A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Bem-vindos ao Corte Plasma !!

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Bem-vindos ao Corte Plasma !!"— Transcrição da apresentação:

1 Bem-vindos ao Corte Plasma !!
Temas Teoria do corte plasma. Porque corta? Como funciona um equipamento? O que é um equipamento de Alta Definição? Comparação entre plasma e oxicorte. Características de um bom corte, defeitos mais comuns e como corrigí-los. Parâmetros para o controle do processo. Manutenção preventiva dos equipamentos Hypertherm. Problemas comuns na operação Problemas comuns nos equipamentos EXPLICAR O MOTIVO DA CAPACITAÇÃO: CONSEGUIR QUE OS USUÁRIOS E OS ENCARREGADOS DE MANUTENÇÃO CONHEÇAM MELHOR OS EQUIPAMENTOS E POSSAM OBTER MELHORES RESULTADOS

2 O quarto estado da matéria
Plasma O quarto estado da matéria Ionização: Liberação dos elétrons dos átomos do gás. O gás se transforma num bom condutor elétrico. Plasma Ionização Gás Nível de Energia Evaporação ALCANÇA-SE O QUARTO ESTADO DA MATÉRIA POR MEIO DO INCREMENTO DE ENERGIA, QUE LIBERA ÁTOMOS E TRANSFORMA GÁS EM PLASMA (VER DEF. NA SEGUINTE PROJEÇÃO). Líquido Fusão Comportamento do Plasma: < Seção do jato de ar > Resistência elétrica > Voltagem mantém a corrente > Temperatura no Plasma Sólido baw Hypertherm

3 Corte por plasma Definição
O plasma, é constituído de uma série de partículas que, contendo aproximadamente o mesmo número de íons positivos e elétrons, e mostrando algumas propriedades de um gás, se diferencia deste por ser um bom condutor de eletricidade. USA-SE O PLASMA PORQUE É O ÚNICO ESTADO DA MATÉRIA QUE PODE PERMANECER A 20000ºC, QUALQUIER OUTRO ELEMENTO SE FUNDE OU VAPORIZA INSTANTÂNEAMENTE. ADEMAIS, ENCONTROU-SE A MANEIRA DE CONTROLÁ-LO E APROVEITÁ-LO PARA CORTAR METAIS. O corte plasma é um processo que utiliza um bico calibrado para a constrição (compactação) de um gás ionizado que está a muito alta temperatura, a fim de controlá-lo e usá-lo para fundir e cortar metais condutores. baw Hypertherm

4 Tocha Convencional De fluxo simples baw Hypertherm (-) Funções do Gás:
Peça (+) Gás de Plasma (-) Anel de Torvelinho Bico Eletrodo O AR ENTRA EM FORMA TANGENCIAL, FORMANDO UM TORVELINHO (EM INGLES: SWIRL, POR ISSO O NOME DO SWIRL RING) QUE DESCE ENTRE O ELETRODO E A TOBERA (BICO) ATÉ SAIR PELO ORIFÍCIO A MUITO ALTA VELOCIDADE, IONIZADO EM SUA PARTE CENTRAL. FUNÇÕES DO GÁS: CONDUZIR O ARCO (EM SUA PARTE IONIZADA), EXPULSAR O MATERIAL REMOVIDO E REFRIGERAR OS CONSUMÍVEIS Funções do Gás: Conduzir o arco elétrico Expulsar o material removido Refrigerar a tocha e os consumíveis baw Hypertherm

5 Duplo fluxo de gás na cabeça
Tocha Hypertherm Duplo fluxo de gás na cabeça Peça (+) Gás de Proteção Gás de Plasma (-) Anel de Torvelinho Tobera Proteção Frontal Eletrodo Funções do Gás de Plasma: Conduzir o arco elétrico Expulsar o material removido Funções do Gás de Proteção: Restringir o arco e concentrar a energia Proteger a zona de corte Refrigerar a tocha e os consumíveis A DIFERENÇA FUNDAMENTAL É QUE TEM DOIS FLUXOS EM PARALELO QUE CUMPREM FUNÇÕES DIFERENTES: O GÁS DE PLASMA CONDUZ O ARCO EM SUA PARTE CENTRAL (IONIZADA) E EXPULSA O MATERIAL FUNDIDO, O GÁS SHIELD (PROTEÇÃO) CRIA UM TUBO AO REDOR DO PLASMA, CONCENTRANDO A ENERGIA E MANTENDO SUA FORMA, PROTEGE A ZONA DE CORTE, REFRIGERA A TOCHA E OS CONSUMÍVEIS. HÁ EQUIPAMENTOS QUE PERMITEM QUE O GÁS DE PLASMA SEJA DIFERENTE AO GÁS SHIELD, PERMITINDO COMBINAÇÕES QUE MELHORAM A QUALIDADE E AUMENTAM A CAPACIDADE DE CORTE EM ALGUNS MATERIAIS. baw Hypertherm

