A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Cenário Econômico e as Perspectivas para o Mercado Imobiliário do ABCDM Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Cenário Econômico e as Perspectivas para o Mercado Imobiliário do ABCDM Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP."— Transcrição da apresentação:

1 O Cenário Econômico e as Perspectivas para o Mercado Imobiliário do ABCDM Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

2 Quando a economia vai bem, o mercado imobiliário vai bem! Quando a economia vai mal, o mercado imobiliário vai menos bem Celso Petrucci. Isso se deve, basicamente, em função de componentes sócio-demográficas, de crescimento da renda, de geração de emprego, financiamento e etc...

3 FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO

4 Financiamento Imobiliário FGTS e SBPE (Mil unidades) Fonte: Abecip e Banco Central Média Anual Recuperação 4 X

5 Recuperação - O mercado imobiliário dobrou de tamanho Fonte: Abecip e Banco Central 3,2 X 2,9 X Unidades financiadas no ano Financiamento Imobiliário FGTS e SBPE (Mil unidades)

6 Carteira de Crédito Imobiliário - PF (R$ bilhões) Fonte: Banco Central Imobiliário supera carteira de crédito pessoal em ago/13 6

7 Perfil do crédito imobiliário Reduzida possibilidade de bolha Prevalência de aquisição de imóveis para moradia Bancos conservadores em suas concessões de crédito LTV médio = 65% / máximo = 80% Comprometimento de renda = 30% Preferência pelo SAC Fonte: Abecip

8 Financiamento Imobiliário

9 Crescimento de 18 vezes entre 2004 e % Financiamento Imobiliário FGTS e SBPE (R$ bilhões) Fonte: Abecip e Banco Central do Brasil

10 Crescimento de 18 vezes entre 2004 e % Financiamento Imobiliário FGTS e SBPE (R$ bilhões) Fonte: Abecip e Banco Central do Brasil

11 Crescimento de 18 vezes entre 2004 e % E +17% Financiamento Imobiliário FGTS e SBPE (R$ bilhões) 21% 15% Fonte: Abecip e Banco Central do Brasil

12 O crédito imobiliário tem a menor inadimplência dos produtos bancários Inadimplência - Contratos com mais de 90 dias em atraso (%) Fonte: Abecip e Banco Central do Brasil

13 Perspectivas Financiamento Imobiliário 13

14 A participação do crédito imobiliário no PIB brasileiro ainda é muito pequena, mas vem crescendo de forma sustentável Fonte: Banco Central do Brasil e Hypostat, Felaban, HFN Brasil – C. Imobiliário/PIB Perspectivas: Tamanho do Crédito Imobiliário 14

15 Mercado Potencial para + de 10 anos Fonte: Abecip e IBGE Brasil 2011 Casamentos1,03 milhão Divórcios0,28 milhão Total1,31 milhão IBGE Perspectivas: Mercado Potencial

16 Vai faltar dinheiro para a habitação? Funding

17 Funding Tradicional FGTS Saldo em R$ bilhões Poupança SBPE Saldo R$ bilhões Fonte: Abecip e Banco Central do Brasil e Caixa

18 Captação líquida acumulada entre janeiro e agosto de 2013 foi 54% maior que o mesmo período de 2012 Poupança SBPE Capitação Líquida R$ bilhões Recordes históricos nos últimos 2 anos Fonte: Abecip e Banco Central do Brasil

19 Poupança SBPE Crescimento médio 16% a.a. Carteira de Crédito Imobiliário Crescimento médio 37% a.a. Entre 2006 e 2012 Poupança SBPE X Crédito Imobiliário Fonte: Abecip

20 Poupança Crédito Imobiliário Simulação Abecip Poupança SBPE X Crédito Imobiliário Fonte: Abecip

21 Funding Complementar Poupança Crédito Imobiliário Simulação Abecip Poupança SBPE X Crédito Imobiliário Fonte: Abecip 21

22 DEMANDA DO MERCADO IMOBILIÁRIO

23 Distribuição etária da população; Os padrões de conjugalidade e a idade média ao casar; Formação de novos arranjos familiares; Níveis de renda e capacidade de pagamento. DEMANDA HABITACIONAL Entre outros, o crescimento da Demanda Habitacional é influenciado principalmente por fatores como: Fonte: Demanda Habitacional no Brasil – CEF 2011

