A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO VII ENCIF –ENCONTRO CIENTIFICO DA FAMEC Caiuby Alves da Costa ** Outubro 2008.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO VII ENCIF –ENCONTRO CIENTIFICO DA FAMEC Caiuby Alves da Costa ** Outubro 2008."— Transcrição da apresentação:

1 1 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO VII ENCIF –ENCONTRO CIENTIFICO DA FAMEC Caiuby Alves da Costa ** Outubro 2008

2 2 VII ENCIF –ENCONTRO CIENTIFICO DA FAMEC EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ALGUMAS REFLEXÕES ALGUMAS REFLEXÕES A EDUCAÇÃO ATRAVÉS DO TEMPO A EDUCAÇÃO E SEUS IMPACTOS A EDUCAÇÃO: ALGUNS DADOS ENSINO SUPERIOR E O MERCADO DE TRABALHO UMA REFLEXÃO ALGUNS DADOS SOBRE CIÊNCIA E TECNOLOGIA A CONSTRUÇÃO DA SOCIEDADE POR UMA NOVA UTOPIA

3 3 ALGUMAS REFLEXÕES VII ENCIF –ENCONTRO CIENTIFICO DA FAMEC EVOLUÇÃO HUMANA : VISÕES DE ONTEM E DE HOJE

4 4 VISÕES DE ONTEM E DE HOJE VII ENCIF –ENCONTRO CIENTIFICO DA FAMEC CERTEZAS E INCERTEZAS

5 5 VISÕES DE ONTEM E DE HOJE O ORÁCULO DE DELFOS “A procura era tamanha que ao longo dos anos várias edificações como pequenos santuários, habitações e pousadas foram construídas para acolher toda aquela gente. A crença nos oráculos era tão grande que não havia corpo político que pudesse dispensar os adivinhos, os sacerdotes que previam o futuro ou os magos. Nunca se começava uma empreitada antes de passar pelo grande templo “

6 6 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  Cenários são imagens de futuro ou jogos coerentes de hipóteses sobre as transformações possíveis de ocorrer com um determinado objeto (*)  A mudança constante é um invariante, mas as orientações possíveis para a transformação estão em aberto(*)  A nota dominante deste início de século é o acelerado e contraditório processo de globalização com integração econômica, formação de blocos e inovação tecnológica, que elevam o progresso material, mas, ao mesmo tempo, desorganiza os sistemas de regulação comercial e acentua as desigualdades Sociais.(*)... E COMPROMETE A EXISTENCIA PLANETARIA (*)O Ensino Superior no Mundo e no Brasil – Condicionantes,]Tendências e Cenários para o Horizonte Uma Abordagem Exploratória Claudio Porto & Karla Régnier

7 7 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  Apesar da velocidade e força do processo de globalização, o futuro das relações econômicas e políticas mundiais ainda é muito incerto, especialmente pelas contradições e conflitos inerentes a este movimento global, podendo levar a diferentes alternativas de desenvolvimento  O contexto internacional está dominado por um conjunto de tendências e eventos conjunturais que podem definir futuros alternativos, dependendo da natureza e intensidade das mudanças e dos seus desdobramentos em curto e médio prazo.

8 8 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Tendências já Consolidadas ou Invariantes: 1. Declínio das taxas de crescimento demográfico e progressivo envelhecimento da população 2. Aceleração da produção científica e tecnológica e mudança nos padrões de competitividade das nações 3. Crescente disponibilidade de novas tecnologias para a educação e crescimento da educação a distância 4. Redefinição da estrutura do mercado de trabalho, do conteúdo do trabalho e das condições de empregabilidade 5. Crescimento da educação continuada 6. Consolidação da educação como objeto de aspiração dos jovens e de suas famílias

9 9 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A CIÊNCIA ESTÁ DESTINADA A DESEMPENHAR UM PAPEL CADA VEZ MAIS PREPONDERANTE NA PRODUÇÃO INDUSTRIAL. E AS NAÇÕES QUE DEIXAREM DE ENTENDER ESSA LIÇÃO HÃO INEVITAVELMENTE DE SER RELEGADAS À POSIÇÃO DE NAÇÕES ESCRAVAS: CORTADORES DE LENHA E CARREGADORES DE ÁGUA PARA OS POVOS MAIS ESCLARECIDOS”. LORD RUTHERFORD

