A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EXECUÇÃO DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE Engº Antonio Santos ENGEVIX ENGENHARIA S.A.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EXECUÇÃO DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE Engº Antonio Santos ENGEVIX ENGENHARIA S.A."— Transcrição da apresentação:

1 EXECUÇÃO DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE Engº Antonio Santos ENGEVIX ENGENHARIA S.A

2 EXECUÇÃO DE CONCRETO EXECUÇÃO DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE EXECUÇÃO DE CONCRETO EXECUÇÃO DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE

3 USINAS DE CONCRETO ASFÁLTICO

4 Usina Asfalto Fluxo Contínuo.

5 Silo de Filler

6 Usina asfalto gravimétrica / Batelada.

7 Usina asfalto gravimétrica / Decantação Via Úmida.

8 Usina asfalto / Silos frio.

9

10 CUSTO ÓLEO COMBUSTÍVEL (XISTO) USINAGEM Custo óleo xisto retirar 1% umidade agregados = R$ 0,97/tonelada Produção Usina de Asfalto = 80 t/hora Horas trabalhadas = 8 h/dia Dias trabalhados = 22/mês Meses trabalhados = 12/ano R$ ,20/Ano Custo = 12 X 22 X 8 X 80 X 0,97 = R$ ,20/Ano RESULTADO FINANCEIRO X PRODUÇÃO USINA 80 t/hora 68 t/hora 12 x 22 x 8 x 80 = t/ano12 x 22 x 8 x 68 = t/ano t/ano x R$ 180,00/t t/ano x R$ 180,00/t Valor= R$ ,00/anoValor= R$ ,00/ano R$ ,00/Ano R$ ,00/Ano

11 TEMPERATURA USINAGEM MASSA ASFÁLTICA CAP 85±10 sSF ou 170±20 cP (BROOKFIELD) Agregados 10ºC > CAP

12 Viscosímetro Brookfield NBR 15184/ ASTM D4402 Cisalhamento Dinâmico Temperatura 25 a 300ºC Viscosímetro Saybolt- Furol NBR 14950/ ASTM E102 Viscosidade Cinemática Temperatura 120 a 240ºC (135ºC)

13 CAP 20 Média Temperatura do Ligante151ºC a 157ºC154

14 DESCRIÇÃO CIMENTO ASFÁLTICO DE PETRÓLEO (CAP) 50/ /7085/100 TESE PREUSSLER a 261 (04 amostras) a 170 (04 amostras) TESE SALOMÃO PINTO (1993) a 217 (04 amostras) - - CERTIFICADOS ANO CERTIFICADOS ANO CERTIFICADOS ANO CERTIFICADOS ANO CERTIFICADOS ANO CERTIFICADOS ANO 2010 (EUA) VARIAÇÃO DA VISCOSIDADE DO CAP A 135° C (SSF) AO LONGO DOS ANOS NO BRASIL

15

16 Temperatura na usina.

17 CARGA CAMINHÕES USINA ASFALTO Segregação (Dispersão dos agregados)

18 Orientando carregamento usina.

19 EXECUÇÃO CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE Verificação equipamentos.

20 PINTURA LIGAÇÃO EMULSÃO ASFÁLTICA Curada ou Rompida; Tráfego; Emendas Transversal e Longitudinal.

21 Pintura de ligação / Remendo.

22 Pintura ligação / Emenda transversal.

23 Pintura de ligação / Sujeira.

24 TEMPERATURA X COMPACTAÇÃO MASSA ASFÁLTICA

25 Compactação 140±15 sSF ou 280±30 cP (BROOKFIELD )

26 Temperatura de Compactação 139ºC a 145ºC142 CAP 20 MédIa

27 Temperatura antes descarga vibroacabadora.

28 Termômetro / Temperatura pista.

29 Temperatura / Rolo pneus.

30 Temperatura / Mesa extensível.

31 DESCARGA VIBROACABADORA Caminhão / Vibroacabadora / “Bumps” ou saliências

32 Orientação descarga.

33 ESPESSURA CAMADA Segregação / Diâmetro Máx. Agregado 2/3 espessura camada Empolamento / 20 a 25% espessura projeto

34 COMPACTAÇÃO MASSA ASFÁLTICA ROLO DE PNEUS Lastro; Junto / Vibroacabadora; Tangente / Curva; Marcas / Manchas; Aceleração / Frenagem.

35 COMPACTAÇÃO MASSA ASFÁLTICA ROLO DE PNEUS Marcas / Manchas: Calibragem dos pneus; Pneus recapados; Pneus desgastados ou velhos; Pneus com diferença de altura; Folga nas buchas das rodas; Excesso de óleo nos pneus.

36 Rolagem em tangente.

37 Rolagem tangente / Friso.

38 Marcas / Calibragem.

39 Trincamento / Infiltração d’água.

40 Manchas / Excesso de óleo.

41

42 COMPACTAÇÃO MASSA ASFÁLTICA ROLO TANDEM VIBRO Frequência Vibração > 2400 VPM; Rolo Motriz; Temperatura adequada.

43 JUNTA OU EMENDA TRANSVERSAL Execução; Segregação.

44 Emenda transversal / Início Execução.

45 Emenda transversal / Segregação.

46

47 Emenda transversal / Trinca.

48 JUNTA OU EMENDA LONGITUDINAL Transpasse Segregação.

49 Emenda longitudinal.

50

51 SEGREGAÇÃO MASSA ASFÁLTICA Emenda transversal / Emenda longitudinal.

52 Segregação / Peneira

53 Emenda / Segregação.

54 Segregação / Vassourão.

55 Segregação / Rastel tipo Ancinho.

56 Emenda segregada.

57 Emenda Remontada.

58 Emenda trincada.

59

60 Emenda longitudinal.

61 Emenda transversal / “BUMP”.

62 Emenda remontada.

63 Emenda transversal.

64 Segregação / Início jornada trabalho.

65

66 Segregação / Mancha.

67 Segregação / Final jornada trabalho.

68

69 ALINHAMENTO DOS BORDOS

70 Alinhamento bordo / Pré-marcação.

71 Alinhamento bordo / Tangente.

72 Alinhamento bordo / Curva.

73 Alinhamento Bordo / Curva Externa.

74 Alinhamento Bordo / Curva Interna.

75 Alinhamento Bordo / Final 3ª Faixa.

76 Alinhamento Bordo / Início 3ª faixa.

77

78 Bordo desalinhado.

79

80 Recuperação alinhamento bordo.

81 PARTICULARIDADES EXECUÇÃO CONCRETO ASFÁLTICO

82 Exsudação / Início jornada trabalho.

83 Exsudação / Fora de faixa.

84 Drenagem / Acostamento

85 Remendo / Limpeza.

86 Remendo / Pintura de ligação.

87 Remendo / Vibroacabadora.

88 Remendo / Motoniveladora.

89 Tape / Inadequado.

90 Acostamento / Sarjeta.

91 CONSIDERAÇÃO FINAL É fundamental que toda a equipe envolvida no processo executivo se preocupe com os pequenos detalhes e da importância deles para a qualidade geral da obra.

92 Obrigado! Eng. Antônio Santos ENGEVIX ENGENHARIA S.A.


Carregar ppt "EXECUÇÃO DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE Engº Antonio Santos ENGEVIX ENGENHARIA S.A."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google