A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CAPITALISMO - Sistema Econômico Começa no Fim da Idade Média (Feudalismo) Atendendo as necessidades Século XV – grandes navegações 1º DIT (relações econômicas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CAPITALISMO - Sistema Econômico Começa no Fim da Idade Média (Feudalismo) Atendendo as necessidades Século XV – grandes navegações 1º DIT (relações econômicas."— Transcrição da apresentação:

1 CAPITALISMO - Sistema Econômico Começa no Fim da Idade Média (Feudalismo) Atendendo as necessidades Século XV – grandes navegações 1º DIT (relações econômicas e expressa especialização de um país no mercado internacional) Século XVI – (dominante) dinâmico (Renascimento urbano e comercial – surgimento de uma nova classe (burguesia))

2 Como funciona principal objetivo > lucro propriedade privada dos meios de produção dinheiro e seus similares (cartões de crédito, cartões de débito, talões de cheques) > principal meio de troca lei da oferta e da procura – economia de mercado relações trabalhistas > trabalho assalariado O trabalhador vende sua força de trabalho aos donos dos meios de produção, recebendo em troca salário A força de trabalho é, portanto, uma mercadoria. sociedade é baseada na divisão de classes.

3 CAPITALISMO COMERCIAL (Mercantilismo) XVI ao XIX Social – genocídio e escravidão Metais preciosos – acúmulo de capital Acumulação primitiva do capitalismo – Karl Marx comércio Expansão marítima européia - pacto colonial (DIT) Partilha das Américas (colonialismo) Intervenção Estatal na economia – poder do Estado

4 Características de Política Mercantilista 1 - Balança comercial favorável: todo país deveria exportar mais do que importar. 2 - Protecionismo: conjunto de medidas que visavam proteger a produção nacional da produção de outros países. 3 - Metalismo: a riqueza e a importância de um país eram medidas pela quantidade de metal (moedas) acumulado. 4 - Monopólio: a metrópole tinha exclusividade no comércio com a colônia.

5 CAPITALISMO INDUSTRIAL (XVIII ao XX) Liberalismo / Imperialismo (Transformação da natureza pela ação humana, mais produção = mais lucro) objetivo = lucro, não mais comércio - essência do lucro = exploração capitalista - MAIS VALIA

6 1ª Revolução Industrial Carvão Têxtil Naval Siderurgia

7 Principais Regiões Reino Unido França E.U.A. Japão Canadá Rússia

8 2ª Revolução Industrial (E.U.A. – Alemanha) 1885 – Congresso de Berlim (partilha da África) busca por novos fornecedores de matéria prima e novos consumidores para os seus produtos industrializados = IMPERIALISMO DIT: quase igual: só as metrópoles industrializaram 1914 – 1ª Guerra Mundial / Revolução Russa Lucro = produção industrial Trabalho = mercadoria = força de trabalho Trabalho assalariado = relação típica produz e consome = fim da escravidão.

9 Aço Petróleo Elétrica Química Motores e tecnologias (ciência apropriada ao capitalismo – ciência vendida)

10 Liberalismo (doutrina econômica) Economistas liberais - favoráveis a liberdade total de mercado A Riqueza das Nações – Adam Smith ( ) e David Ricardo – MÃO INVISÍVEL Sem intervenção do Estado = só zelar pela propriedade e ordem LEI DA OFERTA E PROCURA concorrência de preços promoveria o equilíbrio.

11 – CAPITALISMO FINANCIERO / MONOPOLISTA Concentração e centralização de capitais - Concorrência > fusões, incorporações = fim do Século XIX, monopolização ou oligopolização* dos setores de economia Conseqüência: o capitalismo entra numa fase financeira e monopolista

12 OLIGOPÓLIO* *forma aprimorada de monopólio. Quando um grupo de empresas domina o mercado de determinado produto ou serviço (cartel, Truste, Conglomerado, Holding)

13 1875 – 1914 (período de expansão imperialista), porém se consolida após a 1ª Guerra Mundial - empresas poderosas e influentes, internacionalizando o capital E.U.A. encabeçou o processo Expansão de capitais das empresas = venda de ações em bolsa de valores formação de gigantescas corporações (mercado de capital) Empresa de capital aberto (S.A.)

