A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Trabalho de Geografia Regiões : Sul Colégio Maria Imaculada Guilherme Deieno 7º D.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Trabalho de Geografia Regiões : Sul Colégio Maria Imaculada Guilherme Deieno 7º D."— Transcrição da apresentação:

1 Trabalho de Geografia Regiões : Sul Colégio Maria Imaculada Guilherme Deieno 7º D

2 Apresentação Olá hoje nos iremos ver a região sul do Brasil. Neste trabalho falaremos sobre a Região Sul

3 Características Físicas da Região Sul Slides 5,67,8,9,10,11,12 e 13

4 Clima A Região Sul é a única região brasileira localizada quase totalmente abaixo do Tropico de Capricórnio e, por isso mesmo, é a mais fria do Brasil. O clima dominante é o subtropical e são frequentes as geadas. Em altitudes elevadas também ocorrem ocasionalmente precipitações de neve. As estações do ano são bem definidas e as chuvas, em geral, distribuem- se em grande quantidade ao longo do ano.

5 Imagens

6 Relevo Relevo da Região Sul do Brasil é caracterizado por um conjunto de relevos planálticos. Esses relevos se elevam em altitude até mais de metros sobre o nível do mar. Essas altitudes decrescem no oeste, onde corre o rio Paraná nas altitudes de 100 a 300 metros. Abrange cerca de 3/4 partes do relevo regional. O mencionado conjunto é denominado de Planalto Meridional do Brasil. O Planalto Meridional desdobra-se em planaltos que se sucedem de leste para oeste. Os planaltos são bordejados por escarpas voltadas para o leste, no Paraná, em Santa Catarina e no nordeste do Rio Grande do Sul. No Rio Grande do Sul, o talude inflete-se para oeste-sudoeste. O talude é fragmentado em altitudes reduzidas, à medida que atinge o centro-sul do estado.

7 Imagens

8 Vegetação Região Sul do Brasil, é comum se lembrar da Mata de Araucárias ou Floresta dos Pinhais e do grande pampa gaúcho, formações vegetais típicas da região, embora não sejam as únicas. A Mata de Araucárias, bastante devastada e da qual só restam alguns trechos, aparece nas partes mais elevadas dos planaltos do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, na forma de manchas entre outras formações vegetais. Pinheiro-do-paraná adapta-se mais facilmente às baixas temperaturas, comuns nas partes mais altas do relevo, e ao solo de rocha mista, arenito e basalto, que se concentra no Planalto Arenito-basáltico, no interior da região.

9 Imagens

10 Hidrografia A hidrografia da Região Sul do Brasil pode ser classificada em três grandes regiões: Bacia Hidrográfica do Paraná, a Bacia Hidrográfica do Rio Uruguai e as Bacias Hidrográficas do Sudeste. A Bacia Hidrográfica do Paraná ocupa uma área de km 2. Essa bacia é representada por um pequeno segmento do volumoso rio Paraná que se estende da foz do rio Paranapanema até a foz do rio Iguaçu. Mesmo com sua pouca extensão na região, o Rio Paraná apresenta uma importante rede de afluentes, tanto sob o ponto de vista dos aspectos hídricos, como energéticos e de aproveitamento turístico. O rio Paraná é importante na região Sul, sendo aproveitado como via de transporte e para a produção de energia elétrica.

11 Hidrografia Nele foi construída a usina hidrelétrica de Itaipu, a maior do mundo em operação. Nessa bacia destacam-se, além do Rio Paraná, os rios Paranapanema, Iguaçu, Tibagi, Itararé, das Cinzas e Pirapó. A Bacia Hidrográfica do Rio Uruguai ocupa uma área de km 2. O Rio Uruguai, localizado no Rio Grande do Sul, é o principal representante dessa bacia. Destacam-se também nessa bacia os rios do Peixe, Chapecó, Pelotas, Canoas e Ijuí.

12 Imagens

13 Possesso de Ocupação e Manifestações Culturais da Região

14 Missões jesuíticas As missões jesuíticas na América, também chamadas de reduções, foram os aldeamentos indígenas organizados e administrados pelos padres jesuítas no Novo Mundo, como parte de sua obra de cunho civilizador e evangelizador. O objetivo principal das missões jesuíticas foi o de criar uma sociedade com os benefícios e qualidades da sociedade cristã europeia, mas isenta dos seus vícios e maldades. Essas missões foram fundadas pelos jesuítas em toda a América colonial, e segundo Manuel Marzal, sintetizando a visão de outros estudiosos, constituem uma das mais notáveis utopias da história.

