A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

arquitetura em encostas

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "arquitetura em encostas"— Transcrição da apresentação:

1 arquitetura em encostas
Tipologias & Análises de projetos brasileiros em encostas Disciplina: Urbanização de Encostas: Análise Prof. Dra. Sônia Afonso Aluno: Lucas Rudolpho Jun/2009

2 Este trabalho tem como objetivo apresentar as principais tipologias arquitetônicas encontradas em
encostas do Brasil. Arquitetos que souberam tirar partido da declividade para a elaboração do projeto. Para cada tipologia, realizou-se uma análise avaliando as vantagens e desvantagens envolvendo os seguintes aspectos: movimentos de terra (cortes e aterros) drenagem ventilação iluminação inserção do volume no entorno / aspectos da paisagem acessos: exterior (desenho urbano)

3 PRISMA REGULAR ENCRUSTADO
02/13 CROQUI ESQUEMÁTICO Volume escalonado nos andares inferiores e externamente formando um bloco regular. São soluções formais que se desenvolvem em degraus, acompanhando aproximadamente a declividade do terreno, com possibilidade de acesso, tanto pelo nível superior quanto pelo nível inferior do lote. Pode estar apoiado diretamente no solo ou sobre pilotis. Figura 01: Croqui Esquemático da Tipologia. REFERÊNCIA ARQUITETÔNICA ANÁLISE sustentabilidade criatividade possibilidade Residência Yamada , Aldeia da Serra /SP Arquiteto: Estúdio 6 Data do Projeto: 2004 a) Minimiza os volumes de corte, transporte e aterro. b) Minimiza as obras de contenção. c) Insere-se com harmonia na topografia. d) Pequenos impactos na drenagem local. e) Se a ventilação for transversal ao bloco, esta é interceptada pelo volume do edifício. f) Se o volume for vertical, o impacto no terreno é menor, pois só impermeabiliza a área construída. g) Se a tipologia inserir trecho em pilotis favorece a ventilação no nível do solo. sustentabilidade Figura 02: Vista Frontal e Lateral do Volume. Figura 03: Corte Longitudinal.

4 sustentabilidade criatividade possibilidade
03/13 Centro de treinamento para atletas, Vespasiano/ MG. Arquitetos: Alexandre Brasil, André Luiz Prado e Carlos Alberto Maciel Data do Projeto: 2001 Figura 04: Croqui da Volumetria. sustentabilidade criatividade possibilidade criatividade Figura 05: Vista Posterior. Figura 06: Vista Lateral.

5 PRISMA ESCALONADO ENCRUSTADO
04/13 CROQUI ESQUEMÁTICO Volume totalmente escalonado. Cada pavimento ou grupo de pavimentos que apresentam solução em degraus no volume externo. Compreende os projetos desenvolvidos de forma escalonada, acompanhando a declividade do lote, com acesso pelo nível superior ou inferior do lote, dependendo de sua posição em relação à rua de acesso. Figura 07: Croqui Esquemático da Tipologia. REFERÊNCIA ARQUITETÔNICA ANÁLISE sustentabilidade criatividade possibilidade Conjunto residencial Vila Fidalga, São Paulo/SP Arquiteta: Cristina Xavier Data do Projeto: 2002 a) Minimiza os volumes de corte, transporte e aterro. b) Minimiza as obras de contenção. c) Pequenos impactos na drenagem local. d) Se o volume não for verticalizado, a ventilação não é interceptada pelo mesmo devido ao escalonamento que acompanha a topografia. e) As circulações verticais podem estar setorizadas. f) Boa inserção na paisagem, pois o volume acompanha a topografia original do lote. possibilidade Figura 08: Vista Lateral Figuras 09 e 10: Vista Frontal e Lateral.

6 PRISMA OBLÍQUO ENCRUSTADO
05/13 CROQUI ESQUEMÁTICO Solução em pequenos patamares, formando ambientes internos com cobertura inclinada. Acompanha a declividade natural do terreno e se apóia totalmente sobre o solo. ANÁLISE Figura 11: Croqui Esquemático da Tipologia. a) Minimiza os volumes de corte, transporte e aterro. b)Minimiza as obras de contenção. c)Pequenos impactos na drenagem local. d)Se o edifício não for alto, a ventilação não é interceptada devido ao volume, que acompanha a topografia. e)Boa inserção na paisagem, pois o volume acompanha a topografia original. REFERÊNCIA ARQUITETÔNICA sustentabilidade criatividade possibilidade Residência em Ilha Bela/SP Arquiteto: Marcos Acayaba Data do Projeto: 1974 sustentabilidade Figura 12: Vista Lateral. Figura 13: Corte Longitudinal.

