A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SUIÇA. A Suíça é um cujo território é dividido geograficamente entre o Jura, o Planalto Suíço e os Alpes, somando uma área de 41 285 km². A população.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SUIÇA. A Suíça é um cujo território é dividido geograficamente entre o Jura, o Planalto Suíço e os Alpes, somando uma área de 41 285 km². A população."— Transcrição da apresentação:

1 SUIÇA

2 A Suíça é um cujo território é dividido geograficamente entre o Jura, o Planalto Suíço e os Alpes, somando uma área de km². A população suíça é de aproximadamente 7,8 milhões de habitantes e concentra-se principalmente no planalto, onde estão localizadas as maiores cidades do país. É um dos países mais ricos do mundo. Zurique e Genebra foram classificadas como as cidades com melhor qualidade de vida no mundo, estando em segundo e terceiro lugar respectivamente. A Confederação Suíça tem uma longa história de neutralidade, não estando em estado de guerra internacionalmente desde O país é sede de muitas organizações internacionais como o Fórum Economico Mundial, a Cruz Vermelha, a Organização Mundial do Comércio e do segundo maior Escritório das Nações Unidas.

3 A bandeira consiste de um quadrado vermelho com uma cruz grega branca grossa e equilátera no centro da bandeira. O comprimento de cada braço é 1/6 maior do que a sua largura. A bandeira baseia-se na do cantão de Schwyz, cujas cores e forma derivam do Sacro Império Romano. Foi desenhada pelo General Dufour, e adoptada pela Constituição Suíça em 1848.

4 O Brasão de armas da Suíça mostra a mesma cruz branca que a bandeira do país, mas em um escudo vermelho. A aparência do brasão de armas ou escudo varia grandemente, mas houve uma resolução federal incluindo um desenho do brasão de armas. Como a bandeira suíça, o brasão de armas é usado em diversos itens tais quais os fracos suíços, placas de carro suíços, e produtos exportados suíços como as facas de exército suíças.

5 HINO Cântico Suíço Quando de manhã crescer o céu vermelho E nos derramar o seu esplendor, Tu, ó Senhor, na tua luz apareces Quando os Alpes brilhando com esplendor, Orar a Deus, a entrega a Ele, Para tu sentires e compreenderes, Que Ele vive nesta terra. No pôr do sol, Tu és noite E para além do céu estrelado, Tu, ó Pai amoroso, sempre perto. Quando estamos partindo para o céu, Alegria e êxtase Tu determinas, Por nós sentirmos e comprendermos Que Tu vives nesta terra. Quando as nuvens negras cobrem as colinas E a névoa cinzenta enche o vale, Tu ainda não Te escondeste dos Teus filhos. Perfurando a escuridão em que nos cobrem Com o poder da Tua alvorada Em seguida, iremos sentir e compreender Que Deus vive nesta terra. Para nós, na selvagem tempestade que vem, Tu nos dás resistência e fortaleza, Tu, onipotente sentença, salva-nos! Durante noites de horror e trovoadas Vamos confiar no Ele infantil! Sim, estamos a sentir e compreender Que Deus vive nesta terra. Em 1961, o parlamento da Suíça decidiu que o Salmo Suíço era uma criação suíça legítima e que deveria valer como hino nacional provisoriamente. Após 3 anos de testes o hino foi aceito por 12 cantões e sete pediram por mais tempo de testes e menos do que seis o rejeitaram. Mesmo assim, em 1965, o Salmo Suíço foi declarado como hino nacional, desta vez sendo permanente. A ratificação final aconteceu em 1981, quando se estabeleceu definitivamente que o Salmo Suíço seria o então hino nacional da Confederação Suíça, alegando-se ser uma canção puramente suíça, íntegra, festiva, assim como a maioria dos cidadãos desejam em um hino.

