A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Nazismo e Fascismo. O totalitarismo entre guerras Apesar de vitoriosas na Primeira Guerra, os países europeus capitalistas não puderam conter a crise.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Nazismo e Fascismo. O totalitarismo entre guerras Apesar de vitoriosas na Primeira Guerra, os países europeus capitalistas não puderam conter a crise."— Transcrição da apresentação:

1 Nazismo e Fascismo

2 O totalitarismo entre guerras Apesar de vitoriosas na Primeira Guerra, os países europeus capitalistas não puderam conter a crise generalizada diante dos problemas econômicos, das ameaças dos comunistas e da insatisfação dos países com os acordos de paz.

3 A base de apoio para as direitas A alta burguesia – Temerosa de perder as suas propriedades, devido ao crescimento do número de graves operárias; As classes médias – empobrecidas e temerosas de uma equiparação com as camadas de menor poder aquisitivo; A população pobre – subempregados, trabalhadores não-especializados e jovens fora do mercado de trabalho.

4 Características do nazifascismo Durante a crise da década de 1930, o fascismo espalhou-se pela Europa atingindo Alemanha e Itália, não ficando restrito a eles. Portugal, Espanha, Áustria, Bulgária, Polônia e Hungria, entre outros. Na Ásia com o Japão e na América no Brasil e na Argentina.

5 Características Gerais Totalitarismo Nacionalismo Militarismo Corporativismo Expansionismo Anticomunismo Racismo

6 Totalitarismo Os interesses do indivíduo estão totalmente subordinados aos do Estado. “Nada deve haver acima do Estado, nada fora do Estado, nada contra o Estado” Mussolini

7 Nacionalismo A nação representa a forma suprema de desenvolvimento e organização das sociedades. Os interesses entre as nações encontram-se em conflito permanente “Tudo, absolutamente tudo, deve contribuir para reforçar as bases raciais que asseguram o desenvolvimento da nação”. Hitler

8 Militarismo A expansão é uma necessidade inerente à vida das nações e seu instrumento é a guerra, que fortalece os indivíduos e regenera o povo. “Mesmo neste momento, tenho a sublime esperança de que um dia chegará a hora em que essas tropas desordenadas se transformarão em batalhões, os batalhões em regimentos e os regimentos em divisões...” Hitler

9 Corporativismo Os sindicatos baseiam-se em corporações, no interior das quais patrões, empregados e representantes do Estado encarregam-se de planejar a produção e decidir sobre os conflitos entre capital e trabalho. “Ao contrário das velhas organizações que vivem fora do Estado, os nossos sindicatos fazem parte do Estado” Mussolini

10 Expansionismo Para os alemães, a agressão aos outros países era justificada pela teoria do “espaço vital”, necessário ao desenvolvimento do povo alemão, e orientada rumo a União Soviética. “O movimento nacional-socialista terá de encontrar coragem para, desprezando tradições e preconceito, congregar o povo e as suas forças para a marcha pela estrada que nos libertará de nosso estreito hábitat atual...” Hitler

11 Anticomunismo A aniquilação física dos comunistas internamente e a destruição das União Soviética eram consideradas fundamentais para o desenvolvimento nazifascista “Defender os produtores significa combater os parasitas. Os parasitas de sangue em primeiro lugar os socialistas, e os parasitas do trabalho, que podem ser burgueses ou socialistas...” Mussolini

12 Racismo Diretriz desenvolvida na Alemanha, apregoava que a raça ariana, representada pelos alemães, estava destinada a dominar as raças inferiores (judeus, eslavos, latinos, negros, etc...). “Aqueles que governam devem saber que têm o direito de governar porque pertencem a uma raça superior.” Hitler

13 Origens do fascismo na Itália A Itália achava-se “vencida no campo dos vencedores”. A inflação e o desemprego, agravado pelo retorno de 1 milhão de soldados e pelo investimentos no conflito. O fortalecimento do Partido Socialista e as constantes greves que parcialmente paralisavam os negócios.

14 Com a agitação política e social e diante da possível revolução socialista o fascismo fortaleceu-se com o apoio da classe média e o financiamento dos grandes banqueiros, industriais e latifundiários. Entre 1919 e 1921 Tomada de fábricas pelos socialistas. Criação das Ligas Vermelhas. Greves constantes.

15

16 Mussolini e mais um discurso Mussolini anunciando a entrada da Itália na guerra de um balcão em Roma.

17

18

19

20 A resposta fascista a crise italiana Criação do partido em Formação das esquadras – Camisas Negras. Destruição de sindicatos, assassinatos de líderes populares, destruição de redações de jornais.

21 O Estado Fascista Os trabalhadores foram reunidos em sindicatos fascistas e os proprietários nas, federações industriais. O Duce era o presidente do Grande Conselho e respondia apenas ao rei. Em 1929, Mussolini e o papa Pio XI celebraram o tratado de Latrão criando o Estado do Vaticano. Na economia os fascistas alcançaram sucessos de produção aumentando a produção agrícola e a industrial, criando novos empregos e fazendo progressos em energia hidrelétrica e obras públicas.

22 Origens do Nazismo na Alemanha A humilhação do Tratado de Versalhes. A crise econômica-financeira. O temor gerado pelas agitações sociais e a oposição ao governo social-democrata. O levante do espartaquistas culminando com a execução de Karl Liebknecht e Rosa Luxemburgo.

23 Ascensão do Nazismo Em 1919, era fundado em uma cervejaria de Munique o partido nazista (PNSTA). Em Novembro de 1923, Hitler liderou o Putsch (golpe) de Munique. A tentativa fracassou e Hitler foi preso. Na prisão ele escreve o Mein Kampf, sistematizando os princípios fundamentais da ideologia nazista. Entre 1924 e 1929 o Nazismo passa por um refluxo.

24 A partir de 1929, a crise mundial provoca um novo colapso na economia alemã, possibilitando a ascensão do nazismo. A incapacidade de o governo parlamentar solucionar a crise contribuiu para a polarização das forças políticas e o fortalecimento dos partidos comunistas e nazista. Hitler entre 1930 e 1932, ataca com a SA (tropas de choque) e as SS (tropas de assalto), que somavam 400 mil homens compondo o exército particular nazista, Hitler exigiu então o cargo de CHANCELER.

25 Em 1933, os nazistas incediaram o Reichstag e atribuíram a culpa aos comunistas iniciando a ditadura nazista. Hitler suprimiu todos os partidos, dissolveu os sindicatos, cassou os direitos dos cidadãos, fechou jornais de oposição, estabeleceu a censura, iniciou a perseguição aos grupos ditos inferiores. Ainda em 1934, Hitler massacrou os opositores de seu próprio partido. Hitler assume o título de Fuher acumulando as funções de chanceler e presidente. Anúncio ao mundo da fundação do III Reich.

26 A escalada para a guerra Entre 1934 e 1939 a Alemanha muda as suas estruturas internas, o que contribui diretamente para a eclosão da 2ª Guerra Mundial. Intervencionismo e dirigismo econômico. Proibição da retirada do capital estrangeiro. Edificação de imensas obras públicas. Quebra das clausulas do Tratado de Versalhes. Expansão militarista.


Carregar ppt "Nazismo e Fascismo. O totalitarismo entre guerras Apesar de vitoriosas na Primeira Guerra, os países europeus capitalistas não puderam conter a crise."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google