7 COM PASSARELA DE ACESSO NA PARTE SUPERIOR DO VOLUME
06/13 COM PASSARELA DE ACESSO NA PARTE SUPERIOR DO VOLUME CROQUI ESQUEMÁTICO Compreende os projetos que utilizam a parte mais baixa do terreno (apoiado no solo ou sobre pilotis) em relação à rua de acesso, apresentando uma passarela ou ponte de circulação que faz a conexão entre a área pública e a área privada. Figura 14: Croqui Esquemático da Tipologia. ANÁLISE REFERÊNCIA ARQUITETÔNICA a) Minimiza ou elimina os volumes de corte, transporte e aterro. b) É uma tipologia possível quando a inclinação do terreno é muito alta, pois, nesses casos, não se recomenda que se executem os patamares divididos em platôs menores, como nas tipologias anteriores. c) Minimiza ou elimina as obras de contenção. d) Pequenos impactos na drenagem local. e) O acesso ao edifício, por se dar em nível com a área pública, não requer a solução em escadas ou rampas. f) Possibilita que a circulação vertical seja centralizada em uma única prumada interna ao volume. g) A lateral do edifício, que se volta para a encosta, fica com os seus pavimentos prejudicados em relação à ventilação, iluminação e visuais. Escola Jardim Umuarama, São Paulo/SP Arquiteto: Estúdio 6 Data do Projeto: 2003 sustentabilidade criatividade possibilidade criatividade Figura 15: Vista da Passarela de Acesso. Figura 16: Corte Longitudinal.

8 COM PASSARELA DE ACESSO NO PAVTO INTERMEDIÁRIO DO VOLUME
07/13 COM PASSARELA DE ACESSO NO PAVTO INTERMEDIÁRIO DO VOLUME CROQUI ESQUEMÁTICO Caracteriza-se pela localização de pavimentos tanto abaixo como acima do nível de acesso principal que se dá por meio de uma passarela. Podem estar apoiados diretamente no solo ou sobre pilotis. Figura 17: Croqui Esquemático da Tipologia. ANÁLISE a) Minimiza ou elimina os volumes de corte, transporte e aterro. b) Minimiza ou elimina as obras de contenção. c) Pequenos impactos na drenagem local. d) O acesso intermediário possibilita um projeto sem elevador, mesmo possuindo vários pavimentos, pois podem ser divididos acima e abaixo do acesso principal. e) Os pavimentos da parte inferior do edifício, que se voltam para a encosta, ficam com ventilação, iluminação e vistas prejudicadas. f) O volume do edifício, acima do acesso fica com ventilação , iluminação e vistas beneficiadas. g) O acesso pelo pavimento intermediário faz com que este seja diferenciado em relação ao pavimento tipo, podendo ser utilizado para usos públicos ou coletivos. REFERÊNCIA ARQUITETÔNICA sustentabilidade criatividade possibilidade Escola Estadual Jardim Ipanema,São Paulo/SP. Arquiteto: Ubyrajara Gilioli Data do Projeto: 2004 possibilidade Figura 18: Vista da Passarela de Acesso. Figura 19: Vista da Passarela de Acesso.

9 sustentabilidade criatividade possibilidade
VOLUME AÉREO 08/13 CROQUI ESQUEMÁTICO Com seu corpo principal na mesma cota de nível que o acesso principal, ou próximo. O corpo principal, em nível, sendo mantido por diversos tipos de apoios, como pilotis ou outras estruturas, deixa o terreno in natura. Figura 20: Croqui Esquemático da Tipologia. ANÁLISE a) Minimiza ou elimina as obras de terraplenagem e contenção. b) Baixíssimo impacto na drenagem local. c) O terreno pode ficar totalmente livre mediante a adoção de pilotis. d) A tipologia aérea é indicada quando a inclinação do lote é muito alta. Esta solução não altera a topografia original. e) A ventilação é eficiente e passa tanto por cima como por baixo do volume edificado. f) A iluminação é eficiente em todos os planos do volume edificado. g) Os acessos ao solo podem ser resolvidos por caixas de circulação interna ou externa ao volume. h) A utilização do terreno livre para outros usos é limitada devido à alta declividade. REFERÊNCIA ARQUITETÔNICA sustentabilidade criatividade possibilidade Residência Hélio Olga, São Paulo/SP. Arquiteto: Marcos Acayaba Data do Projeto: 1987 sustentabilidade Figuras 21 e 22: Vista Lateral e Posterior. Figura 23: Corte enfatizando a Estrutura.

