A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Um trabalho de: DOUGLAS DE ANDRADE CRISTINO Colégio Estadual Antônio Gonçalves – CEAG Turma: 2004 Professor: Jarbas Data: 16/09/2008.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Um trabalho de: DOUGLAS DE ANDRADE CRISTINO Colégio Estadual Antônio Gonçalves – CEAG Turma: 2004 Professor: Jarbas Data: 16/09/2008."— Transcrição da apresentação:

1 Um trabalho de: DOUGLAS DE ANDRADE CRISTINO Colégio Estadual Antônio Gonçalves – CEAG Turma: 2004 Professor: Jarbas Data: 16/09/2008

2 Gravidez na Adolescência Brincadeira de gente grande

3 Introdução A gravidez na adolescência vem crescendo muito ultimamente por alguns fatores como a menstruação precoce, a falta de juízo dos jovens, entre outros problemas.

4 A falta de informação não pode ser considerada um desses fatores, afinal, nunca foi trabalhado tanto em cima de campanhas de conscientização, de prevenção, mas o número de gestantes jovens insiste em crescer.

5 Dados importantes Desde 1970, tem aumentado os casos de gravidez na adolescência e diminuído a idade das adolescentes grávidas. Segundo os dados do IBGE, desde 1980 o número de adolescentes entre 15 e 19 anos grávidas aumentou 15%. Só para ter idéia do que isso significa, são cerca de 700 mil meninas se tornando mães a cada ano no Brasil. Desse total, 1,3% são partos realizados em garotas de 10 a 14 anos.

6 Aproximadamente 27% dos partos feitos no SUS (Sistema Único de Saúde) no ano de 1999, foram em adolescentes de 10 a 19 anos, isso quer dizer que a cada 100 partos, 27 foram em adolescentes, dando um total de , naquele ano. Aproximadamente 27% dos partos feitos no SUS (Sistema Único de Saúde) no ano de 1999, foram em adolescentes de 10 a 19 anos, isso quer dizer que a cada 100 partos, 27 foram em adolescentes, dando um total de , naquele ano. Cerca de 10% das adolescentes, de acordo com uma pesquisa feita em alguns Estados brasileiros em 1996, tinham pelo menos 2 filhos aos 19 anos. Cerca de 10% das adolescentes, de acordo com uma pesquisa feita em alguns Estados brasileiros em 1996, tinham pelo menos 2 filhos aos 19 anos. Entre 1993 e 1999 houve aumento de aproximadamente 30% do número de partos feitos no SUS em adolescentes mais jovens, entre 10 a 14 anos. Entre 1993 e 1999 houve aumento de aproximadamente 30% do número de partos feitos no SUS em adolescentes mais jovens, entre 10 a 14 anos. Aproximadamente 17% dos homens entre 15 e 24 anos, segundo uma pesquisa feita em alguns Estados brasileiros, em 1996, já engravidaram alguma parceira. Aproximadamente 17% dos homens entre 15 e 24 anos, segundo uma pesquisa feita em alguns Estados brasileiros, em 1996, já engravidaram alguma parceira.

7 Causas A gravidez na adolescência é multicausal e sua etiologia está relacionada a uma série de aspectos que podem ser agrupados em: Fatores Biológicos Fatores de Ordem Familiar Fatores Sociais Fatores psicológicos e contracepção

8 Fatores biológicos Que envolvem desde a idade do advento da menarca (primeira menstruação) até o aumento do número de adolescentes na população geral. Sabe-se que as adolescentes engravidam mais e mais a cada dia e em idades cada vez mais precoces. Observa-se que a idade em que ocorre a menarca tem se adiantado em torno de quatro meses por década no nosso século. Sendo a menarca, em última análise, a resposta orgânica que reflete a interação dos vários segmentos do eixo neuroendócrino feminino, quanto mais precocemente ocorrer, mais exposta estará a adolescente à gestação.

9 Fatores de ordem familiar O contexto familiar tem relação direta com a época em que se inicia a atividade sexual. Assim sendo, adolescentes que iniciam vida sexual precocemente ou engravidam nesse período, geralmente vêm de famílias cujas mães também iniciaram vida sexual precocemente ou engravidaram durante a adolescência O relacionamento entre irmãos também está associado com a atividade sexual: experiências sexuais mais cedo são observadas naqueles adolescentes em cuja família os irmãos mais velhos têm vida sexual ativa.

10 Fatores sociais A sociedade tem passado por profundas mudanças em sua estrutura, inclusive aceitando melhor a sexualidade na adolescência, sexo antes do casamento e também a gravidez na adolescência. Portanto tabus, inibições e estigmas estão diminuindo e a atividade sexual e gravidez aumentando Por outro lado, dependendo do contexto social em que está inserida a adolescente, a gravidez pode ser encarada como evento normal, não problemático, aceito dentro de suas normas e costumes A identificação com a postura da religião adotada se relaciona com o comportamento sexual.

