A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Metodismo – Origens Preparado pelo Museu do Metodismo, A Capela de Wesley, 49 City Road, London EC1Y 1AU; Tel. 020 7253 2262; Site na Web: www.wesleyschapel.org.uk.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Metodismo – Origens Preparado pelo Museu do Metodismo, A Capela de Wesley, 49 City Road, London EC1Y 1AU; Tel. 020 7253 2262; Site na Web: www.wesleyschapel.org.uk."— Transcrição da apresentação:

1 Metodismo – Origens Preparado pelo Museu do Metodismo, A Capela de Wesley, 49 City Road, London EC1Y 1AU; Tel ; Site na Web: © Igreja Evangélica Metodista Portuguesa – Adaptações e PowerPoint preparado por Rev. Dr. Robert Stephen Newnum © 2009

2 Primeiros Passos

3 O Metodismo foi fundado no século XVIII por dois irmãos, John (João) e Charles (Carlos) Wesley, filhos de Samuel Wesley, reitor de Epworth e de Susanna (Susana). John nasceu em 1703 e morreu em 1791; Charles nasceu em 1707 e morreu em Cópia do medalhão comemorativo da Abadia de Westminster, que se encontra no Museu Metodista da Capela de Wesley, em Londres. O original foi esculpido por John Adams-Acton, que nasceu em Foi exibido na Academia Real como pertencendo a John Adams e recebeu o nome de John Adams-Acton em O seu trabalho em memória dos irmãos Wesley foi erigido na Abadia de Westminster em Fotografia por Keith Ellis.

4 JOHN WESLEY Este retrato é da autoria do pintor Irlandês Robert Hunter. Foi pintado durante uma sessão de três horas e meia no dia 31 de agosto de Wesley tinha então 62 anos de idade, embora pareça mais novo, devido ao cabelo de cor castanha e ao seu ar robusto. Wesley considerou-o uma "parecença notável". (Jornal, 31 de agosto de 1765). Embora quadros mais conhecidos de outros pintores e o busto esculpido por Enoch Wood possam por em questão a opinião do "modelo", não deixa de ser um quadro harmonioso. Retrato de John Wesley, pintado em 1765 por Robert Hunter. O original encontra-se na Casa de Wesley, em City Road, Londres.

5 CHARLES WESLEY Charles Wesley era o irmão mais novo, tendo-se tornado amigo e apoiante de John e ocasionalmente seu crítico. A ligação entre eles era tão forte que as suas diferenças de opinião nunca provocaram mais do que uma frieza temporária. Tal como John, Charles foi ordenado na Igreja Anglicana e permaneceu fiel a ela. Nos primeiros anos, após as suas conversões Charles também percorreu o país a cavalo, pregando. Em 1749 casou com Sara Gwynne e juntamente com os filhos de Samuel e Susanna Wesley gozou de grande paz familiar. Mais tarde o casal fixou-se De uma gravura da autoria de W. H. Gibbs, na Biblioteca da Sociedade Histórica Wesleyana, em Southlands College, Wimbledon. primeiramente em Bristol e depois em Londres, onde exerceu o seu ministério junto aos metodistas ali residentes. Charles é principalmente lembrado e amado pelos seus hinos - escreveu mais de Foi o maior escritor Inglês de hinos de todos os tempos.

6 Samuel Wesley era filho do Revº John Wesley e neto do Revº Bartholomew Wesley, os quais foram expulsos das suas paróquias em 1662, por causa do "Ato de Uniformidade". Samuel, naturalmente, cresceu entre "não conformistas" e estudou em academias dissidentes. Mais tarde regressou à Igreja de Inglaterra. Foi ordenado em 1689 e em 1697 foi enviado para Epworth - uma paróquia distante, nos terrenos pantanosos de North Lincolnshire. Nota: Ato de Uniformidade - Aprovado em maio de 1662, sob o reinado de Carlos II, e projectado pelo Parlamento maioritariamente Anglicano, pretendeu repor o uso exclusivo do Livro de Oração revisto pelas convocações de Cantuária e de York em Consequência direta deste Ato foi o afastamento do movimento designado por "Puritanismo" (movimento de forte influência protestante) da Igreja de Inglaterra. Não conformistas - Nome atribuído a todos quantos recusaram o Ato de Uniformidade de maio de SAMUEL WESLEY, Parte de uma gravura reproduzida por Elmer T. Clark em: "Um Álbum da História Metodista" (New York, Abingdon Cokesbury, 1952).

7 SUSANNA WESLEY, Susanna Wesley era filha do Dr. Samuel Annesley, ministro "não conformista" de uma pequena comunidade de fieis em Spitalfields, Londres. Tal como Bartholomew e John Wesley, o mais velho, ele tinha sido expulso da sua paróquia (St. Giles, Cripplegate) em Assim também Susanna cresceu num lar "não conformista". Contudo a sua independência de espírito evidenciou-se quando ela decidiu, aos treze anos, por sua própria convicção, aderir à Igreja de Inglaterra. Samuel e Susanna casaram em Susanna Wesley num retrato de um artista desconhecido, que se encontra na Antiga Reitoria de Epworth.

