A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SEMINÁRIO INSTITUCIONAL DE AVALIAÇÃO E PLANEJAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO NA UFSM - 2012 Nome do Programa: PPGEnf Centro: CCS Área de avaliação: Enfermagem.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SEMINÁRIO INSTITUCIONAL DE AVALIAÇÃO E PLANEJAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO NA UFSM - 2012 Nome do Programa: PPGEnf Centro: CCS Área de avaliação: Enfermagem."— Transcrição da apresentação:

1 SEMINÁRIO INSTITUCIONAL DE AVALIAÇÃO E PLANEJAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO NA UFSM - 2012 Nome do Programa: PPGEnf Centro: CCS Área de avaliação: Enfermagem Conceito na Capes: 3 Início do Curso Mestrado: 2007 Doutorado: APCN/2013 Coordenação: Gestão 2011-2013 Stela Maris de Mello Padoin e Marlene Gomes Terra Comitê Gestor: Tânia Bosi Magnago; Cristiane Cardoso de Paula e Margrid Beuter. Representante Discente: Mestrando Roger Rodrigues Peres MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA COMITÊ ASSESSOR DA PRPGP

2 UFSM QUANTITATIVO DA ATIVIDADE DE FORMAÇÃO Capacidade de formação201020112012 MESTRADO Número de discentes matriculados em cada ano183238 Número de titulados cada ano-previsão até dez/12101627 DOUTORADO Número de discentes matriculados em cada ano Número de titulados cada ano-previsão até dez/12

3 UFSM Resumo dos requisitos exigidos pelo Documento de área Capes Expor brevemente quais os principais requisitos do documento de área para o conceito ao que o Programa tem a perspectiva de atingir.

4 UFSM Resumo do desempenho do Programa nos dois primeiros anos do triênio 2010-2012 4 Grupos de pesquisa 71 discentes em 2012 Docentes Permanentes = 9 Docentes Permanentes = 6 PP = 27; P Ext. = 7 Disciplinas focadas e flexíveis PP = 11; P Ext. = 3 Disciplinas Trabalho e gestão em enfermagem e saúde – LP 2 Cuidado e educação em enfermagem e saúde – LP 1 Cuidado, Educação e Trabalho em Enfermagem e Saúde PPGEnf = Adequação AC, LP, PP, Disciplinas Métrica MB Planejamentos, metas – indução da Instituição; Infraestrutura – precisa melhorar Quesito 1: adequação da proposta e convergência entre AC; LP e PP [50]. Planejamento, metas [20]. Infraestrutura ensino, pesquisa e extensão [30].

5 UFSM Resumo do desempenho do Programa nos dois primeiros anos do triênio 2010-2012 -Perfil aderente a proposta do Programa // Experiência = em equilíbrio - Adequação ao programa / Dedicação = MB -Atividade de pesquisa – todos os docentes com pelo menos um PP sob sua coordenação [mediado por consultoria externa houve adequação do nº de PP no triênio, era uma recomendação do triênio passado] - Mediante as avaliações consecutivas e experiência acumulada fizemos adequações em disciplinas para o envio do APCN do Curso de Doutorado [dar flexibilidade e foco temático nas LP e AC] Quesito 2: peso 30. Corpo docente, perfil/experiência [15], adequação ao programa, dedicação [20], atividades pesquisa e formação [40], contribuição GRA [repercussão de futuros ingressantes na PG] [10]; captação de recursos [15]

6 UFSM Resumo do desempenho do Programa nos dois primeiros anos do triênio 2010-2012 Atividade de formação Orientação 2010: 31 alunos/14 DP [03 ingressos, 01 LTS] = 2,21 2011: 51/13 DP [01 ingresso] = 3,93 2012: 71/15 DP [02 ingressos] = 4,73 * Adequação à Portaria 01/2012 de 1DP no próximo triênio [mais de 8 orientações/participação 2 PG/UFSM] * Distribuição equilibrada de orientação vai melhorar com a experiência dos DP no programa e tempo de ingresso. Formação: no triênio só não tem formação o DP com ingresso recente [3] 1 Docente Colaborador e 1 Docente Visitante não reflete dependência Avaliação de Professor Visitante = MB, manter contratação Quesito 2: continuação... atividades de formação [40], contribuição GRA [repercussão de futuros ingressantes na PG] [10]; captação de recursos [15] Média DP/triênio: 14 Métrica = MB

