A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Nós e os nós da Educação Artur Motta

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Nós e os nós da Educação Artur Motta"— Transcrição da apresentação:

1 Nós e os nós da Educação Artur Motta

2 Nós e os nós da Educação Nós e os nós da Escola Nós e os nossos nós no MOPI

3 Uma proposta de REVISÃO dos nossos PONTOS-DE-VISTA

4 EU ELE/ELES NÓS Tendência ao individual TU/VÓS

5 Comecemos refletindo sobre “NÓS”... Nós (pronome) – é a palavra mais REVOLUCIONÁRIA que existe! Tecendo a Manhã João Cabral de Melo Neto Um galo sozinho não tece a manhã: ele precisará sempre de outros galos. De um que apanhe esse grito que ele e o lance a outro: de outro galo que apanhe o grito que um galo antes e o lance a outro; e de outros galos que com muitos outros galos se cruzam os fios de sol de seus gritos de galo para que a manhã, desde uma tela tênue, se vá tecendo, entre todos os galos. (...)

6 NÓS SUBJETIVIDADEIDENTIDADE Que nos realizaQue nos reúne

7 Nós (substantivo – plural de nó) Mais do que barreira, pode ser um espaço de encontro e um ponto de partida para novos rumos. De novo, uma questão de ponto de vista...

8 O ponto de vista é uma questão do lugar de onde olhamos...

9 O ponto de vista é uma questão do momento no qual olhamos...

10 O ponto de vista que vamos tomar nesta reflexão... O nó é o ponto de partida para tecer REDES... A expressão “NÓS E OS NÓS DA ESCOLA” não é só um jogo de palavras

11 REDES que podem prender...

12 Mas podem, também, sustentar, dar segurança...

13 Podem embalar sonos e sonhos... Podem aproximar pessoas, projetos, experiências...

14 Podem alimentar... Podem abrir horizontes!

15 Qual tem sido o papel das redes que constituímos na nossa vida? Qual tem sido o papel das redes que constituímos no MOPI?

16 “Ambiente”... “Clima de Trabalho”... “O ar que se respira no MOPI”... São resultado das redes que constituímos onde estamos!

17 Que redes estamos construindo no MOPI? Como nos enxergamos uns aos outros, como NÓS dessa rede? Velhos Jovens Masculino Feminino Patrões Empregados Professores Alunos Família Escola Gerentes Funcionários

18 Velhos Jovens Masculino Feminino Patrões Empregados Professor Alunos Família Escola Família Masculino Velhos Jovens Feminino Professor Patrões Escola Empregados Alunos VISÃO CONSERVADORA VISÃO PROGRESSISTA Gerentes Funcionários Gerentes Funcionários

19 Que redes estamos construindo no MOPI? 1º Nó – Nós e a Instituição Projeto que se concretiza (ou não...) nas palavras, atos e omissões das pessoas.

20 Que redes estamos construindo no MOPI? 1º Nó – Nós e a Instituição Entrada na instituição por diferentes motivos (adesão ao Projeto, salário, necessidade de trabalhar, bolsa para os filhos, etc.).

21 Que redes estamos construindo no MOPI? 1º Nó – Nós e a Instituição Relação de adesão/conflito com o Projeto Institucional.

22 Diante dos nós e da rede formada, duas posições são possíveis... Persistência Desistência

23 Todo NÓ desfeito é uma parte da rede que se enfraquece, com prejuízos para todos.

24 Que redes estamos construindo no MOPI? 2º Nó – Nós e as Famílias dos Alunos

25 Que redes estamos construindo no MOPI? 2º Nó – Nós e as Famílias dos Alunos Características da Relação

26 ÁREA PROFISSIONAL Professores, Equipe Técnica e Funcionários ÁREA ESCOLAR Pais, Professores, Alunos, Equipe Técnica, Funcionários Que redes estamos construindo no MOPI? 2º Nó – Nós e as Famílias dos Alunos Parceria com clareza de competências ÁREA PEDAGÓGICA Educadores eAlunos Antonio Nóvoa

27 Que redes estamos construindo no MOPI? 2º Nó – Nós e as Famílias dos Alunos Quem é o “cliente” da Escola? O Pai ou a Mãe que paga?

