A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Vigilância dos padrões dos Serviços de Proteção Social Especial Mesa 6 - Encontro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Vigilância dos padrões dos Serviços de Proteção Social Especial Mesa 6 - Encontro."— Transcrição da apresentação:

1 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Vigilância dos padrões dos Serviços de Proteção Social Especial Mesa 6 - Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial Brasília, 28 a 30 de agosto de 2013

2 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Centro de Referência Especializado em Assistência Social - CREAS

3 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 CREASCREAS Regional UnidadesMunicípiosUnidadesMunicípios Quantidade de CREAS Municipal e Regional Fonte: Censo SUAS 2012 – Questionário CREAS

4 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Percentual de Municípios com mais de 20 mil hab. com a quantidade mínima recomendada de CREAS por porte e região Fonte: Censo SUAS 2012 – Questionário CREAS

5 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 RegiãoUnidade da Federação Norte 3444 Pará3444 Nordeste Maranhão2222 Ceará2222 Paraíba20 Pernambuco Alagoas0077 Bahia1111 Sudeste Minas Gerais14 44 Sul 3220 Rio Grande do Sul3220 Centro-Oeste2000 Mato Grosso do Sul1000 Goiás1000 Brasil Quantidade de CREAS Regionais por Unidade da Federação e Ano Fonte: Censo SUAS 2012 – CREAS

6 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de CREAS Regional segundo mecanismo de repasse de recurso Quantidade de CREAS Regional segundo ente responsável pela gestão Fonte: Censo SUAS 2012 – Questionário CREAS

7 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Fonte: Censo SUAS 2012 – Questionário CREAS Compartilhamento das unidades CREAS por porte e região

8 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Tipos de unidade com os quais os CREAS são compartilhados Fonte: Censo SUAS 2012 – CREAS N= 607 CREAS

9 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Número de salas disponíveis Quantidade de salas Total de salas disponíveis no CREAS (salas para atendimento e salas para atividades administrativas) Total de salas disponíveis para atendimento (individual ou coletivo) Quantidade de unidades % % Até 1 sala381,81396,4 De 2 a 3 salas45120,882938,3 De 4 a 5 salas77835,973033,7 De 6 a 7 salas48322,329013,4 8 ou mais salas41719,21798,3 Total , ,0 Fonte: Censo SUAS 2012 – Questionário CREAS

10 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de computadores por porte Fonte: Censo SUAS 2012 – CREAS

11 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos

12 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade% Apenas Crianças e Adolescentes653,0 Apenas Mulheres Adultas40,2 Apenas Idosos30,1 Crianças e Adolescentes e Mulheres Adultas251,2 Crianças e Adolescentes e Homens Adultos30,1 Crianças e Adolescentes e Idosos643,0 Mulheres Adultas e Idosos10,0 Crianças e Adolescentes, Mulheres Adultas e Homens Adultos100,5 Crianças e Adolescentes, Mulheres Adultas e Idosos40718,8 Crianças e Adolescentes, Homens Adultos e Idosos231,1 Mulheres Adultas, Homens Adultos e Idosos60,3 Todos os públicos155371,7 Total ,0 Quantidade e Percentual de CREAS segundo público que atende Fonte: Censo SUAS 2012 – CREAS

13 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Situação atendida segundo público Fonte: Censo SUAS 2012 – CREAS

14 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de casos (famílias ou indivíduos) que ingressaram no acompanhamento do PAEFI no ano de 2012, por porte do município Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA)

15 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de casos (famílias ou indivíduos) que ingressaram no acompanhamento do PAEFI no ano de 2012, por região Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA)

16 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Perfil das famílias inseridas no acompanhamento do PAEFI, por região Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA) Rever forma de apresentação Tentei tornar o gráfico mais limpo, diminuindo ou aumentando algumas dimensões

17 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Número médio de casos (famílias ou indivíduos) que ingressam no PAEFI por mês, segundo o porte dos municípios Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA)

18 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Média de casos (famílias ou indivíduos) em acompanhamento pelo PAEFI no ano de 2012, por porte do município Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA)

19 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Média de casos (famílias ou indivíduos) em acompanhamento pelo PAEFI no ano de 2012, por região Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA)

20 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Tempo médio de duração (em meses) dos acompanhamentos do PAEFI no ano de 2012, por porte do município Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA)

21 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA) Número médio de casos (famílias ou indivíduos) que ingressam no PAEFI por mês, segundo as regiões

22 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA) Número médio de crianças ou adolescentes que ingressam no PAEFI por mês, segundo a Região e o tipo de violência/violação Rever forma de apresentação Apesar do gráfico estar poluído, acho mais claro deixar as barras com a distribuição da variável dependente. Ou seja, sugiro deixar como esta.