6 Características do arco
Corte por plasma Características do arco Eletrodo Bico(Tobera) Movimento de Avanço V1 Voltagem do Arco V V2 V3 O ARCO DEVE TER UMA QUEBRA NOS ÚLTIMOS 20% DA ESPESSURA, DE UNS 15º. SE ESTA QUEBRA NÃO EXISTE, ENTÃO O CORTE ESTÁ LENTO, SE A QUEBRA É MUITO ALTA, O CORTE ESTÁ RAPIDO. ISTO NOS AJUDA A SABER SE A VELOCIDADE DE AVANÇO QUE USAMOS ESTÁ BOA. A FONTE ENTREGA CORRENTE CONSTANTE, SEM IMPORTAR A ESPESSURA. SEMPRE ENTREGA A CORRENTE SELECIONADA. A VARIÁVEL DE AJUSTE É A VOLTAGEM, OU SEJA, SE MUDA A VELOCIDADE OU A ESPESSURA, OU A ALTURA DA TOCHA (DISTÂNCIA TOCHA / PEÇA), MUDARÁ A VOLTAGEM PARA COMPENSAR. A VOLTAGEM SE DEFINE EM FUNÇÃO DO COMPRIMENTO DO ARCO, POIS QUANTO MAIS LONGO FOR, MAIS RESISTÊNCIA TERÁ E PROVOCA MAIOR CAIDA DE TENSÃO. ESTA CAIDA É MEDIDA TODO O TEMPO PELO SISTEMA DE CONTROLE DE ALTURA, E ESTE COMPENSA A ALTURA DA TOCHA EM CADA MOMENTO. Faixas (range) de Temperatura do arco < 15º V = V1 + V2 + V3 17,000ºC 27,000ºC 11,000ºC O parâmetro de regulagem é a corrente. O equipamento seleciona automaticamente a voltagem do arco, dependendo da espessura do material e do diâmetro do furo do bico (seção do jato de ar) baw Hypertherm

7 Variações da Voltagem do Arco
HÁ QUE TER EM CONTA QUE, A IGUAL CORRENTE E MESMA ESPESSURA: SE INCREMENTO A VELOCIDADE, MAIS CURTO É O ARCO, PORTANTO, A VOLTAGEM DO ARCO DIMINUI 2) SE AUMENTO O FLUXO DE GÁS PLASMA, A VOLTAGEM DO ARCO SOBE 3) SE HÁ UMA RESTRIÇÃO NO GÁS PLASMA, BAIXARÁ A VOLTAGEM DO ARCO A VOLTAGEM DO ARCO É O ÚNICO ELEMENTO QUE NOS PERMITE CONHECER A POSIÇÃO DA TOCHA NO EIXO VERTICAL, PERMITE-NOS COMPENSAR VARIAÇÕES E CORTAR SEMPRE À MESMA ALTURA A voltagem do arco é função da altura da tocha. É usada para controlar esta variável que é muito importante para obter a qualidade desejada.

8 Equipamentos com alta frequência
Sequência de Arranque Equipamentos com alta frequência Relé de HF Relé de AP HF Eletrodo R (2W) (-) Bico (+) Circuito Principal Peça Sensor de Corrente 1) Abertura da válvula de gás / Tensão na fonte / Relé de AP desacionado 2) Aciona-se (fecha) o relé de HF e se acende o arco de alta frequência, que ioniza o gás e cria o caminho para acionar (fechar) o circuito de AP (arco piloto). Acende-se o arco piloto entre o eletrodo o bico. 3) Se a tocha estiver próxima da peça, começará a fechar-se o circuito principal, ou seja, produz-se a transferência do arco desde o eletrodo até a peça. Quando o sensor de corrente detecta a circulação, abrem-se os relés de AP e de HF. EXPLICAR OS 3 ARCOS EXPLICAR PROCEDIMENTO E O MOTIVO DO USO DA ALTA FREQUÊNCIA Arco alta frequência (não marca a chapa) Três tipos de arco Arco piloto (marca a chapa mas não perfura) Arco transferido (perfura a chapa) baw Hypertherm