10 10 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO O CENÁRIO QUE LORD RUTHERFORD NÃO PREVIU

11 11 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO O QUE FAZER ? MUDANÇAS ESTRUTURAIS:  TECNOLOGICAS  CULTURAIS

12 12 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO “A experiência comum de numerosos países é que o ensino superior não é mais uma pequena parcela especializada ou esotérica da vida de um país. Ele se encontra no próprio coração das atividades da sociedade, é um elemento essencial do bem-estar econômico de um país ou região, um parceiro estratégico do setor do comercio e da indústria, dos poderes públicos, assim como das organizações internacionais.”(**) Chauí, Marilena. A Universidade em Ruínas. In: A Universidade em Ruínas na República dos Professores. Org. Hélgio Trindade. Petrópolis, RJ: Vozes / R S

13 13 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO “ SE A HUMANIDADE QUER UM OUTRO FUTURO RECONHECIVEL, NÃO PODE SER PELO PROLONGAMENTO DO PASSADO OU DO PRESENTE. SE TENTARMOS CONSTRUIR O TERCEIRO MILÊNIO NESTA BASE, VAMOS FRACASSAR E O PREÇO DO FRACASSO ADVINDO DA ADOÇÃO DESTA ALTERNATIVA DE MUDANÇA DA SOCIEDADE É A ESCURIDÃO “ E. HOBSBAWN

14 14 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO ATRAVÉS DO TEMPO

15 15 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO TRIBAL A educação dos jovens, nesta fase, torna-se o instrumento central para a sobrevivência do grupo e a atividade fundamental para realizar a transmissão e o desenvolvimento da cultura.. O homem primitivo, através da imitação, ensina ou aprende o uso das armas, a caça e a colheita, o uso da linguagem, o culto dos mortos, as técnicas de transformação e domínio do meio ambiente. Depois desta fase, entra-se (cerca de 8 ou 10 mil anos atrás) na época do Neolítico, na qual se assiste a uma verdadeira e própria revolução cultural. Nascem, as primeiras civilizações agrícolas: os grupos humanos se tornam sedentários, cultivam os campos e criam animais, aperfeiçoam e enriquecem as técnicas (para fabricar vasos, para tecer, para arar), cria-se uma divisão do trabalho cada vez mais nítida

16 16 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO NA ANTIGUIDADE GREGA E EGIPCIA

17 17 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO NA ANTIGUIDADE GREGA E EGÍPCIA Mason e Manacorda fazem referencia a um papiro egípcio de aproximadamente 1100 anos A.C., em que, presumivelmente um pai aconselha ao filho: Prefere a atividade de escriba e poderás abster-te de qualquer trabalho árduo, tornando-te um magistrado de elevado prestigio. O escriba está livre de todo trabalho manual, e é quem manda. Tenho visto o fundidor de metais a boca da fornalha com seus dedos semelhantes aos de um crocodilo. Ele exala um cheiro pior do que ova de peixe. Nunca vi um ferreiro em cargo de responsabilidade, nem um fundidor nas funções de embaixador.

18 18 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO NA IDADE MEDIA

19 19 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO NA IDADE MEDIA A educação era para poucos, pois só os filhos dos nobres estudavam. Esta era marcada pela influência da Igreja, ensinando o latim, doutrinas religiosas e táticas de guerras. Grande parte da população medieval era analfabeta e não tinha acesso aos livros.latim

20 20 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO NA IDADE MODERNA

21 21 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO NA IDADE MODERNA As grandes transformações que ocorreram na passagem da Idade Média para a Idade Moderna - grandes navegações, desenvolvimento da burguesia e do capitalismo etc. - fortaleceram o movimento no sentido que a autoridade da Igreja ficasse restrita aos assuntos religiosos, deixando de controlar os outros assuntos, dentre eles a educação. Esse movimento cresceu durante toda a Idade Moderna, conseguindo impor- se a partir da Revolução Francesa (1789), com a separação entre a Igreja e o Estado. O homem buscou o domínio da natureza por técnicas, artes e estudos (matemática, astronomia, medicina e biologia) considerando suspeito tudo o que foi ensinado em épocas anteriores.