23 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA) Número médio de idosos que ingressam no PAEFI por mês, segundo a Região e o tipo de violência/violação

24 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA) Número médio de mulheres que ingressam no PAEFI por mês, segundo a Região e o tipo de violência/violação

25 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Serviço de Proteção Social a Adolescentes em Cumprimento de Medias Socioeducativas

26 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Fonte: Censo SUAS 2012 – CREAS Quantidade de CREAS que executam Medida Socioeducativa segundo Porte e Região Quantidade de CREAS Quantidade de CREAS com MSE Pequeno I Pequeno II Médio Grande Metrópole Total Quantidade de CREAS Quantidade de CREAS com MSE Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Total

27 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Percentual de CREAS segundo tipo de Medida Socioeducativa na possuía adolescentes em acompanhamento em agosto de CREAS realizam Liberdade Assistida 1430 CREAS realizam Prestação de Serviço à Comunidade

28 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Se a equipe técnica responsável pelo Serviço de Proteção Social a Adolescentes em Cumprimento de Medida Socioeducativa (LA e PSC) é exclusiva deste serviço Fonte: Censo SUAS 2012 – CREAS

29 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de CREAS segundo frequência em que, em média, cada adolescente é atendido 58,1 47,3 N (LA) = 1404 N (PSC) = 1430 Fonte: Censo SUAS 2012 – CREAS

30 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 N (LA) = 1404 N (PSC) = 1430 Quantidade de CREAS segundo frequência em que, em média, cada adolescente é atendido Fonte: Censo SUAS 2012 – CREAS

31 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Média mensal, por CREAS, de adolescentes em cumprimento de MSE no ano de 2012, por porte do município Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA)

32 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA) Média mensal, por CREAS, de adolescentes em cumprimento de MSE no ano de 2012, por região

33 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Média mensal por unidade de adolescentes em cumprimento de LA e PSC no ano de 2012, por porte do município Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA)

34 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Média mensal por CREAS de adolescentes em cumprimento de LA ou PSC no ano de 2012, por região Fonte: MDS/SNAS/CGVIS – Registro Mensal de Atendimentos do SUAS (RMA)

35 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua - Centro POP Serviço Especializado para Pessoas em Situação de Rua Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua - Centro POP Serviço Especializado para Pessoas em Situação de Rua

36 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 MédioGrandeMetrópoleTotal Quant.% % % % Norte133,334,013,754,8 Nordeste00,01418,7829,62221,0 Sudeste00,03952,01140,75047,6 Sul266,71621,3414,82221,0 Centro- Oeste 00,034,0311,165,7 Brasil3100,075100,027100, ,0 Quantidade de Centros POP, por porte do município e região

37 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Qtd. de municípios com mais de 100 mil hab ou municípios de RM com 50 mil hab ou mais, SEM Centro POP, por região Qtd de municípios com mais de 100 mil hab ou municípios de RM com 50 mil hab ou mais, SEM Centro POP, por porte do município * Belém é a única metrópole que não possui Centro POP

38 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de Centros POP que funcionam em imóvel compartilhado Do total de 105 Centros POP, somente 53 deles (50,5) declaram que NÃO funcionam em imóvel compartilhado. Os outros 52 Centros POP compartilham o imóvel com diferentes tipos de unidade, conforme mostra o gráfico abaixo * A categoria "Outros" também engloba as unidades que declararam compartilhar o seu imóvel com outra unidade pública de serviços socioassistenciais.

