A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Programa URBAN II 17 de Janeiro de 2008 Intervenção no Vale de Alcântara Avaliação de Processo 2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Programa URBAN II 17 de Janeiro de 2008 Intervenção no Vale de Alcântara Avaliação de Processo 2007."— Transcrição da apresentação:

1 Programa URBAN II 17 de Janeiro de 2008 Intervenção no Vale de Alcântara Avaliação de Processo 2007

2 Departamento de Acção Social O QUE É O URBAN II DO VALE DE ALCÂNTARA? O URBAN II do Vale de Alcântara é um programa que visa a requalificação urbana, social e económica do Vale de Alcântara, incidindo exclusivamente sobre o território da cidade de Lisboa compreendido entre o Bairro da Serafina e Alcântara tendo sido aprovado pela Comissão Europeia em 2001.

3 Departamento de Acção Social QUAL É A DIMENSÃO FINANCEIRA DO PROGRAMA? Quadro I: Investimento Programado CUSTO TOTAL DESPESAS PÚBLICAS TOTAL Apoio Comunitário FINANCIAMENTO PÚBLICO NACIONAL TOTAL Admin. Central Admin. Local Emp.Públicas e Outros FEDER ANO1=2+82=3+438= TOTAL

4 Departamento de Acção Social QUAIS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA ÁREA DE INTERVENÇÃO? O Vale de Alcântara integra desde 2004 os bairros da Quinta do Cabrinha, Ceuta Norte, Ceuta Sul, Bairro da Liberdade, Bairro da Bela Flor e Bairro da Serafina caracterizados por um contexto de forte exclusão social evidenciados pelos elevados níveis de desemprego, de abandono escolar, de criminalidade e delinquência. O ambiente urbano desta zona apresentava-se particularmente degradado acentuando as dificuldades de integração. Nesse sentido foi aprovada uma nova delimitação da área de intervenção.

5 Departamento de Acção Social ALARGAMENTO DA ZONA URBAN

6 Departamento de Acção Social ALARGAMENTO DA ZONA URBAN Quadro II: Entidades apoiadas antes e depois do alargamento Entidades Apoiadas Antes do Alargamento Entidades Apoiadas Após do Alargamento Associação Projecto Alkantara Ares do Pinhal Centro Social José Luís Coelho Escola do Vale Centro Fonte da Prata Projecto Alkantara Ares do Pinhal Centro Social José Luís Coelho Centro Fonte da Prata Crescer na Maior Agir XXI Junta de Freguesia de Alcântara Ajuda de Mãe Ajuda de Berço LINADEM Passo a Passo Centro Social e Paroquial São Vicente de Paulo Sentidos e Sensações AidGlobal Assoc. Portuguesa de Familiares e Amigos de Doentes de Alzheimer C. A.T.R Entrajuda Jovem a Jovem

7 Departamento de Acção Social QUAIS OS OBJECTIVOS DA INTERVENÇÃO? Promover a coesão do espaço urbano, valorizando a integração do Vale de Alcântara na envolvente, apostando na criação de equipamentos com vocação supra-local e do desenvolvimento do comércio e serviços. Promover a transição para uma cidadania de deveres e direitos, assente na integração no mercado de trabalho, na promoção do sucesso escolar e no acesso aos mecanismos de apoio social. Prevenir e conter a toxicodependência no Vale e na sua envolvente.

8 Departamento de Acção Social COMO ESTÁ ORGANIZADO O PROGRAMA? Quadro III: O programa está organizado segundo 4 Eixos e 8 Medidas.

9 Departamento de Acção Social COMO ESTÁ ORGANIZADO O PROGRAMA? Quadro IV: Responsável do Programa na CML AnoRESPONSABILIDADE DA CML 2001Gabinete de Reconversão do Casal Ventoso Gabinete da Vereadora da Habitação e Acção Social Empresas CEDRU monitorização e avaliação das candidaturas) e Factual (contabilidade), ambas até 31 de Dezembro de 2006 Outubro 2005 a Março de 2007 Gabinete do Presidente Geoideia (empresa contratada pela CCDR-LVT) faz avaliação dos Projectos em 2005 Março a Maio de 2007Gabinete do Vereador do Desporto Maio a Julho de 2007Comissão Administrativa e Áreas de Intervenção: Acção Social, Urbanismo, Desporto e Finanças Agosto de 2007 até à dataDAS assume acompanhamento de projectos no âmbito das Medidas 2, 3, 4, 5, 7. A CML cumpre a Regra n+2 de 2005.

