A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ABNT/DRE 13/7/2004 PUC / SP www.abnt.org.br. A PARTICIPAÇÃO DO CONSUMIDOR NA NORMALIZAÇÂO Brasília – DF, 05/12/06.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ABNT/DRE 13/7/2004 PUC / SP www.abnt.org.br. A PARTICIPAÇÃO DO CONSUMIDOR NA NORMALIZAÇÂO Brasília – DF, 05/12/06."— Transcrição da apresentação:

1 ABNT/DRE 13/7/2004 PUC / SP

2 A PARTICIPAÇÃO DO CONSUMIDOR NA NORMALIZAÇÂO Brasília – DF, 05/12/06

3 ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas ABNT Entidade privada, sem fins lucrativos, de utilidade pública, fundada em 1940 Único Foro Nacional de Normalização Membro fundador da ISO, da COPANT e da AMN Único representante do Brasil junto aos foros regionais e internacionais de normalização voluntária

4 Dotar a sociedade brasileira de um conjunto de normas atualizadas, sendo responsável pelo processo de elaboração de Normas Brasileiras. Promover a adoção e a difusão das normas. Representar o Brasil junto às entidades internacionais e regionais de normalização voluntária. Promover intercâmbio com organizações similares. Certificadora de produtos e sistemas, atuando no âmbito do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade - SBAC Objetivos da ABNT

5 COMITÊS TÉCNICOS - 54 COMITÊS BRASILEIROS - 4 ORGANISMOS DE NORMALIZAÇÃO SETORIAL - CEET

6 COMITÊS TÉCNICOS (CB e ONS) CB Mineração e Metalurgia CB Construção Civil CB Eletricidade CB Máquinas e Equipamentos Mecânicos CB Automotivo CB Metrô - Ferroviário CB Navios, Embarcações e Tecnologia Marítima CB Aeronáutica e Espaço CB Gases Combustíveis CB Química CB Courose Calçados CB Agricultura e Pecuária CB Bebidas CB- 14- Informação e Documentação CB Mobiliário CB Transportes e Tráfego CB Têxteis CB Cimento, Concreto e Agregados CB Refratários CB Energia Nuclear CB Computadores e Processamento de Dados CB Isolação Térmica e Impermeabilização CB Embalagem e Acondicionamento CB Segurança contra Incêndio CB Qualidade CB- 26- Odonto-Médico-Hospitalar

7 COMITÊS TÉCNICOS (CB e ONS) ONS - 27 – Tecnologia Gráfica CB Siderurgia CB- 29 – Celulose e Papel CB- 30 – Tecnologia Alimentar CB Madeiras CB- 32 – Equipamentos de Proteção Individual CB- 33 – Joalheria, Gemas, Metais Preciosos Preciosos e Bijuterias ONS-34 - Petróleo CB Alumínio CB- 36 – Análises Clínicas e Diagnóstico In Vitro CB Vidros Planos CB- 38 – Gestão Ambiental CB Implementos Rodoviários CB Acessibilidade CB Minérios de Ferro CB Soldagem CB- 43 -Corrosão CB Cobre CB- 45 – Pneus e Aros CB- 46 – Áreas Limpas e Controladas CB- 47 – Amianto de Crisotila CB- 48 – Máquinas rodoviárias CB- 49 – Óptica e Instrumentos Ópticos CB- 50 – Materiais, Equipamentos e Estruturas Offshore para a Indústria do Petróleo e Gás Natural CB- 52 – Café ONS-51 – Embalagem e Acondicionamento Plásticos

8 COMITÊS TÉCNICOS (CB e ONS) CB Normalização em Metrologia CB- 54 – Turismo CB- 55 – Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento CB Carne e do Leite CB Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos ONS 58 - Ensaios Não Destrutivos

9 NORMALIZAÇÃO É O PROCESSO DE ESTABELECER E APLICAR REGRAS AFIM DE ABORDAR ORDENADAMENTE UMA ATIVIDADE ESPECÍFICA, PARA O BENEFÍCIO E COM A PARTICIPAÇÃO DE TODOS OS INTERESSADOS, E, EM PARTICULAR, DE PROMOVER A OTIMIZAÇÃO DA ECONOMIA, LEVANDO EM CONSIDERAÇÃO AS CONDIÇÕES FUNCIONAIS E EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA.

10 NÍVEIS DE NORMALIZAÇÃO

11 COMUNICAÇÃO SIMPLIFICAÇÃO PROTEÇÃO AO CONSUMIDOR SEGURANÇA ECONOMIA ELIMINAÇÃO DE BARREIRAS COMERCIAIS OBJETIVOS DA NORMALIZAÇÃO

12 BENEFÍCIOS Informação ao consumidor Facilitar o treinamento da mão-de-obra, melhorando seu nível técnico. Reduzir o consumo de materiais. Padronizar equipamentos. Fornecer procedimentos para cálculos e projetos. Aumentar a produtividade. Melhorar a qualidade e controlar processos.

13 Impactos sobre a Economia em Geral ECONOMIA CRESCIMENTO DA PRODUTIVIDADE NACIONAL COMPETITIVIDADE NO MERCADO NACIONAL MELHOR QUALIDADE, QUANTIDADE E REGULARIDADE DE PRODUÇÃO EQUILÍBRIO ENTRE A OFERTA E A PROCURA REDUÇÃO DE LITÍGIOS

14 Impactos sobre a Produção PRODUÇÃO DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA REDUÇÃO DE PREÇOS ELIMINAÇÃO DE DESPERDÍCIOS PRODUTIVIDADE DIFERENCIAÇÃO DA CONCORRÊNCIA DESLEAL

15 Processo de elaboração de Normas Brasileiras - Fluxo NÃO PROGRAMA DE NORMALIZAÇÃO CONSULTA NACIONAL DEMANDA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE NORMA ANÁLISE DE VOTOS OK NORMA SIM

16 COPOLCO COMITÊ DE POLÍTICA DO CONSUMIDOR Representação adequada dos consumidores Foro para a troca de informações Assessorar o Conselho da ISO Propor itens de interesse para a normalização

17 Reuniões Anuais a) O COPOLCO se reúne uma vez por ano para avaliar o trabalho em curso e como está atingindo seus objetivos. b) A representação dos interesses do consumidor nas reuniões do COPOLCO é realizada através de delegações dos Organismos Nacionais de Normalização membros da ISO e pela ligação com a entidade Consumers International (CI). c) Submete um relatório anual ao Conselho de ISO, incluindo seu programa de trabalho, para endosso. Através do Conselho, o COPOLCO manifesta as necessidades e desejos dos consumidores aos membros ou órgãos técnicos da ISO (conforme apropriado), na forma de resoluções, declarações, guias, etc

18 Prioridades do COPOLCO 1.Segurança de produtos Eletros-domésticos Prevenção de afogamentos 2.Serviços Turismo Serviços financeiros Água e esgoto 3.Questões ambientais Rotulagem ambiental Mudança climática Conservação de energia

19 Prioridades do COPOLCO 4.Mercado Global Satisfação do cliente Responsabilidade social Bilhetagem de serviços de rede E-commerce e privacidade Idosos e pessoas com incapacidade Segurança contra incêndios Segurança de alimentos Bens de segunda mão Dispositivos contraceptivos Carregadores de baterias/baterias recarregáveis


Carregar ppt "ABNT/DRE 13/7/2004 PUC / SP www.abnt.org.br. A PARTICIPAÇÃO DO CONSUMIDOR NA NORMALIZAÇÂO Brasília – DF, 05/12/06."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google