14 Capital Industrial, Capital Bancário Capital Financeiro Bancos = financiadora de produção.

15 Livre concorrência e livre mercado são substituídos pelo mercado oligopolizado, restringindo o liberalismo ao plano da ideologia e permitindo o Estado a intervir na economia crise de 1929 – fim do LIBERALISMO CLÁSSCO Estado – agente planejador ou coordenador, produtor ou empresário

16 CRISE DE 1929 excesso de produção industrial e agrícola, (menos dinheiro = menos consumo), recuperação da indústria européia (diminuiu a importação dos E.U.A.), especulações nas bolsas de valores

17 Estratégia – Nova Medida Estado – resistiu para intervir acentuou a crise - aumentou o desemprego Franklin Roosevelt -PLANO = NEW DEAL (Novo Acordo) – Plano de Obras Públicas ( KEYNESIANISMO) Os investimentos nos setores públicos possibilitariam que os gastos da população fossem revertidos novamente às indústrias (comprando bens de consumo) ao invés de gastarem com condições básicas de vida (que agora são arcadas, até certo ponto, pelo Estado). Assim, o Estado favoreceu as empresas oligopolizadas.

18 Portanto Política Intervencionista + Economia Oligopolizada Keynesianismo (grande capital)

19 CARTEL empresas independentes, com produtos semelhantes = acordo para dominar o mercado. Exemplo: postos de gasolina

20 TRUSTE concentração e centralização de capitais Fusões e incorporações de empresas de um mesmo setor de atividade, formando alguns grandes grupos (perda de autonomia) Controlam todas as etapas de produção = retirada da matéria-prima, transformação em produtos, distribuição da mercadoria (verticais), ou com mesmo ramo de produtos (horizontais). Exemplo: SADIA

21 CONGLOMERADOS Processo mais amplo de concentração e centralização de capitais, ampliação e diversificação dos negócios. Dominar a oferta de determinados produtos ou serviços no mercado. Controlados por um Holding Exemplo: Grupo Silvio Santos

22 HOLDING uma empresa, criada para controlar outras, possuí a maioria das ações As grandes corporações usam essa forma de administração Ex. Mitsubishi, Unilever, Atet.

23 NOVO CENÁRIO MUNDIAL Deslocamento do centro do Poder (Europa) Ponto de vista Econômico: Pós Guerra – Mundialização da economia capitalista, sob o comando de grandes conglomerados (trans e multinacionais) Globalização da Economia

24

25 TREININHO BÁAASICO

26 1 Balança fecha com déficit de US$ 315 milhões O governo está comemorando o déficit de US$ 315 milhões na balança comercial do mês passado, bem abaixo do saldo negativo de US$ 811 milhões registrado em julho. (O GLOBO, 02/09/97)

27 1 A notícia acima identifica uma preocupação do governo em obter um saldo positivo nas correntes de comércio. Essa preocupação, no entanto, não é nova. Na Idade Moderna - séculos XV ao XVIII, a formulação da idéia de uma balança favorável era decorrente das práticas econômicas ligadas ao:

28 1 a) mercantilismo b) fisiocratismo c) cameralismo d) metalismo

29 2 O socialismo científico tem as seguintes características, exceto: a) desenvolvimento por Marx e Engels b) a crise do capitalismo daria origem ao socialismo c) luta de classe entre burguesia e proletariado d) ditadura do proletariado e) teoria da mais-valia com ênfase na defesa da propriedade privada

30 3 Adam Smith, em "A Riqueza das Nações", assentou as bases do liberalismo econômico, cujos princípios são: a) igualitarismo, criação dos falanstérios, fazendas coletivas agro-industriais e liberdade de comércio. b) colônias auto geridas, erradicação do Estado, mais- valia e autogestão industrial. c) capitalismo comercial, absolutismo, metalismo e intervenção do Estado na economia. d) respeito às leis naturais da economia, liberdade de contrato de trabalho e liberdade de comércio e produção. e) socialização dos meios de produção, livre concorrência, fim das desigualdades sociais e nacionalização das fábricas.