8 Esta família foi educada na Antiga Reitoria de Epworth Antiga Reitoria de Epworth, fotografia de Keith Ellis.

9 "...TAL ERA A MULHER DO MEU PAI" Susanna idealizou um sistema de treino religioso e educação para os seus filhos. Para atingir os seus objectivos ela dividiu o dia segundo o seu próprio horário. A partir dos cinco anos ela própria ensinava os seus filhos, incluindo as meninas. À medida que as crianças iam crescendo, dedicava-lhes algum tempo, uma vez por semana, para falar sobre assuntos espirituais. Estes extratos de uma carta para John, que ele próprio citou no seu Jornal do dia 1º de agosto de 1742, revelam alguns pormenores do método educacional de Susanna. Tanto John como Charles deram mais tarde um bom testemunho sobre a felicidade que os rodeava em Epworth. Para ajudar aqueles que, tal como ela, têm a seu cargo uma família numerosa, não posso deixar de acrescentar mais uma carta que recebi dela há muitos anos:

10 24 de julho, 1732 Querido filho, Dando satisfação ao teu pedido, juntei as principais regras que segui para educar a minha família; envio-tas agora tal qual me vieram à memória, podendo tu (se as considerares úteis) utilizá-las pela ordem que mais te agradar. Sempre habituei as crianças a serem metódicas em coisas simples, desde o seu nascimento: no vestir, no despir, na mudança da roupa, etc. Os primeiros três meses são passados geralmente a dormir. Depois, se possível, as crianças devem ser colocadas nos seus berços acordadas e embaladas até adormecerem; e assim eram embaladas até ser altura de as acordar. Isto era feito para as obrigar a um determinado ritmo de sono; o qual era ao princípio de três horas de manhã e três horas de tarde; seguiam-se duas horas, até que não dormiam mais. Quando faziam um ano de idade (e às vezes antes), eram ensinadas a temer a vara e a chorar baixinho; assim não eram frequentemente castigadas e o barulho desagradável das crianças a gritar pela casa raramente se ouvia, vivendo a família geralmente em tranquilidade, não se notando a presença de crianças.

11 Cada criança tinha um dia para aprender as letras do seu nome; e cada uma delas aprendia todas as letras, maiúsculas e minúsculas, nesse período de tempo. Apenas Molly e Nancy demoraram um dia e meio para as aprenderem; nessa altura pensei que elas eram pouco inteligentes; mas desde que observei o tempo que muitas crianças levam para aprenderem o livro de música para trompetes, mudei de opinião. Mas o motivo que me levou a pensar assim foi porque os restantes aprenderam muito depressa; e o teu irmão Samuel, que foi a primeira criança que eu ensinei, aprendeu o alfabeto em apenas algumas horas. Fez cinco anos no dia 10 de Fevereiro; no dia seguinte começou a aprender; e logo que aprendeu as letras, começou o primeiro capítulo do Génesis. Ensinei-lhe a soletrar o primeiro versículo, depois a lê-lo repetidas vezes, até ele ser capaz de o ler sozinho sem qualquer hesitação; do mesmo modo fiz para o segundo, etc.; até que ele, rapidamente, foi capaz de aprendeu dez versículos numa mesma lição. Naquele ano a Páscoa foi cedo e pelo Pentecostes ele conseguiu ler um capítulo muito bem; lia continuamente e tinha uma memória tão prodigiosa que não me lembro de lhe ter ensinado a mesma palavra duas vezes. Extracto do Jornal de 1º de Agosto de 1742

12 FOGO NA REITORIA Samuel Wesley não era uma pessoa querida pelos seus paroquianos e por isso tanto ele como a família sofreram alguns ataques violentos. Na noite de 9 de fevereiro de 1709 botaram fogo à reitoria. Uma das mais conhecidas histórias sobre John Wesley refere-se ao seu salvamento, quando tinha cinco anos de idade, por um homem firmado nos ombros de outro, pouco antes de o teto ruir. O grito de Susanna "não é este um tição retirado do fogo?" tornou-se uma profecia. O próprio John foi, mais tarde, influenciado pela convicção da mãe de que Deus tinha uma missão especial para ele. Incêndio na Reitoria de Epworth por Henry Perlee Parker, Este quadro foi presenteado pelo artista à Sociedade Missionária Metodista Wesleyana em 1839 por ocasião do Centenário do Metodismo. Fotografia da pintura que ainda hoje se encontra patente na Sociedade Missionária Metodista.

13 CHARTERHOUSE John Wesley foi para a escola de Charterhouse, em Londres, quando tinha dez anos e meio de idade. Estava muito longe de casa e por isso passava férias com o seu irmão mais velho Samuel, então tutor na Escola de Westminster, ou com o seu tio, Matthew Wesley, um boticário de Londres. Samuel escreveu ao pai: "Jack é um rapaz corajoso e está a aprender Hebraico muito depressa". Charles Wesley não foi para Charterhouse, como seu irmão, mas para Westminster. Em 1720 John prosseguiu os seus estudos em Christ Church, Oxford, onde alguns anos mais tarde estudou também Charles. Em 1726 John foi eleito membro honorário do Lincoln College. Seu pai recordava o prazer que sentiu então, com as seguintes palavras: "Onde quer que eu esteja, o meu "Jack" é membro honorário de Lincoln." Pátio dos Preceptores, Charterhouse, fotografado por K. Ellis