28 Que redes estamos construindo no MOPI? 2º Nó – Nós e as Famílias dos Alunos Quem é o “cliente” da Escola? O Aluno que frequenta?

29 Que redes estamos construindo no MOPI? 2º Nó – Nós e as Famílias dos Alunos Quem é o “cliente” da Escola? O aluno que queremos ver formado ao final do processo.

30 Que redes estamos construindo no MOPI? 3º Nó – Nós e os Alunos

31 Que redes estamos construindo no MOPI? 3º Nó – Nós e os Alunos disciplina discere = aprender Disciplina como CONDIÇÃO PARA APRENDER E FAVORECER QUE O OUTRO APRENDA autoridade augère = fazer crescer Autoridade como ATITUDE DE AMOR E SERVIÇO PARA FAZER O OUTRO CRESCER

32 Que redes estamos construindo no MOPI? 4º Nó – Nós e Nós mesmos Relacionamentos Interpessoais ESPAÇO DE ENCONTRO Resgatar o espaço da RELAÇÃO... OUTROEU Fica-se porque é melhor ficar junto!

33 Que redes estamos construindo no MOPI? 4º Nó – Nós e Nós mesmos Integração dentro das áreas, equipes, segmentos, unidades. Integração entre as unidades.

34 Foco na ESPERANÇA, com revisão das EXPECTATIVAS Entusiasmo = EN + THEOS Em = dentro Theos = Deus Entusiasmo é DEUS DENTRO

35 Gestão não é CAIXA PRETA Chegada ao momento da ESTABILIDADE INVESTIMENTO para além do financeiro: “não se trata de vender o MOPI” Da rampa de skate para a rampa de skate + a rampa da cadeira de rodas Aluno diferenciado desde já.

36 Importância dos INDICADORES FIDELIZAÇÃO Falta água em alguns bairros e canos furados desperdiçam água em outros bairros FIDELIZAÇÃO Acontece o ano todo, desde o primeiro dia de trabalho

37 Importância dos INDICADORES FIDELIZAÇÃO É tarefa de todos nós. FIDELIZAÇÃO Acontece o ano todo, desde o primeiro dia de trabalho

38 Importância dos INDICADORES CANCELAMENTOS O que temos a ver com isso? DISCIPLINA Questão de TODOS. PRIORIDADE das Reuniões de Equipe. ASSUMIR POSIÇÕES COLETIVAS.

39

40 Concluindo... Nenhuma rede é maior do que o mar Nem quando ultrapassa o tamanho da Terra Lenine A rede é um meio, nunca um fim em si mesma...

41 Concluindo... Os nós da rede são meios, nunca um fim em si mesmos... Nós somos meios, nunca um fim em nós mesmos......

42 Concluindo... Num ano que se inicia, fica a pergunta: Estamos sendo meios de quê e para quê?

43 Concluindo... Nós somos MEDO e DESEJO. Que desejos temos para este ano que se inicia?

44 Concluindo... A esperança é de que queiramos ser mais, para fazermos mais, com nossos alunos e entre nós mesmos.

45 Nós e os nós da Educação Artur Motta

46

47 Caminhos do Coração - Gonzaguinha E aprendi que se depende sempre De tanta, muita, diferente gente Toda pessoa sempre é as marcas Das lições diárias de outras tantas pessoas E é tão bonito quando a gente entende Que a gente é tanta gente onde quer que a gente vá E é tão bonito quando a gente sente Que nunca está sozinho por mais que pense estar

48 Imagine um mundo no qual as palavras que você diz aparecessem na sua pele... Nós poderíamos ter mais cuidado com o que dizemos! E fazemos...

49


Carregar ppt "Nós e os nós da Educação Artur Motta"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google