A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DESAFIOS DA INTERNACIONALIZAÇÃO 29 de Abril 2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DESAFIOS DA INTERNACIONALIZAÇÃO 29 de Abril 2011."— Transcrição da apresentação:

1 DESAFIOS DA INTERNACIONALIZAÇÃO 29 de Abril 2011

2 EDP Renováveis Evolução do processo de internacionalização

3 EDP Renováveis Compare os Beta da EDPR e IBR? Calcule o Custo dos Capitais Próprios de cada empresa? Reflicta sobre a qualidade do Beta como medida de risco? É necessário calcular o Beta da EDPR tendo como base o Beta da IBR e comparar esse Beta com o real da EDPR

4 EDP Renováveis Compare os Beta da EDPR e IBR? Calcule o Custo dos Capitais Próprios de cada empresa? Reflicta sobre a qualidade do Beta como medida de risco? Os investidores exigem mais rentabilidade por investir na EDPR, provavelmente, tal deve-se sobretudo à sua "alavancagem" superior. No entanto, poderá haver mais motivos para haver esta percepção de risco superior

5 EDP Renováveis Compare os Beta da EDPR e IBR? Calcule o Custo dos Capitais Próprios de cada empresa? Reflicta sobre a qualidade do Beta como medida de risco? O Beta reflecte realidades da empresa que podem ser muito diferentes das actuais. Analisar rating e custo da dívida pode ser alternativa. Outra hipótese será utilizar o Modelo Gordon Shapiro, como modelo forward looking. P = DPS / (Ke - g) g = ROE x (1-Retentio Rate) Parece sugerir que o mercado considera actualmente a EDPR como menos arriscada face ao histórico.

6 EDP Renováveis Quais são os principais factores de risco da EDP Renováveis? Qual a sua evolução ao longo do tempo? Quais os instrumentos utilizados pela EDP Renováveis? RISCO TECNOLÓGICO Tipo de RiscoDescriçãoInstrumentos de Mitigação OperacionalAvarias e incidentes Boas práticas Manutenção Procedimentos de segurança Volatilidade da produção energética Variação e flutuações nas condições do vento Diversificação geográfica Estudos de ventos Desenvolvimento tecnológico Fornecimento de turbinasPreço e não fornecimento Contratos flexíveis a longo prazo Mix de fornecedores Desempenho das turbinas Optimização da performance Assinatura de contratos com fornecedores, incluindo acordos de Operations & Agreement (O&M): 5 anos Estabelecimento de garantias técnicas Manutenção preventiva programada e adequada Implementação de projecto LEAN

7 EDP Renováveis Quais são os principais factores de risco da EDP Renováveis? Qual a sua evolução ao longo do tempo? Quais os instrumentos utilizados pela EDP Renováveis? RISCO REGULAMENTAR Tipo de RiscoDescriçãoInstrumentos de Mitigação Regulamentar Políticas e quadros normativos Monitorização das alterações dos mercados Jurisdições - vários tipos de incentivos à comercialização Diversificação de portefólio e de mercados com diferentes graus de maturidade Diferentes objectivos e metas obrigatórias por país Aposta em mercados com riscos e dinâmicas diferentes Obtenção de Licenças Rigorosas normas internacionais, nacionais, estaduais, locais e regionais relativas ao desenvolvimento, licenciamento, construção e operação de parques eólicos Diversificação geográfica Diversificação do pipeline de projectos nos mercados actuais para maximizar valor

8 EDP Renováveis Quais são os principais factores de risco da EDP Renováveis? Qual a sua evolução ao longo do tempo? Quais os instrumentos utilizados pela EDP Renováveis? RISCO FINANCEIRO Tipo de RiscoDescriçãoInstrumentos de Mitigação Investimento de capital Desvio do Valor do investimento necessário para a execução de um parque eólico Contratos de preço e prazo máximo garantido Identificação de parceiros locais Taxa de Câmbio Exposição da operação ao risco câmbial Derivados cambiais e outras estruturas de Hedging Taxa de Juro Exposição da operação à flutuação das taxas de juro Instrumentos derivados de taxas de juro Preço electricidadeAlteração das Tarifas Contratos de compra de energia a longo prazo

9 EDP Renováveis A empresa deverá incluir formalmente na sua estrutura organizacional um Departamento de Risco? Quais devem ser as competências desse departamento? Como deverá relacionar-se com o resto da empresa? Tema de análise: Gestão do Risco e Corporate Governance O que leva as organizações a não adoptarem programas mais amplos de Gestão do Risco, tendo em conta os benefícios aparentes que os mesmos acarretam? Alinhamento Estratégico Compromisso Coordenação Histórico Custos Quais devem então ser as características de um departamento de Gestão do Risco? Poder Reporte Perfil dos membros Competências

10 EDP Renováveis No caso da EDPR, o princípio base da Gestão de Risco não é simplesmente proteger valor, mas também a criação do mesmo. Esta criação de valor é obtida através da optimização do binómio risco/benefício, considerando o perfil do accionista. Inicialmente a gestão de risco foi reactiva, surgindo como reacção a duas vertentes distintas de negócio: Pressão dos mercados financeiros Sobrevivência do negócio Riscos nas diversas fases da vida de um projecto

11 EDP Renováveis A gestão do risco deve preocupar-se apenas com minimização de tail risks ou abranger outro tipo de riscos? A gestão de risco é sinónima de fonte de criação de valor? A Gestão do Risco e a Criação de Valor Accionista. O risco a incorrer é uma decisão dos accionistas e do Conselho de Administração Gestão eficaz de risco melhora os cash-flows futuros não deve apenas procurar eliminar os riscos, mas sim identificar os riscos que levem a oportunidades de criação de valor. um Departamento de Risco pode ajudar a identificar oportunidades que uma empresa deve analisar, tendo em conta o seu perfil de risco. um programa eficaz de Gestão de Risco também pode melhorar o cash-flow através da constante avaliação de riscos, seguros de risco e relatórios de apoio à gestão. Gestão activa do Risco pode reduzir os custos de cobertura, aumentando o cash-flow a criação de valor pela gestão de risco é a forma como a mesma afecta o Custo de Capital de uma empresa, ou a percepção que a comunidade de investidores tem relativamente a esse Custo do Capital. a Gestão do Risco serve para reduzir os custos de cobertura e de seguros. Nestes casos. Formas de criar valor com a Gestão de Risco a Gestão do Risco pode adicionar valor para o accionista por meio de redução do WACC


Carregar ppt "DESAFIOS DA INTERNACIONALIZAÇÃO 29 de Abril 2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google