A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avaliação da Reunião Mediúnica. 2 Conceitos Considera-se que Avaliar é, essencialmente, emitir um juízo de valor confiável, fundamentado em informações.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avaliação da Reunião Mediúnica. 2 Conceitos Considera-se que Avaliar é, essencialmente, emitir um juízo de valor confiável, fundamentado em informações."— Transcrição da apresentação:

1 Avaliação da Reunião Mediúnica

2 2 Conceitos Considera-se que Avaliar é, essencialmente, emitir um juízo de valor confiável, fundamentado em informações válidas e imparciais.

3 3 Conceitos A avaliação da Reunião Mediúnica deve considerar o conhecimento que os seus participantes têm sobre a Doutrina Espírita, em geral, e, sobre a mediunidade em particular. Todas as pessoas envolvidas na avaliação do grupo mediúnico devem considerar o processo como um instrumento de melhoria.

4 4 Conceitos Avaliação é um componente do processo de ensino/aprendizagem que visa, através da verificação e qualificação dos resultados, determinar a correspondência destes com os objetivos propostos.( Libâneo. 1990).

5 5 Conceitos Para gerir a progressão das aprendizagens, deve-se fazer balanços periódicos do trabalho desenvolvido, essenciais para fundamentar decisões e orientações a serem tomadas mais tarde. (Perrenoud, 2000).

6 6 Conceitos A avaliação é um processo complexo que começa com a formulação de objetivos/finalidades e requer a elaboração de meios para obter evidência de resultados, para saber em que medida foram os objetivos alcançados e formulação de um juízo de valor. (Sarubbi, 1971)

7 7 Função da Avaliação Função de Prognóstico Verifica o nível de conhecimento dos participantes prevendo o seu desempenho futuro. Função de Medida Revela o nível de aquisições e de progresso da atuação do participante do grupo. A função medida não deve ser controladora, mas orientadora, nem como única forma de verificação.

8 8 Função da Avaliação Função Diagnóstico Verifica o que está ocorrendo no dia-a- dia do trabalho mediúnico. É seu objetivo traçar uma linha evolucional de melhoria do trabalho mediúnico tendo com base, pelo menos três pontos: - a contribuição de cada participante - a contribuição do grupo - as condições oferecidas pela instituição

9 9 Relação entre Objetivos/Finalidades do Grupo Mediúnico e a Avaliação A avaliação tem papel muito importante nas definições e redefinições de objetivos e finalidades. Há objetivos, finalidades que permanecem inalterados por exemplo: orientação Kardequiana. Outros no entanto podem ser modificados com o passar do tempo. Um grupo de educação mediúnica pode se transformar em grupo de desobsessão, ou de irradiação, e outros.

10 10 Questões Básicas da Avaliação A avaliação passa, necessariamente, pela formulação de algumas questões básicas, tais como: 1 – Por que avaliar? Avaliamos para estimular uma reflexão crítica sobre o processo de aprendizagem e propor uma correção de rumos, adequando procedimentos e tomando decisões.

11 11 Questões Básicas da Avaliação 2 – O que avaliar? Avaliamos continuamente competências, habilidades, comportamentos e atitudes. 3 – Quem avaliar? Considerando a avaliação como um processo facilitador de mudanças para melhor, devemos avaliar o outro e a nós mesmos, isto é, todas as pessoas envolvidas no processo: o dirigente, os médiuns, os dialogadores ou médiuns esclarecedores, o pessoal da equipe de apoio.

12 12 Questões Básicas da Avaliação 4 – Como avaliar? Avaliamos por meio de instrumentos diversificados, a saber: Para Avaliação Prognóstica, podemos utilizar a observação e as anotações colhidas ao longo do trabalho. Para a Avaliação de Medida, os gráficos, tabelas e percentuais são os mais indicados para qualificar desempenhos e níveis de integração no grupo e na Casa Espírita.

