A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Análise bíblica das críticas ao modelo assembleiano.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Análise bíblica das críticas ao modelo assembleiano."— Transcrição da apresentação:

1 Análise bíblica das críticas ao modelo assembleiano

2 Os judeus vestiam-se com roupas básicas e longas. Um dos motivos que levavam a este hábito era a temperatura quente A vestimenta consistia de dois ou mais pedaços de tecido sobrepostos, chamava-se túnica Era raro ver um judeu nu, exceto se louco. A nudez era sinal de humilhação (Gênesis 9:22) Até mesmo passagens como João 21:7, exigem uma análise dos termos empregados: ejpenduvten (lê- se, ependyten) Cingir-se com a túnica, indicando que Pedro estava com uma peça mínima de roupa, semelhante a uma sunga. Jesus foi crucificado com esta sunga, pois os soldados já haviam lhe tirado a túnica (João 19:23)

3 Alguns punham um cinto de couro (sadin) para segurar melhor a túnica Era comum um manto de couro e uma turbante de tecido sobre a cabeça. Este último protegia do sol inclemente Na sinagoga ou no serviço religioso os homens cobriam a cabeça com um véu Um ditado judaico dizia: A glória de Deus é o homem e a glória do homem é sua vestimenta* * Derech Eretz

4 As variações ficavam por conta das cores e dos tons que formavam um verdadeiro mosaico nas ruas Fazia-se uma abertura em V na túnica para a cabeça e dois cortes nas laterais para os braços. Elas eram vendidas sem o corte em V para provar que eram novas Como matéria-prima para as roupas se usava lã, linho ou algodão. De acordo com as posses do usuário. Não se misturavam os materiais, por uma proibição da Lei, exceto, para o sumo- sacerdote Túnicas de pano de saco eram utilizadas em eventos fúnebres

5 Sapatos em geral eram de couro e muito rudimentares. Eram mais comum as sandálias. Andar descalço era sinal de pobreza

6 Típica vestimenta de um casal judeu rico Mulheres: uma camponesa e uma mulher rica

7 Curiosidades sobre as roupas Quando era necessário correr, andar rápido ou trabalhar, os homens levantavam a barra da túnica e a prendiam no cinto. A esta atitude se designava cingir os lombos (I Pedro 1:13) As mulheres costumavam cingir suas túnicas também, mas para levar coisas de um lugar ao outro. Geralmente, a túnica da mulher ia até os tornozelos, a do homem até os joelhos As pessoas costumavam dormir com suas túnicas, da qual afrouxavam apenas o cinto A mulher usava um véu transparente para ocultar seu rosto. Na cerimônia de casamento o véu era retirado do rosto da noiva e colocado sobre o ombro do noivo, com a declaração: O governo está sobre seus ombros (Isaías 9:6). Os mais pobres tinham apenas uma muda de roupa. Rasgá-la era sinal de intenso luto ou sofrimento

8 Curiosidades sobre as roupas Determinados adereços, como bordados e pinturas nas golas das túnicas, indicavam o local de moradia ou o status social de uma pessoa Alguns cintos tinham um bolso aonde se guardava dinheiro ou outros pequenos pertences pessoais, armas e ferramentas Quando uma pessoa tinha condições financeiras, usavam um manto sobre a túnica Os fariseus usavam mantos com barras azuis, para indicar o cumprimento da Lei Somente as prostitutas descobriam o rosto, para atrair os homens com performances com os cabelos. Não era permitido usar roupas mínimas, portanto, o recurso era o único disponível

9 Outras curiosidades Raramente um homem cortava os cabelos Um homem poderia usar anéis e uma corrente ao redor do pescoço As mulheres se pintavam, usavam colares, brincos e pulseiras. Exageros nestes adereços indicavam que a mulher era prostituta Homens e mulheres usavam roupas distintas. Era proibido que um usasse a roupa do outro Nas festas de casamento distribuíam-se roupas para os convidados, seguindo um determinado padrão proposto pelos noivos. Estar sem estas roupas era sinal de que a pessoa não fora convidada (Mateus 22:12)