22 22 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO - UNIVERSIDADES EUROPÉIAS Entre 1200 e 1400 foram fundadas, na Europa, 52 universidades, sendo que 29 delas foram erguidas por papas. A transformação cultural gerada pelas universidades no século XIII, foi expressada pela frase de Charles H. Haskins : 'Em 1100, a escola seguia o mestre; tambem em 1200, o mestre seguia a escola.' Charles H. Haskins

23 23 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO - UNIVERSIDADES Darcy Ribeiro, em seu livro A Universidade Necessária nota que : Apesar dos Philosophiae Naturalis Principia Mathematica de Newton ter sido publicado em 1686, Cambridge só implantou sua primeira cátedra de investigação científica em 1794, não como um órgão integrado no corpus acadêmico, mas como uma novidade, sem suspeitar que viria a dar uma dimensão nova ao saber. Esta situação permaneceu até 1860, quando foram feitas algumas mudanças substanciais em resposta da Revolução Industrial no campo da formação de pessoal tecnicamente qualificado para o trabalho. A universidade pois levou 110 após a Revolução Industrial (1750) para proceder as mudanças necessárias ás modificações havidas na Sociedade.(*) (*)A TECNICA E A TECNOLOGIA NO BRASIL-COSTA,,C.A

24 24 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

25 25 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL A Revolução Industrial teve início na Inglaterra, no final do século XVIII, espalhando-se depois por toda a Europa. A indústria se desenvolveu espetacularmente graças às novas invenções, como a máquina a vapor e o tear mecânico, que substituíram a força humana pela motriz e o artesanato pelo trabalho nas fábricas. O aumento da produção propiciou a acumulação de capital, uma das bases do capitalismo que surgia. A revolução tecnológica foi seguida por um aumento da população, devido às reformas na agricultura, com a incorporação de novas técnicas e o cultivo do milho e da batata, importados da América.

26 26 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO - REVOLUÇÃO INDUSTRIAL A Revolução Industrial teve início na Inglaterra, no final do século XVIII, espalhando-se depois por toda a Europa. A indústria se desenvolveu espetacularmente graças às novas invenções, como a máquina a vapor e o tear mecânico, que substituíram a força humana pela motriz e o artesanato pelo trabalho nas fábricas. O aumento da produção propiciou a acumulação de capital, uma das bases do capitalismo que surgia. A revolução tecnológica foi seguida por um aumento da população, devido às melhorias das condições de higiene e às reformas na agricultura, com a incorporação de novas técnicas e o cultivo do milho e da batata, importados da América.

27 27 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A IDADE CONTEMPORÂNEA  FINAL DO SECULO XVIII  SECULO XIX  SECULO XX

28 28 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO - FINAL DO SÉCULO XVIII  A Educação passa a ser direcionada para a formação de profissionais qualificados  Surgimento das escolas profissionalizantes (França e Inglaterra)

29 29 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO - SECULO XIX  Durante o século XIX, ampliam-se os estudos sobre a instrução pública de países da Europa. A industrialização progressiva apela para uma mão de obra cada vez mais qualificada, gerando a necessidade de escolas diferenciadas – portanto, o ensino público necessita ser administrado e coordenado. Ao mesmo tempo, cada nação realiza experiências em educação, a fim de aperfeiçoar cada vez mais seu próprio sistema escolar.

