A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RAYMA LIMA MAIO/2006 Mãe, neste mês consagrado a Virgem Maria, temos um dia só nosso, mas quero falar especialmente sobre você, que Deus em sua bondade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RAYMA LIMA MAIO/2006 Mãe, neste mês consagrado a Virgem Maria, temos um dia só nosso, mas quero falar especialmente sobre você, que Deus em sua bondade."— Transcrição da apresentação:

1

2 RAYMA LIMA MAIO/2006

3 Mãe, neste mês consagrado a Virgem Maria, temos um dia só nosso, mas quero falar especialmente sobre você, que Deus em sua bondade infinita permita que esteja ao nosso lado com seus oitenta e dois aninhos vividos. Quero falar sobre sua vida, suas fantasias, sonhos, alegrias e tristezas... Com certeza será algo talvez incomum, não sei, pois seus aninhos indicam o quanto viveu e que hoje se encontra em uma fase infantil, ou adolescente pelos sofrimentos que já enfrentou. Casou muito nova, sem experiência de vida a dois. Por saber pouca coisa da vida, sei que sofreu muito, pois meu pai era bastante vivido e autoritário, o que fazia de você a mulher super dedicada e um pouco escrava. Teve vários filhos, talvez separados por dois ou três anos, mais perdia todos. Somente quatro escaparam, meus três irmãos e eu. Sofreu muito durante aquela época, pois eu mesma, sendo criança percebia tudo. Quanta diferença dos dias atuais!

4 Tudo aconteceu nos anos quarenta e vocês apesar da diferença de idade viveram cinqüenta e três anos juntos, até que um dia meu pai foi chamado, pois sua missão havia sido cumprida. Lembro-me que meu pai foi uma pessoa honesta, trabalhadora, mas carinho não soube oferecer, pois se sentia soberano mesmo perante a você minha mãe. Ele nos amava e sentia carinho por nós, mas a sua maneira. Mãezinha, se a chamo de Santa é devido sua alma inocente e sofredora. Como você nos protegia das surras que levávamos de nosso pai. Mas uma coisa eu admirava nele, pois mesmo se sentindo um rei nunca a maltratou fisicamente, mas com palavras eram constante. Mãe, mesmo tendo me ensinado o abecedário e a aprender a contar, você não foi alfabetizada. Seus pais achavam que só os filhos precisavam ir à escola, mas as filhas tinham de cuidar dos maridos e não precisavam aprender a ler. Quando precisava assinar alguns documentos, seu rosto ficava vermelho de vergonha por não saber assinar o seu nome; então era deixado sua digital. Comecei a lhe ensinar a escrever seu nome e a ler. Quando aprendeu a desenhar as letrinhas do seu nome tinha orgulho de fazê-lo. Você foi a mãe escrava, nunca dependeu de ninguém para ajudar nos seus afazeres. Depois de seus filhos casados, passou pouco tempo e papai adoeceu de um acidente, isto com 87 anos vividos. Com os seus cuidados permanentes ele conseguiu superar um pouco.

5 Mas algo triste estava destinado a você. Com sessenta e quatro anos, um derrame a surpreendeu. Como você sofreu mãe. Desde os anos 90 trás esta seqüela, e quantas cirurgias foram feitas neste intervalo. Nunca revoltou ou reclamou; mesmo sem saber o que estava acontecendo em meio daquele sofrimento sem fim, seus olhinhos azuis pediam clemência, querendo saber o por quê de tudo isso. Você que sempre foi um exemplo de mãe e que nunca soube o que era um cinema, que viveu exclusivamente para nós, perguntava com os olhos indagadores, o por quê. Era desesperador mãezinha, sentir seu sofrimento e nada poder fazer a não ser segurar suas mãos e pedir a Deus que as segurasse também. Aquela fase aconteceu com seus sessenta e quatro anos e hoje você tem oitenta e dois. Como é o seu viver hoje? No seu mundinho, na sua casa, como uma adolescente vaidosa. Hoje pinta as unhas, quer ficar bonita, coisas que antes eram sem importância hoje você valoriza. Há mais de dois anos perdeu seu filho caçula, nosso irmão, e até hoje não sabe. Pergunta sempre por ele, mas já não sabe falar o nome certo pois a idade e a doença a deixou assim. Tem netos e bisnetos mas não conhece todos.

6 Hoje, fico horas ao seu lado, conversamos e sorrimos muito, finjo que entendo sua conversa só para deixá- la feliz, faço de conta que entendo tudo pois sinto que quer participar. Só de ver o brilho nos seus olhos me sinto feliz. Minha santa mãe, Deus irá recompensá-la por tudo que passou. Seu sofrimento não foi em vão e com certeza nós só temos que agradecer por permitir sua presença ao nosso lado, contando suas estórias tiradas desta cabecinha que nem você entende. Não podia deixar de prestar esta simples homenagem pelo seu dia em especial, pois hoje como mãe também, quanta coisa vim a entender que passou neste coraçãozinho tão sofrido.

7 Que Deus continue a lhe iluminar, a lhe dar forças para que você vença mais uma etapa de sua vida, com humildade, compreensão e com este carinho que sempre dedicou a nós, seus filhos. Esta é uma homenagem real, assim como falei sobre a vida do meu pai no PPS “LEMBRANÇAS DE MEU PAI”, a maior felicidade agora é poder prestar esta homenagem a minha mãe em vida. Talvez ela nunca saiba, mas minha alegria contagia e agradeço a Deus por me dar esta oportunidade. Foram palavras simples e sinceras, tiradas do fundo do meu coração, pois mãe é mãe, não importa a idade, a raça, ou religião, ela nos deu a vida e devemos ama-la, honra-la e respeitar sempre. COMO EU A AMO QUERIDA MÃEZINHA PARABÉNS PELO SEU DIA SALVE Rayma Lima

8 “ Se eu aceito o Sol, o Calor e o Arco-iris... preciso aceitar também o trovão, o raio e a tempestade. “ Imagens: Internet Música - Noturne - Chopin Visite o site: Art design by:


Carregar ppt "RAYMA LIMA MAIO/2006 Mãe, neste mês consagrado a Virgem Maria, temos um dia só nosso, mas quero falar especialmente sobre você, que Deus em sua bondade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google