A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Astrologia Esotérica vol. I 20 de fevereiro a 20 de março.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Astrologia Esotérica vol. I 20 de fevereiro a 20 de março."— Transcrição da apresentação:

1 Astrologia Esotérica vol. I 20 de fevereiro a 20 de março

2 O Mito Tifon, deus da seca, inimigo hereditário dos deuses, perseguia Afrodite e Eros, divindade da sensibilidade e das trocas sentimentais. Um amor impossível unia Afrodite e Eros e sendo perseguidos por Tifon, numa fuga desesperada, pedem auxílio a todos os homens e deuses, não sendo atendidos por ninguém, que temiam a fúria de Tifon. Somente a cabra Amaltéia os socorre, mostrando-lhes o caminho seguro para fugir daquele deus terrível, indicando o caminho do mar, onde Tifon não poderia mais perseguí-los.

3 O Mito Entrando no reino de Poseidon, finalmente se livram de Tifon que fica impossibilitado de entrar no mar por ser o deus da seca. Poseidon envia dois delfins amarrados com um laço de ouro que leva Eros e Afrodite para as profundezas do oceano, onde viveriam seu sonho de amor eterno, onde nunca mais seriam perseguidos, nem pelos deuses, nem pelos homens.

4 O Fio ou Sutratma

5 Agradecidos, os deuses transformaram os delfins na constelação de Peixes. Afrodite retornou para o mar, de onde tinha nascido e se protegeu do monstro que a perseguia, mas teve que abandonar a terra firme e o contato com o mundo concreto e a realidade da matéria, tornando-se prisioneira do amor no mundo distante e irreal, que era o fundo do mar.

6 A constelação de Peixes

7 Símbolo de Peixes Um dos peixes representa a alma, e o outro, a personalidade ou natureza da forma, e entre eles encontra-se o “fio ou sutratma”, o cordão prateado que os mantém unidos um ao outro durante todo o ciclo de vida manifestada.

8 Peixes Signo da água ( como Câncer e Escorpião) Qualidade : Dualidade.Fluidez dotada com a consciência intuitiva. Mediúnico. Mente polarizada não despertada. Intuição adormecida. Morte da personalidade. Libertação da alma, de seu cativeiro. Cristo, o Salvador Mundial Oposto Polar: Virgem. Um signo da Terra ( matéria; o Cristo na caverna do coração) Regentes: exotérico : Júpiter (2º Raio do Amor Sabedoria) esotérico : Plutão (1º Raio da Vontade e Poder) Signo da água ( como Câncer e Escorpião) Qualidade : Dualidade.Fluidez dotada com a consciência intuitiva. Mediúnico. Mente polarizada não despertada. Intuição adormecida. Morte da personalidade. Libertação da alma, de seu cativeiro. Cristo, o Salvador Mundial Oposto Polar: Virgem. Um signo da Terra ( matéria; o Cristo na caverna do coração) Regentes: exotérico : Júpiter (2º Raio do Amor Sabedoria) esotérico : Plutão (1º Raio da Vontade e Poder)

9 Palavras – chave do ângulo da forma: “ Penetra na matéria” do ângulo da alma: “ Eu deixo o lar do meu Pai e dando as costas eu Salvo”. do ângulo da forma: “ Penetra na matéria” do ângulo da alma: “ Eu deixo o lar do meu Pai e dando as costas eu Salvo”.

10 Áries Em Áries temos a dualidade ligada a união do espírito e matéria, na grande atividade criativa da manifestação no início do ciclo evolutivo.

11 Peixes Em Peixes, temos a fusão ou união da alma e da forma - no que diz respeito ao homem - produzindo a manifestação do Cristo encarnado, a alma individual aperfeiçoada, a plenitude da manifestação do microcosmo. Em Peixes, temos a fusão ou união da alma e da forma - no que diz respeito ao homem - produzindo a manifestação do Cristo encarnado, a alma individual aperfeiçoada, a plenitude da manifestação do microcosmo.