31 4 O texto a seguir se refere ao liberalismo econômico. A Escola de Manchester, conhecida também como Escola Clássica, desenvolveu o pensamento econômico dominante na época do capitalismo industrial e liberal. Coube a Adam Smith formular em "A Riqueza das Nações", que foi publicado em 1776, as idéias iniciais do Liberalismo Econômico, igualmente defendido por Davi Ricardo em "Princípios da Economia Política e do Imposto", Thomas Robert Malthus em "Ensaio Sobre o Princípio da População" e Jean Baptiste Say em "Tratado de Economia Política". AQUINO, S. L. de A.; et alii. "História das sociedades modernas às atuais". Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1995, p

32 4 A obra Riqueza das Nações (1776), fundamental na evolução do pensamento econômico, defendia, entre outras, a idéia de que: a) a grandeza de um Estado exige a planificação e o dirigismo econômico. b) o trabalho é a fonte de riqueza, baseando-se no valor da lei da oferta e da procura. c) a riqueza deve basear-se, fundamentalmente, na exploração dos recursos da natureza. d) a "mais-valia" resultado da exploração do trabalhador deve ser suprimida. e) a socialização dos meios de produção e distribuição aumentam a eficiência da economia.

33 5 No fim da década de oitenta e início dos anos noventa a bipolaridade mundial declinou; da polaridade ideológica e militar leste/oeste passou-se para a econômica norte/sul. Isto significa dizer que atualmente há uma oposição entre:

34 5 a)O oeste pobre e agrário e o sul rico e muito industrializado b)O norte rico e industrializado e o sul pobre e em processo de industrialização c)O oeste rico e industrializado e o leste pobre e agrário d)O leste pobre e agrário e o norte rico e industrializado e)O sul rico e industrializado e o norte pobre e agrário

35 6 O colonialismo, alimentado pela Revolução Comercial, entrou em extinção no início do século XIX, devido a fatores como a decadência do mercantilismo e o interesse pelo desenvolvimento interno, que acompanharam as primeiras fases da Revolução Industrial. No entanto, após a Segunda Revolução Industrial, ressurge um novo imperialismo, que se alastrará principalmente para a África e a Ásia.

36 6 Na base desse novo imperialismo encontramos: a) o alastramento da industrialização para outros países além da Inglaterra, o que gerou excedentes de produtos manufaturados e de capitais, competição por novos mercados, além de campos de investimentos e novas fontes de matérias-primas b) a busca do poder e riqueza do Estado através da acumulação de ouro nos cofres públicos, para que o governo pudesse manter exércitos e equipar armadas e, ao mesmo tempo, garantir o suprimento de produtos tropicais.

37 6 c) a necessidade de encontrar novos mercados para que se pudessem gerar excedentes de produtos manufaturados nos países industrializados que, ao exportá-los, acumulariam ouro internamente, sinônimo de poder e riqueza. d) o livre-câmbio internacional, base para a maior eficiência produtiva e distribuição ótima de recursos, condição indispensável para a venda dos excedentes de produção da metrópole e compra das matérias-primas das colônias. e) o aproveitamento da mão-de-obra barata e dos recursos naturais abundantes das colônias para a produção de mercadorias manufaturadas a custos mais baixos do que os conseguidos na metrópole

38 7 (UFPE) Sobre a formação dos sistemas coloniais podemos afirmar que: a) O comércio de produtos orientais era largamente difundido na Europa, o que barateava os artigos importados. b) A nobreza detinha todo o comércio das especiarias através de monopólios comerciais. c) A colonização dos séculos XVI E XVII estava ligada a expansão comercial e marítima, a política mercantil e ao fortalecimento das monarquias absolutistas. d) Os sistemas coloniais português, espanhol e inglês nas Américas tiveram o mesmo objetivo inicial: o da ocupação com povoamento interno. e) Inconformados com a falta de colônia, a França e a Holanda iniciaram sua expansão colonial juntas, invadindo e conquistando terras na America, África e Ásia.