10 Egito No Egito Antigo somente os ricos usavam roupas, geralmente da cor branca e feitos de linho. Predominavam os adereços para a cabeça, especialmente, reis

11 Assíria Na Assíria as roupas e adereços já estavam disseminadas

12 Grécia No conceito da polis, instituído pelos gregos, as roupas exerceram um papel fundamental. Entretanto, escravos e lutadores em arenas não vestiam roupas

13 Roma Seguindo a cultura grega as roupas romanas eram sinal de prestígio e poder O recato era prezado. Um homem, por exemplo, não deveria ver a nudez de sua esposa, a menos que a Lua o mostrasse

14 Cabelos em Roma e Grécia Tanto na Grécia quanto em Roma as mulheres podiam usar cabelos soltos ou com penteado estilizado

15 Roupas de banho em Roma Em Roma, nas casas de banho, as mulheres usavam tangas semelhantes aos modernos biquínis.

16 Andar nu ou vestido são expressões do comportamento humano em todo o mundo, em qualquer época, em qualquer povo, mas com motivações diferentes. Boa parte não usava porque não podia comprá-la A roupa e seus adereços são sinônimos de recato, intimidade e status social Há, em todas as culturas, um esforço para que determinada roupa, maquiagem ou adereço se harmonize com determinado grupo, mesmo quando há atualizações no modo de vestir ao longo do tempo As roupas são predominantes em sociedades modernas, associadas à vida em cidades e comunidades afins A nudez, aonde a sociedade se vestia, era sempre descrita como uma humilhação. Era o que acontecia a escravos, soldados conquistados e pobres (Isaías 20:4)

17 A Bíblia associa a nudez ao pecado, não exatamente ao ato, mas à consciência dele (Gênesis 2:25ss), e à vergonha (Deuterônomio 28:48; Ezequiel 16:37; Naum 3:5) No ambiente de recato de Israel (Levítico 18), aonde desvios comportamentais como a homossexualidade, prostituição e incesto eram punidos com a morte, a nudez era vista como um desvio grave É primário imaginar que não havendo sanitários, nem quartos para proteger a privacidade, eventualmente, episódios de nudez parcial aconteciam No Novo Testamento aprendemos que o corpo é templo de Deus e morada de seu Espírito (I Coríntios 3:16), portanto, devemos cuidar dele

18 As duas maiores demonstrações divinas contra a nudez na Bíblia estão na preparação do sumo-sacerdote (Êxodo 28:42) e nas advertências diretas de João no Apocalipse (Apocalipse 3:18; 16:15) Não podemos deixar de lembrar que a Bíblia preza pelo sexo entre casados, aonde uma esposa se desnuda a seu marido (Hebreus 13:4). Na Bíblia o sexo no casamento é santo! Por outro lado, não devemos fazer um irmão tropeçar (Romanos 14:21), tornando-nos instrumentos para a volúpia e para o desejo. Dizer que cada um deseja o quer, o que é bonito é pra se mostrar, a maldade está nos olhos de quem vê e coisas do gênero, somente afasta a nossa responsabilidade

19 Sabemos que o biotipo da mulher favorece sua exposição que é apreciada pelo homem. Entretanto, o Inimigo das nossas almas tem potencializado tais tendências, a ponto de massificar a exposição corporal. Por outro lado, o mercado do corpo cria e aumenta seus lucros, tanto entre aqueles que vendem produtos para a saúde como para os que comercializam o sexo A psicologia explica que o início da adolescência propicia a exposição da mulher. É um resquício histórico da conquista e do namoro humano. A sociedade moderna, porém, tem levado o conceito ao extremo ao ponto de expor até mesmo mulheres grávidas

20 Grande parte das demonstrações de nudez moderna são ecos do século XX, aonde as pessoas contestavam o modelo de vida de então. O movimento feminista fincou suas raízes, a partir dos anos 60, com a premissa de que a mulher vence quando se mostra, ou melhor, é assim que ela mostra ser livre O feminismo não contava que a mulher se tornasse cada vez mais objeto como vemos hoje. Alguém pode pegar um telefone e pedir uma mulher e uma pizza não faz diferença! O ideal feminista não resolveu, por exemplo, o dilema do corpo desejável. Nele, determinadas mulheres são omitidas: as gordas, malfeitas, enrugadas, velhas. Enquanto o ideal da mulher magra e bem torneada é perseguido. Se a intenção era mostrar a mulher, os rótulos e detalhes deveriam valer menos. Na verdade, vivemos uma sociedade que privilegia grupos, infelizmente, poucos atentam para este detalhe.