15 Imagens

16 Tropeiros Tropeiro é a designação dada aos condutores de tropas, assim designadas as comitivas de muares, e cavalos entre as regiões de produção e os centros consumidores, a partir do século XVII no Brasil. Mais ao sul do Brasil, também são conhecidos como carreteiros, pelas carretas com as quais trabalhavam. Cada comitiva era dividida em lotes de sete animais, cada um aos cuidados de um homem que os controlava através de gritos e assobios. Cada animal carregava cerca de 120 kg e chegava a percorrer até 3.000km

17 Tropeiros Eles também foram importantes porque no desenvolvimento do Brasil os tropeiros viajavam entre estados e estados trazendo noticias sobre o que acontecia nos outros estados que ele já havia passado dessa maneira pessoas de São Paulo poderiam saber o que acontecia no Rio de Janeiro.

18 Imagens

19 Processo de Imigração Região Sul do Brasil. Mostrando o porquê de todas as imigrações. Destacando detalhadamente o processo de imigração e colonização em todos os estados da Região Sul: Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. Em 1808 com a abertura dos portos foi permitida a entrada de imigrantes estrangeiros, pois até então só podiam os portugueses se fixar no Brasil, só que o número de imigrantes vindos da Europa foi pouquíssimo, pois no campo a mão-de-obra era a escrava e nas cidades quem trabalhavam eram os portugueses, no entanto não tinha trabalho para eles. Esse quadro foi alterado em 1850, com a Lei Euzébio de Queiroz – acabava com o tráfico negreiro no país. Daí o Brasil passou a ser atrativo para os imigrantes, pois tinha a atividade cafeeira, urbano-industrial no sudeste e a posse da terra na região sul, que até então estava pouco povoada.

20 Processo de Imigração A necessidade de povoamento na região sul, devido a preocupação que havia por invasões, foi o principal fator que atraiu os imigrantes europeus, principalmente os portugueses, italianos e alemães. Tornou-se almejado porque os imigrantes ganhavam terras onde era possível plantar diversos produtos agrícolas (policultura), para seu próprio consumo familiar e fundaram colônias de povoamento. Essas colônias cresceram e hoje são cidade bastante conhecidas em todo país, como por exemplo: Porto Alegre e Florianópolis (fundadas pelos portugueses); Joinville e Blumenau (fundada por alemães); Garibaldi e Caxias do Sul (fundada pelos italianos); dentre muitas outras. Depois da independência do Brasil, os portugueses pouco imigraram. Daí os alemães começaram a imigrar para a região Sul, e foi um importante colonizador da região, teve participação nos três estados onde fundou diversas colônias. Os italinos seguiram os mesmos passos dos alemães

21 Imagens

22 Cultura da Região Sul do Brasil A Cultura da Região Sul do Brasil é muito rica, justamente por ter recebido influência de diversas colônias de imigrantes, como os alemães, os italianos, os poloneses e os ucranianos. Os colonizadores foram os primeiros a chegar na região anteriormente habitada pelos povos ameríndios. As principais manifestações estão na culinária, na literatura e na dança. Curitiba foi eleita em 2003 a "Capital da Cultura das Américas" pela entidade CAC-ACC e sediou o evento COP 8 MOP 3 da ONU de 20 a 31 de março de 2006.

23 Cultura da Região Sul do Brasil Curiosamente, com a migração dos sulistas em busca de novas áreas para plantio de soja, a partir da década de 1970, notou-se forte influência na região Centro-Oeste, a partir do Mato Grosso do Sul. A partir de Campo Grande, a cultura sulista se enraizou pelo interior do Estado, que hoje tem na música sulista a forte característica musical dos bailes, surgindo como principais ritmos populares o Vanerão, o Xote (na sua versão gaúcha) e o Chamamé (já de influência paraguaia), surgindo neste estado novos nomes da música, que fazem sucesso no Sul do Brasil, como os grupos Alma Serrana e Tradição.