6 O chocolate suíço, ganhou uma reputação internacional de ser de alta qualidade. Hoje, a maioria do chocolate suíço é consumido pelos próprios suíços (54% em 2000), E a Suíça tem hoje o maior consumo per capita de chocolate (11.6 kg per capita por ano). Canivete suíço é um tipo muito comum de canivete. Não se trata de um tipo específico, porém de uma "família" de canivetes de diversas formas e com ferramentas distintas. Existem hoje mais de 100 modelos. O primeiro e genuíno canivete suíço tem origem no ano de O exército suíço pretendia, para uso exclusivo dos seus soldados, um canivete que fosse versátil, leve e fácil de transportar, mas que simultaneamente fosse bastante resistente. No mesmo ano surgia então, da responsabilidade da Administração Federal de Munições da Suíça, o projeto para esta peça de cutelaria. O fabricante desse canivete foi na altura atribuído à empresa Schweizer Besteckfabrik – ano de 1900 (a qual derivou da Fabrique Suisse de Coutellerie S.A., do ano de 1895, e esta da inicial e originária Paul Boéchat & Cie. knife Factory, do ano de 1893). A produção do genuíno canivete suíço teria assim início no ano de 1901, com base no dito projeto que foi o protótipo do famoso canivete suíço. O país é um dos maiores produtores de relógios do mundo. Além dos relógios suiços serem conhecidos por seu luxo, a Suíça também é conhecida pelos melhores e mais vendidos relógios de plástico, da marca Swatch. Entre outras marcas conhecidas estão: Rolex, Piaget, Victorinox e Tissot

7 A lenda de Guilherme Tell aparece inicialmente no sec. XV. A história de um herói bem sucedido no tiro contra um pequeno maçã na cabeça de seu filho e posterior assassinato do tirano que o obrigou a fazê-lo. Na cultura popular, Guilherme Tell subsiste como um verdadeiro herói. Permanece uma importante figura com quem os suíços se identificam e, de acordo com uma pesquisa recente, 60% da população acredita mesmo que ele tenha existido. O futebol é um dos esportes mais praticados no país. Conta com uma liga nacional de dez equipes e muitas outras amadoras espalhadas pelo país. O hóquei no gelo também é muito famoso. Do lado individual destaca-se sobretudo o atletismo, a ginástica, o esqui e o tenis, cuja maior figura representativa do país nesta modalidade é o campeão Roger Federer.

8 A culinária típica é baseada em queijo, chocolate e pão. Quase toda a população come salada e vegetais regularmente, tudo para uma alimentação saudável. Carne, tirando linguiça, não é muito consumida devido aos altos preços. Fondue, raclette (batata e queijo) Bratwurst (linguiça de frango com pão) são os principais alimentos típicos. Todos os produtos derivados de leite (queijo, iogurte, chocolate, sorvete...) na Suíça são muito saborosos e apreciados. Alguns pratos, no entanto, são adotados em todas as regiões. Bons exemplos disso são as fondues e raclettes, incomparáveis, sobretudo no inverno. No verão, são encontradas apenas nos restaurantes específicos para turistas. A fondue é preparada de várias formas, sendo que a moitié-moitié (partes iguais dos queijos Gruyère e Vacherin) é a mais popular. A tradução literal de fondue é derretida e uma das mais famosas, a Bourguignonne, feita com carne frita em óleo e acompanhada de vários molhos, não tem nada de fondue, mas recebe esse nome porque envolve o mesmo ritual dos comensais em volta de um caquelon (panela para fondue). A raclette, outra iguaria típica agora também globalizada, é o nome do queijo fundido que, na raclonette (aparelho específico onde o queijo é derretido), adquire maior cremosidade pela ação do calor e acompanha batatas cozidas com casca e pepinos em conserva.

9 FATOS HISTÓRICOS

10 58 A.C. Os helvécios, a tribo residente de celtas no que hoje é a Suíça, são freados pelas legiões romanas sob o comando de Júlio César ao tentar migrar para oeste da França. 15 A.C. Legiões de Augusto conquistam a tribo alpina dos Rhaeti, no território que é hoje faz parte o leste da Suíça. Nos anos seguintes, a totalidade do território suíço é incorporada ao Império Romano O fim do domínio romano e incursões de tribos germânicas marcam o período conhecido como Baixa Idade Média. Por um breve período em 800, Carlos Magno domina grande parte da Europa Ocidental, incluindo a Suíça, mas seu império se desmorona mais uma vez em pouco tempo. Um sistema feudal evolui. Mosteiros mantém a herança clássica com o ensino do latim e desenvolvem novos métodos de agricultura.

11 Fatos históricos da Suíça 1291 Tradicional ano da criação da Confederação Suíça: as três comunidades rurais de Uri, Schwyz e Unterwalden na Suíça central. Eles formam uma aliança permanente para proteger sua liberdade contra o império dos Habsburgos Segundo a lenda, Guilherme Tell é forçado por um governador dos Habsburgos a atirar uma flecha na maçã colocada sobre a cabeça do seu filho. O guerreiro mata depois o governador e torna-se parte do mito fundador da Confederação A Confederação ganha o direito implícito para seus membros de gerir seus próprios assuntos após derrotar o imperador dos Habsburgos, Maximiliano, na Guerra Suábia A Confederação sem muitas regras inclui agora 13 cantões Reforma protestante em Zurique liderada pelo pastor Huldrych Zwingli. Ele é morto em uma batalha contra as forças católicas da Suíça central em 1531.