30 30 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO - SECULO XIX –A UNIVERSIDADE ALEMÃ Pontos significativos da Idéia de Universidade que então é consolidada: 1)Pesquisa e ensino continuam a ser pensadas como tarefas inseparáveis; 2)na continuidade do modelo medieval, a universidade continua a ser pensada como universalidade e unidade dos saberes e dos estudos; 3) mantendo-se embora a estruturação hierárquica dos saberes, é agora a filosofia e não a teologia (que ocupa o topo nessa hierarquia); 4) a universalidade corporativa dos professores e dos alunos característica da universidade medieval é transmutada na afirmação da natureza comunitária da relação professores alunos enquanto colaboradores na procura da verdade; 5) a independência face aos poderes políticos que caracterizou algumas experiências medievais, é reforçada. A Universidade goza de completa autonomia e independência, quer face às exigências da produção económica, quer face ao Estado

31 31 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO SÉCULO XX: o MASSIFICAÇÃO DA EDUCAÇÃO o DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO o UTOPIAS  - A instrução deve ser igual em todos os graus para todos; por conseguinte, deve ser integral, quer dizer, deve preparar as crianças de ambos os sexos tanto para a vida intelectual como a vida do trabalho, visando que todos possam chegar a ser pessoas completas.  A tecnologia  O socialismo

32 32 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO SÉCULO XX

33 33 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO SECULO XX  RELATORIO PARA UNESCO DA COMISSÃO INTERNACIONAL SOBRE EDUCÇÃO PARA O SÉCULO XXI –RELATÓRIO DELORS 1996  OS QUATRO PILARES DA EDUCAÇÃO  Aprender a conhecer  Aprender a fazer  Aprender a viver juntos, aprender a viver com os outros  Aprender a ser

34 34 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO SÉCULO XX  Aprender a conhecer  Este tipo de aprendizagem que visa nem tanto a aquisição de um repertório de saberes codificados, mas antes o domínio dos próprios instrumentos do conhecimento pode ser considerado, simultaneamente, como um meio e uma finalidade da vida humana  Aprender a fazer  Aprender a conhecer e aprender a fazer são, em larga medida, indissociáveis. Mas a segunda aprendizagem esta mais estreitamente ligada à questão da formação profissional: como ensinar o aluno a pôr em pratica os seus conhecimentos e, também, como adaptar a educação ao trabalho futuro quando não se pode prever qual será a sua evolução?

35 35 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO SÉCULO XX  Aprender a viver juntos, aprender a viver com os outros  Sem dúvida, esta aprendizagem representa, hoje em dia, um dos maiores desafios da educação. O mundo atual é, muitas vezes, um mundo de violência que se opõe à esperança posta por alguns no progresso da humanidade. A história humana sempre foi conflituosa, mas há elementos novos que acentuam o problema e, especialmente, o extraordinário potencial de autodestruição criado pela humanidade no decorrer do século XX. A opinião pública, através dos meios de comunicação social, torna-se observadora impotente e até refém dos que criam ou mantém conflitos.

36 36 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO SÉCULO XX  Aprender a ser  A educação deve contribuir para o desenvolvimento total da pessoa - espírito e corpo, inteligência, sensibilidade, sentido estético, responsabilidade pessoal, espiritualidade. Todo ser humano deve ser preparado, especialmente graças à educação que recebe na juventude, para elaborar pensamentos autônomos e críticos e para formular os seus próprios juízos de valor, de modo a poder decidir, por si mesmo, como agir nas diferentes circunstâncias da vida.

37 37 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO HOJE

38 38 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO HOJE Os sete saberes necessários à educação do futuro (Segundo E.MORIN)  O Conhecimento  O Conhecimento Pertinente.  A Identidade Humana.  A Compreensão Humana.  A Incerteza.  A Condição Planetária  A Antropo-ética

39 39 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  A EDUCAÇÃO E SEUS IMPACTOS

40 40 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  A EDUCAÇÃO SUPERIOR E SEUS IMPACTOS  A CONSTRUÇÃO DA SOCIEDADE  A CONSTRUÇÃO DO INDIVIDUO  A CONSTRUÇÃO DA NAÇÃO  A PRESERVAÇÃO DO PLANETA