24 Folclore,Danças e Festas O folclore são mitos e lendas passadas para as pessoas ao longo dos anos. Alguns ocorreram realmente, mas a maioria das histórias foi criada pelas pessoas para assustar ou para aplicar uma lição nos demais. Dividido entre lendas e mitos, as lendas são histórias que são contadas para diversas pessoas no boca a boca e mesclam ficção e fatos históricos. Já os mitos possuem características mais simbólicas, com o objetivo de explicar acontecimentos na naturais Em Santa Catarina, as mais comuns são a Dança do Vilão e a Boi de Mamão. No Rio Grande do Sul, as danças típicas receberam influências dos imigrantes e da proximidade com a fronteira do Brasil. As principais são o Vane irão, a Chula, a Milonga e a Chimarrita.

25 Folclore,Danças e Festas Danças As danças folclóricas e típicas da região sul são realizadas em atividades em grupo ou individualmente. No Paraná e em Santa Catarina, pode-se conferir aBalainha, que é feita com pares de dançarinos que utilizam um arco com flores. Outro tipo de dança bastante conhecida na região é o fandango, que possui muitos passos variados e que é acompanhada por instrumentos como a gaita e o violão.

26 Folclore,Danças e Festas Um dos principais personagens do folclore brasileiro e da região sul é o saci. Surgiu entre tribos indígenas que ficavam na região sul do Brasil, por volta do século XVIII. No sul, ele é representado como um menino moreno e com rabo que apronta peripécias na floresta. Ele utiliza uma carapuça vermelha e tem apenas uma perna. Além disso, é representado fumando cachimbo e segundo a lenda, para capturá-lo, é necessário pegar a carapuça para escondê-la. Outra lenda da região é a do Boitatá, um monstro em formato de cobra. Segundo contam, ele se escondeu de um dilúvio em um buraco e por isso seus olhos ficaram maiores. Em algumas histórias, as pessoas acreditam que ele possui bolas de fogo no lugar onde ficam os olhos. Já em Santa Catarina, acreditam que ele coma os olhos dos animais que mata e por isso tenha essa visão flamejante. Durante o dia, ele fica cego e enxerga apenas a noite, quando sai para caçar. Seu nome, na linguagem indígena significa 'coisa de fogo'.

27 Folclore,Danças e Festas O curupira é outro personagem difundido no folclore do sul. Ele é representado por um menino com cabelo esvoaçante que possui os pés para trás. Ele é responsável por proteger a floresta e os animais. A lenda diz ainda que ele anda montado em um porco do mato e que possui a capacidade de iludir quem o caça. Os pés virados iludem o caçador que se perde na floresta ao tentar caçá-lo. Quem acredita na história evita caçar bichos às sextas-feiras com lua cheia, nos domingos e nos dias santos.

28 Folclore,Danças e Festas Principais Festas da Região Sul -Oktoberfest: Essa festa acontece na cidade turística de Blumenau, em Santa Catarina, e foi inspirada na festa homônima ocorrida em Munique na Alemanha. A primeira edição aconteceu em 1984 e a festa surgiu com o intuito de divulgar as tradições alemãs no estado brasileiro. Conseguiram, pois a festa é a segunda alemã do mundo. O evento ocorre em outubro, com duração de 18 dias e recebe milhares de visitantes todos os anos. Acontecemapresentações musicais, danças e desfiles

29 Culinária Paraná A culinária dos paranaenses foi influenciada pelos diversos imigrantes que habitaram e vivem na região. Os índios brasileiros que viviam no Paraná introduziram o consumo de pinhão nas refeições e o consumo da erva-mate. Além disso, a cultura indígena acrescentou frutas enraízes na culinária do estado. Um dos principais pratos típicos dessa região é o barreado, consumido em várias cidades. Esse prato, feito com carne, toucinho e temperos recebe esse nome surgiu com a expressão 'barrear a panela', evitando que o vapor saia e o cozido fique frio rapidamente. O barreadosofreu influências de Portugal e significa fartura e alegria.

30 Culinária Além disso, os paranaenses consomem muitos peixes, porco no rolete e a carne de carneiro. O carneiro é consumido em umprato cozido de carneiro, feito com a ajuda de um buraco no chão que recebe lenha e a panela com os ingredientes. Posteriormente, ele é tampado com folhas de bananeira para assar. Pode ser consumido com arroz, pirão e outros acompanhamentos. Pratos -Barreado; -Carneiro no Buraco; -Pinhão -Chimarrão; -Tererê; -Dourado Assado.