12 1536 Reforma protestante em Genebra liderada pelo refugiado francês Jean Calvin, cuja doutrina rigorosa vem a influenciar as igrejas protestantes em muitos outros países A Guerra dos 30 anos provoca destruição em grande parte da Europa, mas a Suíça consegue manter-se neutra. O cantão dos Grisões, que neste momento não é membro da Confederação, se torna um campo de batalha entre os exércitos francês e austríaco-espanhol por causa de sua importância estratégica O Tratado de Vestefália termina a Guerra dos 30 Anos; as potências europeias reconhecem formalmente a independência da Suíça.

13 1798 O que agora forma a Suíça é ocupado por tropas francesas revolucionárias. E batalhas ocorrem em solo suíço envolvendo exércitos austríacos e russos. A República Helvética, uma república centralista parlamentar com base no modelo francês, é apoiada pela França O "Ato da Mediação" de Napoleão restaura a maior parte do antigo sistema cantonal após o insucesso da República Helvética A independência e a neutralidade da Suíça são reconhecidas pelo Congresso de Viena Criação do estado federal da Suíça, com uma nova constituição e um parlamento federal O empresário inglês Thomas Cook organiza seu primeiro passeio turístico "com tudo incluído" para Suíça - é o início do turismo moderno.

14 1871 O primeiro concílio do Vaticano proclama a infalibilidade do Papa. Mais de católicos suíços deixam a igreja e formam uma nova comunidade religiosa conhecida como a dos Velhos (ou Cristãos) Católicos A Suíça permanece neutra durante a Primeira Guerra Mundial A Suíça permanece neutra durante a Segunda Guerra Mundial As mulheres suíças obtém o direito de voto, aceito (por homens) através de um referendo nacional.

15 Modelo educacional Uma característica marcante do ensino suíço é a diversidade. A diversidade linguística do país é apenas uma das muitas particularidades de seus Cantões, diferenças que se estendem também ao sistema educacional. Estruturalmente, o Cantão assume a responsabilidade pelas escolas, enquanto a Comuna (município) cuida da administração destas. Isso ocasiona diferenças curriculares e administrativas entre as escolas de todo o país. Todas essas diferenças são, entretanto, regidas com muita maestria pelo governo geral, o que proporciona ao estudante boa aceitação e possibilidade de intercâmbio dentro e fora do país.

16 Educação Infantil e Ensino Fundamental (obrigatório) * A maioria dos alunos suíços (cerca de 95% ) freqUenta uma instituição pública na comuna onde reside e somente 5% da população paga uma escola privada. A escola pública cumpre um importante papel na integração social: crianças com diversas origens sociais, culturais e linguísticas frequentam a mesma escola, promovendo o convívio com as diferenças e a integração já desde o início de sua formação. Todos os Cantões oferecem uma Educação Infantil que é gratuita e dura em média, de um a dois anos (Jardim de Infância). Uma exceção é o Cantão Ticino, onde a Educação Infantil dura três anos. * O Ensino obrigatório, assim como no Brasil, inicia-se aos seis anos de idade e dura nove anos, entre Ensino Fundamental I (seis anos de duração, em média) e II (três anos de duração). Uma particularidade do ensino suíço em alguns Cantões, é a divisão das turmas por rendimento. Há também a possibilidade de, já nesse estágio inicial, focar os estudos numa área do conhecimento que mais interesse ao aluno, como por exemplo línguas, matemática, ciências biológicas. * Um outro ponto forte das escolas suíças é o ensino de idiomas. Com a diversidade linguística que abrange o alemão, o francês, o italiano e o romanche como línguas maternas, o idioma em que são ministradas as aulas, difere conforme a região linguística do país. Ainda durante o ensino Fundamental, os alunos aprendem no mínimo dois outros idiomas além da língua materna: normalmente uma segunda língua nacional e o inglês. * A organização descentralizada e federativa na área da Educação Infantil e do Ensino Fundamental, possibilita o respeito às diferenças culturais e regionais. Existem, entretanto, diretrizes superiores da Confederação para as regras mais importantes, como a idade de ingresso na escola obrigatória ou a duração da mesma.