41 41 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO ALGUNS DADOS

42 42 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

43 43 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

44 44 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

45 45 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

46 46 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

47 47 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Ensino Médio: Em 2005, a matrícula no ensino médio atingia aproximadamente 9 milhões de estudantes: 7,9 milhões (87,8%) no setor público, sendo que 3,9 milhões (43,3%) destes no turno da noite. Desse total, 4,7 milhões (52,2%) dos alunos situavam-se na faixa etária entre 15 e 17 anos. Ensino Técnico: A matrícula nas escolas técnicas de nível médio alcançou aproximadamente pessoas (7,86%). Os alunos com idade superior a 20 anos respondem por 66% desse total, 58% deles matriculados em instituições privadas, sendo que 83,5% concentravam-se nas regiões mais desenvolvidas do país (Sul e Sudeste). É importante ressaltar que, recentemente, o ensino médio foi integrado ao ensino profissional e técnico em 20 (das 27) unidades da federação brasileira, particularmente nas regiões Norte e Nordeste

48 48 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO BRASIL (100%) PUBLICAS (25.85%) PRIVADAS (74.15%) ALUNOS MATRICULADOS –CURSO SUPERIOR

49 49 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

50 50 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

51 51 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO GASTOS COM EDUCAÇÃO COMO % PIB BRASIL

52 52 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

53 53 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

54 54 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO SUPERIOR E SEUS IMPACTOS

55 55 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Porcentagem da população adulta com ensino superior

56 56 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

57 57 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ENSINO SUPERIOR E O MERCADO DE TRABALHO

58 58 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Pessoas de 23 anos ou mais de idade trabalhando em área correspondente à formação, Brasil 2000

59 59 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

60 60 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

61 61 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Rendimento médio mensal (R$) em todos os trabalhos, segundo o grupo etário e o nível de instrução, Brasil -2000

62 62 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Fonte: Tabulação do Observatório Universitário; IBGE/PNAD, 2005 Rendimento médio e mediando de todos os trabalhos das pessoas com 23 anos ou mais por curso mais elevado concluído - Brasil 2005

63 63 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Rendimento mediano de todos os trabalhos segundo curso de graduação Fonte: Tabulação do Observatório Universitário com os micro dados do Censo Demográfico de 2000 do IBGE.

64 64 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Rendimento mediano de todos os trabalhos segundo a idade, para os cursos de Pedagogia, Medicina e Engenharia – Sudeste Fonte: Tabulação do Observatório Universitário com os micro dados do Censo Demográfico de 2000 do IBGE

65 65 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Rendimento mediano de todos os trabalhos segundo a idade, para os cursos de Pedagogia, Administração, Direito e Letras –Sudeste Fonte: Tabulação do Observatório Universitário com os micro dados do Censo Demográfico de 2000 do IBGE

66 66 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

67 67 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

68 68 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO UMA REFLEXÃO

69 69 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A utilização estratégica do conhecimento disponível e sua permanente expansão realizam-se pela sua transformação em produtos e serviços competitivos, distribuídos e assistidos globalmente. Tal questão revela-se como uma condição vital para a garantia da soberania, independência e segurança da nação, para a geração de empregos, renda e melhores condições de vida para todos os brasileiros. Waldimir Pirró e Longo

70 70 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ALGUNS DADOS SOBRE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

71 71 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Crescimento expressivo dos pagamentos ao exterior por transferência de tecnologia. Em 1990: US$ 200 milhões Em 2002: US$ 2 bilhões. Nossa conta de serviços em 2003 foi deficitária em US$ 5,07 bilhões. Embora a área de construção, arquitetura e engenharia fosse superavitária em US$ 862 milhões. A diferença provém de vários fatores como fornecimento de serviços especializados (US$ 982 milhões), fornecimentos de assistência técnica (US$ 423 milhões) e fornecimento de tecnologia não patenteada (US$ 485 milhões). BALANÇA DE PAGAMENTOS

72 72 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PRODUÇÃO CIENTÍFICA MUNDIAL 2005 Dados do Thomson Scientific Institute e OMPI – Organização Mundial de Propriedade Industrial (Revista Época de 24/09/2006)