31 Culinária Santa Catarina Com uma região litorânea ampla, Santa Catarina possui diversos pratos típicos baseados no consumo de frutos do mar. Além disso, seus pratos são influenciados pela colonização dos portugueses que consumiam esse tipo de alimento e preparavam em caldos e ensopados. Os peixes também são bastante consumidos pelos moradores e os frutos do mar mais admirados e consumidos são a lagosta, o camarão, as ostras e os mariscos. Já a influência dos alemães, que chegaram à região, foi a de introduzir outros ingredientes, como a carne de porco na cerveja e carne de marreco. Outros alimentos influenciados porimigrantes foram as sopas de batata, tortas, salames, pães e vinhos. Pratos -Marreco com repolho roxo; -Bijajica; -Camarão.

32 Culinária Rio Grande do Sul Os principais pratos típicos do Rio Grande do Sul foram influenciados pelos italianos ealemães. Os principais são: polenta, galeto, carnes defumadas, linguiças, pães, bolos, dentre outros. Entretanto, o prato mais conhecido é o famoso churrasco gaúcho que é feito com detalhes que acrescentam na cultura gaúcha. A culinária gaúcha sofreu influências de espanhóis, portugueses e índios. Outro prato característico do estado é o arroz carreteiro, feito com carne de charque e começou a ser consumido nas carreatas feitas pelos gaúchos pelos pampas a fim de conhecer partes do Rio Grande do Sul ainda sem habitantes. Apesar das carreatas não ocorrerem mais, o prato ainda é muito consumido na região e no país.

33 Culinária Chimarrão: Um dos símbolos dos gaúchos, o chimarrão é consumido pelas pessoas diariamente em diversos lugares. É o chá da ervas mate quente que é colocado na cuia. Ela é dividida entre amigos e familiares. O consumo dessa erva começou na cidade de Assunción del Paraguay. Soldados espanhóis bebiam muito e perceberam que ao tomar o chá de ervas consumido pelos índios da tribo guarani, eles conseguiam diminuir os efeitos da ressaca. Enquanto no Brasil a erva é socada, no Uruguai e na Argentina ela é triturada. Possui significados como reconciliação e hospitalidade. Pratos -Quibebe (pirão de abóbora); -Rabada (rabo de boi temperado com tomates, pimentão, suco de limão e vinagre); -Puchero (sopa com vegetais e carnes bovinas ou linguiça); -Churrasco.

34 Imagens

35 Religião A cultura artística da região Sul do Brasil é muito rica, justamente por ter recebido influência de diversas colônias de imigrantes, como os alemães, os italianos, os poloneses e os ucranianos. Os colonizadores foram os primeiros a chegar na região anteriormente habitada pelos povos ameríndios. As missões jesuíticas foram fundadas no oeste do Paraná no século XVI antes dos bandeirantes expulsarem para a região do Rio Grande do Sul e Argentina, levando a cultura do chimarrão para estas regiões. Se chamava República Real del Guairá e sua capital era Ontiveros (atual Guaíra - PR), a terceira maior cidade da América do Sul na época depois de Assunção e Buenos Aires

36 Religião A cultura gaúcha é muito forte e influencia toda a região. As principais manifestações estão na culinária, na literatura e na dança. Curitiba foi eleita em 2003 a "Capital da Cultura das Américas" pela entidade CAC-ACC e sediou o evento COP 8 MOP 3 da ONU de 20 a 31 de março de A Região Sul do Brasil já foi retratada como paródia geopolítica na enciclopédia humorística Desciclopédia como o país fictício denominado de Estados Unidos do Sul, nação composta pelos três estados da região com seus respectivos nomes: Nördregion (Paraná), Mittelregion (Santa Catarina) e Südregion (Rio Grande do Sul).

37 Religião RELIGIÃO: A tradição cristã (católica) no sul do Brasil é herança da imigração italiana e polonesa, além dos católicos com descendência de alemães. Portanto é uma religião sólida, em que não há muita concessão à modernidade. O Protestantíssimo também é bastante difundido, principalmente ao se tratar da Igreja Luterana, vinda com os alemães. Portanto, são pessoas que convivem em harmonia, e ainda estão a salvo dos assaltos néo- pentencostais em larga escala.