14 Em direção a Aldersgate

15 OXFORD O hábito de estudar, incutido por sua mãe, manteve-se, mas o diário de John Wesley (iniciado em 1725) revela um grande entusiasmo por jogos de cartas, xadrez, ténis e visitas a amigos. Quando John regressou a Oxford para retomar a sua membrasia, apercebeu-se que Charles tinha novos amigos. Encontravam-se frequentemente nos aposentes de John no Lincoln College para orar e estudar em conjunto. Foi então que estabeleceram regras e métodos que regulavam as suas vidas. Visitavam prisões, dirigiam uma escola para crianças pobres e ajudavam os necessitados. Foram ridicularizados por tal comportamento e chamavam-lhes ironicamente "Traças da Bíblia", "Clube Santo" e "Metodistas". Prisão de Bocardo, fotografia de uma gravura do livro de John Skelton: Oxonia Antiqua Restaurata (1823). Bibliotecas do Condado de Oxfordshire

16 O CLUBE SANTO Este famoso quadro hipotético de Marshall Claxton, , só foi pintado em meados do século XIX. Tem sido em parte responsável pela ideia de que o Metodismo de Oxford em 1730 era uma sociedade organizada, com cartões de sócios e um local de encontro, em vez do grupo informal de estudiosos com as mesmas ideias, que realmente era. As pessoas do quadro podem ser identificadas, mas nunca estiveram todas juntas em Oxford! O Clube Santo, por Marshall Claxton.

17 Em 1735 John e Charles Wesley partiram no barco à vela "Simmonds" em direção à América - John como pastor em Savannah ocupada por colonos de Georgia, e Charles como secretário do General Oglethorpe, fundador da colónia. John esperava levar o Evangelho aos índios nativos. A aventura não foi bem sucedida. Uma experiência durante uma tempestade no mar mostrou a John a profunda insuficiência da sua fé, deixando-o preocupado. A sua visão rígida e metódica da vida da igreja enfureceu os colonos. A sua pregação franca e vigorosa ofendia-os. A sua esperança de evangelizar os índios não se concretizou. Finalmente, após um desastroso romance de amor, viu-se obrigado a regressar a Inglaterra. Parte da lista de passageiros do Simmonds SAVANNAH

18 Vista gráfica de Savannah, 29 de março de 1734

19 OS MORÁVIOS A grande calma de alguns passageiros durante a tempestade a bordo do "Simmonds" impressionou profundamente John Wesley. Esses passageiros eram Morávios. Enquanto a água entrava no barco e a vela principal se rasgava, eles continuavam a cantar salmos. John perguntou-lhes: "As vossas mulheres e os vossos filhos não tiveram medo?". "Não, as nossas mulheres e crianças não têm medo de morrer". (Jornal, de janeiro de 1736). Mais tarde, quando chegaram a terra o pregador Morávio, Spangenberg, perguntou a John: "Você conhece Jesus Cristo?" Esta pergunta perturbou-o durante os dois anos seguintes. De regresso a Inglaterra, John Wesley procurou o pregador Morávio, Peter Böhler, que lhe deu o célebre conselho: "Pregue a fé até conseguir tê-la; e depois, porque já a tem, pregará a fé". (Jornal, 4 de março de 1738) Nota: Morávios - A data de 13 de agosto de 1727 é geralmente reconhecida como a do renascimento da Igreja Moraviana, também conhecida por Igreja dos "Irmãos Morávios". Sob a orientação espiritual do Conde Nicolau Zinzendorf ( ), profundamente influenciado pelo "pietismo" alemão, estabeleceu a sua sede em Herrnhut onde criou todo um governo e disciplina próprias. A sua paixão por Cristo fez desta Igreja um baluarte do zelo missionário.

20 PETER BÖHLER BISPO DA IGREJA DOS IRMÃOS MORÁVIOS Peter Böhler: das gravuras de E. H. Baker na Biblioteca da Sociedade Histórica Wesleyana, Southlands College, Wimbledon

21 24 DE MAIO DE 1738 A experiência da conversão de John Wesley só pode ser descrita pelas suas próprias palavras. Charles teve uma experiência semelhante alguns dias antes. O cenário estava agora pronto para a proclamação da sua nova compreensão do significado do Cristianismo através de hinos e da pregação, num século que se caracterizou pela autoconfiança e pela negligência dos valores espirituais. Memorial Aldersgate O Monumento ao local da conversão de John Wesley (erigido em 1981) encontra-se perto do lugar da sua conversão em Nettleton Court (Aldersgate Street). A inscrição é um fac-simile do Diário de Wesley de 1740, que descreve o dia 24 de maio de Fotografia de Martin Ludlow