39 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de unidades existentes Quantidade de unidades que funcionam em imóveis compartilhados % Norte 5480,0 Nordeste 22731,8 Sudeste ,0 Sul ,5 Centro-Oeste 6350,0 Total ,5 Quantidade de Centros POP que funcionam em imóvel compartilhado, por região

40 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Espaços físicos disponíveis no Centro POP

41 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de salas utilizadas nos Centros POP Quantidade de salas utilizadas para Atendimento Individual ou Coletivo Quantidade de salas utilizadas para atendimento e para atividades administrativas

42 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Percentual de Centros POP que acessam o Cadastro Único

43 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 De acordo com o Censo SUAS 2012, atualmente há trabalhadores atuando nos Centros POP, de tal forma que as equipes dessas unidades são compostas, em média, por 16 trabalhadores. Quantidade de trabalhadores atuando nos Centros POP Porte do município Nível fundamentalNível médioNível superiorTotal Quantidade de trabalhadores % % % % Porte Médio 315,0735,01050,020100,0 Porte Grande 15314,245942,746343, ,0 Metrópole 6211,522241,025747, ,0 Total 21813,368842,173044, ,0

44 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Presença de Assistentes Sociais e Psicólogos nas equipes dos Centros POP

45 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Estratégias existentes na localidade para assegurar acesso à alimentação aos usuários do Centro Pop

46 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Percentual de Centros que oferecem refeição aos usuários, por tipo de refeição * Apesar do percentual de centros que oferecem almoço e jantar aos usuários ter sido menor em 2012, os valores absolutos aumentaram: Em 2011, 61 centros ofereciam almoço e 26 ofereciam jantar; em 2012 esses números aumentaram para 67 (almoço) e 28 (jantar).

47 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Serviço Especializado em Abordagem Social (Dados CREAS) Serviço Especializado em Abordagem Social (Dados CREAS)

48 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Realização do Serviço Especializado em Abordagem Social pelo CREAS, por porte do município Fonte: Censo SUAS 2012 – CREAS

49 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Realização do Serviço Especializado em Abordagem Social pelo CREAS, por Grandes Regiões Fonte: Censo SUAS 2012 – CREAS

50 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 A abordagem social é realizada pela equipe do CREAS Fonte: Censo SUAS 2012 – CREAS

51 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Frequência por semana de realização da abordagem social pelo CREAS Fonte: Censo SUAS 2012 – CREAS

52 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Período do dia em que é realizada a abordagem social pelo CREAS Fonte: Censo SUAS 2012 – CREAS

53 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Serviço Especializado em Abordagem Social (Dados Centro Pop) Serviço Especializado em Abordagem Social (Dados Centro Pop)

54 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de Centro POP que realizam o Serviço Especializado em Abordagem Social Por porte do município Por grandes regiões

55 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de Centros POP que realizam abordagem social Frequência com que realiza abordagem social Em que períodos do dia?

56 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de Centros Pop segundo o tipo de Abordagem Social que é feita no território de abrangência Qual a escala? Procurei com cuidado os dados na pasta “Insumos”, mas não encontrei.

57 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Percentual de unidades que desenvolvem as seguintes ações e atividades pelo Serviço Especializado para Pessoas em Situação de Rua

58 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de Centros POP em relação ao número de indivíduos identificados em situação de rua pelos centros que realizam Serviço de Abordagem

59 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 O Centro de Referência para População em Situação de Rua facilita o acesso ou oferece alimentação aos usuários

60 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Unidades de Acolhimento

61 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Distribuição das Unidades de Acolhimento MAPA Falta o mapa

62 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Público Total de unidades de acolhimento Quantidade total de pessoas acolhidas Média de acolhidos por unidade Média de acolhidos por dormitório Quantidade % Crianças/adolescentes , ,63,5 Jovens egressos de serviços de acolhimento 180,41196,61,8 Exclusivamente crianças/adolescente com Deficiência 310,788728,66,7 Exclusivamente pessoas adultas com Deficiência 821, ,03,3 Adultos e famílias em situação de rua e/ou migrantes 3908, ,09,1 Famílias desabrigadas/desalojadas 120,381167,628,8 Mulheres em situação de violência 741,75767,81,9 Pessoas Idosas , ,23,1 Usuários de substância psicoativas 601, ,87,2 Pessoa com deficiência sem critério de idade 410, ,74,4 Outro 962, ,93,9 Total , ,64,0 Tipo de Unidade segundo quantidade e média de acolhidos

