A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO: O ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL Profa. Dra. Adriana Limaverde – UFC

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO: O ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL Profa. Dra. Adriana Limaverde – UFC"— Transcrição da apresentação:

1 ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO: O ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL Profa. Dra. Adriana Limaverde – UFC

2 O Aluno com Deficiência Intelectual: Aspectos a considerar Identificação das potencialidades Importância da deficiência

3 O Aluno com Deficiência Intelectual: Aspectos a considerar Qualidade das interações e da mediação pedagógica Repercussão das interações sociais

4 PARA LEMBRAR... Alunos com Deficiência Intelectual desenvolvem esquemas e evoluem nas suas conceitualizações, mas demonstram dificuldades em conservar esses esquemas sem mediação; Fatores extra-cognitivos podem influenciar os mecanismos operatórios.

5 PARA LEMBRAR... Maior apelo aos recursos do meio ambiente que aos próprios recursos cognitivos (o apoio cognitivo deve estar no ambiente)

6 OBSERVAÇÕES Não se pode ignorar/desprezar a importância da inteligência sobre o desenvolvimento; É importante distinguir os fatores cognitivos dos motivacionais que afetam o desempenho do aluno com deficiência intelectual;

7 OBSERVAÇÕES Dificuldade em construir as estruturas operatórias. A mediação é fundamental; É importante centrar-se na educação cognitiva, promover situações desafiadoras.

8 OS MECANISMOS DE APRENDIZAGEM MOTIVAÇÃO ATENÇÃO MEMÓRIA TRANSFERÊNCIA METACOGNIÇÃO

9 MOTIVAÇÃO Os fatores motivacionais afetam o desempenho de alunos com Deficiência Intelectual. Dentre esses fatores se destacam a qualidade das relações sociais, as interações sociais negativas, a expectativa de fracasso, a dependência dos outros e a baixa auto-estima.

10 ATENÇÃO Alguns alunos apresentam muitas dificuldades para focalizar sua atenção sobre os elementos pertinentes para realizarem uma tarefa

11 MEMÓRIA As pessoas com deficiência intelectual apresentam uma fragilidade na memória de curto prazo. Elas não utilizam espontaneamente as estratégias cognitivas de codificação.

12 TRANSFERÊNCIA A transferência das aprendizagens em novos contextos constitui uma das maiores dificuldades. Problemas de natureza metacognitiva poderiam explicar, em parte, essas dificuldades de transferência.

13 METACOGNIÇÃO É a reflexão sobre sua ação, é pensar sua ação, é a consciência dos atos mentais que são utilizados numa situação de resolução de problemas.

14 ESTRATÉGIAS METACOGNITIVAS As pessoas com deficiência intelectual não solicitam espontaneamente as estratégias metacognitivas tais como: Antecipar a natureza e as implicações do problema; Comparar e selecionar as estratégias de execução pertinentes;

15 ESTRATÉGIAS METACOGNITIVAS Comparar e selecionar as estratégias de execução pertinentes; Planejar as estratégias escolhidas; Controlar e regular o processo de resolução do problema.

16 O ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL... Não automatiza procedimentos que liberem o tratamento das informações; Não desenvolve boas estratégias de aprendizagem;

17 Em que consiste o AEE para o aluno com Deficiência Intelectual?

18 Fundamentos Legais do AEE Plano de Desenvolvimento da Educação – PDE Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva Decreto nº6571 de 17/09/2008, regulamenta o AEE, como um dos serviços disponibilizados pela Educação Especial. Parecer nº 13 do CNE Resolução nº 4 do CNE

19 O AEE Realiza uma ação específica para ajudar o aluno com deficiência, transtorno global do desenvolvimento, altas habilidades/superdotação a agir de modo estruturado no ambiente escolar e fora dele, considerando as especificidades de cada aluno

20 Funções do AEE Organizar situações que favoreçam o desenvolvimento do aluno Produzir materiais didáticos e pedagógicos, tendo em vista as necessidades específicas desses alunos Promover a inclusão e interação do aluno na sala de aula do ensino regular.

