A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EDUCAÇÃO INTEGRAL. ASPECTOS LEGAIS Atualmente se observa no cenário nacional a emergência de políticas públicas destinadas à melhoria da qualidade na.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EDUCAÇÃO INTEGRAL. ASPECTOS LEGAIS Atualmente se observa no cenário nacional a emergência de políticas públicas destinadas à melhoria da qualidade na."— Transcrição da apresentação:

1 EDUCAÇÃO INTEGRAL

2 ASPECTOS LEGAIS Atualmente se observa no cenário nacional a emergência de políticas públicas destinadas à melhoria da qualidade na educação básica. Para alcançar este fim, o poder público e a sociedade civil vêm conjugando esforços na tentativa de elevar os indicadores educacionais. Dentre as iniciativas, destacamos a ampliação da jornada escolar nas redes públicas de ensino pela implementação de projetos e programas educacionais. Podemos dizer que a proposta de ampliação da jornada escolar vem ganhando espaço nas políticas públicas das três esferas administrativas (federal, estadual e municipal). A implementação de experiências e projetos de jornada escolar ampliada no Brasil atende a dispositivos previstos em leis e planos educacionais. O marco legal é a Lei Nº 9.394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional). A Lei /2001, que criou o Plano Nacional de Educação, pretende em sua meta 21 Ampliar, progressivamente a jornada escolar visando expandir a escola de tempo integral, que abranja um período de pelo menos sete horas diárias, com previsão de professores e funcionários em número suficiente. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária. (Estatuto da Criança e do Adolescente - Lei nº 8.069/90 - Art. 4) A criança e o adolescente têm direito à educação, visando ao pleno desenvolvimento de sua pessoa, preparo para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho. (Estatuto da Criança e do Adolescente - Lei nº 8.069/90 - Art. 53) DIRETRIZES E BASES PARA A EDUCAÇÃO A educação, de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases para a Educação Nacional, é dever da família e do Estado, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana e tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. Tem como princípios, validados pela Lei Nº 9.394/96, a liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber; o pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas; respeito à liberdade e apreço à tolerância; a valorização da experiência extraescolar, entre outros. Educação Integral

3 O QUE ENTENDEMOS POR EDUCAÇÃO INTEGRAL Entendemos por Educação Integral a integração de currículo para o desenvolvimento global de crianças e adolescentes, por meio de atividades interdisciplinares e diversificadas com a participação de outros atores sociais como as famílias, a comunidade e as instituições civis organizadas. Para alcançar os objetivos da Educação Integral acreditamos que seja necessária a ampliação do tempo de permanência dos educandos no processo educacional transitando por diferentes linguagens, espaços educadores e áreas do saber humano. Buscando contemplar a Educação Integral em Período Integral, viabilizamos atividades que abarquem as diversas áreas da vivência e convivência humana e ambiental, no período de turno complementar, possibilitando a ampliação das aprendizagens. Em nossa prática pedagógica buscamos desenvolver a visão globalizante da realidade sistêmica, transitando por espaços educadores interativos, saudáveis e éticos em respeito ao programa potencial singular de cada ser humano. Ondalva Serrano – Doutora em Agronomia e ex-docente pela ESALQ-USP. Fundadora e diretora da AHPCE. Desenvolvedora da metodologia e coordenadora pedagógica da rede de núcleos do Programa de Jovens com apoio da UNESCO. Coordenadora pedagógica do Projeto Escolinha do Futuro de 2009 a Membro da equipe pedagógica da União Nacional das Escolas Famílias Agrícolas do Brasil - UNEFAB - e difusora da metodologia na França e Espanha.

4 NOSSA EXPERIÊNCIA EM EDUCAÇÃO INTEGRAL PROGRAMA DE JOVENS – MEIO AMBIENTE E INTEGRAÇÃO SOCIAL (PJ-MAIS) Há 15 anos a AHPCE, em parceria com o Instituto Florestal e com o apoio da UNESCO, promove a formação integral e ecoprofissional de jovens entre 15 e 21 anos de idade, moradores de zonas periurbanas e entorno de áreas protegidas da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde de São Paulo (RBCV), estudantes do ensino fundamental II e médio da rede pública de ensino, no contraturno escolar. São oferecidas, no período de dois anos de formação, seis oficinas temáticas: Manejo Agrícola Florestal Sustentável, Agroindústria Artesanal, Consumo, Lixo e Arte, Turismo Sustentável, Formação Integral e Iniciação Científica. O PJ-MAIS é um programa de formação integral de jovens que desperta para a sustentabilidade, ética, cidadania, vocação, autovalorização e prepara para o mercado de trabalho socioambiental. Os locais de realização do PJ-MAIS são os chamados Núcleos de Educação Ecoprofissional, desenvolvidos e mantidos em parcerias com instituições locais, por município, sendo que a maioria destas são prefeituras e, em alguns casos, organizações não governamentais. Já foram formados mais de jovens em 20 núcleos em 15 municícios, que ingressaram com sucesso no ecomercado de trabalho, atuando com tecnologias socioambientais, prestando serviços ou empreendendo, contribuindo, desta forma, com o desenvolvimento econômico e sustentável local. RESULTADOS e RECONHECIMENTOS Rede com mais de 15 municípios envolvidos e 20 Núcleos de Educação Ecoprofissional formados; Apoio da UNESCO para desenvolvimento metodológico e implantação; Prêmio Development Marketplace do Banco Mundial; Inserção de jovens na monitoria do Polo Ecoturístico Caminhos do Mar, maior unidade de conservação de Mata Atlântica do país; Inserção de jovens na Associação de Monitores Ambientais de Paranapiacaba (SP); Formação do empreendimento Ecoficina, que produz artesanato com reaproveitamento de resíduos sólidos, em Guarulhos (SP); Participação dos jovens no projeto de Neutralização de Carbono em Embu-Guaçu (SP), com o plantio de mudas para reflorestamento e compensação de emissão de CO2 de eventos e empresas; Projetos de Iniciação Científica premiados.

