mais de 40 anos: Bélgica e Índia. À esquerda, sede da Comissão Europeia em Bruxelas, Bélgica, 2011; à direita, favela de Jammu, Índia, 2012.

49 Subdesenvolvidos ou “em desenvolvimento”
O termo “em desenvolvimento” passa a substituir o termo subdesenvolvidos (por incomodar os governantes dos países pobres). Contudo, o termo “em desenvolvimento” é inadequado para a imensa maioria dos países subdesenvolvidos, pois estes continuam atrasados em relação aos países desenvolvidos. Ben Horton / National Geographic Society / Corbis / Latinstock Existem países que estão “em desenvolvimento”. Países que aumentaram bastante sua produção e a qualidade de vida de suas populações. Atlantide Phototravel / Corbis / Latinstock

50 Como medir as desigualdades
quantidade total de bens e serviços produzidos num país durante um período de tempo Produto Interno Bruto (PIB) refere-se à produção interna ou seja: é a produção econômica de um país, a sua produção de riquezas Produto Nacional Bruto (PNB) PIB recursos que entram recursos que saem = + - recebimento pelas exportações pagamento pelas importações

51 Renda nacional (ou o PNB) = Número de habitantes
corresponde ao valor anual do PNB Renda nacional resulta da soma de todos os rendimentos percebidos pelas empresas e pessoas durante um ano Renda per capita Renda nacional (ou o PNB) = Número de habitantes “por cabeça” é a renda média da população

52 PIB e renda per capita em alguns países — 2010 País
PIB (em bilhões de dólares) Renda per capita (em dólares) Estados Unidos 14 582,40 47 084 China 5 878,62 4 395 Japão 5 497,81 43 160 Alemanha 3 309,66 40 542 Noruega 414,46 84 880 Luxemburgo 55,10 Brasil 2 087,88 10 710 Argentina 368,80 9 067 Bangladesh 100,10 609 Nigéria 193,66 1 224 República Democrática do Congo 13,20 194 Norte Adaptado de: WORLD bank – Database, abril de 2011. Sul Norte Sul

53 Renda per capita no mundo
Adaptado de: Calendario Atlante De Agostini Novara: Istituto Geografico De Agostini, 2006; IBGE, 2007.

54 = Crescimento ou expansão econômica de um país
é o ritmo de crescimento econômico = o aumento do PIB ou PNB ritmo de expansão da economia crescimento demográfico ritmo de expansão da economia crescimento demográfico crescimento econômico positivo crescimento econômico negativo diminuição da pobreza empobrecimento da população

55 Distribuição social da renda
Para medir o desenvolvimento socioeconômico de um país, não basta apenas saber a sua renda per capita; é necessário saber também como a renda nacional está distribuída entre seus habitantes. uma renda nacional mal distribuída resulta numa enorme riqueza para uma minoria e grande pobreza para a maioria da população pois Países desenvolvidos Distribuição social da renda equilibrada pequenas desigualdades = X Países subdesenvolvidos Maior concentração na distribuição da renda grandes desigualdades =

56 Distribuição social da renda em alguns países (2010)
Renda nacional nas mãos dos 10% mais ricos (em %) Renda nacional nas mãos dos 60% mais pobres (em %) Renda nacional nas mãos dos 30% intermediários (em %) Índice de Gini Japão 21,7 42,4 35,9 24,9 Noruega 23,0 40,8 36,2 25,8 China 33,1 27,9 39,0 44,7 México 41,0 24,0 35,0 52,0 Brasil 42,5 22,4 35,1 53,0 Moçambique 36,7 30,1 33,2 46,0 Índia 27,4 35,7 36,9 32,5 Adaptado de: WORLD Bank – Database. Disponível em: <http://data.worldbank.org/indicator>. Acesso em: 23 dez Ou seja: apenas 10% da população brasileira tem 42,5% de toda a renda nacional, enquanto 30% de toda a população nacional detém apenas 35,1% da renda nacional.


Carregar ppt "7º Ano – Professor Diego."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google