39 8 Com o processo de monopolização da economia --- o capitalismo monopolista --- nos séculos XVI e XX, surgiram grandes grupos em maior controle do mercado, criaram os trustes. Este correspondem a:

40 8 a)Acordos comerciais entre empresas, as internas, as quais, embora conservam sua autonomia interna, se associam para distribuir entre si cotas de produção e os mercados compradores e determinar os preços de seus produtos. b) Associação de empresa sob o controle de uma empresa central, possuidora de maior parte das ações das associadas. c) Um recurso adotado pelos cartéis para retirar do mercado os concorrentes que não fazem parte do acordo estabelecido entre empresas cartelizadas. d) Fusão de varias empresa, com o propósito de controlar desde as fontes de matérias primas, e todas as fases de produção, ate a distribuição do produto industrial no mercado. e) Empresas multinacionais que, num movimento continuo, estenderam sua atividades em direção aos mercados e fontes de matérias primas.

41 9 A crise atingiu o mundo inteiro. O operário metalúrgico de Pittsburg, o plantador do café brasileiro, o artesão de Paris e o banqueiro de Londres, todos foram atingidos. O autor se refere à crise mundial de 1929, iniciada nos Estados Unidos, da qual resultou:

42 9 a) o abalo do liberalismo econômico e a tendência para a prática da intervenção do Estado da economia. b) O aumento do numero das sociedades acionárias e da especulação financeira. c) A expansão do sistema de crédito e do financiamento ao consumidor. d) A imediata valorização dos preços da produção industrial e o fim da acumulação de estoques. e) O crescimento acelerado das atividades de empresas industriais e comerciais e o pleno emprego.

43 10 (FUVEST-SP) Sobre a crise do capitalismo, na década de 1930, e o colapso do socialismo, na década de 1980, pode-se afirmar que:

44 10 a)a primeira reforçou a concepção de que não se podia deixar uma economia ao sabor de mercado, e o segundo, a de que uma economia não funciona sem mercado. b) ambos levaram à descrença sobre a capacidade de o Estado resolver os problemas colocados pelo desemprego em massa. c) Assim como a primeira, também o segundo está provocando uma polarização ideológica que ameaça o Estado de Bem-estar Social. d) Ambos, provocando desemprego e frustração, fizeram aparecer agitações fascistas e terroristas contanto com amplo respaldo popular. e) Enquanto a primeira reforçou a convicção dos defensores do capitalismo, o segundo fez desaparecer a convicção dos defensores do capitalismo.

45 11 O colonialismo, alimentado pela Revolução Comercial, entrou em extinção no início do Século XIX, devido a fatores como a decadência do mercantilismo e o interesse pelo desenvolvimento interno, que acompanharam as primeiras fases da Revolução Industrial. No entanto após a Segunda Revolução Industrial, ressurge um novo imperialismo, que se alastrará principalmente para a África e a Ásia. Na base desse novo imperialismo encontramos:

46 11 a) o alastramento da industrialização para outros países além da Inglaterra, o que gerou excedentes de produtos manufaturados e de capitais, a competição por novos mercados, além de campos de investimentos e novas fontes de matérias-primas. b) a busca do poder e riqueza do Estado através, da acumulação de ouro nos cofres públicos, para que o governo pudesse manter exércitos e equipar armadas e, ao mesmo tempo, garantir o suprimento de produtos tropicais. c) a necessidade de encontrar novos mercados para que se pudessem gerar excedentes de produtos manufaturados nos países industrializados que, ao exportá-los, acumulariam ouro internamente, sinônimo de poder e riqueza. d) o livre-câmbio internacional, base para a maior eficiência produtiva e distribuição ótima de recursos, condição indispensável para a venda dos excedentes de produção da metrópole e compra das matérias-primas das colônias. e) o aproveitamento da mão-de-obra barata e dos recursos naturais abundantes das colônias para a produção de mercadorias manufaturadas a custos mais baixos do que os conseguidos na metrópole.