24 AUMENTO DO NÚMERO DE CASAMENTOS NO BRASIL 2010 foram registrados 977 mil casamentos Crescimento de 4,5% em relação a 2009 Fontes: IBGE / Estatísticas do Registro Civil 2000/2010

25 25/92 NOVOS PADRÕES DE CONJUGALIDADE A família nuclear vem perdendo relevância para a monoparental e para outros arranjos compostos por vários membros de uma mesma família ou apenas parentes mais íntimos Aumento do número de divórcios A DIVERSIFICAÇÃO DOS ARRANJOS FAMILIARES É MAIS UM FATOR QUE INFLUENCIA DIRETAMENTE NO AUMENTO DO NÚMERO DE DOMICÍLIOS Fonte: Demanda Habitacional no Brasil – CEF 2011

26 Fonte: IBGE MUDANÇA NOS ARRANJOS FAMILIARES COM PARENTESCO Part%

27 CRESCIMENTO DA CLASSE MÉDIA Classe Social em milhões de pessoas 96,2 65,9 7,0 6,4 69,6 100,3 11,2 10, Total: 175 Milhões Total: 195 Milhões Fonte: IPEA / PNAD (IBGE) Elaborado: Ministério da Fazenda Recentemente o Brasil foi estabelecido como um país de classe média Mais de 50% da população pertence à classe média, com grande potencial de consumo As classes mais ricas (A e B) também obtiveram um rápido crescimento

28 DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO OCUPADA - BRASIL Fonte: PNAD

29 RENDIMENTO MÉDIO MENSAL REAL DE TRABALHO (R$) Fonte: PNAD

30 CONDIÇÃO NA OCUPAÇÃO DOS DOMICÍLIOS Domicílios particulares permanentes (%) Fonte: PNAD Em 2002 eram 48 milhões de domicílios particulares permanentes, no ano de 2012 esse número passou para 62,8 milhões, representando um aumento de 31%.

31 REGIÃO DO ABCDM

32 MUNICÍPIOS ANALISADOS – ABCDM Mapa: GeoSecovi SÃO PAULO

33 ABCDM– Área x População Km² Mil Pessoas Fonte: IBGE

34 R$ Bilhões Mil Pessoas Fonte: Seade ABCDM– PIB x População

35 EVOLUÇÃO DO PIB DOS MUNICÍPIOS DO ABCDM 1) Santo André; 2) São Bernardo do Campo; 3) São Caetano do Sul; 4) Diadema; 5)Mauá Δ% = 183% R$ Bilhões Fonte: IBGE Equivalente ao PIB do Paraguai, ou ao do Estado do Espírito Santo.

36 EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO – MUNICÍPIOS DO ABCDM Δ% = 8% Mil pessoas Fonte: SEADE/IBGE 1) Santo André; 2) São Bernardo do Campo; 3) São Caetano do Sul; 4) Diadema; 5)Mauá População equivalente a de Belo Horizonte

37 QUANTIDADE DE CASAMENTOS POR ANO – ABCDM A quantidade de casamentos indica a necessidade de novas moradias A quantidade de casamentos tem apresentado crescimento a cada ano Município Santo André São Bernardo do Campo São Caetano do Sul Diadema Mauá Total Fonte: SEADE/IBGE

38 EVOLUÇÃO DOS DOMICÍLIOS PERMANENTES – ABCDM Mil Domicílios Em 10 anos a região teve um acréscimo de 124 mil domicílios, correspondente a aproximadamente 12,4 mil moradias por ano. = 128 mil domicílios = 124 mil domicílios Fonte: IBGE 1) Santo André; 2) São Bernardo do Campo; 3) São Caetano do Sul; 4) Diadema; 5)Mauá