7 UFSM Resumo do desempenho do Programa nos dois primeiros anos do triênio 2010-2012 Repercussão na formação GRA: reflete no perfil do corpo discente ME 2010: bolsa de IC 12% 2011: bolsa de IC 40,7% 2012: bolsa de IC 34,21%, 43% egressos GRA; Repercussão do perfil no ME: aproxima do perfil da demanda desejado, agiliza a transição, possibilita formação qualificada em menor período de tempo, aumenta a produção, melhora a proporção da produção DP/DC. Quesito 2:... contribuição GRA [repercussão de futuros ingressantes na PG] [10]; captação de recursos [15] Quesito captação de recursos: DP contemplado com Ed.Universal [3], Pesquisador Gaúcho [1], Bolsas de PIBIC, PROBIC, PROIC entre outras. Projetos financiados - como Centro de Referência de Craque. O Corpo Docente tem enviado projetos para PQG/FAPERGS, Ed.Universal/CNPq e PQ/CNPq, demostram competitividade, no entanto o sistema esta engessado. Precisa melhorar.

8 UFSM Resumo do desempenho do Programa nos dois primeiros anos do triênio 2010-2012 100% dos discentes tiveram co-orientação de TCC e/ou IC 50% dos discentes participaram em banca de TCC na graduação, os demais estão com participação prevista para 2012 62,5% participaram em projetos de extensão 94% desenvolveram atividade de DO na graduação Quesito 3: peso 30. Corpo discente e trabalho de conclusão. Relação de defesas e CD [20]; distribuição orientação [20]; produção discente quantidade e qualidade [autoria compartilhada orientador, GRA] [50]; tempo de formação bolsistas [10]. 2010: 10 / 30 = 0,33 2011: 16 / 50 = 0,32 2012: 30 / 71 = 0,42 Titulados no triênio = 56 Métrica da área: alunos titulados em relação à dimensão do corpo discente/Mestrado = MB = ≥ 0,30 Para o PPGEnf = MB Tempo de formação dos bolsistas: média 21 meses = MB Demanda reprimida de 16 bolsas [50%] Interface com quesito 2 contribuição na GRA

9 UFSM Resumo do desempenho do Programa nos dois primeiros anos do triênio 2010-2012 Quesito 4: peso 40. produção intelectual. Produções qualificadas [40]; distribuição da produção quanto CD [40]; produção técnica [20]. [Interface com quesito 3 - Corpo Discente] Conceito Bom (nota 4): produção global dos DP corresponde a razão de, no mínimo, 01 artigo B2 ou superior/DP/ano. Atingindo 300 pontos ou mais. Produção de discentes e/ou egresso da PG e GRA autores dos artigos qualificados é de 65,5 % B3 ou superior. Métrica do PPGEnf = MB Produção técnica: membro de associação [3]; consultores de periódicos [15]; membro de conselho editorial [4]; capítulo de livro e livro [em discussão];

10 UFSM Resumo do desempenho do Programa nos dois primeiros anos do triênio 2010-2012 Quanto a razão entre a produção qualificada x CD // DP no triênio PPGEnf: 321/14 média DP: 21,9 // PPGEnf: 305/14 média DP: 21,8 Percentual de DP com produção qualificada nos estratos: 100% DP com 300 pontos ou mais em B2 ou superior – para conceito 4 86,7 % DP com 400 pontos ou mais em B1 ou superior – para conceito 5 Quanto à produção global do CD triênio [CD = DP + DC] Corrigindo desde coleta 2011 - 64 sem Qualis 16 capítulos e 02 organização livros [discute-se ser produção técnica] A1A2B1B2B3B4B5Total triênio 1037135108220702321 3,2 %11,5 %42,0 %33,6 %6,9 %2,2 %0,6 %-

11 UFSM Resumo do desempenho do Programa nos dois primeiros anos do triênio 2010-2012 Atende métrica de produção intelectual para conceito 4 Conceito 4: produção global dos DP corresponde a razão de, no mínimo, 01 artigo B2 ou superior/DP/ano e 300 pontos. Equilíbrio na distribuição melhora com experiência/tempo ingresso...

12 UFSM Resumo do desempenho do Programa nos dois primeiros anos do triênio 2010-2012 Total global 19.770

13 UFSM Resumo do desempenho do Programa nos dois primeiros anos do triênio 2010-2012 Quesito 5: peso 15. inserção social. Inserção e impacto do PG [30]; Integração e cooperação com outros vistas ao desenvolvimento outro [55]; Visibilidade/transparência [15]. Projetos de extensão na assistência, na comunidade e no Ensino Fundamental e Médio Somos Receptora de DINTER Novas Fronteiras 2009 com quatro Associadas com vista a minimizar as desigualdades regionais no RS Apoio/assessoria para cursos novos no Estado – a partir do DINTER Página com manutenção própria Nucleação: Egressos em IES como docentes [13], como Doutorandos – UFRGS [4], UFRJ [2], USP [1]. Nos processos seletivos de 2012: UFC/Ceará [1]; UFRGS [5]. [60 % da turma de doutorado 2013 da referida escola].

