A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Belo Horizonte – Minas Gerais – Brasil. I NTEGRANTES DO G RUPO CURSO : G ESTÃO DE T ECNOLOGIA DA I NFORMAÇÃO NOME DO GRUPO: G REEN I T C ELSO A LVES DA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Belo Horizonte – Minas Gerais – Brasil. I NTEGRANTES DO G RUPO CURSO : G ESTÃO DE T ECNOLOGIA DA I NFORMAÇÃO NOME DO GRUPO: G REEN I T C ELSO A LVES DA."— Transcrição da apresentação:

1 Belo Horizonte – Minas Gerais – Brasil

2 I NTEGRANTES DO G RUPO CURSO : G ESTÃO DE T ECNOLOGIA DA I NFORMAÇÃO NOME DO GRUPO: G REEN I T C ELSO A LVES DA S ILVA J R C HARLES T ADEU V IEIRA K AWAHARA E LTON P EDROSA R IBEIRO G UILDNER G ONÇALVES F ERREIRA L UCAS S ANTOS F ONSECA M IKE S ILVA V IEIRA R AFAEL V INÍCIUS C ARDOSO

3 T ÍTULO

4 M OTIVAÇÃO

5 O BJETIVOS G ERAIS apresentar a importância da TI Verde e suas práticas ecológicas no cotidiano das empresas conscientizar os usuários domésticos a também praticá-las, pois são essas atitudes que farão a diferença tanto hoje como em um futuro indefinido.

6 O BJETIVOS E SPECÍFICOS Analisar a questão sócio cultural no contexto da sustentabilidade Conceituar a Norma ISO Mostrar soluções de reciclagem em todos os níveis da produção e do consumo

7 C ONCEITO DE T ECNOLOGIA Ser Humano Conhecimento Energia Processo de Trabalho Meios de produção Matéria

8 C ONCEITO DE T ECNOLOGIA V ERDE Ser Humano Conhecimento Energia Processo de Trabalho Meios de produção Matéria

9 T I V ERDE - A O RIGEM Hall & Lindzei - Teorias da Personalidade Antropocentrismo X Biocentrismo Egocentrismo X Alterocentrismo

10 T I V ERDE – A O RIGEM Até meados dos anos 70 - Proteção ambiental e Desenvolvimento TOTALMENTE antagônicos 1970/ Origem do movimento ambientalista Ambientalismo empresarial

11 ISO : G ESTÃO A MBIENTAL O que é a Certificação ISO Quais são os benefícios para as empresas em possuir a certificação ISO 14001

12 M ODELO DE I MPLANTAÇÃO

13 RECICLAGEM : T RANSFORMAÇÃO DO L IXO E LETRÔNICO Tudo o que é produzido ou consumido gera resíduos Aparelhos com novas funções e tecnologias são despejados no mercado diariamente Consumo desenfreado

14 RECICLAGEM : T RANSFORMAÇÃO DO L IXO E LETRÔNICO

15

16 L OGÍSTICA R EVERSA Lei Nº de 02/08/2010 -Política Nacional de Resíduos Sólidos -PNRS

17 L OGÍSTICA R EVERSA Case: Reverse – Gerenciamento de Resíduos Tecnológicos Ltda. 1 coleta, segregação e destinação 2 Resíduos Sólidos Industriais Classe I: resíduos tecnológicos (plástico, ferro, fios de cobre, placa mãe, conectores e HD, etc). 3 Resíduos Perigos Classe I, segundo a Norma ABNT NBR10.004:2004 placas de circuito, pilhas e baterias, aparelhos celulares, disco rígido, telas de CRT

18 L OGÍSTICA R EVERSA Eco pontos Base Coleta seletiva responsabilidade compartilhada entre os diversos integrantes e setores Ação criação de eco pontos alocados em uma rede de venda e distribuição de eletroeletrônicos

19 C OMPUTAÇÃO V ERDE O termo Computação verde tem sido utilizado para o estudo e práticas do uso eficiente de recursos computacionais Criar ações de responsabilidade corporativa no intuito de promover a redução de consumo energético, desenvolvimento de sistemas e componentes de baixo consumo

20 C OMPUTAÇÃO V ERDE Elasticidade sob demanda Economia de custos Velocidade:

21 I NTERDISCIPLINARIDADE Lógica ALGORITMO E ESTRUTURA DE DADOS Linguagem Universal INGLÊS INSTRUMENTAL Planejamento ADMINISTRAÇÃO E EMPREENDEDORISMO Ética SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIAAMBIENTAL Metodologia LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO

22 Conclusão A transformação do mundo passa pela mudança paradigmática no âmbito econômico, social e espiritual. Um novo homem precisa renascer, mais ético, solidário e cidadão, capaz de reconhecer na natureza a sua casa, o seu chão.

23 Referências Bibliográficas ITAUTEC. Sustentabilidade. São Paulo Disponível em: Acesso em: 28 AGOSTO McDonough, W. &Braungart, M. - Cradle to Cradle: Remaking the Way We Make Things, North Point Press, New York (2002). Globo. Geração de lixo eletrônico no Brasil Em campeao-na-geracao-de-lixo-eletronico-por-habitante.html Acesso em 29 AGOSTO LATOUCHE, Serge. "Os perigos do mercado planetário." Lisboa: Instituto Piaget, D.L PERIN, Edson. TI para negócios. como fazer a tecnologia trabalhar pelo seu sucesso e da sua empresa, 1 ed. São Paulo, Netpress Books, p PORTAL centro de computação eletrônica por: Universidade de São Paulo, Apresenta Lixo eletrônico da USP. Disponível em:

24 Referências Bibliográficas Hossne WS. Bioética – princípios e referenciais. Mundo Saúde. 2006;30:673-6 Hall &Lindzey-teorias da personalidade-E.P.U Sharp,D.-Léxico Junguiano-Cultrix-1991 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. NBR : Resíduos sólidos - Classificação. Rio de Janeiro BRASIL. Lei nº , de 02 de agosto de 2010 – Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2 de ago. de Disponível em:. Acesso em: 24 set BRASIL. Decreto nº , de 23 de dezembro de 2010 – Regulamenta a Lei nº , de 02 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos, Cria o Comitê Interministerial da Política Nacional de Resíduos Sólidos e o Comitê Orientador para Implantação dos Sistemas de Logística Reversa, e da outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 23 de dez. de Disponível em:. Acesso em 03 de out LEITE, P. R. Logística Reversa: nova área da logística empresarial Disponível em:. Acesso em: 07 set PORTAL reciclaveiscombr por Mundo Certo, 2011 Disponível em: Acesso em 27 agos PORTAL blogspot por Guanabara Diogo, 2010 Disponível em: Acesso em 30 agos 2012.

25 Encerramento


Carregar ppt "Belo Horizonte – Minas Gerais – Brasil. I NTEGRANTES DO G RUPO CURSO : G ESTÃO DE T ECNOLOGIA DA I NFORMAÇÃO NOME DO GRUPO: G REEN I T C ELSO A LVES DA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google