21 A Organização do AEE Alunos com a mesma deficiência podem necessitar de atendimentos diferenciados, por isso, o primeiro passo para se planejar o AEE não é saber as causas, diagnósticos, prognóstico da deficiência do aluno, mas identificar a natureza da problemática vivenciada pelo aluno.

22 Principais Funções do Professor de AEE Gestão dos processos de aprendizagem Avaliação Acompanhamento

23 A Gestão dos Processos de Aprendizagem Consiste na organização de situações de aprendizagem no espaço da sala de recurso multifuncional, bem como na interlocução com o professor do ensino comum

24 A Gestão dos Processos de Aprendizagem Na sala de recurso multifuncional o trabalho deve centrar-se: –na atenção aos aspectos que podem potencializar o desenvolvimento e a aprendizagem do aluno –na eliminação das barreiras que dificultam a aprendizagem desse aluno

25 A Gestão dos Processos de Aprendizagem A interlocução com o professor do ensino comum deve centrar-se: –na obtenção de informações sobre o funcionamento do aluno na sala de aula –no conhecimento das práticas do professor do ensino comum –na observação sobre a organização do espaço físico da sala –na criação, quando necessário, de materiais de suporte para o acesso ao conhecimento em sala de aula regular

26 Avaliação Efetiva-se através do estudo de caso, que visa construir um perfil do aluno que possibilite elaborar o plano de intervenção O estudo de caso deve ser efetivado pelo professor do AEE em colaboração com o professor do ensino comum e com outros profissionais que trabalham com esse aluno no contexto da escola

27 Onde Ocorre a Avaliação? Em três ambientes principais: –Na sala de recurso multifuncional –Na sala de aula –Na família

28 Objetivos da Avaliação Recolher informações sobre o aluno considerando aspectos principais: funcionamento cognitivo, a linguagem oral e escrita, o raciocínio lógico, as aprendizagens escolares, os comportamentos e atitudes em situação de aprendizagem, o desenvolvimento psicomotor, a saúde do aluno, o desenvolvimento afetivo e as interações sociais

29 Avaliação dos Aspectos Motores Observar se o aluno é capaz de manipular objetos de diferentes texturas, formas e tamanho, se ele é capaz de pegar no lápis para pintar, desenhar, bem como para fazer o traçado das letras.

30 Avaliação da Linguagem Oral Observar se o aluno compreende determinadas mensagens (recados), se ele é capaz de expressar suas idéias de modo coerente com o contexto em questão, mesmo quando ele não é capaz de falar. Verificar se o aluno verbaliza de forma clara suas idéias, se ele faz uso na linguagem oral de um vocabulário amplo e diversificado.

31 Como Avaliar a Linguagem Oral? Reconto de uma história, pode ser registrado através de desenho ou da construção de maquete, da modelagem ou ainda através do jogo simbólico. Relato de situações vivenciadas Usar prancha de comunicação ou jogos educativos

32 Como Avaliar a Linguagem Escrita? Diferentes atividades que avaliam o nível psicogenético da criança podem ser utilizadas, tais como a atividade de avaliação do nome próprio, a produção espontânea e a leitura do texto memorizado

33 Avaliação do Raciocíno Lógico Avalia a evolução dos conceitos matemáticos fundamentais para a compreensão do conteúdo dessa área do conhecimento.

34 Como Avaliar o Raciocínio Lógico? Utilizar provas piagetianas que estão centralizadas sobre a seriação, sobre a classificação assim como sobre a conservação de quantidades contínuas e discretas

35 Como Avaliar o Raciocínio Lógico? A avaliação se volta para representações, conceitos, conhecimentos e estratégias de aprendizagem do aluno. A avaliação desses aspectos poderá ser realizada através da proposição de situações-problema

36 A Avaliação que o Aluno estabelece com o Saber Avaliar se o aluno mantém uma relação positiva ou se ao contrário ele não manifesta nenhuma motivação pelos conteúdos escolares.