13 13 Questões Básicas da Avaliação Para avaliação diagnóstica temos as observações formais, as dinâmicas grupais, de integração, de reflexão e de sensibilização, as tarefas genéricas (estudo, participação efetiva, pesquisas, etc.) desenvolvida no grupo e na Casa Espírita.

14 14 Indicadores da Avaliação Indicadores de avaliação são referências ou critérios ao planejamento e replanejamento de ações. Eles fornecem uma performance do desempenho do grupo em termos de produtividade, comportamentos, relacionamentos e atitudes. Os indicadores são de dois tipos: quantitativos e qualitativos.

15 15 Indicadores da Avaliação Indicadores quantitativos constituem uma medida numérica, claramente relacionada com a variável que está sendo avaliada.

16 16 Indicadores da Avaliação Indicadores qualitativos - referem-se, em geral, a processos e situações ocorridos no ambiente da aprendizagem, os quais nem sempre são facilmente mensuráveis, mas que, mesmo assim são perceptíveis. Os indicadores qualitativos estão relacionados a objetivos não operacionais(subjetivos), a postura, à relação intra e interpessoal da equipe, à filosofia de trabalho da instituição. Observação: É desejável a combinação desses dois tipos de indicadores no processo de avaliação.

17 17 Outros Tipos de Indicadores Indicadores operacionais (ou de atividades) – estão diretamente ligados ao tempo e à qualidade das atividades desenvolvidas Indicadores de resultados – estão relacionados aos objetivos específicos e metas de programas ou de atividades.

18 18 Outros Tipos de Indicadores Indicadores de impacto – referem- se às transformações ocorridas em função dos objetivos gerais. Expressam mudanças significativas na instituição e grupo. Indicadores de processo – são relacionados à execução de uma atividade, projeto ou programa envolvendo a sequência de ações, metas, e metodologia adotadas.

19 19 Critérios para o Avaliador Autocrítica, Impessoalidade, Não prejulgar, Conhecer os padrões estabelecidos pela Casa, Isenção afetiva.

20 20 Padrões a Considerar Organização e Funcionamento das Reuniões Mediúnicas Espíritas, Orientações aos Centros Espíritas, O Livro dos Médiuns, Regimento Interno da Instituição.

21 21 Tipos de Avaliação Individual: - Auto observação, - Avaliação do dirigente; - Avaliação entre si. Coletiva: - Avaliação do conjunto a partir de cada membro - Avaliação do dirigente

22 22 PENSE COM AMOR E AME COM SABEDORIA UM ESPÍRITO AMIGO PROJETO AMAI-VOS E INSTRUI-VOS amaivos.blogspot.com

23 23 1 – Estudo – Preparação para a Reunião – Assiduidade – Pontualidade – Participação nas atividades da Casa – Relacionamento com trabalhadores da RM – Tem sido esclarecido dúvidas sobre a RM – Avaliação geral do seu desempenho FICHA DE AVALIAÇÃO A - AUTO AVALIAÇÃO:

24 24 1 – Segurança no trato com médiuns – Segurança com trato com os Espíritos – Relacionamento com o Grupo – Condução da Reunião FICHA DE AVALIAÇÃO B – AVALIAÇÃO DOS DIRIGENTES/ESCLARECEDORES: C – AVALIAÇÃO DOS DIRIGENTES/ESCLARECEDORES: 1 – Segurança no trato com médiuns – Segurança com trato com os Espíritos – Relacionamento com o Grupo – Condução da Reunião

25 25 1 – Segurança no trato com médiuns – Segurança com trato com os Espíritos – Relacionamento com o Grupo – Condução da Reunião FICHA DE AVALIAÇÃO D – AVALIAÇÃO DOS DIRIGENTES/ESCLARECEDORES: E – ESPÍRITO DE EQUIPE (comentários pessoais): _________________________________________________ _________________________________________________ _________________________________________________ _________________________________________________ _________________________________________________


Carregar ppt "Avaliação da Reunião Mediúnica. 2 Conceitos Considera-se que Avaliar é, essencialmente, emitir um juízo de valor confiável, fundamentado em informações."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google