17 Formação pós-obrigatória * A formação pós-obrigatória (Ensino Médio e Faculdade) normalmente é baseada em decretos federais ou inter-cantonais. Os Cantões são responsáveis pela execução e direção das escolas. A única exceção é a ETH (Instituto Federal Suíço de Tecnologia) em Zurique, que é dirigida pela Confederação. * Cerca de 90% dos adolescentes da Suíça terminam a escola no nível do Ensino Médio com 18/19 anos. Isto lhes permite o acesso direto à uma formação técnica profissional, uma escola superior ou universidade. O sistema educacional da Suíça se destaca nos seguintes pontos: * Flexibilidade: existem várias possibilidades de se iniciar ou retomar uma formação ou os estudos normais. Grande variedade de opções de formação: quem tem as qualificações necessárias, pode, em princípio, realizar a formação desejada, no lugar desejado, sem a necessidade de exames admissionais. * Somente o curso de medicina apresenta vagas limitadas. Para esse curso os candidatos devem passar por um processo seletivo (Numerus Clausus), sendo que apenas os melhores colocados obtém a vaga. Os diplomas cantonais são amplamente reconhecidos, garantindo ao formando mobilidade nacional e internacional. * Na perspectiva de ampliar as possibilidades de internacionalização e intercâmbio, as Universidades Suíças têm aderido, cada dia mais, ao Tratado de Bologna, um acordo da UE que divide os cursos universitários em Bachlor (BA) e Master (MA). Essa nova organização curricular, apesar de recente e ainda em processo de implantação e aperfeiçoamento, favorece o reconhecimento internacional e o intercâmbio de estudantes por todo o mundo.

18 BOLSAS DE ESTUDOS NA SUÍÇA Bolsas de estudos para estrangeiros na Suíça As bolsas do governo Suíço são destinadas a estudos de pós-graduação. É Importante lembrar que alguns cursos não são contemplados pelo programa de bolsas. Esses são: artes, hotelaria e cursos de idiomas (estudo não científico de um idioma). Caso tenha interesse em candidatar-se à uma bolsa de estudos oferecida pelo governo suíço, pedimos que leia atentamente as informações no site da Embaixada da Suíça (confira o link em Links do lado direito). Queira observar que o processo seletivo para o ano letivo 2009/2010 já foi encerrado. Para mais informações, contate os reponsáveis no Consulado de sua jurisdição. Bolsas de estudos para jovens Suíços no exterior * O Cantão de origem tem a responsabilidade por uma possível ajuda financeira aos jovens Suíços no exterior (portadores de passaporte suíço, de idade entre 15 e 25 anos, cujos pais estão domiciliados no exterior). Os regulamentos diferem de Cantão para Cantão. Para ter o direito à candidatura a uma bolsa de estudos é imprescindível estar regularmente matriculado numa instituição de ensino superior ou técnico. Geralmente candidatos com diplomas e títulos reconhecidos pela Confederação e provenientes de instituições públicas, têm maior chance de serem subsidiados. * A AJAS (Associação para o encorajamento à formação de jovens Suíços no exterior) também pode ajudar financieramente os jovens Suíços no exterior. Geralmente, por dispor de recursos financeiros muito limitados, a AJAS só concede complementos de bolsas para a primeira formação na Suíça.

19 CURIOSIDADES A Suíça é um bom país para você ter uma quebra na monotonia de igrejas, museus, escultura, etc. Tem muita natureza, esportes radicais e cenários lindos! A capital administrativa é Berna, apesar de muitos acharem que é Zurique. Existe um refrigerante que se chama Rivela, é feito de soro de leite, mas não é branco, é da cor do Guaraná do Brasil Deixar os sapatos na entrada de casa é comum. Em prédios as sapateiras dos vizinhos fica no corredor, em frente a porta do apartamento. Beber água da torneira não é problema. Mas água tem muito calcário. E isso significa que a pia, jarra elétrica e cafeteira precisam ser limpadas com freqüência. Senão o calcário toma conta, cria uma camada que depois vai desprendendo e soltando pedacinhos de calcário no café, comida. O país possui 4 línguas oficiais: Alemão, Francês, Italiano e Romanche.

20 FONTES DE PESQUISA


Carregar ppt "SUIÇA. A Suíça é um cujo território é dividido geograficamente entre o Jura, o Planalto Suíço e os Alpes, somando uma área de 41 285 km². A população."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google