A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Princípios Mecânicos Associados às Próteses Parciais Removíveis Prof

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Princípios Mecânicos Associados às Próteses Parciais Removíveis Prof"— Transcrição da apresentação:

1 Princípios Mecânicos Associados às Próteses Parciais Removíveis Prof
Princípios Mecânicos Associados às Próteses Parciais Removíveis Prof.Flávio Augusto Aquino Carvalho

2 Próteses Parciais Removíveis
Fatores Mecânicos Fatores Biológicos +

3 Princípios Biomecânicos
RETENÇÃO SUPORTE ESTABILIDADE

4 Princípios biomecânicos
Retenção: É a resistência as forças que atuam sobre a prótese no sentido cérvico-oclusal, durante a mastigação de alimentos pegajosos.

5 Princípios biomecânicos
Suporte: É a resistência as forças que atuam sobre uma prótese no sentido ocluso-cervical, durante a mastigação de alimentos duros.

6 Princípios biomecânicos
Estabilidade: É a resistência as forças que atuam sobre uma prótese no sentido horizontal , decorrentes de contatos oclusais em planos inclinados.

7 Princípios biomecânicos Vetor de força Planejamento da PPR Capacidade de cada dente de suportar forças

8 Princípios biomecânicos
Componentes da Prótese Parcial Removível

9 Princípios Mecânicos Associados às Próteses Parciais Removíveis
Partes constituintes da Prótese Parcial Removível : Apoios Oclusais Grampos Barra ou Conector Maior Selas Conectores Menores

10 Apoios Oclusais. São os elementos da prótese parcial removível, que podem estar situados sobre as superfícies oclusal, lingual-palatina ou incisal, tem a finalidade de transferir as forças ao longo eixo dos dentes pilares e impedir o deslocamento ocluso-cervical da prótese em função.

11 Grampos. Podem ser de retenção e de oposição
Grampos. Podem ser de retenção e de oposição. Os grampos de retenção são responsáveis pelo não deslocamento da prótese, no sentido cérvico-oclusal, durante a função mastigatória.

12 Barra ou Conector Maior
Barra ou Conector Maior. É o elemento responsável pela união das partes situadas em um hemi-arco, ao hemi-arco oposto. Selas. Localizam-se nos espaços protéticos e são constituídas por uma grade metálica , a qual é fixada a resina dos dentes artificiais.

13 Conectores Menores. São os elementos de união das partes situadas sobre os dentes remanescentes à barra ou conexão maior.

14 Vias de Transmissão da Força Mastigatória
VIA DENTAL OSSO ALVEOLAR Transmissão Via Dental – esse tipo ocorre nas próteses fixas e removíveis dento suportadas, ou seja aquelas que apresentam dentes pilares na extremidade do espaço protético.

15 Vias de Transmissão da Força Mastigatória
OSSO ALVEOLAR TRANSMISSÃO VIA DENTO-MUCOSA Transmissão Via Dento mucosa – esse tipo ocorre nas próteses removíveis dento muco suportadas, ou seja aquelas que apresentam dentes pilares somente na extremidade mesial do espaço protético.

16 Vias de Transmissão da Força Mastigatória
OSSO ALVEOLAR TRANSMISSÃO VIA MUCOSA Transmissão Via Mucosa – esse tipo ocorre nas próteses totais , ou seja aquelas que apresentam dentes pilares somente na extremidade mesial do espaço protético.

17 Movimento em torno do eixo
rebordo Movimento de Aproximação Ocluso-gengival Trajetória de Inserção da prótese Movimento em torno do eixo Movimento de Afastamento Gengivo-oclusal

18 Distribuição de Forças e Suporte: dentição Artificial e dentição Hígida

19 Distribuição de forças
Arcada Hígida – Dentes Naturais Ótima relação Oclusal Forças Axais Fibras do Ligamento Periodontal Suporte adequado

20 Distribuição de forças – PPR dentosuportadas
Perdas Dentais Intercaladas Relação Oclusal Forças Axiais – Longo eixo dos pilares Movimentos limitados – forças não axiais Fibras do Ligamento Periodontal Suporte adequado

21 Distribuição de forças – PPR dentomucosuportadas
Varáveis de Suporte – Dente e Fibromucosa Forças fora do longo eixo Rotação da prótese durante a mastigação Extremamente danosas aos Pilares Controle Negligência

22 Plano Inclinado 2.Alavanca
Função Oclusal Transmissão de Forças para PPR Princípios Mecânicos Plano Inclinado 2.Alavanca

23 P = Pontência ........ Força Vertical
Plano Inclinado . Dois objetos tocam suas superfícies formando um ângulo agudo com o plano horizontal. A aplicação de uma força faz com que os objetos se movimentem em sentido contrário. P = Pontência Força Vertical

24 Alavanca : Toda as alavancas consistem de : Barra rígida
Fulcro (F) ao redor do qual ela rotaciona Objeto a ser movimentado Força aplicada

25 a. Alavanca de Primeira classe
a. Alavanca de Primeira classe. Nela o fulcro (F) está localizado entre a fonte de potência (P) e a resistência (R). b. Alavanca de Segunda classe . A potência e o fulcro estão localizados em extremidades opostas , e a resistência entre , entre eles. c. Alavanca de Terceira classe. A resistência está em extremidade e o fulcro em outra , sendo a potência aplicada entre eles.

26 Fulcro Força Classe I de Kennedy Alavanca de 1ª Classe

27 Fatores que influenciam a magnitude das tensões transmitidas aos dentes pilares
Comprimento do espaço edêntulo Flexibilidade dos Grampos Planejamento do grampo Materiais utilizados na confecção dos grampos Características da superfície do dente pilar Harmonia Oclusal

28 Comprimento do espaço edêntulo Maior espaço edêntulo Maior a base da prótese Maior a força de alavanca transmitida ao dente pilar # Importância da preservação do pilar posterior na fase de planejamento.

29 Qualidade do rebordo alveolar 1
Qualidade do rebordo alveolar 1.A forma da crista residual tem um papel importante na distribuição das forças geradas pela PPR 2.Cristas largas e bem definidas são capazes de suportar tensões maiores do cristas menores, finas ou em lâminas de faca. 3.A saúde e a espessura do mucoperiósteo também influenciam a transmissão de forças para os dentes pilares. 4.Tecidos moles, flácidos e móveis contribuem pouco, permitem movimentação excessiva da base da prótese.

30 Flexibilidade dos grampos
Flexibilidade do grampo Tensões verticais e laterais ao rebordo alveolar Menor resistência ao Deslocamento lateral

31 Flexibilidade dos grampos
Na prática, o cirurgião dentista deve decidir quem requer maior proteção Pilar Rebordo alveolar Condição Periodontal dos Pilares

32 CONCLUSÕES DA AULA


Carregar ppt "Princípios Mecânicos Associados às Próteses Parciais Removíveis Prof"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google