14 UFSM Resumo do desempenho comparativo aos demais Programas de sua Área de Avaliação na Capes ENFERMAGEMProgra mas Cursos Mestrado (MA)2045 MA e Doutorado (DO)* (*2 IES MA/DO/MP) 25- DO0227 Mestrado Profissional (MP) 11 TOTAL5883 Conceitos dos Programas e Cursos de Pós-Graduação em Enfermagem abril/2012 PROGRAMAS E CURSOS DE PG EM ENFERMAGEM Maio 2012

15 UFSM Resumo do desempenho comparativo aos demais Programas de sua Área de Avaliação na Capes PROGRAMAS E CURSOS DE PG EM ENFERMAGEM - Maio 2012 RegiãoNorte (AM, RO, RR, AP, PA, TO, AC) Nordeste (MA, CE, RN, PB, PE, AL, SE, BA, PI) Centro-Oeste (MT, GO, MS) Sudeste (MG, ES, SP, RJ) Sul (RS, PR, SC) Participa ç ão 2,4%21,7%8,4%47%20,5% Bolsa PQ024410925 MP (conceito) 02 (3)1 (3)3 (3) 2 (4) 1 (3) 2 (4) MA (conceito) 2 (3)6 (3) 4 (4) 1 (5) 2 (3) 2 (4) 6 (3) 5 (4) 6 (5) 3 (6) 3 (3) 3 (4) 1 (5) 1 (6) DO (conceito) 04 (4) 1 (5) 2 (4)4 (4) 7 (5) 3 (6) 4 (4) 1 (5) 1 (6)

16 UFSM Resumo do desempenho comparativo aos demais Programas de sua Área de Avaliação na Capes Nordeste [PE, PI, BA] 2007 2008 2009 20072009 Sudeste [MG, RJ] Entre 18 Programas com nota 3, foram analisados: ano de início do curso e localização; Nº de DP; Formação; Produção global dos DP; Nº de DP que NÃO atendem aos critérios do conceito 4 [quesito produção].

17 UFSM Expectativa do Programa de Pós-graduação com relação a conceito no próximo triênio-2013-2015 QuesitoSituação PPGEnf/UFSM Proposta Coerência e consistência da proposta Planejamento anual Infraestrutura Corpo docente Critérios bem definidos de credenciamento [politica treinamento/renovação] Equilíbrio entre doutor com experiência e jovem Formação em três escolas - diversidade Atividade de ensino, pesquisa GRA e PG Orientação/DP Formação [ingresso 5 DP no triênio]; co-orientação DINTER [experiência] Captação de recursos Corpo discente Titulação/DP Bolsistas Produç ão intelect ual Aumento quantitativo e qualitativa - premiações Razão DP/Discente qualificada Produção técnica Inser ção socia l Integração com IES do DINTER; com serviços SUS; participação em órgão de classe e associações 100 % Alcança o conceito MB

18 UFSM METAS ESTABELECIDAS PARA O TRIÊNIO 2013-2015 Meta Viabilida de (1 a 5) Ameaças Prioridad e 1 a 5 Obter conceito 4 Capes1Avaliação CAPES1 Implantar Curso Doutorado1Avaliação CAPES1 Ter DP com bolsa produtividade3Sistema1 Ampliar área física e infraestrutura4Falta de recursos financeiros1 Ampliar convênios de pesquisa com instituições de ensino superior nacionais e internacionais 1Domínio de Línguas estrangeiras. Financiamento dos projetos 1 Ampliar o impacto social e a visibilidade do programa 2Fomento2 Apoiar e fortalecer grupos de pesquisa2Melhorar a infraestrutura; Número de bolsas de IC e de mestrado insuficientes 1

19 UFSM AÇÕES QUE PODERÃO PERMITIR ATINGIR AS METAS PROPOSTAS PARA O TRIÊNIO 2013-2015 Ações Viabilidade (1 a 5) AmeaçasPrioridade 1 a 5 Ampliação CD5Externa FUNPRESP Política de recursos humanos do governo federal e critérios de alocação de vagas no Centros de ensino. 1 Aproximação com instituições nacionais e internacionais para estabelecer parcerias; Construção de projetos interinstitucionais e instrumentalização do CD e Discentes; 2CD composto ainda por jovens doutores; reduzido e sobrecarga de trabalho 1 Participação efetiva de professor visitante.11 Busca de fomentos por meio da participação em editais específicos 3Critérios para responder ao edital1 Avaliação do programa continuamente; Incentivo de DP para estágio pós doutoral; Homogeneização da quantidade e da qualidade da produção científica 2Obtenção de recurso para pós doc no exterior; Demora do retorno dos periódicos; 1

