A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Jardim de Infância de Chouto Educadora Sandra Cruz.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Jardim de Infância de Chouto Educadora Sandra Cruz."— Transcrição da apresentação:

1

2 Jardim de Infância de Chouto Educadora Sandra Cruz

3 O Jardim de Infância de Chouto O Jardim de Infância funciona num edifício reconstruído, situado na zona central do Chouto, perto da Junta de Freguesia, da Extensão de Saúde e a poucos metros da EB1.

4 Grupo de crianças O grupo de crianças é heterogéneo, sendo constituído por cinco crianças de 3 anos, cinco crianças de 4 anos, oito crianças de 5 anos e por uma criança de 6 anos, perfazendo um total de 19 crianças. Existe uma maior preponderância de crianças do sexo masculino.

5 A sala de refeições Momentos de socialização e de transmissão de saberes e de regras

6 O hall de entrada

7 O Espaço no Jardim de Infância A organização do espaço, no Jardim de Infância, reflecte as intenções educativas do educador pelo que os contextos devem ser adequados para promover aprendizagens significativas, alegria, o gosto de estar no jardim e que potenciam o desenvolvimento integrado das crianças que neles vão passar grande parte do seu tempo. Entende-se necessário que o espaço esteja bem definido, que os materiais estejam organizados de forma lógica, devidamente identificados para que a criança os possa encontrar e arrumar facilmente e autonomamente. Assim, a sala está dividida em áreas onde a criança pode trabalhar livremente ou orientada, colectiva ou individualmente.

8 As áreas criadas na sala do Jardim de Infância não são estanques. Pode-se e deve-se criar novas áreas indo ao encontro do interesse do grupo de crianças, mediante os projectos que se estiverem a desenvolver. As mudanças são feitas com o grupo. Desta forma familiarizam-se com o espaço e participam no processo de organização. Estas áreas organizadas convidam à interacção entre a criança/criança e criança/adulto. A percepção, a acção e a linguagem formam assim, um suporte para a aprendizagem.

9 No início do ano lectivo foram definidas algumas áreas, tendo em conta os níveis de desenvolvimento, interesses e vivências das crianças; Foi atribuído nome às áreas, procurando que estes fossem perceptíveis e que reflectissem o que nelas existem: Símbolo; Escrita; Número; Quantidade; As Áreas

10 Área do Acolhimento É um local de reunião, onde todos se sentam em roda para partilhar vivências, contar histórias, cantar, realizar alguns jogos, sendo este também o local onde programamos todo o trabalho que pretendemos realizar ao longo do dia, planifica-se com o grupo, preenchem-se os quadros de gestão do grupo, fazem-se avaliações através de registos gráficos e outros.... Não é um espaço exclusivo do acolhimento, visto ser também um espaço que as crianças utilizam nas actividades de trabalho autónomo.

11 Área da Biblioteca Nesta área a criança manuseia livros, inventa histórias, “lê” histórias, conta histórias, manuseia ficheiros de imagens, enciclopédias, revistas, fotografias... Esta área proporciona momentos de partilha (de livros) quer individualmente, quer em grupo, trabalha o repouso físico e /ou o relaxamento, estimula o gosto pela leitura e pelas diferentes formas de comunicação.

12 Área da Escrita Nesta área a criança tem contacto com o código escrito de uma forma informal. Brinca com letras, copia-as, faz tentativas de escrita, imita a escrita e a leitura, familiariza- se com o código escrito, percebe que há uma forma de comunicar diferente da linguagem oral, percebe as funções da escrita. Não se trata de uma introdução formal e “clássica” à leitura e escrita, mas de facilitar a emergência da linguagem escrita.

13 Área do Computador Nesta área a criança usa o computador para jogar jogos didácticos com diversos temas para o seu desenvolvimento. O código informático pode ser utilizado em expressão plástica e expressão musical, na abordagem ao código escrito e na matemática.

14 Área dos Jogos e Construções Nesta área a criança experimenta construções a três dimensões; Faz actividades de iniciação à matemática que implicam comparações e seriações, sequências, alternâncias, tamanhos, peso, forma, cor; Experimenta materiais que promovem noções de lateralidade; Faz actividades de experimentação de noções espaciais como: puzzles, construções….

15 Área da Garagem Esta área é facilitadora da socialização, permite à criança brincar individualmente ou em pares Representa vivências da utilização da via pública, percorrer percursos, contornando obstáculos desenvolvendo deste modo a coordenação óculo-manual.