10 Departamento de Acção Social URBAN II – Avaliação do Processo APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS GLOBAIS DA AVALIAÇÃO DE PROCESSO Novembro de 2007

11 URBAN II – Avaliação do Processo METODOLOGIA: Aplicação de Questionário de Avaliação de Processo aos projectos em execução no ano de 2007 Análise dos indicadores de execução dos projectos Análise global dos projectos: Objectivos Contributos Características Inovadoras Contributos do Programa URBAN II Departamento de Acção Social

12 Terapia Ocupacional – APFADA Quinta dos Sentidos – Associação Sentidos e Sensações Cidade ConVida – CATR Ajuda de Mãe – Ajuda de Mãe Dinamização da Rede Social do V.A. – AidGlobal Projecto Alkantara – Associação Projecto Alkantara Atitudes – Associação Jovem a Jovem Participólix – Associação Jovem a Jovem Apoio a Idosos – Centro Social do Casal Ventoso Jovens – Centro Social do Casal Ventoso Entrajuda – Entrajuda Departamento de Acção Social PROJECTOS EM EXECUÇÃO EM 2007: URBAN II – Avaliação do Processo

13 Departamento de Acção Social PROJECTOS EM EXECUÇÃO EM 2007: (Cont.) URBAN II – Avaliação do Processo Novas Gerações - Linadem Apoiar para Autonomizar – Associação Passo a Passo Centro de Acolhimento da Rua de Cascais – Associação Ares do Pinhal Ajuda de Berço – Ajuda de Berço Apoio à Comunidade do Vale de Alcântara – CSPSVP Centro Ocupacional de Arrumadores – Associação Crescer na Maior Equipa de Rua – Associação Crescer na Maior

14 Departamento de Acção Social RESULTADOS GLOBAIS URBAN II – Avaliação do Processo

15 Departamento de Acção Social OBJECTIVOS DOS PROJECTOS: URBAN II – Avaliação do Processo N=27

16 Departamento de Acção Social Crianças e Jovens2.881 Grávidas/Mães108 Idosos721 Indivíduos com Demência15 Toxicodependentes449 Outros261 TOTAL4435 URBAN II – Avaliação do Processo Agregados Familiares8.000 Associações/ Entidades Públicas 41 Utentes Instituições Solidariedade Social * GRUPOS-ALVO ATINGIDOS: * Âmbito Nacional

17 Departamento de Acção Social URBAN II – Avaliação do Processo CONTRIBUTOS DOS PROJECTOS

18 Bem estar dos utentes Proporcionar acesso a cuidados médicos e de enfermagem Constituição da rede social de suporte Espaço Sócio-pedagógico Apoio à autonomização social dos utentes Educação para a saúde Prevenção de comportamentos de risco Eixo 2 – Medida 2 (N=7) CONTRIBUTOS DOS PROJECTOS URBAN II – Avaliação do Processo Departamento de Acção Social

19 Sensibilização da população do Vale Alcântara para uma identidade lisboeta Promoção do trabalho em rede Capacitação das instituições que intervêm no Vale Alcântara Criação da figura de Facilitador de Pátio Metodologia de educação entre pares com efeitos multiplicadores Metodologia de educação não-formal através de workshop temático. Eixo 2 – Medida 3 (N=3) URBAN II – Avaliação do Processo CONTRIBUTOS DOS PROJECTOS Departamento de Acção Social

20 Minimização da degradação da população toxicodependente; Contenção da população toxicodependente do V.A. Acolhimento temporário de toxicodependentes sem abrigo; Apoio Médico, psiquiátrico, psicológico, social e enfermagem. Inclusão socioprofissional de jovens; Capacitação para construção de projectos socioprofissionais; Desenvolvimento de uma cidadania activa. Departamento de Acção Social CONTRIBUTOS DOS PROJECTOS Eixo 2 – Medida 4 (N=2) Eixo 3 – Medida 5 (N=1) URBAN II – Avaliação do Processo