21 A igreja é um grupo social, que sofre influências do mundo exterior. Não há como impedir que a moda do vestuário e dos adereços nos impacte de alguma forma. O que podemos fazer é: Compreender o ideal bíblico para o corpo Compreender as forças que movem a sociedade moderna Compreender como o Inimigo atua sobre tais forças Ter senso crítico e não agir por sugestão de terceiros Compreender o papel ridículo ao qual muitas pessoas se submetem buscando um ideal inalcançável

22 Há uma contestação crescente contra o padrão assembleiano. Aqui e ali as pessoas se auto liberam para vestir o que quiserem. Já há irmãos que possuem um guarda roupas para a Igreja e outro para as demais atividades, como passear e namorar ou circular pelas ruas ou se expor no Facebook e outras redes sociais Claro que nossa indumentária vai variar de acordo com o lugar aonde vamos. A questão a ser colocada é que em qualquer situação devemos ser luz e sal (Mateus 5:13). Não podemos usar na praia a mesma roupa que usamos na Igreja, mas o mesmo recato deve ser seguido. No que concerne ao que vestimos, Jesus poderia nos encontrar tanto na Igreja, quanto no trabalho ou na rua? Por outro lado, devemos ter em mente que as pessoas do mundo sabem exatamente o que esperar do modo de vestir de um cristão. Exageros nos decotes, delineamento de partes do corpo, transparências e exibição não condizem com nossa postura. Resistamos à tentação de parecer com o mundo

23 Há vários grupos de argumentadores: Os bem intencionados Este grupo argumenta que Deus não estaria preocupado com nossa aparência, Ele só quer o coração. São também chamados de açougueiros, dando a Deus partes de nós. A Bíblia ensina que tudo o que somos pertence a Deus, e deve ser dirigido por Ele (Mateus 22:37). O ministério de Jesus caracterizou-se por transformações totais no ser humano O exemplo mais soberbo disso está em Lucas 8:27 em diante. É a história do endemoninhado gadareno. O contraste entre os versículos 27 e 35 é vibrante Outro detalhe importante é que Jesus mora em nós (João 14:23). Logo a casa deve refletir seu dono. O estado deplorável no qual encontramos certas pessoas no mundo, reflete exatamente quem nelas habita Por falar em casa, o bem intencionado é semelhante àquela pessoa que todo ano planeja uma reforma, mas nunca faz nada a respeito, enquanto a casa deteriora

24 Os revisionistas Argumentam que houve exageros ao longo da história assembleiana. Isto é verdade. Mas os exageros não são combatidos com liberação, mas com aprimoramento Tais pessoas advogam liberar todos os usos e costumes ficando a critério dos membros o que fazer. Poderíamos, então, ter algumas situações interessantes:

25 Os revisionistas A dificuldade básica seria determinar qual é o limite de quem? Surfista Quer sexo livre, liberdade, drogas leves, andar como na natureza Pastora Lésbica Casada com outra mulher Cantora Faz poses sensuais, anda quase nua Rainha de Escola de Samba Já posou nua, afirma ser evangélica, dançarina do ÉoTchan Cantor Tatuou Jesus na perna, nascido e criado na Igreja, disse crer que Jesus morreu por seus pecados Jogador Famoso pelas baladas, com belas garotas o jogador se diz evangélico da Igreja Batista Peniel. Dizimista fiel. Não haveria qualquer condição de avançar, porque cada um teria um padrão. Os mais elásticos chegariam a um momento em que diriam: - Ih! Agora exagerou...