39 DOMICÍLIOS PERMANENTES COM ÁGUA ENCANADA – ABCDM Mesmo com o crescimento do número de domicílios, o abastecimento de água evoluiu de 97,5% em 1991 para 99,1% em Mil Domicílios 98,4% do Total 99,1% do Total 97,5% do Total Fonte: IBGE 1) Santo André; 2) São Bernardo do Campo; 3) São Caetano do Sul; 4) Diadema; 5)Mauá

40 DOMICÍLIOS PERMANENTES COM COLETA DE ESGOTO – ABCDM Mil Domicílios A coleta e o tratamento de esgoto continua sendo o maior desafio para os municípios. Apesar da evolução dos últimos anos, 6% dos domicílios ainda não tem coleta de esgoto. 86% do Total 89% do Total 94% do Total Fonte: IBGE 1) Santo André; 2) São Bernardo do Campo; 3) São Caetano do Sul; 4) Diadema; 5)Mauá

41 LANÇAMENTOS - ABCDM

42 Fonte: ACIGABC LANÇAMENTOS RESIDENCIAIS VERTICAIS NO ABCDM Em unidades Aumento de 22% em relação ao 1T13

43 LANÇAMENTOS RESIDENCIAIS NO ABCDM – 1° SEMESTRE 2013 Fonte: ACIGABC Em unidades No total foram lançadas unidades, equivalente a 15% do total lançado em São Paulo.

44 LANÇAMENTOS RESIDENCIAIS NO ABCDM – 1° SEMESTRE 2013 Em R$ milhões Fonte: ACIGABC VGV total de R$ 809 milhões, equivale a 8% do VGV lançado em São Paulo

45 COMERCIALIZAÇÃO - ABCDM

46 UNIDADES VENDIDAS NO 1º SEMESTRE - ABCDM Em unidades Fonte: ACIGABC No total foram vendidas unidades, equivalente a 22,6% do total vendido em São Paulo.

47 ESTOQUE DE UNIDADES RESIDENCIAIS POR MUNICÍPIO Fonte: ACIGABC Unidades vendidas e estoque final por município – 1º semestre de 2013 Estoque final equivalente a 15,3% da cidade de São Paulo

48 EVOLUÇÃO DAS VENDAS NO PRIMEIRO SEMESTRE Aumento de 16% no total vendido, se comparado com o 1S12 Fonte: ACIGABC Unidades residenciais comercializadas por município

49 COMPARATIVO LANÇAMENTOS E VENDAS *2013 = 1º semestre Fonte: ACIGABC Unidades residenciais lançadas e vendidas no ABCDM

50 MERCADO IMOBILIÁRIO DE SÃO PAULO

51 UNIDADES LANÇADAS – MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Agosto/2013Setembro/ Setembro/2012 3% -22% Jan. – Set./ Jan. – Set./ % Acumulado até agosto Comparação mensal Os lançamentos em São Paulo correspondem a 62% do total da RMSP. Fonte: Embraesp Acumulado até setembro Jan. – Ago./ Jan. – Ago./ %

52 UNIDADES VENDIDAS – MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Julho/2013 Agosto/ Agosto/ %86% Jan. – Ago./ Jan. – Ago./ % Acumulado no ano Comparação mensal As vendas em São Paulo correspondem a 62% do total da RMSP. Fonte: Secovi-SP

53 VGV – MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Julho/2013 Agosto/ ,3 Agosto/ %47% Jan. – Ago./ ,2 Jan. – Ago./ % Acumulado no ano Comparação mensal O VGV de São Paulo corresponde a 76% do total da RMSP. Em R$ milhões, atualizado pelo INCC-DI de agosto/2013 Fonte: Secovi-SP

54 REGIÃO METROPOLITANA - ABCDM Fonte: ACIGABC/ SECOVI-SP ABCDM São Paulo

55 CONCLUSÕES O mercado do ABCDM está adequando seus estoques à demanda da região; Aspectos demográficos, de geração de emprego e de renda possibilitam prever crescimento perene do mercado a partir de 2.014; Outro fator importante é a abundância de recursos da poupança e do FGTS com taxas de juros baixas e atrativas para o consumidor.

56 MUITO OBRIGADO Celso Petrucci


Carregar ppt "O Cenário Econômico e as Perspectivas para o Mercado Imobiliário do ABCDM Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google