A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estratégias e ferramentas para divulgação, comunicação, seleção e avaliação para Feiras de Ciências Roseli de Deus Lopes Coordenadora Geral da FEBRACE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estratégias e ferramentas para divulgação, comunicação, seleção e avaliação para Feiras de Ciências Roseli de Deus Lopes Coordenadora Geral da FEBRACE."— Transcrição da apresentação:

1 Estratégias e ferramentas para divulgação, comunicação, seleção e avaliação para Feiras de Ciências Roseli de Deus Lopes Coordenadora Geral da FEBRACE Professora Associada Laboratório de Sistemas Integráveis (LSI) Dep. Engenharia de Sistemas Eletrônicos Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) Primer Academia Lationoamericana de Educadores de Ciências, 8-12 Nov. 2010, San José, Costa Rica INTEL & BID

2 *

3 SÃO PAULO: 7 a maior cidade do planeta, ~11M residentes, ~20M na área metropolitana

4 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Uma das melhores da América Latina 101K Estudantes – 48K Graduação – 28K Pós-Graduação – 25K outros cursos 5K Profs. & Pesquisadores Doutores 7 Campi 39 Faculdades 33 Centros & Institutos 4 Hospitais (8,000 leitos) 4Museums

5 Contexto – Educação Básica Brasil: – 97,6% de 7-14 anos frequentam a educação básica (em 1990, ~80%). Mundo: – mais de 100 milhões de crianças fora da escola, – 4,3 milhões destas na América Latina e Caribe. um dos desafios do Milênio da ONU para 2015: garantir o acesso a edução básica de qualidade

6 Brasil: – 97,6% de 7-14 anos frequentam a educação básica (~45M estudantes, ~2M professores, ~200mil escolas) – MAS estudantes – baixa frequência em regiões mais isoladas, – altos índices de evasão no ensino fundamental e médio (sobretudo em razão de desmotivação dos estudantes), – baixos níveis de desempenho nas avaliações nacionais e internacionais (ex. PISA 2006 Ciências 52 o lugar dentre 57 países). – MAS professores – formação insuficiente ou deficiente, – a carreira de professor não foi sua primeira opção (carreira desvalorizada - salários e imagem da profissão). – MAS escolas – pouca ou nenhuma autonomia para escolha da equipe de profissionais. Contexto – Educação Básica

7 Porcentagem de estudantes por nível de proficiência na escala de Ciências do PISA 2006

8 Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova, Anísio Teixeira et al. – acesso a Educação Básica para todos – Educação de qualidade, significativa, que prepara para a vida – Língua, Matemática e Ciência e Tecnologia – planejamento, ações e avaliações integradas – instigar a curiosidade, a investigação, a experimentação, a observação, o querer conhecer, entender, participar e melhorar o mundo em que vive  Estratégias no século XXI -Pedagogia de Projetos (investigativos) -Feiras de Ciências e Engenharia (socialização e valorização) - Tecnologias da Informação e Comunicação (autonomia) Contexto – Educação Básica de Qualidade

9 Feira Brasileira de Ciências e Engenharia

10 FEBRACE Feira Brasileira de Ciências e Engenharia É uma ação contínua de estímulo à inovação e criatividade de jovens brasileiros, que culmina na realização anual de uma mostra de estudantes finalistas no campus da Universidade de São Paulo (USP), na cidade de São Paulo. Os estudantes e professores finalistas também realizam diversas visitas e atividades na USP nesta ocasião. - 1ª edição em ª ocorrerá em março de 2011 O que é FEBRACE?

11 provocar a sociedade brasileira para a promoção de uma educação transformadora em TODAS as escolas brasileiras; estimular à criação de espaços e atividades para o desenvolvimento de projetos criativos e inovadores, utilizando o método científico ou de engenharia, com conexão com as realidades e potenciais locais; provocar desde cedo a criatividade dos indivíduos, dando-lhes oportunidades de escolher e desenvolver temas que lhes interessem, para que se prepararem para empreender e gerar inovação. Objetivos

12 Universidade de São Paulo, por meio da Escola Politécnica Coordenação Profs. Drs. USP / Gerente de Comunicação Social / Gerente de Tecnologia e Educação / Profissionais, estagiários e bolsistas de Jornalismo / Relações Públicas / Ciência da Computação / Engenharia / Filosofia / Voluntários / Avaliadores da USP e de Universidades e entidades parceiras, e Prestadores de Serviço Quem faz a FEBRACE?