22 QUARTA FEIRA, 24 DE MAIO DE 1738 Penso que eram cerca das cinco horas da manhã, quando eu abri a minha Bíblia nestas palavras. "Pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina" 2 Pedro 1:4a. Mesmo quando ia a sair, eu abri-a outra vez nestas palavras, "Tu não estás longe do Reino de Deus". À tarde pediram-me para ir à Catedral de S. Paulo. A antífona era, Das profundezas eu clamei por Ti, ó Senhor: Senhor, ouve a minha voz. Que os teus ouvidos considerem bem a voz da minha dor. Se Tu, Senhor, fores rigoroso a assinalar o que está feito errado, ó Senhor, quem poderá subsistir? Mas há misericórdia em Ti; portanto Tu serás temido. O Israel, confia no Senhor: Porque no Senhor há misericórdia, e em Ti há abundante Redenção. E Ele resgatará Israel de todos os seus pecados. À tarde fui, com pouco vontade, a uma reunião na Aldersgate Street (Londres); quando cheguei alguém estava lendo o prefácio de Lutero à Epístola de Paulo aos Romanos. Cerca das vinte horas e quarenta e cinco minutos, enquanto ele descrevia a mudança que Deus opera no coração mediante a fé em Cristo, senti o meu coração estranhamente aquecido. Eu senti que agora confiava realmente em Cristo, somente em Cristo, para salvação: e me foi dada a segurança de que Cristo havia perdoado os meus pecados, sim, os meus, e que eu estava salvo da lei do pecado e da morte. Texto do testemunho de John Wesley retirado da primeira edição do seu Jornal

23 O Mundo é a minha Paróquia

24 John e Charles passaram então a pregar sempre que lhes surgia a oportunidade. No entretanto tiveram muitos púlpitos fechados ao seu "entusiasmo" e falavam principalmente nas Sociedades londrinas e nos arredores da cidade. No começo de 1739 Whitefield iniciara um grande trabalho em Bristol, a 17 de Fevereiro, começando a pregar ao ar livre aos mineiros de carvão de Kinswood. Fortalecido pelos resultados da sua pregação entre o povo, Whitefield convidou John Wesley a ir a Bristol. Hesitava Wesley em pregar ao ar livre, mas a oportunidade de proclamar o Evangelho aos necessitados era irresistível. E a 2 de abril ele começou em Bristol o que viria a ser um costume por mais de 50 anos, enquanto as forças lhe permitiram. De imediato Charles seguiu o exemplo do irmão. Ainda que não possuindo o poder dramático de Whitefield, John Wesley era um pregador por poucos igualado quanto ao efeito sobre o povo - sincero, prático, corajoso. Daí em diante percorreria a Inglaterra, a Escócia e a Irlanda. UM CONVITE OPORTUNO

25 REVº GEORGE (Jorge) WHITEFIELD Gravura de W. H. Gibbs, na Biblioteca da Sociedade Histórica Wesleyana, Soouthlands College, Wimbledon.

26 CAVALGANDO... John Wesley viajou a cavalo e, quando mais velho, de carruagem aberta, cerca de milhas ( km). Frequentemente cavalgava com rédea solta, de modo a poder ler simultaneamente e dizia que poucos cavalos tropeçariam nestas condições. Estabeleceram-se Sociedades Metodistas por todas as ilhas Britânicas. Os principais centros eram Londres, Bristol e Newcastle upon Tyne. Estátua equestre de John Wesley no "New Room" em Bristol. Foi executada por A. Gordon Walker. Foi um presente do Sr. E. S. Lamplough e foi descerrada no dia 16 de fevereiro de A rédea solta mostra o modo como Wesley cavalgava, tendo assim liberdade para ler enquanto o cavalo andava. Fotografia de Keith Ellis

27 FUNDIÇÃO Em conjunto com os Morávios, John Wesley ajudou a fundar uma sociedade religiosa em Fetter Lane na cidade de Londres. Uma cisão neste pequeno grupo levou-o a comprar, em 1740, o velho arsenal real perto de Moorfields, o qual tinha sido danificado por uma explosão e abandonado 20 anos depois. Este edifício foi reparado e usado como casa de pregação e como casa de Wesley em Londres. Foi aqui que sua mãe passou os últimos anos e morreu. A sua sepultura pode ser vista no cemitério "Não Conformista", Bunhill Fields, que se situa do outro lado da Capela de Wesley. "A Fundição", como tem sido conhecida esta primeira casa de pregação, foi substituída pela Capela de Wesley, em City Road, inaugurada em Este edifício, restaurado em 1978, foi descrito por John Wesley como "bonito mas não perfeito", embora os melhoramentos acrescentados mais tarde pareçam contradizer aquela afirmação. Ao lado da capela, fica a casa de Wesley que foi a sua moradia durante 12 anos. Foi nesta casa que veio a falecer em 2 de março de A Fundição, Moorfields, Londres, Gentilmente cedida pelo Dr. Jobson, do seu livro "Church and School Architecture". De George Stevenson: Capela de City Road (1872)

28 BRISTOL A sede Metodista para o oeste da Inglaterra era em Bristol. Ali, na Feira de Cavalos, foi construída em 1739 a primeira casa Metodista de pregação - ainda conhecida hoje em dia por "New Room" (Espaço Novo). Por cima da capela encontram-se quartos que eram destinados a John Wesley e aos pregadores itinerantes. Estes alojamentos eram constituídos por pequenos quartos à volta de uma sala comum onde eles podiam partilhar uma refeição e contar as suas experiências. Uma pequena janela dava-lhes uma panorâmica sobre a própria capela. Sala Comum dos Pregadores Capela de John Wesley (New Room) em Bristol Em volta do pátio havia estábulos para os cavalos dos pregadores. A estátua equestre de John Wesley (já mostrada) encontra-se agora no seu centro. Entrar neste pátio, vindo do moderno e movimentado centro comercial é como retroceder dois séculos e meio. Poucos visitantes Metodistas não se comoverão, ao ver a mais velha igreja Metodista do mundo.

