A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Centro de Recursos Educativos

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Centro de Recursos Educativos"— Transcrição da apresentação:

1 Centro de Recursos Educativos
Biblioteca escolar Centro de Recursos Educativos BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas” Eulália Nunes

2 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
de Luís de Camões BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

3 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

4 Contextualização na Época
Os Lusíadas são uma obra do século XVI. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

5 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Este século, caracterizado por uma grande viragem no pensamento humano, é marcado por três grandes movimentos culturais: o Humanismo, o Renascimento e o Classicismo. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

6 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Humanismo No Humanismo, o homem encontra-se no centro das atenções, dando lugar ao antropocentrismo (antropos significa Homem) que se opõe ao teocentrismo (Deus no centro). BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

7 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Movimento intelectual europeu Procurou descobrir e reabilitar a literatura e o pensamento da Antiguidade Clássica tem como interesse central o Homem, no pleno desenvolvimento das suas virtualidades e empenhado na acção Opõe-se à concepção hierárquica e feudalista do Homem medieval. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

8 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Renascimento Desenvolveu-se em países da Europa Central e Ocidental, como a Itália (passando sucessivamente de Florença a Siena e depois a Roma, e alastrando posteriormente a toda a Península italiana) nos séculos XIV a XVI BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

9 contestação da ideologia dominante durante o milénio medieval
Este movimento critica o “obscurantismo” medieval, numa atitude de contestação à tradicional influência da religião na cultura, no pensamento e na vida quotidiana ocidental. contestação da ideologia dominante durante o milénio medieval BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

10 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Cristianismo Antropocentrismo Cristo no centro do universo Antropos = Homem no centro do universo BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

11 Admiração pela antiguidade clássica;
Classicismo Admiração pela antiguidade clássica; Imitação da cultura greco-romana; Retoma dos seus valores, reflectindo-se em todas as artes como a pintura, a escultura e a literatura. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

12 O Classicismo tem como principais valores:
a harmonia, a simplicidade o equilíbrio a precisão o sentido das proporções. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

13 Na pintura destacam-se:
Leonardo da Vinci Rafael. Principais Estudos: Horácio Aristóteles Platão, Homero Sófocles Ésquilo Ovídio, Virgílio BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

14 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
A Itália, detentora dos valores clássicos, latinos e gregos, é considerada o berço deste movimento, com: Dante, Petrarca e Boccaccio. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

15 A influência greco-romana está presente nos Lusíadas
Conjuga factos da história portuguesa com as intrigas dos deuses do Olimpo, que buscam ajudar ou atrapalhar Portugal. Sintetiza duas importantes vertentes do renascimento português: As expedições ultramarinas e o humanismo. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

16 Evolução da Língua Portuguesa
A Língua Portuguesa proveio do latim vulgar - língua do povo inculto - que os romanos introduziram na Lusitânia contrapõe-se ao latim erudito usado nas escolas e nas obras literárias. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

17 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
O falar desta região da Lusitânia, entre os rios Minho e Vouga, designou-se de galaico-português. Com as conquistas, o galaico-português estendeu-se até ao Algarve, no reinado de D. Afonso III (1250). BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

18 Com Luís de Camões, inicia-se o período do português moderno.
No séc. XIV, o português separa-se do galego e inicia-se o período arcaico que se estende até ao séc. XVI. Com Luís de Camões, inicia-se o período do português moderno. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

19    A imprensa Luís de Camões vê publicada a sua epopeia em (1572) A invenção da imprensa de caracteres móveis feita por Johannes Gutenberg data de 1440 A técnica da tipografia divulgou-se rapidamente e as edições proliferaram aos milhares. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

20 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
  As descobertas Os portugueses tinham dois motivos para se “enfiar mar adentro”: o económico, de aumentar o comércio das especiarias com a Europa… …e o político, de expandir as terras cristãs na luta contra os mouros. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

21 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Quando as navegações começaram, as Cruzadas ( ), ainda estavam na memória de todos. Para expandir a luta contra os mouros, os portugueses buscavam uma aliança militar com o Preste João das Índias, o rei cristão da Etiópia. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

22 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Noção de epopeia Uma epopeia é a narrativa dos feitos grandiosos de um indivíduo ou de um povo. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

23 Enquadra-se no género narrativo:
é sempre um relato de acontecimentos: o sujeito da enunciação assume-se como narrador e dispõe-se a fazer o relato de um acontecimento ou conjunto de acontecimentos a um determinado público. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

24 O assunto deverá ter um carácter excepcional
é necessário que esses feitos se distanciem dos acontecimentos vulgares e assumam um carácter de excepcionalidade BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

25 o agente deverá ser igualmente um ser de excepção…
…um ser que, pela sua origem, pelas suas características, se distancie, se imponha aos seus semelhantes como herói. Pode ser um indivíduo ou uma colectividade (herói individual ou herói colectivo). BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

26 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Na Ilíada Na Odisseia HERÓIS Aquiles Ulisses O povo português Nos Lusíadas BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

27 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
São um canto de louvor à glória do povo português, verdadeiro protagonista do poema, como sugere o próprio título, que significa "os lusitanos". BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

28 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Apresentam-nos inúmeros heróis individuais que, no conjunto, constituem um herói colectivo. os portugueses representam a cultura ocidental renascentista, o que dá ao poema um valor universal. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

29 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Característica de todas as epopeias Estilo elevado, correspondente à grandiosidade do assunto selecção vocabular construção frásica extremamente elaborada abundante utilização de recursos estilísticos.   BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

30 Os temas centrais da epopeia
Expressam valores da aristocracia guerreira: o culto da coragem e da honra; o desejo de glória e fama; a preocupação com o Fado (destino). BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

31 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
A mitologia Representa a presença e a intervenção divina no mundo, confrontando a condição de mortalidade dos homens à de imortalidade dos deuses. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

32 Algumas Figuras Mitológicas Introduzidas nos Lusíadas
BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

33 Vénus Deusa do Amor e da beleza
Representa o apoio divino para enfrentar as dificuldades no mar; uma figura protectora. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

34  Baco Deus do vinho Receia que os feitos dos Portugueses façam desvanecer a sua glória no Oriente.  Representa a força opositora. BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

35 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Júpiter O pai dos Deuses BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

36 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Marte Deus da guerra Apaixonado por Vénus BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

37 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Mercúrio Deus da eloquência, do comércio e dos ladrões Era o mensageiro dos deuses BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

38 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Neptuno Deus do Mar BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

39 Thetis Deusa do Mar, é uma das Nereidas
Era a amada do Gigante Adamastor BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"

40 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"
Bibliografia [visitado em 23 de Outubro 2009 Soares, Miguel, Dicionário Mitológico (em Linha) disponível em [visitado em 23 de Outubro 2009 Dias, Maria de São José Tavares (em linha) disponível em [visitado em 23 de Outubro 2009] Camões, Luís Vaz, "Os Lusíadas", Porto Editora, 2a edição, 1974 BE/CRE Contextualização de "Os Lusíadas"


Carregar ppt "Centro de Recursos Educativos"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google