26 Os liberais pensam ser crentes. Na verdade estão tão desviados de Deus que nenhum padrão bíblico lhes interessa. Estão na igreja por razões que a própria razão desconhece, não estão preocupados com transformação e santidade, muito menos com vida eterna e salvação. Os liberais É o grupo que não tem interesse que existam regras. Tudo está certo, a depender de terminada análise. É difícil argumentar com eles porque não há ponto de partida. Querem chegar a algum lugar, não informam aonde!

27 Não é desejável que as roupas e os adereços de hoje sejam iguais aos de 30 ou 50 anos atrás, devemos estar atualizados com nosso tempo, especialmente no que diz respeito à durabilidade, conforto e variedade de materiais. Entretanto, é possível ser alguém em dia com a moda evitando os exageros. A premissa da vida cristã está em I Coríntios 10:32: Nossa jornada consiste em não buscarmos a glória do homem, mas a de Deus. Devemos ser equilibrados em todas as nossas posturas. Vestir faz parte do rol essencial de coisas que fazemos na moderna sociedade que vivemos, mas isto deve ser feito de modo sóbrio, alegre, descontraído e recatado.

28 Não queremos especificar o que deve ser usado, queremos apenas uma saudável e positiva reflexão sobre o que perderemos com a abolição do padrão que temos. Abaixo, por exemplo, veremos seis exemplos de roupas femininas que se adequam ao padrão assembleiano, sem prejudicar o conforto e a beleza de nossas irmãs. Mostram que sim é possível!

29 Uso de traje masculino, por parte dos membros ou congregados, do sexo feminino Uso de cabelos crescidos, pelos membros do sexo masculino Corte de cabelos, por parte das irmãs (membros ou congregados) Uso de pinturas nos olhos, unhas e outros órgãos da face Uso de mini-saias e outras roupas contrárias ao bom testemunho da vida cristã Sobrancelhas alteradas Uso de bebidas alcoólicas Uso de aparelho de televisão – convindo abster-se, tendo em vista a má qualidade da maioria dos seus programas; abstenção essa que justifica, inclusive, por conduzir a eventuais problemas de saúde Santo André, 1975

30 Os judeus da Igreja Primitiva bebiam vinho, com moderação, mas bebiam (I Coríntios 11:21). Os padres não faziam por menos no Período Medieval Os reformadores bebiam cerveja e vinho, Lutero e Calvino, por exemplo. Ainda hoje em algumas festas da Igreja Luterana no Brasil é oferecida cerveja

31 O advento da Revolução Industrial (século XVIII), trouxe as pessoas para as cidades,que não ofereciam infraestrutura suficiente para atender às demandas da população que aflui do campo para trabalhar na indústria nascente, o que inclui a oferta de água potável. Bebidas destiladas e fermentadas passam a substituir a água. Aliado ao ambiente de pobreza extrema em que viviam os operários propicia os excessos no uso de bebidas. A embriaguez se torna uma constante, e se transforma num problema social Coube a John Wesley ( ) se insurgir contra os excessos do álcool entre os crentes, e foi o primeiro a articular um movimento de proibição do seu uso. Em seus sermões, Wesley reprovava o uso não-medicinal de bebidas destiladas, como conhaque e uísque, e dizia que muitos destiladores que vendiam seus produtos indiscriminadamente não eram nada mais do que envenenadores e assassinos amaldiçoados por Deus. Restaria apenas o vinho, usado na Ceia do Senhor

32 Entre 1790 e 1840, surgiu nos EUA um movimento reformador, chamado Segundo Despertar, que tinha como base a santificação pessoal. Esse movimento encampou a completa abstinência de álcool, inclusive na Ceia do Senhor. O que se tornou costume para as igrejas de confissão reformada Com a chegada da Assembleia de Deus ao Brasil, em 1910, com influência direta do Movimento de Temperança americano, diversas normas implícitas foram postas em prática no que concerne ao tema. As quais perduram até nossos dias Olhando para a Bíblia, encontramos o corpo como templo de Deus e morada de seu Espírito Santo (I Coríntios 6:16). O que radicalmente se contrapõe à embriaguez e ao torpor característico do álcool. Outro detalhe importante é que o álcool embota os sentidos. Uma pessoa fora de si é capaz de atos impensáveis em seu senso comum. O mais interessante é que nossa sociedade não encara o álcool como uma droga e, de fato, ele é!

