A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Citologia Bioquímica Celular – A Química da Vida!!

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Citologia Bioquímica Celular – A Química da Vida!!"— Transcrição da apresentação:

1 Citologia Bioquímica Celular – A Química da Vida!!

2 Lipídios Substâncias orgânicas que a principal característica é a insolubilidade em água e a solubilidade em alguns solventes orgânicos são moléculas apolares; Tipos: Glicerídios; Ceras; Esteróides; Fosfolipídios; Carotenóides; Citologia – Bioquímica Celular

3 Glicerídios São constituídos por: (1) molécula de Glicerol + (1, 2 ou 3) molécula(s) de Ácido Graxo; São os óleos e as gorduras são da categoria dos ésteres; a reação do glicerol com ácidos graxos é de condensação e como o glicerol é um triálcool três moléculas de ácidos nucleicos a ele se ligam, formando um triglicerídio. quando o polímero (compostos químicos de elevada massa molecular) é formado a partir de dois ou mais monômeros (pequenas moléculas químicas) diferentes, com eliminação de um produto inorgânico. A reação de condensação mais comum é a de desidratação Citologia – Bioquímica Celular

4 São classificados em: Saturados, onde todas as ligações disponíveis dos átomos de carbono são ocupados por átomos de hidrogênio – Gordura; Insaturados, onde nem todas as ligações disponíveis são ocupadas por hidrogênio, formando ligações duplas entre dois carbonos – Óleo. Processo de hidrogenação: Processo industrial para fabricar margarinas, que são produzidas a partir de óleos vegetais; É adicionado hidrogênio aos ác. graxos insaturados para que, em temperatura ambiente, fiquem sólidos (quanto mais consistente a margarina for, mais hidrogênio foi introduzido); Citologia – Bioquímica Celular

5 O óleos são encontrados em plantas (algodão, amendoim, milho, arroz, soja...) em maior quantidade e em animais (fígado de bacalhau) em menor escala; As gorduras são encontradas nos animais, ocorrendo em células adiposas. Alguns tipos de ác. graxos são essenciais, sendo obtido na dieta: Linoleico, pertencentes à família ômega 6; Linolênico, pertencente à família ômega 3. Dietas ricas em ác. graxos saturados podem provocar aterosclerose; Dietas saudáveis devem conter certas quantidades de gorduras e óleos, por permitirem sínteses diversas. Citologia – Bioquímica Celular

6 Ceras São constituídos por: (1) molécula de Álcool + (1 ou mais) molécula(s) de Ácido(s) Graxo(s); São insolúveis a água; Folhas de plantas e algumas frutas apresentam suas superfícies recobertas de ceras que as tornam impermeáveis, reduzindo a perda de água para o meio por meio da transpiração; Abelhas utilizam cera na construção das colmeias. Citologia – Bioquímica Celular

7 Fosfolipídios São os principais componentes das membranas celulares; É, quimicamente falando: Glicerídio + Ácidos Graxos (2) + grupamento fosfato Ao serem colocadas em contato com a água podem assumir o formato de uma esfera micela Cabeça eletricamente carregada, corresponde ao grupo fosfato e moléculas associadas a ele, e que ficam em contato com a água Haste sem carga elétrica, representada pelos ácidos graxos, situa-se internamente na membrana, afastadas da água Citologia – Bioquímica Celular

8 Carotenoides São pigmentos (alaranjados, avermelhados, amarelados); Insolúveis em água e solúveis em óleos e solventes orgânicos; Desempenham papel na fotossíntese em plantas; No animais, participam na produção de vitamina A (caroteno); Há dois grupos: Carotenos cor alaranjado; Xantofilas cor variante entre amarelo e marrom- avermelhado. Citologia – Bioquímica Celular

9 Esteroides Formam uma categoria especial dos lipídios; Quimicamente são: (4) anéis carbônicos + cadeias carbônicas + ( - OH) n + (O) n Colesterol é o mais conhecido; Naturalmente produzido em nosso fígado; Participa da composição química das membranas celulares das células animais; Precursor dos hormônios sexuais humanos, sais biliares e vitamina D. Via alimento há colesterol em demasia, que pode provocar alguma anormalidade Citologia – Bioquímica Celular

10 São lipoproteínas que transportam o colesterol: LDL Low Density Lipoprotein (conhecido como colesterol ruim); HDL High Density Lipoprotein (conhecido como colesterol bom). O LDL fornece colesterol aos tecidos, mas quando há excesso não consegue transportar e fica acumulando nas paredes dos vasos (arterosclerose); O HDL une-se ao colesterol em excesso transportando-o para o fígado, onde é degradado e excretado na forma de sais biliares A ingestão de óleos vegetais insaturados (azeite) aumentam o nível de HDL no sangue. Citologia – Bioquímica Celular

11 Esteroides anabolizantes: Hormônios derivados de testosterona; Promovem crescimento e divisão celular acentuados São naturalmente encontrados; O uso exacerbado e não assistido causa acne, problemas hepáticos, aumento da pressão arterial, elevação nos níveis de LDL e diminuição nos níveis de HDL, problemas no cilco menstrual e aumento dos pelos nas faces. causam hipertrofia muscular, por exemplo; Citologia – Bioquímica Celular

