A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Termometria Prof. Araújo. Quente ou Frio? Conceitos subjetivos Conceitos subjetivos Necessidade de uma medida objetiva Necessidade de uma medida objetiva.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Termometria Prof. Araújo. Quente ou Frio? Conceitos subjetivos Conceitos subjetivos Necessidade de uma medida objetiva Necessidade de uma medida objetiva."— Transcrição da apresentação:

1 Termometria Prof. Araújo

2 Quente ou Frio? Conceitos subjetivos Conceitos subjetivos Necessidade de uma medida objetiva Necessidade de uma medida objetiva

3 Escalas Termométricas Escolha de pontos fixos Escolha de pontos fixos Joachin Dalence (1668): pontos de fusão do gelo e da manteiga (pois é, da manteiga!) Joachin Dalence (1668): pontos de fusão do gelo e da manteiga (pois é, da manteiga!) Renaldini (1694) propõe a troca do ponto de fusão da manteiga pelo ponto de ebulição da água Renaldini (1694) propõe a troca do ponto de fusão da manteiga pelo ponto de ebulição da água 27 escalas diferentes na Europa em 1778! 27 escalas diferentes na Europa em 1778!

4 Três escalas se destacam Escala Réaumur: utiliza como pontos fixos o congelamento e a ebulição da água (0ºR e 80ºR, respectivamente). Escala Réaumur: utiliza como pontos fixos o congelamento e a ebulição da água (0ºR e 80ºR, respectivamente). Escala Fahrenheit: utiliza como pontos fixos uma mistura de água, gelo e cloreto de amônio (0ºF) e a temperatura do corpo humano (100ºF). Escala Fahrenheit: utiliza como pontos fixos uma mistura de água, gelo e cloreto de amônio (0ºF) e a temperatura do corpo humano (100ºF). Escala Celsius: utilizava a fusão do gelo (100ºC) e a ebulição da água (0ºC) como pontos fixos. Invertida posteriormente por Carl Von Linné. Escala Celsius: utilizava a fusão do gelo (100ºC) e a ebulição da água (0ºC) como pontos fixos. Invertida posteriormente por Carl Von Linné.

5 Escala Absoluta – William Thomson Gases: temperatura como grau de agitação das moléculas. Gases: temperatura como grau de agitação das moléculas. Variação da pressão de um gás com a temperatura: Variação da pressão de um gás com a temperatura: A pressão de um gás diminui de 1/273 do seu valor inicial quando este é resfriado, a volume constante, de 0ºC a -1ºC.

6 Zero Absoluto A -273ºC a pressão de um gás seria nula. Pára a agitação térmica. É impossível reduzir mais a temperatura. Esta temperatura equivale a 0 K na escala Kelvin.

7 Conversão entre escalas – Celsius e Fahrenheit

8 Conversão entre escalas – Celsius e Kelvin O Zero Absoluto (0 K) equivale a -273ºC. O Zero Absoluto (0 K) equivale a -273ºC. A variação de 1K equivale à variação de 1ºC. Consequentemente, 0ºC equivale a 273 K. A variação de 1K equivale à variação de 1ºC. Consequentemente, 0ºC equivale a 273 K. Daí vem a equação de conversão: Daí vem a equação de conversão:

9 Variações de temperatura

10 Uma variação de 1ºC corresponde a uma variação de 1 K Uma variação de 1ºC corresponde a uma variação de 1 K Uma variação de 1ºC corresponde a uma variação de 1,8ºF Uma variação de 1ºC corresponde a uma variação de 1,8ºF

11 Leitura Complementar


Carregar ppt "Termometria Prof. Araújo. Quente ou Frio? Conceitos subjetivos Conceitos subjetivos Necessidade de uma medida objetiva Necessidade de uma medida objetiva."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google