13 Principais apoiadores/patrocinadores: Ministério da Educação Ministério da Ciência e Tecnologia UNESCO SEBRAE Fundação Intel Intel do Brasil Petrobrás Patrocínio e apoio

14 Abrangência – disseminar a pedagogia de projetos e as feiras de ciências e engenharia em TODAS as escolas brasileiras Alcançar sustentabilidade financeira Aumentar o número de voluntários e avaliadores Aumentar a qualidade dos projetos submetidos à FEBRACE, com ênfase no método científico e de engenharia Induzir aumento do número de feiras afiliadas à FEBRACE por fases municipal, regional, estadual (migrar gradativamente da submissão direta para feiras afiliadas) Principais Desafios

15 Submissões Diretas de Estudantes 7o ao 12o anos Finaliststas de Feiras afiliadadas Seleção, Avaliação e Premiação Triagem + verificação CRC das submissões Pré- avaliação Seleção finalistas + CRC Avaliação Premiação INTEL ISEF (6 proj. individuais e 3 em grupo, N-NE-CO, S-SE, SP)

16 Feiras Afiliadas FEBRACE ª edição Números Número de feiras afiliadas34 Número de vagas concedidas a projetos74 Total de projetos (das feiras)3.655 Número estimado de alunos envolvidos (nas feiras) submissões diretas válidas via site de projetos (plano de pesquisa, resumo, relatório detalhado, formulários) dos quais o Comitê de Pré-Avaliação e Comitê de Seleção selecionaram 215 projetos finalistas

17 Áreas do Conhecimento Distribuição de Projetos por Categoria (2010) Buscar manter proporcionalidade em relação ao número de submissões

18 Abrangência Representatividade de Projetos por Região do Brasil (2010) Buscar manter proporcionalidade em relação ao número de estudantes da região

19 Representatividade de Projetos Finalistas por Cidades do Brasil, em 2010 Em 8 anos de FEBRACE, estudantes de 845 cidades BRASIL: 5564 cidades Abrangência

20 Estratégias e ferramentas A experiência adquirida pela equipe multidisciplinar durante 9 anos de organização da FEBRACE, possibilitou criar e aprimorar diversas estratégias e ferramentas para otimizar os processos de: divulgação e chamada para participação, comunicação com os diferentes públicos, organização das equipes de voluntários e Comitês, logística, seleção e avaliação.

21 Divulgação e chamada para participação Parceria com veículos de comunicação de massa (TVs, rádios, sites) para divulgação da chamada em nível nacional. Parceria com Secretarias Estaduais e Municipais para distribuição de cartazes e folders nas escolas (~18.000), bem como divulgação pelos mecanismos institucionais. Equipe de assessoria de comunicação permanente para contato com imprensa e para sugestão de pautas para entrevistas e reportagens sobre Jovens Cientistas e Professores Protagonistas. Estratégias e ferramentas

22 Divulgação e chamada para participação Equipe de assessoria de comunicação trabalha mais intensamente durante a mostra de finalistas em março  Cobertura pelas maiores emissoras de TV  Cobertura por grandes jornais e revistas impressos e eletrônicos > Estratégias e ferramentas

23 Divulgação e chamada para participação >http://febrace.org.br Estratégias e ferramentas

24 Divulgação e comunicação com diferentes públicos – Canal YouTube

25 Há, também, um canal no YouTube, que reúne diversos vídeos sobre a FEBRACE e depoimentos de estudantes e professores que já participaram em alguma das edições da feira. Tais vídeos possibilitam que os novos estudantes possam compreender melhor a feira e preparar-se melhor para o evento. Estratégias e ferramentas Divulgação e comunicação com diferentes públicos – Canal YouTube

26 “Saber que foi reconhecido, não tem explicação como é bom” -tRV0-Z7g Estratégias e ferramentas Divulgação e comunicação com diferentes públicos Depoimentos de estudantes no YOUTUBE.