12 Proteínas Desempenham funções fisiológicas e estruturais Exemplos: Enzimas Anticorpos Queratina Hemoglobina Fibrinogênio Hormônios Substâncias que aceleram reações químicas; Substâncias que defendem o organismo; Atuam no metabolismo de substâncias orgânicas como o açúcar (insulina e glucagon); Constituição da defesa primária humana; Pigmento vermelho do sangue; Coagulação do sangue; Citologia – Bioquímica Celular

13 São macromoléculas formadas pela união de muitos monômeros Aminoácidos Grupamento Carboxila Grupamento Amina Radical que varia de aminoácido para aminoácido Citologia – Bioquímica Celular

14 Há 20 tipos de aminoácidos: Naturais 12 tipos (Glicina, Alanina, Serina, Cisteína, Tirosina, Aspartato, Glutamato, Arginina, Histidina, Asparagina, Glutamina e Prolina); Essenciais 8 tipos (Fenilalanina, Valina, Triptofano, Treonina, Lisina, Leucina, Isoleucina, Metionina). Citologia – Bioquímica Celular

15 Ligação Peptídica ligação que une aminoácidos essas ligações podem ser quebradas por hidrólise; dois aminoácidos unidos formam um dipeptídeo e vários aminoácidos unidos formam um polipeptídeo. Estrutura das Proteínas: Linear estrutura primária; Dobras e Enrolamentos estrutura secundária; Dobras das dobras estrutura terciária; Cadeias polipeptídicas estrutura quaternária. Reação de Desidratação Citologia – Bioquímica Celular

16 Podem ser fibrosas, quando alongadas, ou globulares, quando arredondadas (a maior parte); Modificações na forma podem provocar alterações se a estrutura primaria se modifica, os demais níveis também irão se modificar, deixando de realizar suas funções normais; Mutações Ex.: a substituição de um aminoácido (glutamato) por outro aminoácido (valina) na molécula de hemoglobina, perdendo assim sua função normal; a presença dessa Hb anormal causa uma doença denominada anemia falciforme. Citologia – Bioquímica Celular

17 Outra modificação: Desnaturação aumento da temperatura torna a proteína inativa, podendo ser revertida ou não, desde que o meio retorne às condições ideais para a proteína. Classificação das proteínas: Simples formada apenas por aminoácidos; Conjugada formada por aminoácidos e grupos prostéticos. componente de natureza não-proteica, podendo ser orgânicos (vitamina ou açúcar) ou inorgânicos (um íon metálico) e encontram-se ligados de forma firme à cadeia polipeptídica, muitas vezes através de ligações covalentes. Citologia – Bioquímica Celular

18 Enzimas: Proteínas que participam de processos biológicos, aumentando a velocidade da reação sem se alterar durante o processo Obs: as reações ocorreriam sem problema, mas de forma muito lenta; as enzimas, então, aceleram muito essas reações. Catalisadores Biológicos Citologia – Bioquímica Celular

19 Dois fatores influenciam a ação enzimática: temperatura; pH; contração do substrato. Os aminoácidos não são armazenados As enzimas são extremamente específicas Teoria Chave-Fechadura. se não for ingerido aminoácidos essenciais no almoço não adianta se ingerido aminoácidos essenciais no jantar. A sacarose encaixa-se em sítios ativos na enzima A união provoca alteração branda da enzima, ficando bem unida Aminoáci- dos de sítio ativo quebram a sacarose, juntamente com a água A enzima solta-se dos produtos e recupera a forma inicial Citologia – Bioquímica Celular

20 Geralmente, as enzimas recebem nomes relacionados com o substrato sobre o qual atuam + o sufixo -ase: Ex.: Anticorpos: Proteínas de defesa; Atuam contra antígenos, e toxinas liberadas de vírus, fungos, bactérias e protozoários; Linfonodos, Baço, Timo armazenam e produzem linfócitos Mas, o que é anticorpo e antígeno? Sacarose AS E Células brancas que atuam na proteção orgânica Citologia – Bioquímica Celular

21 Antígeno Anticorpo Há cinco tipos de imunoglobulinas: IgG IgM IgA IgD IgE qualquer substância reconhecida como estranha por um organismo são moléculas de proteínas produzidas por organismos para combater os antígenos e que pertencem à categoria das imunoglobulinas Combate vírus, bactérias e fungos; Combate vírus; Proveniente das secreções orgânicas; Atuam como receptores de membrana dos linfócitos; Atuam nas respostas alérgicas; Citologia – Bioquímica Celular

22 A molécula possui o aspecto da letra Y É formada por quatro cadeias de polipeptídeos, onde cada cadeia possui uma porção constante e uma porção variável A ligação do anticorpo ao antígeno ocorre na porção variável, que se encaixa com o antígeno específico (semelhante ao modelo Chave-Fechadura) O complexo antígeno-anticorpo recém formado será englobado pelas células de defesa; Diferentemente das enzimas, não há reutilização de anticorpos. Citologia – Bioquímica Celular

23 As imunizações: Há dois tipos: Ativa Vacinas ou processos infecciosos a partir de vírus, bactérias; Passiva Injeção de anticorpos específicos (soros) para combater antígenos agressivos I. Soro II. Vacina Citologia – Bioquímica Celular

24 Fim


Carregar ppt "Citologia Bioquímica Celular – A Química da Vida!!"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google