11 Fatores psicológicos e contracepção A utilização de métodos contraceptivos não ocorre de modo eficaz na adolescência, e isso está vinculado inclusive aos fatores psicológicos inerentes ao período pois a adolescente nega a possibilidade de engravidar e essa negação é tanto maior quanto menor a faixa etária; o encontro sexual é mantido de forma eventual, não justificando, conforme acreditam, o uso rotineiro da contracepção. Estudo realizado na emergência obstétrica de hospital em Porto Alegre revelou que das adolescentes com vida sexual ativa que usavam algum método contraceptivo, 41% o faziam de forma incorreta ou realizavam trocas inadequadas. Apenas 18% relataram o uso de métodos contraceptivos. Entre aquelas que não utilizavam nenhum método anticoncepcional, como justificativa argumentavam: o desconhecimento dos métodos; não quere usar e desejar engravidar; não acreditavam que pudessem engravidar; não ter condições para comprar; ser alérgica; ter medo que os pais descubram; o parceiro não querer usar

12 Os riscos

13 Os riscos de gestação na adolescência não são apenas devido ao fator idade, existem riscos biológicos, porém psíquicos e sociais bastante importantes. Quanto ao fator idade, podemos considerar duas faixas etárias, a adolescência precoce de 11 a 15 anos e a tardia de 16 a 19 anos. Um fator é a idade ginecológica que é menor, isto é, quanto menor a diferença entre a idade cronológica da paciente e aquela que teve a primeira menstruação maior o risco para a gestação.

14 A gravidez na adolescência traz mais problemas devido ao início do pré-natal tardio do que esta se dar numa fase precoce da vida reprodutiva.

15 As patologias mais freqüentes são: pré-eclampsia ou eclampsia; pré-eclampsia ou eclampsia; Anemia; Anemia; infecção urinária ou vaginal; infecção urinária ou vaginal; parto pré-maturo. parto pré-maturo. Estas ocorrem, em geral, em gestações no extremo da vida reprodutiva e na primeira gestação. Podem ser amenizadas ou evitadas com um pré- natal bem feito.

16 Como evitar? É muito comum ouvir nas ocasiões em que se discute esse assunto com os adolescentes, perguntas do tipo: o asseio íntimo com ducha vaginal depois da relação sexual previne a gravidez? Quando a relação é em pé há risco de engravidar? Uma menina pode engravidar na sua primeira transa? E muitas outras perguntas e afirmações mitológicas sobre como não engravidar. A resposta a todas essas questões postas acima é única. Em todas as situações há risco de engravidar sim!

17 Métodos contraceptivos Espermicida Espermicida Diafragma Diafragma Camisinha Camisinha Pílulas anticoncepcionais. Pílulas anticoncepcionais.

18 Espermicida Espermicida é um produto, uma espécie de gel, comprado em farmácias sem a necessidade de receitas médicas e utilizado para matar ou imobilizar os espermatozóides evitando que eles cheguem ao óvulo. É aplicado na vagina pouco antes da relação sexual, mas não oferece o mesmo grau de proteção que a camisinha, por exemplo. O ideal é que seja usado junto com a camisinha aumentando assim sua eficácia.

19 Diafragma O diafragma é outro método ideal que cai bem com o espermicida. Aliás, ele só funciona assim. É um objeto côncavo, arredondado e de bordas, feito de borracha flexível. Para utilizá-lo é necessário aplicar-lhe o espermicida e em seguida inseri-lo no canal vaginal. Ele funciona como uma barreira de proteção do útero.

20 CamisinhaO método contraceptivo mais seguro chegando a oferecer 90% de segurança em relação a gravidez. Além da gravidez previne também todo tipo de doença sexualmente transmissível. Além disso, pode ser utilizada tanto pelo parceiro (camisinha masculina) quanto pela parceira (camisinha feminina). Outra vantagem é que sua aquisição é fácil. O único cuidado que deve ser tomado é o de observar se o produto tem o selo do IMETRO e se está dentro da data de validade. Camisinha feminina Camisinha masculina

21 Pílulas anticoncepcionais Um dos métodos contraceptivos mais populares, as pílulas, ocupam o primeiro lugar no ranking dos métodos mais usados pelas meninas. Isso acontece, primeiro porque sua fama de método seguro é grande, segundo porque o acesso a esse produto também é muito fácil. Embora isso seja errado a maioria das farmácias não pede receita médica no ato da compra e muitas mulheres fazem uso desse medicamento sem orientação médica. As pílulas costumam provocar efeitos colaterais como aumento ou redução de peso, dores de cabeça, náuseas, tonturas, entre outros.

22 Cuide – se!

23 Bibliografia avidez.htm avidez.htm avidez.htm avidez.htm ar101.htm ar101.htm ar101.htm ar101.htm ez-na-adolescencia/ ez-na-adolescencia/ ez-na-adolescencia/ ez-na-adolescencia/


Carregar ppt "Um trabalho de: DOUGLAS DE ANDRADE CRISTINO Colégio Estadual Antônio Gonçalves – CEAG Turma: 2004 Professor: Jarbas Data: 16/09/2008."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google