33 O cigarro teve sempre maior resistência entre os evangélicos. Não obstante renomados pastores e pregadores como Charles Spurgeon terem feito uso dele Uma das razões é porque esteve associado desde o início ao uso de drogas entorpecentes, como informam as pesquisas sobre os maias e astecas Por outro lado, o cigarro é extremamente viciante, assim como o são determinadas drogas. O vício tem por consequência a dependência, lançando as pessoas na insanidade. Novamente se destrói o templo de Deus

34 Com as informações de que os efeitos do uso do cigarro matam milhares de pessoas em todo o mundo, além de fazer milhões de vivos sofrerem precisamos refletir o quão acertada foi a decisão de não seguirmos as grandes propagandas do século passado

35 Especificamente em relação às drogas é desnecessário dizer que seus efeitos fazem mal não apenas ao corpo, mas também à alma, à medida que tira as pessoas do mundo real, dissocia das famílias e destrói os relacionamentos

36 Mas há inúmeros outros vícios contrários aos bons usos e costumes, à luz do entendimento da Palavra de Deus Prostituição Jogos de azarLoterias

37 Pornografia ao vivo e on-line (Salmos 101:3) Palavrão e termos de baixo calão, além de gestos obscenos (Salmos 141:3; Efésios 4:29) Música mundana (Salmos 149:6) Tatuagem (Levítico 19:28) Quem já tinha uma tatuagem antes de ser salvo, a rigor não precisa passar por uma cirurgia para retirá-la! Por isso é preciso pensar muito antes de fazê-la.

38 Más conversações (I Coríntios 15:33) Furto (Efésios 4:28) Importante notar que não há proibição explícita na Bíblia para muitos dos casos abordados. Mas qualquer pessoa em sã consciência percebe que são erros e desvios comportamentais. Como sal, luz e exemplo devemos pautar nossas atitudes pelo que há de melhor na sociedade e, sempre que tivermos oportunidade, elevar tal padrão! Ira (Efésios 4:26) Mentira (Efésios 4:25) Por outro lado, alguns comportamentos são listados aqui, por subliminarmente fazerem parte do rol de acepção dos usos e costumes assembleianos

39 Proibição do uso da barba Vimos na exposição do Centenário, que desde os primórdios não se usava barba na Assembleia de Deus. Costume importado dos americanos. Era sinal de higiene e asseio. Nos primórdios seu uso era sinal de fraqueza espiritual Uso do paletó Outro costume americano, importado por sua vez da Europa. Nos países frios até mendigos usam um sobretudo. Foi importado para os EUA como sinal de conforto e sofisticação Uso de púlpitos Os irmãos da Igreja Primitiva pregavam em círculos. Na sinagoga havia certamente púlpitos, eco de Neemias 8:4. A palavra púlpito, pulpitum, que significa palco!

40 O que é interessante ter em mente? Diversos costumes assembleianos foram se sedimentando ao longo dos anos. A liturgia com hinos cantados no início, o porte de Bíblias (que a Igreja Católica não permitia até recentemente), cerimônias de batismo e casamento, que diferem radicalmente de Igreja para Igreja, e desta para o Judaísmo, e muitas vezes de pastor para pastor, o formato dos templos, a cor das paredes, a ornamentação dos púlpitos (pinturas), os tipos de hinos, o modo como descartamos o pão e o vinho são todos expressões de um tempo, e de uma cosmovisão denominacional. A rigor não se desviam da Palavra, mesmo não sendo doutrina Houve momentos que não havia permissão para se tocar uma bateria em nossas igrejas, outros tempos levaram a Luiz de Carvalho ser defenestrado na Igreja Batista por tocar violão! Então não podemos atirar contra os usos e costumes, porque não sabemos explicá-los. A pergunta chave é: São bons? Colaboram para o bem da igreja? Se sim, deixemos ficar como está! É preciso melhorar o que está ruim!