27 Estratégias e ferramentas Divulgação e comunicação com diferentes públicos Depoimentos de professores, patrocinadores e apoiadores no YOUTUBE. SlBUWU0 “Eu não tinha ideia de que jovens dessa idade eram competentes para fazer trabalhos dessa natureza”

28 Estratégias e ferramentas Divulgação e comunicação com diferentes públicos REDES SOCIAIS Tendo em vista a importância atual da Internet como meio veloz e eficiente de comunicação e o seu uso cada vez maior pelos jovens, a FEBRACE aposta no uso de mídias sociais diversas para a divulgação da feira, assim como para a divulgação de informações ligadas à ciência e à tecnologia.  CULTURA INVESTIGATIVA “Os Nerds estão na moda no Brasil!”

29 Estratégias e ferramentas Divulgação e comunicação com diferentes públicos - TWITTER

30 O uso das redes sociais possibilita, dentre outras coisas, abrir um caminho de comunicação para que estudantes possam tirar suas dúvidas com a Organização do evento. A transmissão de notícias e informações relacionadas à feira e a outros eventos nacionais e internacionais ligados à ciência e à tecnologia é outra vantagem do uso de redes sociais. Estratégias e ferramentas Divulgação e comunicação com diferentes públicos - TWITTER

31 Os estudantes podem apresentar suas opiniões e trocar experiências com alunos que já participaram ou que estão também desenvolvendo seus projetos em outros lugares do Brasil. Estratégias e ferramentas Divulgação e comunicação com diferentes públicos - TWITTER

32 Estratégias e ferramentas Divulgação e comunicação com diferentes públicos - FACEBOOK

33 O uso de redes sociais cria espaço para uma maior divulgação dos projetos dos estudantes, assim como para que haja um intercâmbio de informações entre os participantes de feiras de ciência brasileiras e internacionais. Além disso, também abre espaço para ampliar a divulgação da Feira, facilitando, por exemplo, os convites para participar do evento. Estratégias e ferramentas Divulgação e comunicação com diferentes públicos - FACEBOOK

34 Estratégias e ferramentas Divulgação e comunicação com diferentes públicos - ORKUT

35 Os estudantes usam as mídias sociais também para ajudar os companheiros nos procedimentos de inscrição e dúvidas quanto à participação. Estratégias e ferramentas Divulgação e comunicação com diferentes públicos - ORKUT

36 Estratégias e ferramentas Divulgação e comunicação com diferentes públicos – BLOG

37 Além das redes sociais, a FEBRACE também possui um blog coletivo, no qual, tanto os organizadores da feira, como também estudantes que participaram de edições anteriores, podem postar informações diversas sobre ciência e tecnologia. Estratégias e ferramentas Divulgação e comunicação com diferentes públicos - BLOG

38 Estratégias e ferramentas Sistema de submissão eletrônica de projetos

39 Estratégias e ferramentas Sistema de submissão eletrônica de projetos

40 Preenchimento do perfil do usuário, com seus dados básicos. Estratégias e ferramentas Sistema de submissão eletrônica de projetos

41 Após o preenchimento dos dados, o participante pode adicionar um projeto. O Sistema está preparado para permitir milhares de acessos simultâneos. Sistema de submissão eletrônica de projetos Estratégias e ferramentas

42 Preenchimento de dados acerca do projeto. O participante que está submetendo o projeto deve indicar, nessa parte, o título, número de estudantes do grupo e qual é a sua participação no projeto. Sistema de submissão eletrônica de projetos Estratégias e ferramentas

43 Dados do projeto. Nesta página são requisitados outros dados importantes sobre o projeto, tais como categoria em que o projeto pretende se inscrever, duração da pesquisa e formulários de segurança. Sistema de submissão eletrônica de projetos Estratégias e ferramentas