63 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Unidades de Acolhimento – Criança e Adolescente Unidades de Acolhimento – Criança e Adolescente

64 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de municípios brasileiros Quantidade de municípios com Unidades de Acolhimento Quantidade de Unidades de Acolhimento Quantidade de vagas Quantidade de acolhidos Pequeno I Pequeno II Médio Grande Metrópole BRASIL Município, Unidades e Acolhidos segundo Porte e Região Quantidade de municípios brasileiros Quantidade de municípios com Unidades de Acolhimento Quantidade de Unidades de Acolhimento Quantidade de vagas Quantidade de acolhidos Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste BRASIL

65 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Distribuição geográfica dos municípios que recebem cofinanciamento federal para Serviços de Acolhimento e possuem Serviço para crianças e adolescentes Distribuição geográfica dos municípios com Serviços de Acolhimento para crianças e adolescentes identificados pelo MDS

66 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Unidades e Acolhidos segundo tamanho da Unidade Criança e Adolescente

67 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 % Não Governamental % Governamental Municipal ou do Distrito Federal % Governamental Estadual Qtd Total Região Norte24,071,05,0100 Região Nordeste49,145,85,2271 Região Sudeste64,335,30,41170 Região Sul44,855,20,0629 Região Centro-Oeste45,353,21,6190 Brasil 54,144,71,12360 Quantidade de unidades não governamentais Quantidade de unidades que possuem Convênio % Região Norte ,2% Região Nordeste ,9% Região Sudeste ,2% Região Sul ,3% Região Centro-Oeste ,7% Brasil ,3% Unidades não governamentais que possuem convênio Tipo de Unidade

68 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Abrigo Institucional Casa Lar Casa Lar em Aldeia Casa de Passagem Outra (N) Região Norte67,09,04,018,0 2,0 (100) Região Nordeste62,717,33,712,2 4,1 (271) Região Sudeste75,516,31,34,4 2,5 (1170) Região Sul52,037,72,46,4 1,6 (629) Região Centro-Oeste62,624,23,76,3 3,2 (190) Brasil 66,422,52,26,6 2,5 (2360) Quantidade total de pessoas acolhidas Quant. que vieram encaminhadas % Pequeno I ,6% Pequeno II ,6% Médio ,2% Grande ,1% Metrópole ,5% BRASIL ,8% Crianças e Adolescentes encaminhadas de outros municípios Tipo de Unidade de Acolhimento

69 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Se possui Orientação Religiosa Quantidade de unidades % Área residencial ,6 Área comercial/industrial 351,5 Área isolada 672,8 Área mista - Residencial e Comercial/Industrial 68629,1 Total ,0% Onde está localizada Se a Unidade faz Plano Individual de Atendimento

70 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de unidades de acolhimento que, independentemente da existência de critérios de sexo e idade, acolhem grupo de usuários com vínculos de parentescos Quantidade de unidades % A própria unidade/serviço de acolhimento ,2% O CRAS ,0% O CREAS ,4% Outro 55223,4% Não sabe informar 823,5% Não é realizado acompanhamento de egressos 944,0% Quantidade de unidades ,0% Quem realiza o acompanhamento dos usuários após o seu desligamento da Unidade de Acolhimento

71 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Tempo de Permanência

72 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Trabalhadores das Unidades de Acolhimento

73 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial Unidades não possuem Assistente Social e Psicólogo só tem um dos dois profissionais Trabalhadores das Unidades de Acolhimento

74 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Serviços de Famílias Acolhedora Se possui Serviço de Famílias Acolhedoras Se o programa é regulamentado por lei Se possui equipe técnica Crianças Acolhidas Famílias disponíveis Assistente Social e Psicólogo Só Assistente Social Só Psicólogo Não tem Assistente Social ou Psicólogo Norte Nordeste Sudeste Sul Centro- Oeste Total Se possui Serviço de Famílias Acolhedoras Se o programa é regulamenta do por lei Se possui equipe técnica Crianças Acolhidas Famílias disponíveis Assistente Social e Psicólogo Só Assistente Social Só Psicólogo Não tem Assistente Social ou Psicólogo Pequeno I Pequeno II Médio Grande Metrópole Total