29 O ORFANATO DE NEWCASTLE Na sua primeira visita a Newcastle upon Tyne em 1742 multidões de pessoas juntaram-se para ouvir John Wesley pregar: "Eu sabia que metade das pessoas não podiam ouvir-me embora a minha voz fosse forte e nítida; e eu fiquei colocado de modo a poder vê-los todos, espalhados pela colina." (Jornal, 30 de maio de 1742). Um obelisco assinala agora o lugar e a ocasião. Orfanato, Newcastle-upon-Tyne. Da autobiografia de John Wesley No mesmo ano, mais tarde Wesley conseguiu um local e foi então constituída a primeira casa de pregação metodista no nordeste de Inglaterra (a segunda no país). Ficou conhecida como "O Orfanato" dado que Wesley tinha pensado receber lá crianças órfãos. Em vez disso, os quartos por cima da capela foram usados pelos pregadores e suas famílias e no último andar havia um quarto separado, para uso pessoal de Wesley. Este edifício tornou-se o centro de uma sociedade metodista séria e dedicada. Foi aqui que Grace Murray, uma jovem viúva por quem Wesley se apaixonou, trabalhou como governanta e ajudou as várias sociedades daquela região. O romance foi contrariado pelo irmão Charles e Wesley casou mais tarde com Mary Vazeille, mas esta união não foi bem sucedida.

30 GWENNAP, CORNUALHA Outra parte do país que se tornou um bastião do metodismo, foi a Cornualha. John Wesley pregou várias vezes no grande anfiteatro natural de Gwennap. Uma vez a multidão foi, por ele, calculada em cerca de pessoas! Nem todas os habitantes da Cornualha eram receptivos; houve multidões violentas, particularmente em St. Ives, onde, em 1772, uma casa de pregação foi completamente destruída. Havia também, como em toda a parte, hostilidade por parte da aristocracia rural. Em 1789 John Wesley visitou a Cornualha pela última vez. Diz-se que em Gwennap a multidão atingiu pessoas e Wesley sabia que não podia fazer-se ouvir por todos. As congregações saudavam-no onde quer que ele fosse. Com 86 anos escreveu: "Descobri agora que envelheci". Arena de Gwennap tal como é hoje. Fotografia de Keith Ellis

31 OS PREGADORES DE WESLEY Um grupo de pregadores iluminados juntou-se a John Wesley. Alguns deles, tal como John, foram ordenados Anglicanos. Outros eram leigos, como John Nelson, o pedreiro de Yorkshire, que foi líder da sociedade Metodista de Birstall. Tal como Wesley, viajavam a cavalo ou a pé e pela dedicação à pregação sofreram grande desconforto e até violência. SR. JOHN NELSON Gravura da Biblioteca da Sociedade Histórica Wesleyana, Southlands College, Wimbledon Nelson dá-nos a chave para o sucesso da pregação de Wesley, descrevendo o efeito que ela exerceu nele "...Eu pensei que ele estava a olhar para mim...e quando ele falava, pensava que as suas palavras se dirigiam a mim".

32 ORGANIZAÇÃO John Wesley nunca pretendeu fundar uma igreja separada. As suas casas eram lugar de pregação. As celebrações e os encontros metodistas tinham lugar a diferentes horas dos serviços realizados pela Igreja de Inglaterra. O povo Metodista era encorajado a assistir nas igrejas da sua paróquia e a receber lá os sacramentos do batismo e da santa ceia. Chamavam de sociedades seus grupos locais - uma palavra que serviu para descrever os membros de uma Igreja Metodista na Inglaterra até Cadeira de Wesley Esta cadeira foi utilizada na Conferência de 1744 e continuou a ser usada até à Conferência Wesleyana de Note-se as pernas baixas e os braços semelhantes a um bastão. A cadeira, o chapéu de Wesley e a sua escrivaninha podem ser vistos na Casa de Wesley, em City Road, Londres. Fotografia de Martin Ludlow As grandes Sociedades eram divididas em grupos ou classes com um líder, que se encontrava regularmente com eles e lhes dava assistência pastoral. Em 1744 realizou-se a primeira Conferência Metodista na "Fundição", a qual se tem realizado anualmente desde então. Em 1746 as Sociedades foram agrupadas em Circuitos (também denominados Círculos). Só depois da morte de Wesley, os Circuitos foram agrupados geograficamente em Distritos, tendo cada um, um Presidente.