73 73 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Fonte : NSF, UNESC O e RICYT. INVESTIMENTOS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA 1981 – 2001 Percentuais do Produto Interno Bruto Fonte: INPI – Os indicadores de sucesso dos investimentos de C & T no Brasil; Positivo ou negativo? Rita Pinheiro Machado, Pedro Lagerblad de Oliveira

74 74 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INVESTIMENTOS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA 1981 – 2001 BRASIL - ASSIMETRIAS REGIONAIS

75 75 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INVESTIMENTOS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA 1981 – 2001

76 76 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INVESTIMENTOS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA 1981 – 2001 BRASIL - ASSIMETRIAS R EGIONAIS O Brasil apresenta desigualdades não só quanto aos níveis dos desenvolvimentos regionais como também pela desigualdade nos investimentos em diferentes campos inclusive C & T. O relatório do MCT [5] mostra que existe uma forte concentração de investimentos na região sudeste do Brasil que é acompanhada por fortes incentivos fiscais decorrentes da assimetria existente nos investimentos. Os dados relativos ao PDTI – Programa de Desenvolvimento Tecnológico e Industrial e ao PDTA – Programa de Desenvolvimento Tecnológico Agrícola evidenciam essa assimetria no período de 1994 a 2001.

77 77 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

78 78 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

79 79 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A CONSTRUÇÃO DA SOCIEDADE

80 80 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO QUE SOCIEDADE QUEREMOS CONSTRUIR ? FORMAÇÃO PROFISSIONAL : NECESSIDADES SOCIAIS X MERCADO DE TRABALHO ?

81 81 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO M E R C A D O NECESSIDADE DE AMPLIAÇÃO VOLATIDADE DOS PRODUTOS OBSOLESCENCIA TECNOLOGICA COMPETITIVIDADE INOVAÇÃO

82 82 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO NECESSIDADES SOCIAIS HABITAÇÃO EDUCAÇÃO ALIMENTAÇÃO SANEAMENTO SAÚDE ENERGIA TRANSPORTE

83 83 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO SOCIEDADE PÓS-INDUSTRIAL SOCIEDADE DO CONHECIMENTO  auto sustentavel  Mais justa  includente

84 84 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

85 85 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A CONSTRUÇÃO À VÁRIAS MÃOS

86 86 POR UMA NOVA UTOPIA A CONSTRUÇÃO DE UMA SOCIEDADE MAIS JUSTA A CONSTRUÇÃO DE UMA SOCIEDADE AUTO SUSTENTAVEL VII ENCIF –ENCONTRO CIENTIFICO DA FAMEC A CONSTRUÇÃO DE UMA NOVA UTOPIA PASSA PELA EDUCAÇÃO

87 87 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Edgar Morin, ao analisar a atual situação do planeta e os sistemas de ensino existentes concluiu que “ HÁ SETE GRANDES BURACOS NEGROS NA EDUCAÇÃO, em um artigo intitulado Os sete saberes necessários à educação do futuro. Eu os convido a que juntos acompanhemos a análise de MORIN

88 88 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO A EDUCAÇÃO E O CICLO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO A EDUCAÇÃO HOJE Os sete saberes necessários à educação do futuro (Segundo E.MORIN)  O Conhecimento  O Conhecimento Pertinente.  A Identidade Humana.  A Compreensão Humana.  A Incerteza.  A Condição Planetária  A Antropo-ética CONSTRUINDO O AMANHÃ

89 89 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  O Conhecimento Naturalmente, o ensino fornece conhecimento, fornece saberes. Porém, apesar de sua fundamental importância, nunca se ensina o que é, de fato, o conhecimento. E sabemos que os maiores problemas neste caso são o erro e a ilusão.  O conhecimento é sempre uma tradução, seguida de uma reconstrução.  No fenômeno da percepção, através do qual os olhos recebem estímulos luminosos que são transformados, decodificados, transportados a um outro código, que transita pelo nervo óptico, atravessa várias partes do cérebro para, enfim, transformar aquela informação primeira em percepção.  A partir deste exemplo,podemos concluir que a percepção é uma reconstrução.