38 Modo de Vida da População da Região Sul

39 Problemas urbanos Moradia Desemprego Transporte Problemas urbanos Violência Poluição atmosférica

40 Problemas rurais

41 Atual situação na zona rural urbana

42 População A Região Sul do Brasil é composta pelos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Sua extensão territorial é de ,6 quilômetros quadrados, considerada como a menor Região brasileira. No entanto, é a terceira macrorregião mais populosa do país, segundo contagem populacional realizada em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), totalizando habitantes. Sua densidade demográfica é de aproximadamente 47,5 habitantes por quilômetro quadrado. A distribuição populacional na região Sul ocorre da seguinte forma: Rio Grande do Sul – habitantes. Santa Catarina – habitantes. Paraná – habitantes.

43 Imagens

44 Principais problemas da População Desemprego Embora a geração de empregos tenha aumentado nos últimos anos, graças ao crescimento da economia, ainda existem milhões de brasileiros desempregados. A economia tem crescido, mas não o suficiente para gerar os empregos necessários no Brasil. A falta de uma boa formação educacional e qualificação profissional de qualidade também atrapalham a vida dos desempregados. Muitos têm optado pelo emprego informal (sem carteira registrada), fator que não é positivo, pois estes trabalhadores ficam sem a garantia dos direitos trabalhistas.

45 Principais problemas da População Violência e Criminalidade A violência está crescendo a cada dia, principalmente nas grandes cidades brasileiras. Os crimes estão cada vez mais presentes no cotidiano das pessoas. Nos jornais, rádios e tvs presenciamos cenas de assaltos, crimes e agressões físicas. A falta de um rigor maior no cumprimento das leis, aliada as injustiças sociais podem, em parte, explicar a intensificação destes problemas em nosso país.

46 Principais problemas da População Poluição Este problema ambiental tem afetado diretamente a saúde das pessoas em nosso país. Os rios estão sendo poluídos por lixo doméstico e industrial, trazendo doenças e afetando os ecossistemas. O ar, principalmente nas grandes cidades, está recendo toneladas de gases poluentes, derivados da queima de combustíveis fósseis (derivados do petróleo - gasolina e diesel principalmente). Este tipo depoluição afeta diretamente a saúde das pessoas, provocando doenças respiratórias. Pessoas idosas e crianças são as principais vítimas.

47 Principais problemas da População Saúde Nos dias de hoje, pessoas que possuem uma condição financeira melhor estão procurando os planos de saúde e o sistema privado, pois a saúde pública encontra-se em estado de crise aguda. Hospitais superlotados, falta de medicamentos, greves de funcionários, aparelhos quebrados, filas para atendimento, prédios mal conservados são os principais problemas encontrados em hospitais e postos de saúde da rede pública. A população mais afetada é aquela que depende deste atendimento médico, ou seja, as pessoas mais pobres.

48 Principais problemas da População Educação Os dados sobre o desempenho dos alunos, principalmente da rede pública de ensino, são alarmantes. A educação pública encontra vários problemas e dificuldades: prédios mal conservados, falta de professores, poucos recursos didáticos, baixos salários, greves, violência dentro das escolas, entre outros. Este quadro é resultado do baixo índice de investimentos públicos neste setor. O resultado é a deficiente formação dos alunos brasileiros

49 Principais problemas da População Desigualdade Social. O Brasil é um país de grande contraste social. A distribuição de renda é desigual, sendo que uma pequena parcela da sociedade é muito rica, enquanto grande parte da população vive na pobreza e miséria. Embora a distribuição de renda tenha melhorado nos últimos anos, em função dos programas sociais, ainda vivemos num país muito injusto. Habitação

50 Principais problemas da População Habitação O déficit habitacional é grande no Brasil. Existem milhões de famílias que não possuem condições habitacionais adequadas. Nas grandes e médias cidades é muito comum a presença de favelas e cortiços. Encontramos também pessoas morando nas ruas, embaixo de viadutos e pontes. Nestes locais, as pessoas possuem uma condição inadequada de vida, passando por muitas dificuldades.