33 AMÉRICA O metodismo chegou à América no século XVIII, mais propriamente na década de 60. Quando a Guerra da Independência rebentou muitos pregadores e clérigos anglicanos de Inglaterra regressaram, deixando os norte americanos sem pastores e sem sacramentos. O bispo de Londres que tinha a seu cargo a Igreja Anglicana na América, recusou o pedido de John Wesley para ordenar homens que ministrassem lá. Wesley resolveu então, em 1784, ordenar Thomas Coke como superintendente dos metodistas americanos, depois de chegar à conclusão, após estudo cuidadoso, de que os bispos e os presbíteros tinham os mesmos poderes. Este foi um dos últimos passos que mais tarde conduziu à separação dos metodistas da Igreja de Inglaterra. John Wesley permaneceu, aos seus próprios olhos, um leal anglicano até ao fim dos seus dias. Velha Igreja Metodista em John Street, Nova Iorque De Emer T. Clark: Um Álbum da História Metodista, (Nova Iorque, Abingdon Cokesbury, 1952)

34 John Wesley - Cidadão Cristão

35 EMPRÉSTIMOS AOS POBRES A pregação de Wesley era apoiada pela sua responsabilidade social. Ele instigava as pessoas a "alimentar os pobres e a vestir os nus". A noção, ainda hoje apoiada por alguns, de que a pobreza era o resultado da preguiça, foi considerada por Wesley como "diabolicamente falsa". Por isso ele recolhia dinheiro e arranjava esquemas para ajudar os pobres. Em 1746, montou um "fundo de empréstimo" que ajudava os pequenos comerciantes, emprestando 1 libra sem juros, para ser paga no prazo de 3 meses. James Lackington, um pobre sapateiro, tornou-se num abastado livreiro de Londres com a ajuda destes empréstimos. A Capela de West Street, em Londres, primitivamente um local de reunião dos Huguenotes, foi arrendada por John Wesley e transformou-se noutro centro para o trabalho social Metodista. Tinha uma sala de cirurgia e uma escola grátis. O próprio Capela de West Street, com a casa pastoral à esquerda. Capela West Street de J. Telford (1886) Wesley indicava os doentes e alguns eram mesmo visitados pelo médico em suas casas. Este edifício ainda existe em West End, onde se pode ver uma placa lembrando o seu uso pelos Metodistas. Nota: Huguenotes – Protestantes franceses de orientação calvinista que durante o reinado de Henrique II se espalharam pela França, sobretudo entre a nobreza.

36 OS DOENTES O interesse de Wesley pela medicina pode ser provada através do pequeno livro "Física Elementar" que frequentemente utilizava. Alguns remédios parecem estranhas, comparados com a sofisticação da medicina moderna. Contudo, contem bons conselhos e senso comum. Semelhante à Capela de West Street, algumas capelas metodistas, incluindo "A Fundição" em City Road, Londres, dirigiam clínicas e ofereciam remédios. Wesley também experimentou o tratamento de algumas doenças com choques eléctricos. A máquina eléctrica de John Wesley no Museu do Metodismo, City Road, Londres Fotografia de Keith Ellis

37 EDUCAÇÃO O cuidado que Wesley dedicou à educação ficou expresso nos livros de texto por ele compilados para as crianças. Utilizou os projetos de Whitefield para uma escola para filhos de mineiros em Kingswood, Bristol, e em 1748 Wesley ampliou-a e fundou uma escola para os filhos dos pregadores ali estabelecidos. A sua preocupação chega aos pormenores do curriculum e regras. O curriculum era mais vasto do que na maioria das escolas daquele tempo, as regras eram um pouco severas e especialmente criticadas pelos educadores contemporâneos por não permitirem jogos! A escola de Kingswood em Bath é agora um colégio para rapazes e raparigas. Wesley também fundou e encorajou Escolas Dominicais. Naquele tempo ensinava-se não só a ler e a escrever mas também a conhecer a Bíblia e as Escolas Dominicais eram muitas vezes a única oportunidade que os pobres tinham de receber uma educação elementar. Escola de Kingswood, Bristol Fotografia de uma gravura de James Heath que se encontra na “New Room”, Bristol, mostrando John Wesley passeando no jardim com um amigo, talvez Thomas McGready, director, ou Joseph Bradford, 1790.

38 O COMÉRCIO DE ESCRAVOS Durante a sua estadia na Geórgia, Wesley visitou a Carolina do Sul e conversou com escravos negros, o que muito o impressionou. Mais tarde apoiou a Sociedade para a Supressão do Comércio de Escravos. A última carta escrita por ele uma semana antes de morrer dirigia-se a William Wilberforce, encorajando-o na sua luta contra a escravatura “o escândalo da religião de Inglaterra e da natureza humana”. Última carta de John Wesley, escrita em 24 de Fevereiro de Fotocópia do original na Biblioteca da Universidade de Drew, New Jersey, USA.

39 AUTOR E EDITOR O Dr. Samuel Johnson, o grande o homem de letras do século XVIII queixava-se: "conversar com John Wesley é um prazer mas ele nunca tem tempo". Na verdade ninguém se surpreende com a falta de tempo de Wesley para o gênero de conversa expansiva que o Dr. Johnson tanto apreciava. Não só Wesley se deslocava constantemente para pregar e formar os seus seguidores, como também mantinha abundante correspondência dando conselhos individuais e ajuda espiritual aos seus pregadores e inúmeros amigos. Em 1725 Wesley começou a escrever um diário. Escrevia-o em estenografia e em código e utilizou-o, assim como outras fontes, para compilar o seu Jornal que publicava de vez em quando, desde 14 de outubro de 1735 até 24 de outubro de Escreveu e publicou também alguns livros e editou alguns dos grandes clássicos cristãos, tanto católicos como protestantes, os quais incluiu na sua Biblioteca Cristã. Tal como Dr. Johnson também publicou um dicionário - um trabalho muito mais abreviado comparado com o do seu contemporâneo letrado! Wesley também escreveu panfletos e propósito de acontecimentos diários como, por exemplo, "Uma Palavra a um Contrabandista"; "Considerações sobre a Liberdade"; "Palavra a um Libertino", condenando o suborno e a corrupção que eram comuns à política do século XVIII; e "Pensamentos sobre a Escravatura". Para cumprir todas estas tarefas Wesley costumava levantar-se às 4 horas da manhã e dormia apenas 4 horas por noite!