5 NOSSA EXPERIÊNCIA EM EDUCAÇÃO INTEGRAL PROJETO ESCOLINHA DO FUTURO O Projeto Escolinha do Futuro tem como objetivo contribuir para desenvolvimento educacional e social de crianças matriculadas no ensino fundamental da rede municipal de Osasco, por meio de atividades complementares (artísticas, culturais, esportivas) no contraturno escolar, sendo uma opção de Educação Integral. Desde 2008, em parceria com a Secretaria de Educação de Osasco, a AHPCE atende em média crianças por ano em 56 unidades escolares do município. São oferecidas atividades educacionais artístico-culturais como Teatro e Dança, Música, Circo e Capoeira; atividades de Apoio Pedagógico e Xadrez (APX) como Meio Ambiente, Cidadania desde a Infância, Educação para o Trânsito, Jogos Cooperativos e Xadrez; e atividades motoras de tipificação esportiva como o Judô, Karatê, Futebol de Campo, Futsal, Basquete e Vôlei. Os Educadores de Modalidades e de APX trabalham em conjunto as diversas temáticas transversais propostas, que integram o desenvolvimento corporal das modalidades esportivas e artístico-culturais com o desenvolvimento mental, cognitivo e emocional do processo de aprendizado humano em suas múltiplas relações: consigo mesmo, com seu próximo, com seu meio social e com seu meio natural. O projeto promove o envolvimento com a família e a integração de suas atividades ao Plano Eco Político Pedagógico das Unidades Educacionais da rede municipal de Osasco, por meio de ações singulares ecomplementares, realizadas pelos educadores do projeto, em diálogo com os professores e gestores da rede pública municipal. 97% dos pais avaliam como bom e ótimo o impacto do projeto no rendimento escolar de seu filho(a) 87% do professores das UEs percebem o impacto do projeto no desenvolvimento educacional dos alunos 89% dos educadores do projeto percebem o impacto positivo no desenvolvimento social das crianças atendidas 85% dos gestores do projeto consideram que as ações das modalidades estão integradas de forma positiva com as atividades de apoio pedagógico RESULTADOS

6 NOSSA EXPERIÊNCIA EM EDUCAÇÃO INTEGRAL RECREIO NAS FÉRIAS O programa consiste no desenvolvimento de atividades educacionais, recreativas e culturais, através de brincadeiras, práticas esportivas e passeios às crianças do 1º ao 4º ano da rede pública municipal no período das férias escolares, nos espaços educacionais e fora deles. Teve início no ano de 2005 sendo que em 2010 o programa atendeu mais de crianças, norteando-se por valores essenciais de convivência, solidariedade, igualdade e respeito às diferenças, articulando-se por meio de práticas interativas, dialógicas e cooperativas voltadas à educação e ao aprendizado dos envolvidos. Oferece oficinas lúdicas de artes, leitura, música, artesanato, fantoches, contação de história, danças populares, cirandas, grafite, mágica e teatro. Para além dos muros das escolas e em diálogo vivo com sua comunidade, as crianças, monitoradas por agentes recreativos, têm a oportunidade de ampliar sua vivência e visão de mundo, por meio de passeios para a Cidade do Livro, Jardim Zoológico, Playcenter, Sescs, Parque da Xuxa e outros. Baseando-se no Plano Nacional de Educação e nas Cartas das Cidades Educadoras (Barcelona, 1990), o programa promoveu a Educação Integral no contraturno escolar, com crianças e adolescentes das redes públicas municipais e estaduais, do Ensino Fundamental I e II, especialmente nas áreas de Meio Ambiente (Ipê Amarelo), Vivências Expressivas (Ipê Roxo), Produção Artesanal (Ipê Branco) e Turismo (Ipê Rosa). O projeto foi implementado nos municípios de São Roque e Osasco (SP) nos anos 2007 e 2008, atendendo mais de 500 jovens. YPÊS

7 OUTROS PROJETOS E PROGRAMAS Ângela de Cara Limpa Arranjo Produtivo de Reciclagem e Ecoempreendimentos no Jd. Ângela – São Paulo. Avaliação Ecossistêmica Subglobal Pesquisa sobre a inter-relação entre serviços ambientais na Reserva da Biosfera do Cinturão Verde de São Paulo e bem-estar humano. Neutralização de Carbono Plantio de mudas para compensação de emissão de CO2, reflorestamento e compensação ambiental. Rota Gastronômica do Cambuci Resgate do cultivo e consumo da fruta nativa da Mata Atlântica como estratégia de geração de renda e conservação ambiental. Agroecologia Urbana Organização comunitária para um ambiente urbano ecologicamente sustentável e pela geração de renda. Sagrado Riso Apresentações artísticas abordando questões socioambientais e oficinas de figurinos e cenários com aproveitamento de sucata. CONTATOS AHPCE - Associação Holística de Participação Comunitária Ecológica CNPJ: / | OSCIP: / | IE: Rua Henry Ford, 494, Altos - Presidente Altino - Osasco - CEP Tel / facebook.com/ahpce


Carregar ppt "EDUCAÇÃO INTEGRAL. ASPECTOS LEGAIS Atualmente se observa no cenário nacional a emergência de políticas públicas destinadas à melhoria da qualidade na."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google