12 Peixes Assim, os pólos opostos, o maior e o menor – o ser humano e Deus, o microcosmo e o macrocosmo- são trazidos a expressão e manifestação, a eles destinadas. Até que o homem esteja próximo a meta, estas palavras pouco significado têm. Assim, os pólos opostos, o maior e o menor – o ser humano e Deus, o microcosmo e o macrocosmo- são trazidos a expressão e manifestação, a eles destinadas. Até que o homem esteja próximo a meta, estas palavras pouco significado têm.

13 Divindade O mecanismo para perceber a divindade ainda não foi desenvolvido na quase totalidade da família humana, e só até um certo ponto, o está usando o iniciado do terceiro grau.

14 Palavras Chave A dualidade de Peixes deve ser estudada em relação às suas três palavras chave que são: 1- Servidão ou cativeiro 2- Renúncia ou desapego 3- Sacrifício e morte A dualidade de Peixes deve ser estudada em relação às suas três palavras chave que são: 1- Servidão ou cativeiro 2- Renúncia ou desapego 3- Sacrifício e morte

15 O cativeiro Durante o primeiro ciclo de experiência na roda da vida, a própria alma está em cativeiro da matéria; ela desceu para a prisão da matéria e ligou-se a forma. Daí o símbolo de Peixes, os dois peixes unidos por uma tira.

16 A prisioneira Mais tarde, quando da reversão da roda, a personalidade torna-se cativa da alma; mas durante éons a situação é a inversa, e a alma é a prisioneira da personalidade.

17 A libertação Esta servidão dual termina com o que é chamado a morte final, quando o aspecto vida se liberta totalmente da vida da forma.

18 A alma Deve-se notar também que do ponto de vista da Mônada, mesmo a alma, é da natureza da forma, embora seja uma forma muitíssimo mais sutil do que qualquer outra que conheçamos nos três mundos da evolução humana.

19 O oceano da matéria Dupla renuncia: primeiro de tudo a alma renuncia a vida e luz da Mônada, sua fonte ( simbolizada pelas palavras a “Casa do Pai”), e desce para o oceano da matéria; depois ao fazer a reversão, a alma renuncia a vida da forma, o centro da personalidade.

20 Oceano

21 O clímax de Peixes A alma afasta-se (conscientemente) da Mônada, o uno, e funciona a partir de seu próprio centro, fazendo seus próprios vínculos materiais. Mais tarde, quando da reversão da roda, começa a desligar-se da personalidade e a religar-se conscientemente ao Uno do qual se originou. Este é o clímax de Peixes.

22 O Uno

23 O propósito Os senhores da Vontade e Sacrifício descem a manifestação, sacrificando sua elevada posição e oportunidades nos planos superiores da manifestação com a finalidade de redimir a matéria e elevar as vidas que compõe sua forma (as Hierarquias Criadoras Inferiores) até o Seu nível, já que Eles formam a quarta hierarquia criadora. É este propósito subjetivo que está por trás do sacrifício destas Vidas divinas. Que somos nós mesmos em essência, as Quais são qualificadas pelo conhecimento amor e vontade e animadas por incessante perseverante devoção.

24 Os Salvadores do Mundo Elas procuram produzir, em seu sentido oculto, a morte da forma para liberar as vidas que nelas habitam e trazê-las a um estado de consciência mais elevada. Deste processo, todos os Salvadores do mundo ; passados, presentes e ainda por vir são o símbolo manifestado e a garantia eterna. Elas procuram produzir, em seu sentido oculto, a morte da forma para liberar as vidas que nelas habitam e trazê-las a um estado de consciência mais elevada. Deste processo, todos os Salvadores do mundo ; passados, presentes e ainda por vir são o símbolo manifestado e a garantia eterna.

25 E compreendendo isto que se deve procurar a fonte da vida de serviço

26 Peixes As pessoas nascidas neste signo são frequentemente encontradas servindo a raça e provendo-lhe as necessidades, neste ou naquele nível de consciência. Assim estão preparadas para o sacrifício final em Peixes, o qual “os absorve de volta ao motivo que lhes deu origem” como diz o Velho comentário.


Carregar ppt "Astrologia Esotérica vol. I 20 de fevereiro a 20 de março."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google