40 Exemplo da estenografia de Wesley utilizada no seu Diário.

41 METODISTA: aquele que vive de acordo com o método estipulado na Bíblia. Página do Dicionário de Wesley, incluindo a sua definição de Metodista, da Biblioteca da Universidade John Rylands em Manchester.

42 De Movimento a Igreja

43 Primeiro pregador leigo Classes metodistas Primeira conferência Primeiro circuito Primeira visita dos irmãos Wesley à Irlanda Abertura da Escola de Kingswood Primeira visita dos irmãos Wesley à Escócia Primeiro Culto do Pacto com Deus Primeiros metodista em missão - Antigua e América A primeira Escola Dominical Thomas Coke adere ao metodismo A primeira conferência na New Chapel O primeiro apelo missionário de Thomas Coke O Ato de Declaração As primeiras ordenações

44 Os primeiros missionários para a Índia (29/03) Morte de Charles Wesley (02/03) Morte de John Wesley Primeiro distrito Metodista Morte de Thomas Coke Primeiros mmissionários para a Ásia Primeiros issionários para a Austrália Formação da Sociedade Missionária Metodista Wesleyana Início da formação para ministros metodistas Criação da Associação Metodista Os "Mártires de Tolpuddle" Movimento reformista wesleyano

45 A Escola de Kingswood muda-se para Bath Início do trabalho metodista em Portugal Começo do trabalho das mulheres Primeiro artigo do "Methodist Recorder" William Booth e o Exército de Salvação Colégio de Southlans em Bettersea Início da missão em Liverpool Admissão de leigos à Conferência Anual Wesleyana A primeira Conferência Metodista Ecuménica em Londres Criação da Ordem Diaconal Wesleyana Ato de União

46 Resumo Cronológico da vida de Wesley

47 junho. John Wesley nasceu da união do Rev o Samuel Wesley e de sua esposa Susanna, em Epworth, no Lincolnshire fevereiro. O lar dos Wesleys, The Rectory (O Presbitério), sofreu um incêndio, ficando John preso no seu interior. Ele foi socorrido através de uma janela de um dos pisos superiores janeiro. Wesley iniciou a sua escolaridade oficial na Escola de Charterhouse, em Londres junho. Wesley iniciou os seus estudos universitários no Colégio Christ Church, na Universidade de Oxford. 1724Wesley foi graduado com um Bacharelato em Artes setembro. Wesley foi ordenado Diácono da Igreja Anglicana março. Tornou-se Membro (Fellow) do Colégio Lincoln, em Oxford. Ele dava aulas sobre os clássicos, a lógica e a divindade (teologia) fevereiro. Galardoado com o grau de Mestre em Artes. 17 agosto Novembro Wesley foi destacado como pároco coadjutor de seu pai, o Prior de Epworth, em Wroot setembro. Ordenado presbítero na Igreja Anglicana.

48 1729Nos primeiros meses, Charles Wesley juntou-se aos seus amigos e formou o Clube Santo. 22 novembro. John Wesley reassumiu os seus deveres no Colégio Lincoln e tornou-se o líder natural do Clube Santo abril. O Rev. Samuel Wesley, o pai de John, morreu em Epworth. 14 outubro. John e Charles Wesley embarcaram no navio The Simmonds, de Gravesend com destino à Geórgia, a convite do General James Oglethorpe’s. John como capelão dos colonos em Savannah eCharles como seu secretário fevereiro. Desembarcaram na América, perto da cidade de Savannah. 26 july. Charles Wesley deixou a América e partiu para Inglaterra dezembro. Wesley deixou a América a bordo do navio The Samuel com rumo a Inglaterra. 1 o fevereiro. Wesley alcançou a Inglaterra e desembarcou em Deal.

49 maio. Com o morávio Peter Bohler, Wesley formou a Sociedade Religiosa de Fetter Lane. 21 maio em casa de João Bray, na Pequena Bretanha. Charles Wesley experimentou a sua conversão, sendo inspirado a escrever o Hino: “Por onde começará a minha alma maravilhada? Como poderemos todos nós aspirar ao céu? Um escravo redimido da morte e do pecado Um tição retirado do fogo eterno…” 24 maio, uma sociedade perto da Rua Aldersgate. John Wesley experimentou a sua conversão, que ele descreveu no seu Jornal: “Ao entardecer eu fui sem grande vontade a uma sociedade na Rua de Aldersgate, onde alguém estava a ler o prefácio de Lutero à Epístola aos Romanos. Cerca de um quarto para as nove, enquanto ele estava a descrever a mudança que Deus opera no coração através da fé em Cristo, eu senti o meu coração estranhamente aquecido. Eu senti que confiava em Cristo, somente em Cristo para a salvação; e uma certeza foi-me dada que ele havia retirado os meus pecados, mesmo os meus, e me havia salva da lei do pecado e da morte.” 13 junho - 16 setembro. John Wesley viajou pelo Norte da Europa, visitando os morávios em Herrnhut, na fronteira com a Boémia