51 Economia Região Sul Setor Primário maior parte do espaço territorial sulista é ocupado pela pecuária, porém a atividade econômica de maior rendimento e que emprega o maior número de trabalhadores é a agricultura. A atividade agrícola no Sul distribui-se em dois amplos e diversificados setores: Policultura: desenvolvida em pequenas propriedades de base familiar. Foi introduzida por imigrantes europeus, principalmente alemães, na área originalmente ocupada pelas florestas. Cultivam-se principalmente milho, feijão, mandioca, batata, maçã, laranja, e fumo; Monocultura comercial: desenvolvida em grandes propriedades. Essa atividade é comum nas áreas de campos do Rio Grande do Sul, onde se cultivam soja, trigo, e algumas vezes, arroz. No Norte do Paraná predominam as monoculturas comerciais de algodão, cana-de-açúcar, e principalmente soja, laranja, trigo e café. A erva-mate, produto do extrativismo, é também cultivada. Para compreender com mais claramente a distribuição das atividades agrícolas pela região, analise a tabela seguinte com os respectivos dados sobre os produtos agrícolas. Extrativismo A madeira do pinheiro-do-paraná foi um produto importante do extrativismo vegetal. O extrativismo na região Sul, apesar de ser uma atividade econômica complementar, é bastante desenvolvido em suas três modalidades:

52 Setor Primário Para compreender com mais claramente a distribuição das atividades agrícolas pela região, analise a tabela seguinte com os respectivos dados sobre os produtos agrícolas. PecuáriaNo Paraná, possui grande destaque a criação de suínos, atividade em que esse estado é o primeiro do Brasl, seguido do Rio Grande do Sul. Essa criação processa-se paralelamente ao cultivo do milho, além de abastecer a população, serve de matéria-prima a grandes frigoríficos. Na Campanha Gaúcha pratica-se a criação de ovinos. Os campos do Sul constituem excelente pastagem natural para a criação de gado bovino, principalmente na Campanha Gaúcha ou pampa, no Estado do Rio Grande do Sul. Desenvolve-se ali uma pecuária extensiva, criando-se, além de bovinos, também ovinos. A região Sul reúne cerca de 18% dos bovinos e mais de 60% dos ovinos criados no Brasil, sendo o Rio Grande do Sul o primeiro produtor brasileiro. A pecuária intensiva também é bastante desenvolvida na região Sul, que detém o segundo ranking na produção brasileira de leite. Parte do leite produzido no Sul é beneficiado por indústrias de laticínio

53 Setor Primário O extrativismo na região Sul, apesar de ser uma atividade econômica complementar, é bastante desenvolvido em suas três modalidades: Extrativismo vegetal: praticado na Mata de Araucárias, da qual se aproveitam o pinheiro-do-paraná, a imbuia, a erva-mate e algumas outras espécies, utilizadas principalmente pelas serrarias e fábricas de papel e celulose; Extrativismo animal: praticado ao longo da faixa costeira, com uma produção de pescado que equivale a cerca de 25% do total produzido no Brasil, com destaque para a sardinha, a merluza, a tainha, o camarão, etc.; Extrativismo mineral: destacam-se o carvão mineral, na região de Criciúma, o caulim, matéria-prima que abastece fábricas de azulejos e louças em Santa Catarina e no Paraná e cuja extração na região de Campo Alegre chega a 15 mil toneladas mensais, a argila e o petróleo, explorado na plataforma continental.

54 Setor Secundário Setor secundário Indústria O Sul é a segunda região do Brasil em número de trabalhadores e em valor e volume da produção industrial. Esse avanço deve-se a uma boa rede de transportes rodoviários e ferroviários, grande potencial hidrelétrico, fácil aproveitamento de energia térmica, grande volume de matérias-primas e mercado consumidor com elevado poder aquisitivo. Encontra-se na região metropolitana de Curitiba, a capital paranaense, o segundo maior polo automobilístico da América Latina, composto por empresas como Audi, Volkswagen, Renault, Volvo, New Holland, Chrysler e produção de modelos Mazda e Mini Cooper. A distribuição das indústrias do Sul é bastante diferente da que ocorre na região Sudeste. Nesta região predominam grandes complexos industriais com atividades diversificadas, enquanto o Sul apresenta as seguintes características:

55 Setor Secundário Presença de indústrias próximas às áreas produtoras de matérias-primas. Assim, os laticínios e frigoríficos surgem nas áreas de pecuária, as indústrias madeireiras nas zonas de araucárias, e assim por diante; Predomínio de estabelecimentos industriais de médio e pequeno porte em quase todo o interior da região; Predomínio de indústrias de transformação dos produtos da agricultura e da pecuária. As maiores concentrações industriais situam-se nas regiões metropolitanas de Curitiba no Paraná e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, merecendo destaque também:

56 Setor Secundário Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul. A região metropolitana de Porto Alegre, na qual se sobressaem as indústrias automotiva, petroquímica, de tecnologia de informação e coureiro-calçadista; A região metropolitana de Curitiba, com sua crescente visão de planejamento, mudou o rumo econômico do Sul implantando o segundo maior polo automobilístico da América Latina. Juntamente com o norte catarinense, a região metropolitana de Curitiba concentra a melhor e mais avançada mão-de-obra técnica e especializada na manufatura de itens de segunda e terceira geração, atraindo a maioria dos investimentos tecnológicos destinados à região; O norte do Paraná, onde estão localizadas cidades tais como Londrina, Maringá, Apucarana, Cianorte, entre outras, favorecidas pela grande quantidade de Vestuário, matérias-primas e fontes de energia, rede de transportes desenvolvida e localização geográfica favorecida, ligando os maiores polos econômicos do país com o interior da região Sul

57 Setor Secundário região do vale do rio Itajaí, em Santa Catarina, na qual se destaca a indústria têxtil, cujos centros econômicos são: Joinville, Blumenau, Itajaí e Brusque, e também de cristais finos e softwares, com sedes próprias em Blumenau. O litoral sul de Santa Catarina, onde desenvolvem-se atividades industriais associadas à exploração do carvão, projetando na região onde ficam cidades como Imbituba, Laguna, Criciúma e Tubarão; A região de Caxias do Sul, Garibaldi e Bento Gonçalves, onde estão instaladas as máquinas e os equipamentos da principal indústria vinícola do Brasil. A região que inclui a cidade gaúcha de Santa Cruz do Sul, no interior do Rio Grande do Sul, com uma expressiva produção de tabaco para a fabricação de cigarros.

58 Setor Secundário A porção noroeste do Rio Grande do Sul, incluindo o vale do rio Uruguai, onde merecem destaque as indústrias de beneficiamento de produtos agrícolas, especialmente trigo, soja e milho. Passo Fundo, Santo Ângelo, Cruz Alta e Erechim são as cidades mais importantes dessa área; O Campanha Gaúcha, onde se destacam Bagé, Uruguaiana (maior município produtor de arroz do Brasil), Alegrete e Santana do Livramento, cidades que possuem grandes frigoríficos, em geral, controlados pelo capital transnacional; O litoral lagunar do Rio Grande do Sul, onde Pelotas (indústria de frigorícos) e Rio Grande (maior porto marítimo da região) se destacam. Além dessas concentrações industriais, merecem destaque como cidades industriais isoladas: Ponta Grossa, Cascavel, Foz do Iguaçu, Guarapuava e Paranaguá, no Estado do Paraná ; Florianópolis, Joinville, Lages, Blumenau e Chapecó em Santa Catarina; e Santa Maria, no Rio Grande do Sul.

59 Setor Secundário EnergiaA região Sul é muito rica em xisto betuminoso e carvão mineral. O carvão mineral é utilizado para produzir energia elétrica nas usinas termoelétricas. Além desses minérios, a região possui também energia elétrica em abundância, graças às características de sua hidrografia os rios caudalosos e os rios de planalto. Vista aérea da Usina Hidrelétrica de Itaipu, a maior usina hidrelétrica do Brasil e uma das maiores do mundo. A maior usina hidrelétrica da região é a Usina de Itaipu, inaugurada em 1983, que aproveita os recursos hídricos do rio Paraná, mais precisamente nas imediações das cidades de Foz do Iguaçu (Brasil), na margem esquerda e Ciudad del Este, antiga Puerto Presidente Stroessner (Paraguai), na margem direita. Como é considerada a maior usina hidrelétrica do mundo, sua energia é utilizada em partes iguais por ambos países a que pertencem, Brasil e Paraguai.