9 Processos para Corte de Metais
Desafortunadamente o nosso não é um mundo perfeito! Todos os processos de corte tem suas vantagens e desvantagens. Os processos de corte encontrados no mercado podem ser agrupados nas seguintes categorias: Mecânicos serra, punção, jato de água c/abrasivo Excelente qualidade e precisão Caros, lentos Químicos Oxicorte Baixo invest., ampla aplicação,qualidade aceitável acima de 1/4” alto custo de retrabalho, só metais ferrosos, lento, grande aporte de calor Térmicos Plasma sem oxidação Laser sem oxidação Excelente qualidade em alguns materiais Altas velocidades Transformações metalúrgicas Alto custo de invest. Químico-Térmicos Plasma com Oxigeno Laser com Oxigeno Excelente qualidade em aços finos Alta velocidade EXPLICAR PRINCIPALMENTE AS DIFERENÇAS ENTRE OXICORTE E PLASMA RANGE DO PLASMA: 0.5mm A 25mm É ECONÔMICO PELAS VELOCIDADES, EM ESPESSURAS MAIORES TEM MENOR QUALIDADE, PORÉM, EM ESPESSURAS MENORES DE 25mm É MUITO MAIS RÁPIDO E MAIS BARATO. RANGE DO OXICORTE: 12mm A PRODUZ EXCESSIVO AQUECIMENTO EM ESPESSURAS PEQUENAS, É CARO PELO ELEVADO CONSUMO DE GASES E PELA BAIXA VELOCIDADE. baw Hypertherm

10 O Corte Perfeito Todos os usuários de processos de corte de metal buscam essencialmente o mesmo: O CORTE PERFEITO. O corte perfeito poderia ter as seguintes qualidades: Ângulo reto Excelente tolerância Sem sangria Alta velocidade Baixo Custo Sem desgaste de ferramentas Repetibilidade baw Hypertherm

11 Variáveis a considerar
Qualidade de Corte Variáveis a considerar As seguintes variáveis são as que devem ser tomadas em conta ao falar em qualidade de corte: Inclinação ou desvio do corte Dureza da borda Limpeza da borda Alterações químicas Soldabilidade e maquinabilidade baw Hypertherm

12 Variáveis a considerar
Controle de processo Variáveis a considerar O resultado do processo de corte plasma estará definido pela escolha correta das seguintes variáveis: Corrente (A) Gás (tipo, pureza e pressão/vazão) Distância tocha-peça Velocidade de avanço Corte seco vs. abaixo d/água CORRENTE: É ESCOLHIDA DE ACORDO COM A ESPESSURA A CORTAR E A QUALIDADE DESEJADA (EM GERAL, COM MAIOR CORRENTE MENOR CUSTO, MAS TAMBÊM MENOR QUALIDADE) GÁS: É ESCOLHIDO DE ACORDO COM O MATERIAL A CORTAR: - AÇO CARBONO, OXIGÊNIO – INOX, AR OU NITROGÊNIO – ALUMÍNIO, AR OU NITROGÊNIO DISTÂNCIA TOCHA - PEÇA: ESTÁ DETERMINADA NA TABELA, AINDA QUE A EXPERIÊNCIA DO OPERADOR PODE MODIFICÁ-LA. VELOCIDADE DE AVANÇO: POR TABELA, PORÊM O OPERADOR PODE MODIFICÁ-LA CORTE SECO OU ABAIXO ÁGUA, DETERMINADO PELO EQUIPAMENTO. O CORTE ABAIXO DE ÁGUA SACRIFICA QUALIDADE, PORÊM EVITA QUASE COMPLETAMENTE OS FUMOS,(FUMAÇA) OS RUÍDOS E A RADIAÇÃO. baw Hypertherm

13 Acabamento do corte baw Hypertherm Sangria:
Abertura criada pelo metal que foi removido pelo jato de plasma. Sua largura é determinada por: Corrente Tamanho do orifício do bico Estado dos consumíveis Distância tocha-peça Velocidade de avanço Perfurar: É o arranque em plena chapa, diferente do arranque na borda. A capacidade de perfuração é, geralmente, a metade da capacidade máxima de corte do equipamento. baw Hypertherm