50 março. John Wesley escreveu a um amigo anônimo que o havia criticado pelas suas incursõesinconvenientes na vida das paróquias sob responsabilidade de outros clérigos. “Eu considero todo o mundo como a minha paróquia, por conseguinte eu quero dizer, que, em qualquer parte que eu esteja, eu considero o que vejo, correto, e é o meu sagrado dever declarar a todos que estejam dispostos a ouvir, as alegres novas da salvação. Eu sei que este é o trabalho para o qual Deus me chamou.” 2 abril. John Wesley proferiu o seu primeiro sermão ao ar livre, em Bristol, tendo sido introduzido neste estilo de pregação pelo George Whitefield. Desta forma começou uma carreira que duraria até o fim de sua vida, uns 52 anos. 3 junho. John Wesley pregou pela primeira vez no New Room (Nova Sala), em Bristol. 11 novembro. Wesley pregou pela primeira vez na sua nova sede em Londres, a Capela da Fundição fevereiro. Wesley estabeleceu as primeiras Classes em Bristol, para melhor controlar as necessidades pastorais dos membros da Sociedade. 23 julho. Susanna Wesley, a mãe de John e de Charles, morre. O seu último desejo foi: “Filhos, assim que eu seja resgatada, cantem um salmo de louvor a Deus.” John sepultou-a no cemitério de Bunhill Fields, em Londres. 20 dezembro. Wesley colocou a primeira pedra para o Orfanato, em Newcastle- upon-Tyne outubro. John Wesley enfrenta a multidão desordeira em Wednesbury.

51 junho. John Wesley convida os seus assistentes para uma primeira conferência Metodista, na Capela da Fundição, em Londres agosto. John Wesley visitou a Irlanda pela primeira vez junho. Wesley abriu ao público a Escola de Kingswood, nas proximidades de Bath, com a intenção de educar as crianças dos mineiros metalúrgicos da área abril. John Wesley celebrou o casamento de seu irmão Charles com Sarah Gwynne fevereiro. Wesley escreveu dois livros para os alunos da Escola de Kingswood, uma “Gramática Hebraica” e “Lições para Crianças”. 19 fevereiro. John Wesley casou com Mary (Molly) Vazeille, viúva de um mercador londrino de ascendência huguenote. Dia 1 o de junho ele resigna à condição de Membro (Fellow) do Colégio Lincoln, em Londres outubro. Wesley publica o seu “Dicionário” da língua inglesa, “o mais pequeno e económico, mas também, de longe, o mais correto que jamais existiu”. Ele concebeu-o para uso das “pessoas de senso comum e analfabetas” O primeiro Serviço do Pacto com Deus foi dirigido por Wesley.

52 maio. John Wesley publica “Notas Explicativos sobre o Novo Testamento”. 1760s O metodismo progride e espalha-se em Antígua e no Norte da América Agosto. Wesley enviou os primeiros dois pregadores metodistas itinerantes à América fevereiro. O casamento de Wesley desfez-se e Mary Vazeille deixou-o abril. Wesley colocou a primeira pedra da sua nova capela (a Capela de Wesley) num hectare de terra situada na Royal Row (City Road), onde outrora haviam existido moinhos de vento o novembro. John Wesley abriu a sua Nova Capela em Londres outubro. John Wesley escreveu no seu Jornal: “Esta noite eu instalei-me na nova casa em Londres. Quantas mais noites passarei eu ali?” o maio. Wesley publicou “Uma Coleção de Hinos para o Uso do Povo chamado Metodista” outubro. A mulher de John Wesley morreu em Newcastle março. Wesley executou o Direito de Declaração (um direito de sondagem) definindo os poderes constitucionais da Conferência Metodista, que o precederia na liderança do povo chamado metodista. 1-2 setembro. John Wesley ordenou pastores para trabalharem nos novos estados independentes da América.

53 março. Charles Wesley morreu. Ele foi sepultado no Cemitério da Rua Marylebone Churchyard, em Londres outubro. João Wesley pregou o seu último sermão ao ar livre sob uma frondosa árvore em Winchelsea fevereiro. Wesley pregou o seu último sermão entre quatro paredes, em Leatherhead, para “uma família que havia recentemente começado a ouvir a verdade.” 24 fevereiro. Wesley escreveu o seu último registo no diário. Quarta-feira, 2 março. João Wesley morreu pouco antes das 10 horas da manhã na sua casa em Londres, com a idade de março. Wesley foi sepultado de madrugada, nos fundos da sua Capela; num local que ele havia escolhido para si.

54 FIM


Carregar ppt "Metodismo – Origens Preparado pelo Museu do Metodismo, A Capela de Wesley, 49 City Road, London EC1Y 1AU; Tel. 020 7253 2262; Site na Web: www.wesleyschapel.org.uk."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google