75 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Unidades de Acolhimento – Idoso Unidades de Acolhimento – Idoso

76 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Município, Unidades e Acolhidos segundo Região Quantidade de municípios brasileiros Quantidade de municípios com Unidades de Acolhimento Quantidade de Unidades de Acolhimento Quantidade de vagas Quantidade de acolhidos Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste BRASIL

77 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Pessoas Idosas Unidades e Acolhidos segundo tamanho da Unidade

78 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Região Quantidade de unidades não governamentais Quantidade de unidades que possuem Convênio % Norte ,1 Nordeste ,3 Sudeste ,7 Sul ,5 Centro-Oeste856778,8 Brasil ,9 Unidades que possuem Convênio com o poder público municipal Não Governamental Governamental Municipal ou do Distrito Federal Governamental Estadual Quantidade de unidades % % % Norte1852,9%1235,3%411,8% Nordeste14789,0%159,1%31,8% Sudeste67095,4%284,0%40,6% Sul18791,7%178,3%00,0% Centro-Oeste8569,7%3629,5%10,8% Brasil110690,2%1088,8%121,0% Natureza da Unidade

79 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Percentual de unidades por condição de acessibilidade

80 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Tempo de Acolhimento Pessoas idosas Quantidade de pessoas % Menos de 1 Mês8051,8 De 1 a 3 meses17673,9 De 4 a 6 meses20044,4 De 7 a 12 meses39648,7 De 13 a 24 meses632413,9 De 25 a 48 meses711815,6 De 49 a 72 meses642814,1 Mais de 72 meses (mais de 6 anos) ,9 Sem informação8421,8 Total de pessoas acolhidas Quantidade de pessoas acolhidas, segundo o tempo que estão na Unidade Percentual de acolhidos, por sexo

81 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Presença de Assistentes Sociais e Psicólogos nas equipes

82 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Trabalhadores por Escolaridade

83 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Unidades de Acolhimento – Adultos e famílias em situação de rua e/ou migrantes Unidades de Acolhimento – Adultos e famílias em situação de rua e/ou migrantes

84 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Natureza da unidade, por região Não Governamental Governamental Municipal ou do Distrito Federal Governamental Estadual Quantidade de unidades % % % Norte222,2444,4333,3 Nordeste1441,22058,800,0 Sudeste15868,77130,910,4 Sul4455,73544,300,0 Centro-Oeste1950,01950,000,0 Brasil23760,814938,241,0

85 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Considerando a “vizinhança” da Unidade, a área onde ela está localizada caracteriza-se como: Quantidade de unidades% Área residencial 13735,1 Área comercial/industrial 71,8 Área isolada 276,9 Área mista - Residencial e Comercial/Industrial 21956,2 Total Percentual de unidades segundo a quantidade de pessoas acolhidas por dormitório

86 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de acolhidos por sexo e faixa etária Sexo Quantidade de pessoas acolhidas, segundo as Faixas Etárias (anos de idade) 0 a 23 a 56 a 1112 a 1314 a 1516 a 1718 a 2122 a 5960 a ou mais Masculino Feminino Total Quem realiza o acompanhamento dos usuários após o seu desligamento da Unidade de Acolhimento Quantidade de unidades% A própria unidade/serviço de acolhimento13634,9% O CRAS11830,3% O CREAS16041,0% Outro4712,1% Não sabe informar102,6% Não é realizado acompanhamento de egressos12532,1% Quantidade de unidades390100,0%

87 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Quantidade de trabalhadores por escolaridade

88 Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Presença de Assistentes Sociais e Psicólogos Tem Psicologo e Assistente Social Só tem Assistente Social Só tem Psicologo Não tem nem Psicologo, nem Assistente Social Total Pequeno I 8,3%25,0%0,0%66,7%12 Pequeno II 14,6%41,5%2,4%41,5%41 Médio 32,5%30,0%2,5%35,0%40 Grande 37,4%40,5%4,2%17,9%190 Metrópole 60,7%28,0%5,6% 107 Total40,0%35,6%4,1%20,3%390


Carregar ppt "Encontro Nacional de Monitoramento e Vigilância Socioassistencial 2013 Vigilância dos padrões dos Serviços de Proteção Social Especial Mesa 6 - Encontro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google