A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

T IPOS E STRUTURADOS DE D ADOS Professora: Fabíola Gonçalves. UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA ENGENHARIA CIVIL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "T IPOS E STRUTURADOS DE D ADOS Professora: Fabíola Gonçalves. UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA ENGENHARIA CIVIL."— Transcrição da apresentação:

1 T IPOS E STRUTURADOS DE D ADOS Professora: Fabíola Gonçalves. UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA ENGENHARIA CIVIL

2 A GENDA Estrutura de Dados Heterogênea Sintaxe Acesso as variáveis Atribuição de Valores Array de Estruturas Atribuição entre Estruturas 2

3 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA As variáveis vistas até agora eram: Simples: definidas por tipo int, real e char; Compostas homogêneas: definidas por array; É possível que se criem novas estruturas a partir dos tipos básicos. 3

4 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA Estrutura: Estrutura suporta K variáveis, cada qual com um tipo de dado próprio; Sintaxe: estrutura nomestruct{ tipo1 campo1; tipo2 campo2;... tipon campon; }; 4

5 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA Estrutura Ex.: estrutura cadastro { char nome[100]; int idade; char rua[50]; int numero; } ; cadastro 5 char nome[100]; int idade; char rua[50]; int numero;

6 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ESTRUTURA - DECLARAÇÃO Uma vez definida a estrutura, uma variável pode ser declarada de modo similar aos tipos já existente: estrutura cadastro c; Obs: por ser um tipo definido pelo programador, usa- se a palavra estrutura antes do tipo da nova variável. 6 Palavra reservada Estrutura Já definida Nome variável

7 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ESTRUTURA O uso de estruturas facilita na manipulação dos dados do programa; Imagine ter que declarar 4 cadastros, para 4 diferentes pessoas : char nome1[100], nome2[100], nome3[100], nome4[100]; int idade1, idade2, idade3, idade4; char rua1[50], rua2[50], rua3[50], rua4[50]; int numero1, numero2, numero3, numero4; 7

8 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ESTRUTURA Utilizando uma estrutura, o mesmo pode ser feito da seguinte maneira: estrutura cadastro p1, p2, p3, p4, p5; 8

9 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ESTRUTURA Exercício: Declare uma estrutura capaz de armazenar o número de um aluno e 3 notas para um dado aluno. 9

10 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ESTRUTURA Exercício: Declare uma estrutura capaz de armazenar o número e 3 notas para um dado aluno. estrutura aluno { int num_aluno; int nota1, nota2, nota3; }; 10

11 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ESTRUTURA – ACESSO ÀS VARIÁVEIS Como é feito o acesso às variáveis da estrutura? Cada variável da estrutura pode ser acessada com o operador.. Sintaxe: nomeEstrutura.nomeVariavel Ex.: copiar(c.nome,"João"); c.idade = 18; copiar(c.rua,"Avenida Brasil"); c.numero = 1082; 11

12 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ESTRUTURA – ACESSO ÀS VARIÁVEIS Como nos arrays, uma estrutura pode ser previamente inicializada: estrutura ponto { int x; int y; }; estrutura ponto p1 = { 220, 110 }; Permite inicializar as variáveis da estrutura. 12

13 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ESTRUTURA – ACESSO ÀS VARIÁVEIS E se quiséssemos ler os valores das variáveis da estrutura do teclado? Resposta: basta ler cada variável independentemente, respeitando seus tipos. EX: leia(c.nome); escreva(c.idade); leia(c.rua); escreva(c.numero); 13

14 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ESTRUTURA – ACESSO ÀS VARIÁVEIS Note que cada variável dentro da estrutura pode ser acessada como se apenas ela existisse, não sofrendo nenhuma interferência das outras. Assim: Uma estrutura pode ser vista como um simples agrupamento de dados. 14

15 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ESTRUTURA Voltando ao exemplo anterior, se, ao invés de 5 cadastros, quisermos fazer n cadastros? 15

16 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ARRAY DE ESTRUTURA SOLUÇÃO: criar um array de estruturas; Sua declaração é similar a declaração de uma array de um tipo básico: estrutura cadastro c[100]; Desse modo, declara-se um array de 100 cadastros. 16

17 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ARRAY DE ESTRUTURA Lembrando: estrutura : define um conjunto de variáveis que podem ser de tipos diferentes; array : é uma lista de elementos de mesmo tipo. Como assim? 17

18 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ARRAY DE ESTRUTURA Exercício: Utilizando a estrutura do exercício anterior, faça um programa para ler o número e as 3 notas de 10 alunos. 18

19 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ARRAY DE ESTRUTURA Exercício: Utilizando a estrutura do exercício anterior, faça um programa para ler o número e as 3 notas de 10 alunos. estrutura aluno { int num_aluno; int nota1, nota2, nota3; }; estrutura aluno a[10]; int i; para i de 1 até 10 faça leia(a[i].num_aluno); leia(a[i].nota1); leia(a[i].nota2); leia(a[i].nota3); fim para 19

20 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ATRIBUIÇÃO ENTRE ESTRUTURAS Atribuições entre estruturas só podem ser feitas quando os campos são IGUAIS ! Ex.: estrutura cadastro c1,c2; c1 = c2; //CORRETO Ex: estrutura cadastro c1; estrutura ficha c2; c1 = c2; //ERRADO!! TIPOS DIFERENTES 20

21 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ATRIBUIÇÃO ENTRE ESTRUTURAS No caso de estarmos trabalhando com arrays, a atribuição entre diferentes elementos do array também é válida; Ex: estrutura cadastro c[10]; c[1] = c[2]; //CORRETO Note que nesse caso, os tipos dos diferentes elementos do array são sempre IGUAIS. 21

22 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ESTRUTURA DE ESTRUTURAS Sendo uma estrutura um tipo de dado, podemos declarar uma estrutura que utilize outra estrutura previamente definida: estrutura endereco{ char rua[50] int numero; }; estrutura cadastro{ char nome[50]; int idade; estrutura endereco ender; }; 22

23 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ESTRUTURA DE ESTRUTURAS Nesse caso, o acesso aos dados do endereço do cadastro é feito utilizando novamente o operador.; estrutura cadastro c; copia(c.nome,"João"); c.idade = 18; copia(c. ender.rua,"Avenida Brasil"); c. ender.numero = 1082; 23

24 ESTRUTURA DE DADOS HETEROGÊNEA ESTRUTURA DE ESTRUTURAS Inicialização de uma estrutura de estruturas: estrutura ponto { int x, y; }; estrutura reta { estrutura ponto inicio, fim; }; estrutura reta r = {{10,20},{30,40}}; 24

25 REFERÊNCIAS Adaptada da apresentação de André Backes; Martins, L. G. A., Silva, A. J. Introdução à Algoritmos. Apostila da FACOM-UFU. 25


Carregar ppt "T IPOS E STRUTURADOS DE D ADOS Professora: Fabíola Gonçalves. UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA ENGENHARIA CIVIL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google