A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Daniella Kolanian Felipe Uemura Kaue Pires Ricardo Cangussu.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Daniella Kolanian Felipe Uemura Kaue Pires Ricardo Cangussu."— Transcrição da apresentação:

1 Daniella Kolanian Felipe Uemura Kaue Pires Ricardo Cangussu

2 2007 – 2009: Fracasso dos sistemas financeiros globais Muitas causas foram identificadas para a crise, envolvendo diversos atores Grande crise associada a uma tempestade perfeita – uma série de sistemas frontais que se juntam e formam uma tempestade maior e letal Uma das causas: Falha nos modelos de tomada de decisão

3 HSBC é o terceiro maior banco do mundo com base no valor de mercado e o maior da Europa Sofreu menos devido ao crescimento contínuo na Ásia (65% do lucro bruto) Com a crise: Preço das ações caíram pela metade Dispensou 6 mil funcionários Fechou mil unidades no mundo Deu baixa em sua unidade geradora de hipoteca nos EUA – Household International

4 1990–2000: Gerentes seniores observaram um alto crescimento no valor dos imóveis nos EUA Mercado de hipotecas subprime impulsionou a venda de imóveis 2002: HSBC compra a Household por U$15 bi – uma das maiores concessoras de crédito ao consumidor e hipotecas subprimes Hipotecas subprime: Direcionadas a mutuários de baixa renda Representam maior risco de inadimplência Tipo renda declarada, não precisava comprovar renda Empréstimos de taxa variável Resultado: 60% aumentaram em mais de 50% sua renda Exagero nas colocações profissionais como justificativa Empréstimos muito maiores do que podiam arcar

5 Por que bancos e concessoras emprestariam dinheiro a pessoas que possivelmente não pagariam? Devido a ferramenta moderna de gestão de riscos e inovação financeira Gestão de riscos envolvia a venda para instituições e indivíduos que não compreendiam o risco que estavam aceitando Inovação financeira: CDO (obrigação de débito colateral) Credores concediam pacotes de hipotecas - CDO - que tinha altas taxas de juros com base no fluxo de caixa das hipotecas subprime e vendiam esse instrumento como um investimento seguro no mercado imobiliário

6 Risco foi repassado a qualquer pessoa que tivesse algum instrumento de dívida em mãos Infelizmente, práticas bancárias baseavam-se em modelos com premissas de que o valor dos imóveis subiria e de que o colapso em um mercado de crédito não se espalharia pelo mundo % do total de empréstimos (EUA) era subprime 2001: 7,5% do total de empréstimos (EUA) era subprime 2008: Valor dos imóveis caiu drasticamente, chegando a alcançar diminuições de 30% em alguns dos mercados mais fortes

7 HSBC antecipou-se com relação à percepção do crescimento no número de contas de maus pagadores em seus empréstimos, mas não com relação ao nível em que ele realmente acontecia Na busca por maiores rendimentos, o HSBC começou a comprar empréstimos subprime de outras fontes 2005: HSBC confiava em seu sistema e chegou a declarar que dispunha de processo para prever quantos dos empréstimos que adquiria de varejistas se tornariam inadimplentes

8 2007: HSBC estremeceu Wall Street ao anunciar um percentual muito mais alto do que o previsto de empréstimos subprime inadimplentes HSBC foi um dos bancos afortunados que não precisaram solicitar apoio financeiro ao governo Adotou um software analítico de negócios da Experian- Scorex para ajudar na tomada de decisões Modificou sua equipe e política Utilizou TI para identificar com antecedência quais clientes estão mais propensos a inadimplência

9 Questão 1- Neste caso, que problema o HSBC enfrentou? Quais fatores pessoais, tecnológicos e organizacionais foram responsáveis pelo conflito? A gerência do HSBC identificou corretamente o problema? O banco HSBC enfrentou o problema em suas operações de risco, especialmente, naqueles classificados como subprime em que tinha-se como garantia a hipoteca dos imóveis ou do que se financiava. De acordo com o Caso, o principal problema em relação ao default vivenciado por essa operação está na crença, pelos executivos, em um modelo de que as casas sempre aumentariam seu valor de mercado, o que, apesar de não ser verdade, garantia o grau de atratividade do investimento.

10 Questão 2– O HSBC dispunha de sistemas de informações e ferramentas analíticas sofisticadas para previsão dos riscos representados por solicitantes de empréstimos subprime. Por que, ainda sim, o banco teve problemas? Sim. Observamos que a Household International, subsidiária do HSBC desde 2002, possuía um sistema denominado Worldwide Household International Revolving Lending System – Whirl, que utilizava técnicas de modelagem criadas por 150 doutores. Também observamos a utilização do sistema FICO para empréstimos de automóveis, taxas fixas e cartões de créditos. Entretanto, pode-se observar que o sistema de pontuação FICO não se provou ser ferramenta confiável e o maior problema quanto ao sistema analítico da Household era manter a variável das hipotecas das casas tão volátil quanto o mercado, garantindo o baixo nível de default no subprime.