41 Deuteronômio 6:5-9

42 Alguns itens que forjaram a identidade assembleiana brasileira Ênfase no uso dos dons espirituais, na oração, na evangelização e no envolvimento congregacional A família como base psicológica para a formação de filhos com caráter e que respeitem regras Afirmação da autoridade eclesiástica Estudo bíblico sistemático em pequenas proporções, como é o caso da EBD, os filhos tinham prazer de ir à mesma, e os pais de levá-los Apoio na família aos usos e costumes característicos da denominação Pouco questionamento no que concerne aos usos e costumes mais generalizados

43 Ficou parecendo uma crente de verdade! A mãe de 10 anos atrás pensando:

44 Agora estamos parecidas com aquela atriz famosa! A mãe de hoje pensando:

45 Quadro atual da identidade assembleiana Afrouxamento dos usos e costumes. Até certo desprezo e distanciamento deles A família fragmentada e desacreditada. Pais ausentes, omissos e indolentes A autoridade eclesiástica é respeitada, enquanto não incomode as pessoas. Os filhos são ensinados a desprezar os ensinamentos Desprezo da EBD e dos cultos de doutrinas. Inserção de programações alternativas nos dias de tais cultos Pais e mães ignoram ou desprezam o valor dos usos e costumes, sendo eles mesmos os primeiros a dar mau exemplo para os filhos Muito questionamento, as pessoas questionam até mesmo o valor de questionar!?

46 Quadro atual da identidade assembleiana Inserção de componentes midiáticos: televisão e computador com internet Estudo realizado pelo Birmingham Science City com 500 crianças entre 6 e 15 anos de idade comprovou que os tempos mudaram. Pelo menos 54% delas preferem chamar o buscador quando aparece um dúvida. Apenas 1/4 vai antes aos pais. Se estes perderam espaço, o que dizer, então, dos professores? Dos entrevistados, apenas 3% escolhem os mestres como primeira opção na hora de tirar dúvidas. As enciclopédias também caíram, já que 1/4 das crianças sequer sabe o que é uma enciclopédia. Quase metade delas (45%) nunca usou uma em papel e quase 1/5 não conhece dicionários impressos.

47 O que falta às famílias: Pais que valorizem o legado assembleiano, que assumam a responsabilidade de dialogar sobre o assunto com seus filhos É preciso mostrar, por exemplo, que nossa denominação não nasceu e cresceu por acaso. Esse crescimento foi calcado sobre os ombros de homens e mulheres que deram suor e lágrimas, sacrificando tempo, amizade e tudo o mais Pais que demonstrem a seus filhos que devemos espelhar o que dizemos que somos, não obstante o que diga a sociedade. Aliás, a cosmovisão cristã sempre estará em choque com os valores morais mundanos. Foi assim em Jerusalém, foi assim na Grécia, foi assim em Roma, na Europa ou em qualquer lugar aonde a igreja estiver. Só há duas opções: diferenciação ou associação

48 O que falta às famílias: Pais presentes e que se comunicam, que interagem e que impõe regras no dia-a-dia dos filhos Pais que se comunicam tendem a abrir um canal de diálogo, não deixando o filho à mercê de influências negativas. Além disso, se empenham em formar massa crítica para que os filhos não sejam presa fácil dos oportunistas Pais que exerçam a autoridade de maneira adequada. E na família que todos os valores sociais nascem e prosperam Há pais autoritários e pais ponderados de mais. É preciso buscar um ponto de equilíbrio que permita impor os limites e cobrar o cumprimento de regras, sem exagero e pensando sempre no futuro

49 O que falta às famílias: Pais que valorizem pequenos gestos como a leitura da Palavra de Deus, o comportamento no templo, a adoração e o louvor Pais que assumem o compromisso de levar seus filhos para o Céu! Está mais do que comprovado que os filhos aprendem por repetição, seja de um ser humano, de um macaco ou de um pássaro. Cada aprende o que o pai/mãe faz. Daí que nossa responsabilidade é muito maior do que se imagina Aqui está a chave para compreendermos o que se passa em muitas famílias: os pais não estão preocupados se seus filhos vão para o Céu ou não!


Carregar ppt "Análise bíblica das críticas ao modelo assembleiano."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google