16 Área da Casinha e da Lojinha Existe a á rea da “ casinha das bonecas ” e a área da “lojinha”. As crianças exteriorizam o que vivem interiormente, expressando pela acção, ideias, sentimentos e emoções e traduzindo muitas vezes a imitação de tarefas, papéis e actividades do adulto. Para além do desejo de compreensão de todo esse mundo, as crianças expressam o que dele sentem.

17 Área da Expressão Plástica Nesta área a criança manipula vários materiais e suportes, experimenta e treina noções de espaço relativos ao suporte que nele se inscreve. Estimula o sentido da curiosidade e a necessidade de experimentação da criança; (nesta área o que tem mais sentido é o processo de exploração, de captação e de funcionamento do que os resultados ou produto elaborado.

18 Área da Natureza Esta área permite familiarizar a criança com a natureza e os seus ritmos, contribuindo para que aprendam a cuidar e a ter responsabilidade acerca de outros seres, desenvolvendo uma sensibilidade ambiental. Pois cria a noção acerca dos tempos de alimentação e dos cuidados necessários a ter com outros seres vivos.

19 Recreio exterior Nesta área prevalece a actividade motora por excelência, de socialização e de expressão dramática. Permite desenvolver actividades estruturadas e livres de partilha entre pares ou grupo alargado, interagindo deste modo com os outros

20 “ “ E assim actividades l ú dicas e actividades expressivas se entretecem e entrela ç am para um pleno desenvolvimento da personalidade infantil ”. ( M.E.; Perspectivas de Educa ç ão em Jardins de Infância; s/d, p. 20.)

21 APENAS BRINCANDO...“ Quando eu estiver a construir um edifício de blocos, Por favor não digas que eu "estou apenas brincando". Já que, entende, eu estou a aprender enquanto brinco, sobre equilíbrio e forma Quando eu estiver bem vestido, a pôr a mesa, a cuidar do bebé, Não tenhas a ideia de que eu "estou apenas brincando", Já que, entende, eu estou a aprender enquanto brinco. Algum dia eu posso ser uma mãe ou um pai. Quando me vires pintado até os cotovelos, A construir uma moldura, ou a moldar e a dar forma à argila, Por favor não me deixes ouvi-te dizer que eu "estou apenas brincando". Já que, entende, eu estou a aprender enquanto brinco. Eu estou a expressar-me e a ser criativo. algum dia eu posso ser um artista ou um inventor. Quando me vires sentado numa cadeira a "ler" para uma audiência imaginária, Por favor não rias e não pense que eu "estou apenas brincando". Já que, entende, eu estou a aprender enquanto brinco. Algum dia eu posso ser um professor. Quando me vires a apanhar insectos ou a guardar as coisas que encontro no bolso, Não os jogues fora como se eu "estivesse apenas brincando". Já que, entende, eu estou aprender enquanto brinco. Algum dia eu posso ser um cientista

22 Quando me vires a fazer um puzzle, Por favor, não penses que estou a desperdiçar tempo "brincando". Estou a aprender a concentrar-me e a resolver problemas. Já que, entende, eu estou aprender enquanto brinco. Algum dia eu posso ser um empresário ou um engenheiro. Quando me vires cozinhar ou provar comidas, Por favor não penses que estou a aproveitar, que é "só para brincar". Já que, entende, eu estou a aprender enquanto brinco. Eu estou a aprender sobre os sentidos e as diferenças. Algum dia eu posso ser um "chefe" cozinheiro. Quando me vires a aprender a saltar, pular, correr e mover o corpo, Por favor não digas que eu "estou apenas brincando". Já que, entende, eu estou a aprender enquanto brinco. Eu estou a aprender a conhecer melhor o meu corpo. Algum dia eu posso ser um médico, uma enfermeira ou um atleta. Quando me perguntares o que fiz na escola hoje e eu responder: "Eu brinquei". Por favor não me entendas mal. Já que, entende, eu estou a aprender enquanto brinco. Eu estou a aprender a apreciar e ser bem sucedido no trabalho. Eu estou a preparar-me para o amanhã. Hoje, eu sou uma criança e meu trabalho é brincar. Anita Wadly


Carregar ppt "Jardim de Infância de Chouto Educadora Sandra Cruz."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google