10 sustentabilidade criatividade possibilidade
09/13 Residência em Iporanga/SP Arquiteto: Marcos Acayaba Data do Projeto: 1991 Figura 24: Corte Longitudinal. sustentabilidade criatividade possibilidade criatividade Figuras 25,26,27 e 28: Vistas da Edificação.

11 PRISMA COM ACESSO EM DIFERENTES NÍVEIS
10/13 PRISMA COM ACESSO EM DIFERENTES NÍVEIS CROQUI ESQUEMÁTICO Edifícios com acessos por níveis diferentes na fachada principal, posterior ou laterais. ANÁLISE a) A relação com o urbano é satisfatória, pois os acessos permitem a circulação por diversos níveis, facilitando sua relação com o espaço público. b) O sombreamento de um bloco no outro é grande. c) A ventilação pode ser explorada no volume superior, pelos desníveis formados entre os blocos. d) A ocupação do solo é intensa, porém podem-se deixar áreas permeáveis nos recuos de frente e de fundos. Figura 29: Croqui Esquemático da Tipologia. REFERÊNCIA ARQUITETÔNICA Residência Mariante, Aldeia da Serra/SP. Arquitetos: SPBR e MMBB Data do Projeto: 2005 sustentabilidade criatividade possibilidade possibilidade Figuras 30,31 e 32: Vista dos acessos por passarela em vários níveis.

12 sustentabilidade criatividade possibilidade
TIPOLOGIA HÍBRIDA 11/13 CROQUI ESQUEMÁTICO São aquelas que adotam, simultaneamente, formas variadas de apropriação da declividade do terreno, verticalizada ou não. ANÁLISE a) As soluções híbridas são as que mais propõem respostas formais diferenciadas. b) Estas devem ser estudadas caso a caso, pois misturam vários aspectos analisados nas tipologias anteriores. c) É a tipologia mais recorrente na bibliografia contemporânea. Figura 33: Croqui Esquemático da Tipologia. REFERÊNCIA ARQUITETÔNICA Universidade do Meio Ambiente, Nazaré Paulista/SP Arquitetos: Newton Massafumi Yamato e Tânia Regina Parma Data do Projeto: 2006 sustentabilidade criatividade possibilidade sustentabilidade Figuras 34 e 35: Vistas Aéreas.

13 sustentabilidade criatividade possibilidade
REFERÊNCIAS 12/13 PISANI,M.A.J. et al. Arquitetura e construção em áreas de Encostas. Disponível em: Acesso em: 17 junho 2009. FONTE DAS FIGURAS Figuras 01,07,11,14,17,20,29 e 33. Fonte: PISANI,M.A.J. et al. Arquitetura e construção em áreas de Encostas. Disponível em: Acesso em: 17 junho 2009. Figuras 02 e 03. Fonte: Portal Vitruvius. Disponível em: Acesso em: 17 junho 2009. Figuras 04,05 e 06. Fonte: Arcoweb. Disponível em: Acesso em: 17 junho 2009. Figuras 08,09 e 10. Fonte: Arcoweb. Disponível em: Acesso em :18 junho 2009. sustentabilidade criatividade possibilidade criatividade

14 sustentabilidade criatividade possibilidade
Figuras 12 e 13. Fonte: Escritório de Arquitetura Marcos Acayaba. Disponível em Acesso em:18 junho 2009. Figuras 15 e 16. Fontes: Portal Vitruvius. Disponível em: Acesso em: 18 junho 2009. Figuras 18 e 19. Fonte: Arcoweb. Disponível em: Acesso em :18 junho 2009. Figuras 21,22 e 23. Fonte: Escritório de Arquitetura Marcos Acayaba. Disponível em:http://www.marcosacayaba.arq.br/lista.projeto.chain?id=18. Acesso em: 18 junho 2009. Figuras 24,25,26,27 e 28. Fonte: Escritório de Arquitetura Marcos Acayaba. Disponível em:http://www.marcosacayaba.arq.br/lista.projeto.chain?id=22. Acesso em: 19 junho 2009. Figuras 30,31 e 32. Fonte: Portal Vitruvius. Disponível em: Acesso em: 19 junho 2009. Figuras 34 e 35. Fonte: Arcoweb. Disponível em: Acesso em: 19 junho 2009. 13/13 sustentabilidade criatividade possibilidade criatividade


Carregar ppt "arquitetura em encostas"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google