A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Conceitos, correlações e níveis de prevenção Evolução da Saúde Pública Sistema Único Saúde (SUS) Estatística Vital - métodos de avaliação epidemiológica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Conceitos, correlações e níveis de prevenção Evolução da Saúde Pública Sistema Único Saúde (SUS) Estatística Vital - métodos de avaliação epidemiológica."— Transcrição da apresentação:

1

2 Conceitos, correlações e níveis de prevenção Evolução da Saúde Pública Sistema Único Saúde (SUS) Estatística Vital - métodos de avaliação epidemiológica das doenças transmissíveis e não- transmissíveis Introdução ao planejamento em Saúde

3 Capacidade para reflexão crítica sobre os marcos conceituais técnicos e legais utilizados em Saúde Pública Utilização de métodos Epidemiológicos para o desenvolvimento de pesquisas em saúde

4

5 Evolução do conceito saúde-doença Conceito, objetivos, correlações e campos de atuação da Epidemiologia Níveis de Assistência em Saúde

6 Níveis de Prevenção em Saúde Primário Secundário Terciário Aspectos Históricos da Saúde Pública no Brasil Sistema Único de Saúde (SUS)

7 Eventos Vitais: principais fontes de dados Indicadores de Saúde Construção de Medidas de Natalidade, Morbidade e Mortalidade

8 Sistema de Informação em Saúde Pública: *SINASC *SINAN * SIM * SIAB

9 Epidemiologia Analítica – sensibilidade,especificidade, valores preditivos positivos e negativos Estudos Epidemiológicos- coorte, caso controle, transversal Epidemiologia das Doenças Transmissíveis e Não-transmissíveis

10 Vigilância Epidemiológica e Vigilância Sanitária Imunizações Saneamento e Saúde Pública

11 Saúde Materno Infantil Saúde do Adolescente Saúde do Trabalho – Acidente e Lesões Saúde do Idoso Saúde e Nutrição

12 Aulas Expositivas Seminários Dinâmica de grupo com exposição e discussão Leitura de Artigos Científicos com relexão e discussão

13 Provas escritas contextualizadas Avaliação da apresentação de Seminários Avaliação escrita esporádica após dinâmica de grupo

14 ALMEIDA FILHO, N. de; ROUQUAYRL, M. Z. Introdução à Epidemiologia. 4 ed. Rio de Janeiro: MEDSI, ROUQUAYRL, M. Z. Epidemiologia e Saúde. 6 ed. Rio de Janeiro: MEDSI, ROUQUAYRL, M. Z.; NAOMAR, A. F.Introdução à Epidemiologia. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara koogan, MEDRONHO, R. A. (Et al) Epidemiologia. São Paulo: Atheneu, 2005.

15 BRASIL. Saúde no Brasil: contribuições para a agenda de prioridades de pesquisa. 2. ed. Brasília DF: Ministério da Saúde, BRASIL. Guia de Vigilância Epidemiológica. 6. ed. Brasília DF: Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Brasil). Vigilância em Saúde. Brasília, DF. FORTES, P. A. De C.; ZOBOLI, E. L.C. Bioética e saúde pública. São Paulo: Edições LOYOLA, 2003.

16 CONCEITOS: Saúde é um completo estado de bem estar físico, mental e social e não meramente ausência de doença (OMS. 1948)

17 CONCEITOS: Saúde é o estado do indivíduo cujas funções orgânicas, físicas e mentais se acham em situação normal (AURÉLIO)

18 Ocidente X Oriente Rural X Urbano Idade Média X Século XX Multidimensional : individual-social-econômico-cultural

19 Mark Laionde, ministro da Saúde e do Bem-Estar do Canadá, em 1974, cita pela primeira vez o termo promoção de saúde, ressaltando que as principais causas de doença e de morte não são as características biológicas, mas o ambiente e o comportamento dos indivíduos, o seu estilo de vida.

20 Promoção de Saúde uma combinação de apoios educacionais e ambientais que visam atingir ações e condições de vida conducentes à Saúde.

21 A Promoção de Saúde busca fazer com que as escolhas mais saudáveis tornem-se mais fáceis, utilizando o instrumento de transformação social que é a educação, não só a educação formal, mas toda a ação educativa que propícia a reformulação de hábitos e a aceitação de novos valores.

22 PROTEÇÃO À SAÚDE PREVENÇÃO EDUCAÇÃO EM SAÚDE

23 Evolução dos conceitos de Saúde- Doença A evolução dos conceitos do processo saúde-doença tem acompanhado o desenvolvimento histórico da humanidade. Cada sociedade, cultura e época tem uma forma de conceber o processo.

24 QUEM ADOECEU? Analisa a distribuição da doença segundo sexo, idade, ocupação, hábitos alimentares, culturais. Ex: sarampo mais comum na infância. ONDE A DOENÇA OCORREU? Analisa a ocorreência de algum padrão espacial da doença. Ex: diarréia mais comum em áreas com saneamento precário. QUANDO A DOENÇA OCORREU? Analisa o período e a velocidade de ocorrência da doença. Ex: a dengue é mais comum no verão.

25 O conceito de espaço deve incorporar características : geográficas naturais sociais

26 a vida que os preenche e anima, ou seja, a sociedade em movimento (SANTOS, 1998)

27 Johw Snow (Londres,1854) - associação espacial entre mortes por cólera e suprimento de abastecimento de água identificando a origem da epidemia. Palm – análise da variação geográfica na prevalência do raquitismo demonstrou que a falta de luz solar era a maior causa de raquitismo Lancaster analisou distribuição espacial da mortalidade por melanoma concluindo que sua maior causa era o excesso de luz solar

28 O estudo da distribuição das doença no tempo pode fornecer inúmeras informações para a compreensão, previsão, busca etiológica, prevenção de doenças e avaliação do impacto de intervenções em saúde.

29 Rubéola Primavera Campanhas de Vacina Poliomielite

30 . A vida está cheia de desafios que, se aproveitados de forma criativa, transformam-se em oportunidades. ( Maxwell Maltz)


Carregar ppt "Conceitos, correlações e níveis de prevenção Evolução da Saúde Pública Sistema Único Saúde (SUS) Estatística Vital - métodos de avaliação epidemiológica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google