44 Ainda nessa página são requisitadas informações sobre o local de realização da pesquisa e pede-se uma foto do projeto. Sistema de submissão eletrônica de projetos Estratégias e ferramentas

45 Plano de Pesquisa. Aqui os participantes têm que acrescentar os dados acerca do planejamento anterior à pesquisa, incluindo - questão ou problema identificado, hipótese ou objetivo, descrição detalhada dos materiais e métodos (procedimentos) que serão utilizados e a bibliografia (as três referências mais importantes). Sistema de submissão eletrônica de projetos Estratégias e ferramentas

46 Resumo. Aqui os participantes colocam o resumo do seu projeto (com no máximo 2000 caracteres) e três palavras chaves referentes à pesquisa. Caso o projeto seja finalista, será esse resumo que irá para os Anais da FEBRACE. Sistema de submissão eletrônica de projetos Estratégias e ferramentas

47 Envio do Relatório. Aqui os participantes escolhem como encaminharão o relatório ou a monografia completos do projeto – por via postal ou por via digital (através de upload na própria página). Sistema de submissão eletrônica de projetos Estratégias e ferramentas

48 Página inicial do Sistema. Nessa página o participante confere o status do seu projeto e quais informações faltam acrescentar, como, por exemplo, os dados dos outros participantes do grupo. Sistema de submissão eletrônica de projetos Estratégias e ferramentas

49 Cadastro dos outros participantes. A partir da página inicial, o participante que está submetendo o projeto pode registrar os dados dos seus companheiros de grupo e do orientador e co-orientador (opcional) do projeto. Sistema de submissão eletrônica de projetos Estratégias e ferramentas

50 Página de Login no Sistema. Através deste sistema, avaliadores em qualquer lugar do planeta com acesso à Internet podem avaliar projetos. Sistema de Avaliação de projetos Estratégias e ferramentas

51 Cadastrar ou atualizar os dados. Nesta página é possível editar os dados pessoais, mudar a senha, listar os projetos (clicando no link no final da página) e também visualizar as áreas e a quantidade de projetos em cada área. Sistema de Avaliação de projetos Estratégias e ferramentas

52 Consulta da listagem de projetos disponíveis para avaliação e escolha de projetos para avaliação. Sistema de Avaliação de projetos Estratégias e ferramentas

53 Se o avaliador desejar avaliar esse projeto, clicará em “Avaliar projeto”. Abrir-se-á uma nova janela, em que será possível fazer a reserva do projeto. Pode-se fazer a reserva de vários projetos, enquanto se decide qual efetivamente será avaliado. Com o projeto em reserva, a janela fica como na figura ao lado. Após examinar diversos projetos, se preferir desistir de algum, basta clicar em “Remover reserva” e o projeto sairá de sua lista, tornando-se disponível a outro avaliador, dentro da cota de avaliadores por projeto. Sistema de Avaliação de projetos Estratégias e ferramentas

54 Analisar documentação de projetos. No conjunto de projetos escolhidos, para cada projeto há vários itens a serem avaliados, com um link para cada item: Dados do projeto, Resumo do projeto, Plano de pesquisa, Relatório e em “Avaliar projeto”, temos a ficha de avaliação do projeto. Sistema de Avaliação de projetos Estratégias e ferramentas

55 Ficha de Avaliação. Nessa página, estão expostos os critérios de avaliação, que são: Criatividade, Inovação, Metodologia, Profundidade, Clareza, Análise e Coerência. Os avaliadores podem atribuir os seguintes conceitos: Excelente (5), Ótimo (4), Bom (3), Regular (2), Fraco (1), Insuficiente (0). O avaliador também pode marcar os projetos como destaques em Relevância Social e Empreendedorismo. Por fim, o avaliador pode fazer recomendações à aprovação do projeto (Aprovar Fortemente, Aprovar, Indiferente, Não Aprovar, Fortemente Não aprovar) Sistema de Avaliação de projetos Estratégias e ferramentas