47 12 (PUC-PR) Associe as colunas: Cartel Truste Monopólio oligopólio Holding

48 12 ( ) domínio do mercado por única empresa. ( ) domínio do mercado por poucas empresas ( ) Fusão de varias de varias empresas para dominar o mercado ( ) Organização que controla majoritária das ações ( ) Acordo ou associação ou associações de varias empresas independente para controlar o mercado

49 13 A bipolarização das nações do globo, após a Segunda Grande Guerra, sob o ponto de vista político e principalmente militar, deu origem ao fenômeno denominado:

50 13 a)Guerra Fria b)Mercado Comum Europeu e Conselho de Assistência Econômica Mútua c)Guerra de Posição d)Nova Política Econômica (NEP) e)Detente

51 14 A ordem geopolítica bipolar, que se desagregou quase que totalmente nos últimos anos, cede lugar a uma nova ordem: a)neonazista b)sem pólos ou centros de decisão c)multipolar d)monopolar

52 15 Cortando fronteiras com capital e tecnologia, as multinacionais otimizam mercados, recursos naturais e políticos em escala mundial. Uma nova forma de acumular lucros, uma nova divisão internacional do trabalho. KUCINSKI, Bernardo. O que são multinacionais A nova divisão internacional do trabalho apresentada no texto tem como causa a seguinte atuação das multinacionais:

53 15 a)importação de matérias-primas do 3° mundo b)aplicação de capitais em atividades agropastoris nos países periféricos. c)participação em mais de um ramo de atividade d)exploração de novas fontes de energia e)implantação de filiais em países de mão-de- obra barata

54 16 Diferentemente da forma keynesiana e socialdemocrata que, desde o pós-Segunda Guerra, havia definido o Estado como agente econômico para regulação do mercado e para investimento nas políticas de direitos sociais, agora, o capitalismo dispensa e rejeita a presença estatal não só no mercado, mas também nas políticas sociais, de sorte que a privatização também tornou-se estrutural. CHAUÍ, Marilena, abr

55 16 À concepção que, na atualidade, critica o keynesianismo e o Estado de bem-estar dá-se o nome de: a) liberalismo clássico. b) neoliberalismo. c) socialdemocracia. d) liberal-socialismo. e) conservadorismo clássico.

56 17 Toda riqueza é criada pelo trabalho. O capital nada cria, mas ele próprio é criado pelo trabalho. O valor de todas as utilidades é determinado pela quantidade de trabalho necessária para produzi-las. BURNS, Edward McNalls. História da Civilização Ocidental. Globo, V. II.

57 17 Conforme a ideologia marxista ou doutrina comunista, o texto exprime uma das suas premissas fundamentais: a) à interpretação econômica da história. b) ao materialismo dialético. c) à doutrina da mais-valia. d) à luta de classes. e) à teoria da evolução socialista.

58 18 A respeito da moderna divisão internacional do trabalho, é incorreto afirmar: a) Alguns países subdesenvolvidos, além de exportadores tradicionais de matérias- primas para os países desenvolvidos, exportam também produtos manufaturados, tais como calçados, tecidos e até automóveis. b) Empresas multinacionais instaladas nos países subdesenvolvidos remetem boa parte dos seus lucros aos países desenvolvidos.

59 18 c) Bens manufaturados exportados pelos países subdesenvolvidos, via de regra, têm preços mais baixos e menor valorização no mercado internacional. d) A transferência de tecnologias e a proibição de remessas de lucro para o exterior tornaram-se importantes mecanismos utilizados pelas empresas multinacionais instaladas na América Latina para desenvolver nosso parque industrial após a década de 1950 e) Empresas multinacionais têm-se utilizado da vasta mão-de-obra barata, das matérias-primas a baixo custo, dos incentivos fiscais e da frequente inexistência de legislação ambiental nos países subdesenvolvidos.


Carregar ppt "CAPITALISMO - Sistema Econômico Começa no Fim da Idade Média (Feudalismo) Atendendo as necessidades Século XV – grandes navegações 1º DIT (relações econômicas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google