11 Questão 3- Quais soluções o HSBC encontrou para evitar que seu problema aumentasse? Essas soluções serão suficientes para reverter a situação dos empréstimos subprime? Existem outros fatores ainda não identificados pelo HSBC? Quais são eles? HSBC adotou um software analítico de negócios da Experian–Scorex para ajudar sua equipe de processamento de solicitações de crédito na tomada de decisão Modificou sua equipe e sua política. Utiliza TI para identificar com antecedência quais clientes estão mais propensos à inadimplência

12 Questão 3- Quais soluções o HSBC encontrou para evitar que seu problema aumentasse? Essas soluções serão suficientes para reverter a situação dos empréstimos subprime? Existem outros fatores ainda não identificados pelo HSBC? Quais são eles? Apesar das soluções encontradas para evitar que seu problema se aumentasse, acredita-se que o HSBC enfrentará outra onda de atrasos e inadimplência nos próximos anos. O Centro de Responsabilidade de Empréstimos previu que 20% das hipotecas subprime concedidas em 2005 e 2006 resultarão em execução. Fator não identificado: não há modelos para riscos internos do mercado ou fatores comportamentais que estabeleçam correlações entre os mercados.

13 Questão 4- O HSBC tomou a decisão de manter a área de hipoteca subprime como segmento de seus negócios. Explique se essa decisão foi estruturada, não estruturada ou semiestruturada. Em seguida, apresente sua opinião sobre a parte do processo de tomada de decisão que deu errado. Por fim, aplique o conceito de qualidade relacionado a precisão e compreensão a esse caso. Essa decisão foi semiestruturada, pois o HSBC acreditava possuir resposta clara e precisa, dada por um procedimento aceito. No caso, seus softwares para prever inadimplência e dados históricos. Apesar de os CDOs serem novos instrumentos no mercado financeiro, o banco dispunha de fontes passadas, como o fato de que os EUA não vivenciavam queda nos valores imobiliários desde 1930, e o fato de que os imóveis eram historicamente bem distribuídos. Assim, os gestores acreditavam que os riscos poderiam ser estimados, compreendidos e quantificados em instrumentos, como o Worldwide Household International Revolving Lending System, ou o FICO, classificação de crédito que não provou ser uma ferramenta confiável na previsão do desempenho durante o enfraquecimento do mercado imobiliário.

14 Questão 4- O HSBC tomou a decisão de manter a área de hipoteca subprime como segmento de seus negócios. Explique se essa decisão foi estruturada, não estruturada ou semiestruturada. Em seguida, apresente sua opinião sobre a parte do processo de tomada de decisão que deu errado. Por fim, aplique o conceito de qualidade relacionado a precisão e compreensão a esse caso. Em nossa opinião, o sistema deu errado devido a diversos motivo, como: os gestores não poderiam ter concedido crédito a indivíduos que não comprovavam renda, não poderiam se basear em softwares para prever inadimplência, as taxas variáveis aumentavam consideravelmente após alguns anos dificultando o pagamento dos juros por parte dos devedores, que já não possuíam alta renda. O sistema de repasse da dívida hipotecária para investidores contribuíram para a ocorrer um efeito dominó e gerar crise sistêmica.

15 Questão 4- O HSBC tomou a decisão de manter a área de hipoteca subprime como segmento de seus negócios. Explique se essa decisão foi estruturada, não estruturada ou semiestruturada. Em seguida, apresente sua opinião sobre a parte do processo de tomada de decisão que deu errado. Por fim, aplique o conceito de qualidade relacionado a precisão e compreensão a esse caso. Conceitos de qualidade: Precisão: Deve refletir a realidade. Fato que não ocorreu, uma vez que não considerou a inadimplência dos clientes no início do processo Compreensão: não houve uma percepção da gravidade do que realmente estava acontecendo

16 Questão 5- Você acha que uma das soluções para as práticas ineficientes de gestão de riscos do HSBC pode ser o fornecimento de número maior e mais preciso de informações aos responsáveis por tomar decisões, ou é preciso fazer algo diferente para aprimorar a gestão de riscos? Sim, um maior fornecimento de informações precisas auxiliaria uma melhor gestão de riscos, uma vez que o sistema do HSBC utiliza a métrica de pontuação para seus clientes baseada na avaliação dos mesmos de acordo com informações cedidas por eles. Não obstante, deve-se levar em consideração a aplicação adequada de modelos de gestão de risco e premissas plausíveis por executivos seniores nas tomadas de decisões.

17


Carregar ppt "Daniella Kolanian Felipe Uemura Kaue Pires Ricardo Cangussu."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google