37 A Avaliação na Sala de Aula O professor do AEE deve observar: –A organização e a gestão da sala de aula –O recreio, as brincadeiras, as atividades realizadas na biblioteca e no laboratório de informática –Como o aluno se relaciona com o conhecimento –Se é necessário o uso de recursos, equipamentos e materiais para acessibilidade ao conhecimento –Se o aluno apresenta melhor desempenho em atividades individuais, em pequenos grupos ou em grupos maiores e ainda a forma como interage com seus colegas

38 A Avaliação na Sala de Aula O professor do AEE deve observar: –o tipo de atividade proposta, se ele utiliza atividades que permitam o aluno se expressar de acordo com a sua evolução conceitual, como ele organiza a sequência didática dos conteúdos, se ele está atento aos diferentes ritmos e estilos de aprendizagem dos alunos.

39 A Avaliação na Sala de Aula O professor do AEE deve observar: –Se o professor do ensino comum utiliza estratégias da aprendizagem cooperativa e como procede em relação aos agrupamentos dos alunos. –Essa avaliação deve ser feita preferencialmente através da observação direta. Entretanto, quando esta não for possível deve se respaldar nas informações do professor de sala de aula.

40 A Avaliação na Família A família pode oferecer informações importantes quanto ao desempenho do aluno nas atividades domiciliares, bem como sua relação com o ensino e com os conteúdos escolares.

41 O Acompanhamento Consiste no desenvolvimento de ações que visam o progresso na aprendizagem do aluno, bem como sua melhor interação no espaço escolar

42 Como é realizado O Acompanhamento? Implica necessariamente na elaboração de um plano de atendimento educacional especializado- AEE O plano de AEE consiste na previsão de atividades que devem ser realizadas com o aluno na sala de recurso multifuncional, além da orientação ao professor da sala de aula comum quanto à adaptação e ao uso de materiais

43 Como é realizado o Acompanhamento? Articulação do professor do AEE com outros profissionais que possam dar suporte às necessidades específicas dos alunos Interação com a família no sentido de construir as condições propícias ao desenvolvimento e aprendizagem desses alunos Avaliação permanente da evolução do aluno nos diferentes espaços educacionais e redimensionamento das ações educacionais

44 O Acompanhamento na Sala de Recurso Multifuncional Organiza-se a partir de um plano de atendimento educacional especializado que o professor deve elaborar com base nas informações obtidas sobre o aluno e a problemática vivenciada por ele através do estudo de caso

45 O Acompanhamento na Sala de Recurso Multifuncional O professor do AEE deve proporcionar ao aluno o contato com as mais variadas formas de comunicação. Ele deve organizar situações em que o aluno seja provocado a se expressar oralmente através de descrições de imagens, fotos, recontos orais e relatos de experiências.

46 O Acompanhamento na Sala de Recurso Multifuncional O professor do AEE pode propor a realização de jogos que demandem desafios, favorecendo o uso de estratégias cognitivas e metacognitivas

47 O Acompanhamento na Sala de Recurso Multifuncional Para favorecer o desenvolvimento motor do aluno, o professor do AEE pode organizar variadas propostas de atividades que permitam aos alunos manifestarem livremente suas habilidades motoras

48 O acompanhamento na sala de recurso multifuncional O professor do AEE deve realizar ações específicas no sentido de ajudar o aluno a superar dificuldades na aprendizagem da leitura e da escrita Em relação ao raciocínio lógico-matemático, o acompanhamento deve priorizar a criação de situações-problema que possibilitem o aluno buscar alternativas de soluções, para isso o professor pode utilizar alguns recursos, dentre eles, os jogos pedagógicos.

49 O acompanhamento na sala de aula Na sala de aula do ensino comum deve ser observada a forma como aluno se relaciona com o conhecimento e com os colegas, verificando seu funcionamento durante a realização das atividades, verificando se ele trabalha de modo autônomo ou dependente

50 O acompanhamento na sala de aula Em colaboração com o professor do ensino comum o professor do AEE verifica se há necessidade ou não de algum ajustamento de material ou de ações que favoreçam a aprendizagem desse aluno nos diferentes ambientes da escola

51 Sala de Recurso

52

53 Obrigada !


Carregar ppt "ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO: O ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL Profa. Dra. Adriana Limaverde – UFC"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google