90 90 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  O Conhecimento Pertinente.  Um conhecimento pertinente, é um conhecimento que não mutila o seu objeto. o Nós seguimos, em primeiro lugar, um mundo formado pelo ensino disciplinar. o É preciso ter uma visão capaz de situar o conjunto. Não é a quantidade de informações, nem a sofisticação em Matemática que podem dar sozinhas um conhecimento pertinente, mas sim a capacidade de colocar o conhecimento no contexto.  A economia, que é das ciências humanas, a mais avançada, a mais sofisticada, tem um poder muito fraco e erra muitas vezes nas suas previsões, porque está ensinando de modo a privilegiar o cálculo. Com isso, acaba esquecendo os aspectos humanos, como o sentimento, a paixão, o desejo, o temor, o medo.

91 91 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  O Conhecimento Pertinente.  Quando há um problema na bolsa, quando as ações despencam, aparece um fator totalmente irracional que é o pânico, e que, freqüentemente, faz com que o fator econômico tenha a ver com o humano, ligando-se,assim, à sociedade, à psicologia, à mitologia. Essa realidade social é multidimensional e o econômico é apenas uma dimensão dessa sociedade. Por isso, é necessário contextualizar todos os dados

92 92 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  A Identidade Humana.  A identidade humana. É curioso que nossa identidade seja completamente ignorada pelos programas de instrução. Podemos perceber alguns aspectos do homem biológico em Biologia, alguns aspectos psicológicos em Psicologia, mas a realidade humana é indecifrável. Somos indivíduos de uma sociedade e fazemos parte de uma espécie. Mas, ao mesmo tempo em que fazemos parte de uma sociedade, temos a sociedade como parte de nós, pois desde o nosso nascimento a cultura se nos imprime.  O homem não se define somente pelo trabalho, mas também pelo jogo. Não só as crianças, como também os adultos gostam de jogar. Por isso vemos partidas de futebol. Nós somos Homo ludens, além de Homo economicus. Não vivemos só em função do interesse econômico. Há, também, o homo mitologicus, isto é, vivemos em função de mitos e crenças.

93 93 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  A Compreensão Humana  Nunca se ensina sobre como compreender uns aos outros, como compreender nossos vizinhos, nossos parentes, nossos pais. O que significa compreender? A palavra compreender vem do latim, compreendere, que quer dizer: colocar junto todos os elementos de explicação, ou seja, não ter somente um elemento de explicação,mas diversos. Mas a compreensão humana vai além disso, porque, na realidade, ela comporta uma parte de empatia e identificação

94 94 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  A Compreensão Humana A redução do outro, a visão unilateral e a falta de percepção sobre a complexidade humana são os grandes empecilhos da compreensão. Outro aspecto da incompreensão é a indiferença. E, por este lado, é interessante abordar o cinema, que os intelectuais tanto acusam de alienante. Na verdade, o cinema é uma arte que nos ensina a superar a indiferença, pois transforma em heróis os invisíveis sociais, ensinando-nos a vê-los por um outro prisma. Charlie Chaplin, por exemplo, sensibilizou platéias inteiras com opersonagem do vagabundo. Outro exemplo é Coppola, que popularizou os chefes da Máfia com “O Chefão”.

95 95 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  A Incerteza.  Apesar de, nas escolas, ensinar-se somente as certezas, como a gravitação de Newton e o eletromagnetismo, atualmente a ciência tem abandonado determinados elementos mecânicos para assimilar o jogo entre certeza e incerteza, da micro-física às ciências humanas. É necessário mostrar em todos os domínios, sobretudo na história, o surgimento do inesperado. Eurípides dizia no fim de três de suas tragédias que: “os deuses nos causam grandes surpresas, não é o esperado que chega e sim o inesperado que nos acontece”. É a velha idéia de anos, que nós esquecemos sempre.