21 Bem-estar social dos utentes Realização de actividades Recuperação de bens úteis Departamento de Acção Social Eixo 3 – Medida 7 (N=5) CONTRIBUTOS DOS PROJECTOS URBAN II – Avaliação do Processo

22 Departamento de Acção Social URBAN II – Avaliação do Processo CARACTERÍSTICAS INOVADORAS DOS PROJECTOS

23 Terapia ocupacional no domicílio Melhoria da qualidade de vida dos utentes Capacidade de atracção do espaço Área de Intervenção (Educação para a saúde) Abordagem ecológica-sistémica Estabelecimento de Parcerias Reconstrução de redes informais de solidariedade Envolvimento da População do Vale de Alcântara no Projecto Departamento de Acção Social Eixo 2 – Medida 2 (N=7) URBAN II – Avaliação do Processo CARACTERÍSTICAS INOVADORAS DOS PROJECTOS

24 Marketing Social Metodologias participativas Metodologias de educação não formal Departamento de Acção Social Eixo 2 – Medida 3 (N=3) URBAN II – Avaliação do Processo CARACTERÍSTICAS INOVADORAS DOS PROJECTOS

25 Sistema residencial aberto; Desenvolvimento de parcerias de modo a maximizar as possibilidades de acompanhamento, tratamento e encaminhamento de toxicodependentes para projectos estruturados de tratamento ou para inserção na vida activa. Criação da figura do facilitador de pátio escolar; Metodologia de educação entre pares com efeitos multiplicadores Metodologias de educação não-formal através de workshop temático. Departamento de Acção Social Eixo 2 – Medida 4 (N=2) Eixo 3 – Medida 5 (N=1) CARACTERÍSTICAS INOVADORAS DOS PROJECTOS URBAN II – Avaliação do Processo

26 Desenvolvimento de competências sociais Grupo Alvo (Crianças com menos de 3 anos) Envolvimento dos moradores do Bairro Departamento de Acção Social Eixo 3 – Medida 7 (N=5) URBAN II – Avaliação do Processo CARACTERÍSTICAS INOVADORAS DOS PROJECTOS

27 Departamento de Acção Social CONTRIBUTOS, CONSTRANGIMENTOS E POTENCIALIDADES DO PROGRAMA URBAN II – Avaliação do Processo

28 Departamento de Acção Social CONTRIBUTOS DO PROGRAMA URBAN II URBAN II – Avaliação do Processo N=24

29 CONSTRANGIMENTOS URBAN II – Avaliação do Processo Departamento de Acção Social N=29

30 Departamento de Acção Social URBAN II – Avaliação do Processo POTENCIALIDADES: Capacidade de adaptação através do desenvolvimento de estratégias alternativas Desenvolvimento da sustentabilidade dos projectos Envolvimento da população local na concretização dos projectos Programa URBAN II como instrumento de continuidade dos projectos Desenvolvimento de rede social das instituições com projectos no Vale de Alcântara

31 Departamento de Acção Social EXEMPLOS DE PRÁTICAS… URBAN II – Avaliação do Processo

32 Departamento de Acção Social EXEMPLOS URBAN II – Avaliação do Processo Objectivos Práticas Projecto de Apoio Terapeutico Domiciliário – Terapia Ocupacional e Enfermagem APFADA Integração social de grupos estigmatizados (idosos, reformados e inadaptados) Apoio a Idosos Projecto Alkântara Qualificação de Recursos Humanos para superação de dificuldades de inserção no mercado de trabalho

33 Departamento de Acção Social EXEMPLOS URBAN II – Avaliação do Processo Objectivos Práticas Equipa de Rua – Crescer na Maior Conhecer a população toxicodependente do V.A. e criar respostas alternativas com base na valorização pessoal e social Centro Ocupacional de Arrumadores – Crescer na Maior Valorização pessoal e social das mães adolescentes Aulas de informática – Ajuda de Mãe

34 Programa URBAN II 17 de Janeiro de 2008 Intervenção no Vale de Alcântara Avaliação de Processo 2007


Carregar ppt "Programa URBAN II 17 de Janeiro de 2008 Intervenção no Vale de Alcântara Avaliação de Processo 2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google