14 Acabamento do corte Distância tocha-peça:
É a distância entre a peça e a ponta da tocha. É crítica para determinar o ângulo de corte e a qualidade final. THC (Torch Height Control): É a unidade que controla automaticamente a distância tocha-peça em função da distância (voltagem) escolhida, para otimizar a qualidade de corte. UM THC (CONTROLE DE ALTURA DE TOCHA) TEM COMO FUNÇÃO MANTER A DISTÂNCIA TOCHA PEÇA CONSTANTE. É UM DISPOS. ELETRÔNICO QUE DETECTA AS VARIAÇÕES DE VOLTAGEM DO ARCO COMPENSANDO-AS MOVENDO A TOCHA PARA CIMA OU PARA BAIXO . O SENSOR DE ALTURA INICIAL SERVE PARA POSICIONAR A TOCHA NA ALTURA DE PERFURAÇÃO (IDEAL) PARA INICIAR O CORTE EM PLENA CHAPA SEM DANIFICAR OS CONSUMÍVEIS. IHS (Initial Height Sensing): Dispositivo encarregado de colocar a tocha na altura correta para a perfuração da chapa. Esta altura pode variar por causa das ondulações da chapa ao longo de sua superfície, e o sensor é capaz de detectar estas variações evitando o arranque muito próximo ou longe da chapa. - É recomendado perfurar a 150% - 200% da altura de corte.

15 Efeitos da Velocidade de Avanço Sobre a voltagem do arco
Quando é incrementada a velocidade de avanço a Voltagem do Arco diminui, e vice-versa. A velocidade de avanço muda: - Nas esquinas - No princípio e no final de um corte - No corte de círculos e formas reduzidas Isto causará rebarbas nas esquinas e figuras pequenas. Reação do THC A tocha baixará à medida que a velocidade diminui e subirá com o incremento de velocidade. O THC deve ser desligado ou bloqueado nos casos em que a velocidade decresce. SE O THC (CONTROLE DE ALTURA DE TOCHA) DETECTA QUE A VOLTAGEM SUBIU (AO BAIXAR A VELOCIDADE NUMA ESQUINA), ENTÃO BAIXARÁ A TOCHA ATÉ ENCONTRAR A VOLTAGEM DESEJADA (A QUE FOI ESCOLHIDA ANTES DE COMEÇAR O CORTE). SE NUNCA ALCANÇAR, ENTÃO GOLPEARÁ A CHAPA, COM PERIGO DE DANIFICAR A TOCHA. PARA EVITAR ISTO, O THC DEVE DESCONECTAR-SE AUTOMATICAMENTEE NAS ESQUINAS E DEVE COMEÇAR A ATUAR UNS INSTANTES DEPOIS DE INICIAR O CORTE, PARA PERMITIR QUE A MÁQUINA ALCANCE A VELOCIDADE DE TRABALHO ESPECIFICADA. baw Hypertherm

16 Controle da altura da tocha
Inclinação do corte Controle da altura da tocha O ângulo pode ser corrigido mediante a alteração da distância tocha-peça. Isto se faz por meio da escolha da VOLTAGEM DE ARCO no THC. Se o ângulo não é similar nos 4 lados, então pode ser que a tocha não esteja a 90 graus em relação à peça, ou que os consumíveis estejam deteriorados. SE A TENSÃO ESCOLHIDA PARA O ARCO NÃO ESTIVER CORRETA, O THC NÃO ESTÁ FUNCIONANDO, ENTÃO PODE ACONTECER QUE NÃO CORTE COM A REGIÃO IDEAL DO ARCO , E OBTER ÂNGULOS POSITIVOS OU NEGATIVOS

17 Inclinação do corte Sentido de avanço
Devido à ação do anel de torvelinho sobre o gás plasma, um lado do corte sempre tem inclinação. É chamado “lado mau”. Para obter a menor inclinação na produção, é necessário cortar na direção correta. O “lado bom” é o direito em relação ao sentido de avanço da tocha. POR UMA CAUSA PRÓPRIA DO PROCESSO DE GERAÇÃO DO ARCO (PLASMA) O CORTE TENDERÁ A FICAR MAIS INCLINADO DO LADO ESQUERDO. ENTÃO HÁ QUE SE TER CUIDADO NA PROGRAMAÇAO DO EQUIPAMENTO PARA QUE O SENTIDO DE CORTE SEJA O CORRETO E O LADO MAU DO CORTE FIQUE NO SCRAP (SOBRAS) Sentido horário: Em cortes exteriores de uma peça. Sentido anti-horário: En cortes interiores (furos).

18 Variáveis que afetam na formação
Escória Variáveis que afetam na formação Escória: É o metal re-solidificado na parte inferior ou superior do corte. A formação da escória e suas condições são determinadas por: Velocidade de avanço Corrente Gases usados Tipo e espessura do material Distância tocha-peça Impurezas na superfície do material (óleos, etc) ( no caso de ter óleo ou sujeira, é conveniente cortar com o lado sujo ou oleoso para baixo) DROSS: ESCÓRIA SPEED: VELOCIDADE TOP: TOPO baw Hypertherm


Carregar ppt "Bem-vindos ao Corte Plasma !!"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google