60 Setor Secundário Além de abastecer a região Sul, a energia da Usina hidrelétrica de Itaipu é imensamente utilizada em outras regiões brasileiras, inclusive na região Sudeste,que é mais desenvolvida, com indústrias de grande porte. A distribuição de energia elétrica na região Sul é controlada pela Eletrosul, com sede em Florianópolis (SC), que estende a atuação ao Estado de Mato Grosso do Sul e também a outras áreas do Brasil, devido a interligações com a rede de energia da região Sudeste. Em relação às usinas hidrelétricas que ainda existem em atividade desde o século XX, entraram em funcionamento entre as décadas de 1990 e 2000, tais como UHE Ilha Grande, no rio Paraná, UHE Machadinho, no rio Pelotas, e UHE Itá, no rio Uruguai.

61 Cetor terciário O Sul é bem servido no setor de transportes, dispondo de condições naturais que facilitam a implantação de uma boa malha rodoviária e ferroviária. Além disso, o fato de sua população distribuir-se uniformemente, sem grandes vazios populacionais, permite que sua rede de transportes seja mais eficiente e lucrativa. Embora quase todas as principais cidades da região sejam servidas por linhas da Rede Ferroviária Federal(RFFSA), o transporte rodoviário é mais desenvolvido. A região conta com várias estradas, tais como a Rodovia Régis Bittencourt, ligando São Paulo ao Rio Grande do Sul, e a Rodovia do Café, alcançando o norte do Paraná até o porto de Paranaguá. Como as demais regiões do Brasil, os transportes ferroviários e rodoviários necessitam de investimentos que permitam a manutenção das vias já existentes e a abertura de outras novas.

62 Cetor terciário Também os mais movimentados aeroportos do Brasil, depois dos aeroportos da região Sudeste e de Brasília, estão localizados no Sul. Esta região possui ainda portos marítimos em atividade: o porto de Paranaguá, que exporta principalmente café e soja; os portos de Imbituba e Laguna, em Santa Catarina, exportadores de carvão mineral; os portos de Florianópolis, São Francisco do Sul, Itajaí e Itapoá (Primeiro Porto Privado do Brasil) também em Santa Catarina, exportadores de madeira e Produtos Frigoríficos; e finalmente os portos de Rio Grande e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, pelos quais passam mercadorias diversificadas.

63 Cetor terciário Turismo[Ver artigo principal: Turismo no Sul do Brasil O Parque Nacional do Iguaçu, onde se localizam as Cataratas do Iguaçu, é uma Unidade de Conservação brasileira. Está localizado no extremo-o este do estado do Paraná, tendo sido criado em 10 de janeiro de 1939, através do decreto lei nº Sua área total é de ,2 hectares. Em 1986 recebeu o título, concedido pela UNESCO, de Patrimônio Mundial. Durante os dias quentes de verão, as praias catarinenses são procuradas e freqüentadas por turistas do Brasil inteiro e de outros países estrangeiros. Florianópolis, atrás apenas das cidades doRio de Janeiro (RJ) e Salvador (BA), é uma das capitais brasileiras mais visitadas. Com o fim da crise econômica nos países do Mercosul, parte do movimento de argentinos, uruguaios e paraguaios voltou ao proveito do turismo de verão, em cidades balneárias tais como Balneário Camboriú e Barra Velha. São pontos turísticos os patrimônios da humanidade: Cataratas do Iguaçu no Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná e as Ruínas Jesuítico-Guaranis de São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul.

64 Cetor terciário As serras gaúcha e catarinense atraem turistas no inverno rigoroso, que vêm aproveitar as temperaturas mais baixas e a neve, inclusive em Urubici (SC). Em Cambará do Sul (RS), localiza-se o Parque Nacional de Aparados da Serra, onde fica o cânion do Itaimbezinho. O charme e o requinte da colonização européia de Curitiba fazem com que a capital paranaense atraia um número cada vez maior de visitantes que buscam as belezas do planejamento urbano, as delícias do bairro de Santa Felicidade e as modernidades culturais do Sul concentradas no Museu Oscar Niemeyer. Curitiba concentra, também, a melhor e maior estrutura hoteleira do Sul regada à segunda melhor cadeia gastronômica do país.

65 Referencia Bibliográfica br/2012/10/a-hidrografia-da-regiao-sul.html br/2012/10/a-hidrografia-da-regiao-sul.html sul.info/mos/view/Comidas_T%C3%ADpicas/


Carregar ppt "Trabalho de Geografia Regiões : Sul Colégio Maria Imaculada Guilherme Deieno 7º D."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google