56 Com ele, os organizadores podem executar diversas tarefas, como: verificar os dados e os materiais relativos aos projetos submetidos pelos estudantes (como resumo e relatório); cadastrar feiras afiliadas; cadastrar prêmios e instituições premiadoras; gerar listas de premiações para a Cerimônia, gerar certificados de participação e premiação, editar notícias para o site da FEBRACE. Sistema de Administração Estratégias e ferramentas

57 Cada membro da organização tem a permissão para acessar os links necessários para executar apenas a sua função. A tela ao lado ilustra a visão do administrador, com todos os links visíveis. Sistema de Administração Estratégias e ferramentas

58 Cada link tem sublinks que permitem acessar diferentes dados e/ou executar diferentes ações. Por exemplo, é possível, no link “Acompanhamento”, sublink “Número de triagens” verificar estatísticas relacionadas aos projetos submetidos para participar da feira. Sistema de Administração Estratégias e ferramentas

59 Sistema de Administração Estratégias e ferramentas

60 Há três anos a FEBRACE realiza Workshops preparatórios para os estudantes escolhidos pela feira para ir para a Intel ISEF; De 6-8/maio/2010 a equipe da FEBRACE organizou o 1º Workshop Preparatório da delegação brasileira (finalistas da FEBRACE + MOSTRATEC (Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia) para a INTEL ISEF Workshop Preparatório para INTEL ISEF Estratégias e ferramentas

61 Os Workshops são organizados pela equipe do Laboratório de Sistemas Integráveis (LSI) da Escola Politécnica da USP que realiza a FEBRACE, com o financiamento do Ministério da Ciência e Tecnologia do Brasil e tem como principal objetivo preparar os estudantes para a apresentação de seus projetos para a Feira Internacional, além de promover a integração entre estudantes e professores de diversas cidades do Brasil. Workshop Preparatório para INTEL ISEF Estratégias e ferramentas

62 Incluem atividades como a apresentação dos projetos em inglês, preparação de um glossário de termos importantes e essenciais para explicar o projeto, além de dicas e informações valiosas sobre a avaliação durante a Intel ISEF. Trata-se de uma iniciativa inovadora que busca levar alunos cada vez mais preparados para representar o país em eventos internacionais. Workshop Preparatório para INTEL ISEF Estratégias e ferramentas

63 Jovens Cientistas destaques em 2009 Presidente da República recebe estudantes brasileiros premiados na feira internacional Intel ISEF 2009 (FEBRACE + MOSTRATEC)

64 Delegação Brasileira na INTEL ISEF em 2010: FEBRACE (9 projetos) + MOSTRATEC (9 projetos) + Escola Americana de Campinas (3 projetos)

65 Evolução e abrangência EVOLUÇÃO E ABRANGÊNCIA DAS FEIRAS NO BRASIL Edital publicado pelo CNPq (parceria MEC, MCT, CAPES e CNPq) ~10 Milhões de Reais (~US$6M) 5 Feiras Nacionais (min. 14 estados) 27 Feiras Estaduais (min. 20% munic.) 60 Feiras Municipais Bolsas de Iniciação Científica Jr. como forma de premiação MOSTRATEC FEBRACE

66 Estratégias e ferramentas A experiência adquirida pela equipe multidisciplinar durante 9 anos de organização da FEBRACE, possibilitou criar e aprimorar diversas estratégias e ferramentas para otimizar os processos de: divulgação e chamada para participação, comunicação com os diferentes públicos, organização das equipes de voluntários e Comitês, logística, seleção e avaliação. A FEBRACE está adequando e documentando estas estratégias e ferramentas para que possam ser disponiblizadas para outras Feiras brasileiras e de outros países que se interessem.

67 Obrigada! Mais informações:


Carregar ppt "Estratégias e ferramentas para divulgação, comunicação, seleção e avaliação para Feiras de Ciências Roseli de Deus Lopes Coordenadora Geral da FEBRACE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google