20 UFSM AÇÕES QUE PODERÃO PERMITIR ATINGIR AS METAS PROPOSTAS PARA O TRIÊNIO 2013-2015 Ações Viabilidade (1 a 5) AmeaçasPriorida de 1 a 5 Participação e organização de eventos internacionais (Discentes e docentes); Produção de material de divulgação do programa/ Revista; Monitoramento da página do PpGEnf na Web Efetivação de parcerias com instituições de ensino e de saúde 2Fomento Restrito aos discentes 2 Divulgação entre os líderes dos GP dos editais pertinentes; Convite à experts para apoio na elaboração de projetos competitivos para editais Formação permanente das equipes de pesquisa por meio de cursos de pequena duração 2Externa: número insuficiente de bolsas (IC e discentes); 2

21 UFSM Descrever como infra-estrutura e material humano irão afetar a perspectiva de conceito para o próximo triênio-2013-2015 e a estratégia de ação junto às Direções de Centros, Departamentos e Gabinete do Reitor. INFRA-ESTRUTURA E MATERIAL HUMANO: RELAÇÃO COM AS METAS PARA O TRIÊNIO 2013-2015 Infra-estrutura - necessidade de equipar laboratório de epidemiologia para GP, sala equipada para GP, gabinete de orientação, auditórios para as defesas e cursos de curta duração - área física em construção o que possibilitará ampliar salas de aula, laboratórios e salas de professores - hoje temos 04 salas de aula, 01 sala para laboratório, 01 sala para os mestrandos, 03 salas de professores; - resposta ao Edital Pró-equipamentos/UFSM - 2010 e 2011 - aquisição de material e equipamentos (mesas, escrivaninhas, computadores, impressora, etc);

22 UFSM Professores com perspectiva de aposentadorias/déficit de docentes INFRA-ESTRUTURA E MATERIAL HUMANO: RELAÇÃO COM AS METAS PARA O TRIÊNIO 2013-2015 - Diversas reuniões com o Reitor, Vice Reitor e Diretor de Centro sobre possibilidade de ampliação de vagas docentes; poucas possibilidades efetivas e mediatas; - realizado concurso público para professor efetivo para a vaga de aposentadoria - aguardando publicação no Diário Oficial; - abertura de 01 vaga para enfermeiro (TAE) no próximo concurso público na UFSM e 01 vaga para docente para 2013

23 UFSM PRINCIPAIS AÇÕES QUE VISAM PROMOVER A INSERÇÃO SOCIAL E INTERNACIONALIZAÇÃO DO PROGRAMA Descrever quais ações foram, estão sendo ou pretendem implementar ou intensificar para aumentar a inserção social e a internacionalização do Programa. Criação da Comissão de Assuntos Internacionais (3DP, 3 mestrandos e 01 estudante da graduação) do PPGEnf/UFSM no 1º sem/2012. “II Seminário Internacional de Enfermagem: cuidado, educação e trabalho” em 25 a 27 de setembro de 2013. Pesquisadores renomados de IES estrangeiras confirmados: Canadá, Portugal, Colômbia e Argentina. Aproximação de DP com Programas de IES estrangeiras com vistas ao Pós- doutorado. Participação de DP em eventos científicos de caráter internacional (eventos no país e no exterior – Canadá e Portugal). Participação de 01 aluna na Mobilidade de estudantes da Graduação no Ciências Sem Fronteiras. Convênio realizado com IES de Montreal (Canadá), tem produto - 2 artigos submetidos.

24 UFSM PRINCIPAIS AÇÕES QUE VISAM PROMOVER A INSERÇÃO SOCIAL E INTERNACIONALIZAÇÃO DO PROGRAMA Participação em comitês editoriais e em diretoria de periódicos de circulação internacional. Parceria em projetos de pesquisa envolvendo Programas de Pós Graduação e grupos de pesquisa de IES estrangeira. Abrir vagas para alunos de origem estrangeira no Programa. Estimular publicação em periódico internacional. INTENSIFICAR

25 UFSM


Carregar ppt "SEMINÁRIO INSTITUCIONAL DE AVALIAÇÃO E PLANEJAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO NA UFSM - 2012 Nome do Programa: PPGEnf Centro: CCS Área de avaliação: Enfermagem."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google