96 96 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  A Incerteza.  No fim da era secundária, a queda do asteróide que matou os dinossauros e ressecou a vegetação desses animais enormes, matando-os de fome deu oportunidade à proliferação dos mamíferos. Assim também ocorreu com as sociedades humanas. Todas sofreram o colapso por uma razão ou outra. Nem mesmo o império romano, que parecia eterno, conseguiu sobreviver. As sociedades andinas, que eram mais potentes que seus colonizadores espanhóis e cujas capitais eram muita mais ricas que Paris, Madri ou Lisboa, foram destruídas por espanhóis que chegaram com cavalos e armas desconhecidas. As duas guerras mundiais destruíram muito na metade do século XX, Três grandes impérios da época, por exemplo, o romano- otomano, o austro-húngaro e o soviético, desapareceram.

97 97 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  A Condição Planetária  O sexto aspecto é a condição planetária, sobretudo na era da globalização no século XX – que começou, na verdade no século XVI com a colonização da América e a interligação de toda a humanidade.  Esse fenômeno que estamos vivendo hoje, em que tudo está conectado, é um outro aspecto que o ensino ainda não tocou, assim como o planeta e seus problemas, a aceleração histórica, a quantidade de informação que não conseguimos processar e organizar. Este ponto é importante porque existe, neste momento, um destino comum para todos os seres humanos.  O crescimento da ameaça letal se expande em vez de diminuir: ameaça nuclear, a ameaça ecológica, a degradação da vida planetária. Ainda que haja uma tomada de consciência de todos esses problemas, ela é tímida e não conduziu ainda a nenhuma decisão efetiva.  Por isso, faz-se urgente a construção de uma consciência planetária.

98 98 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  A Condição Planetária  Conhecer o nosso planeta é difícil: os processos de todas as ordens – econômicos, ideológicos e sociais – estão de tal maneira imbricados e são tão complexos, que compreendê-los é um verdadeiro desafio para o conhecimento. Ortega y Gasset dizia: “não sabemos o que acontece, isto é o que acontece”.  Daqui para frente, existem, sobretudo, os perigos de vida e morte para a humanidade, como a ameaça da arma nuclear, como a ameaça ecológica, como o desencadeamento dos nacionalismos acentuados pelas religiões.  É preciso mostrar que a humanidade vive agora uma comunidade de destino comum.

99 99 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO  A Antropo-ética  O último aspecto é o que vou chamar de antropo-ético, porque os problemas da moral e da ética diferem a depender da cultura e da natureza humana. Existe um aspecto individual, outro social e outro genético, diria de espécie. Algo como uma trindade em que as terminações são ligadas: a antropo-ética. Cabe ao ser humano desenvolver, ao mesmo tempo, a ética e a autonomia pessoal (as nossas responsabilidades pessoais), além de desenvolver a participação social (as responsabilidades sociais), ou seja, a nossa participação no gênero humano, pois compartilhamos um destino comum.

100 100 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Estes são os sete saberes necessários ao ensino. E não digo isso para modificar programas. Na minha opinião, não temos que destruir disciplinas, mas sim integrá-las, reuni-las em uma ciência como, por exemplo, as ciências da terra (a sismologia, a vulcanologia, a meteorologia), todas elas articuladas em uma concepção sistêmica da terra. Penso que tudo deva estar integrado para permitir uma mudança de pensamento; para que se transforme a concepção fragmentada e dividida do mundo, que impede a visão total da realidade. Essa visão fragmentada faz com que os problemas permaneçam invisíveis para muitos, principalmente para muitos governantes.

101 101 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REFLEXÕES FINAIS

102 102 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO SOCIEDADE PÓS-INDUSTRIAL SOCIEDADE DO CONHECIMENTO  auto sustentavel  Mais justa  includente

103 103 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO “ NÃO BASTA CONHECER A REALIDADE É NECESSÁRIO TRANSFORMA-LA “ KARL MARX

104 104 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MUITO OBRIGADO CAIUBY ALVES DA COSTA


Carregar ppt "1 EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO VII ENCIF –ENCONTRO CIENTIFICO DA FAMEC Caiuby Alves da Costa ** Outubro 2008."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google