A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Doutrina Espírita, ferramenta primordial para a Educação Integral do Ser Humano Claudia Werdine

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Doutrina Espírita, ferramenta primordial para a Educação Integral do Ser Humano Claudia Werdine"— Transcrição da apresentação:

1 Doutrina Espírita, ferramenta primordial para a Educação Integral do Ser Humano Claudia Werdine

2 Como vai o nosso mundo?

3 Guerra

4 Drogas

5 Corrupção

6 Prostituição Infantil

7 Violência Doméstica

8 Alcoolismo Juventude

9 Eutanásia

10 Violência Urbana

11 Fome

12 Aborto, Suicídio...

13 Como poderemos transformar esta triste realidade?

14 O homem da tecnologia e da biônica, da cibernética e da física quântica, da engenharia genética e da biologia molecular, ensobercido pelas conquistas da inteligência, derrapa, lamentavelmente, nos tormentos psicológicos característicos da perda da direção de si mesmo e dos objetivos essenciais da vida. Joanna de Ângelis Joanna de Ângelis

15 O progresso intelectual realizado até o presente, nas mais largas proporções, constitui um grande passo e marca uma primeira fase no avanço geral da Humanidade; impotente, porém, ele é para regenerá-la.

16  O malogro das construções morais da sociedade deve-se, particularmente, à educação, que não conseguiu alcançar o ser integral. Mais preocupada com a transmissão de conhecimentos, sem o cuidado da formação de hábitos enobrecidos, trabalhou mais pelo desenvolvimento do intelecto do que dos valores profundos do sentimento.... Como consequência, acompanhamos o progresso científico-tecnológico, mas não podemos atender, como se torna imprescindível, as necessidades do ser humano...

17 Todos os problemas do momento atual se resumem em uma questão de car á ter: s ó pela educa ç ão podem ser solucionados.

18 Educação x Instrução

19 Embora na linguagem escrita e falada se confundam, usando-se comumente o primeiro pelo segundo, eles se diferenciam em seus significados e Allan Kardec sabia disso ao afirmar que: Embora na linguagem escrita e falada se confundam, usando-se comumente o primeiro pelo segundo, eles se diferenciam em seus significados e Allan Kardec sabia disso ao afirmar que:... “É pela Educa ç ão, mais que pela Instru ç ão, que se transformar á a Humanidade. ” pela Instru ç ão, que se transformar á a Humanidade. ”

20 Acreditou-se por muito tempo ter feito bastante, difundindo a instrução; mas a instrução sem o ensino moral é impotente e estéril. É preciso, antes de tudo, fazer da criança um homem – um homem que compreenda os seus deveres e conheça os seus direitos. (Livro O Problema do Ser do Destino e da Dor) (Livro O Problema do Ser do Destino e da Dor) Léon Denis Léon Denis

21 A instru ç ão é mais especialmente a aprendizagem da ciência; A educa ç ão é a aprendizagem da vida.

22 A instrução desenvolve e enriquece a inteligência; A educação dirige e fortifica o coração.

23 Instruir é ilustrar a mente com certa soma de conhecimentos sobre um ou v á rios ramos cient í ficos.

24 Educar é desenvolver os poderes do esp í rito, não s ó pela aquisi ç ão do saber, como especialmente na forma ç ão e consolida ç ão do car á ter.

25 ... Quando se conhecer a arte de manejar os caracteres, como se conhece a arte de manejar as inteligências, conseguir-se-á corrigi-los, do mesmo modo que se aprumam as plantas novas A educação, convenientemente entendida, constitui a chave do progresso moral. Allan Kardec Allan Kardec

26 Um fator vital em nossa própria busca por evolução é o equilíbrio entre os diversos aspectos do nosso desenvolvimento.

27 Por isso, a Educação deve dirigir ao sentimento e a instrução a inteligência, para formar pessoas saudáveis de alma e corpo.

28 ... Aliando sabedoria e amor, alcançaremos equilíbrio em nossa faina educativa. Eduque-se o homem e teremos uma Terra verdadeiramente transformada e feliz! Guillon Ribeiro Guillon Ribeiro

29 O intelectualismo não supre o cultivo dos sentimentos. “Não basta ter coração, é preciso ter bom coração...” Hilário Ribeiro

30

31 “O Espiritismo expressa, antes de tudo, obra de educação, integrando a alma nos padrões do Divino Mestre.” André Luiz André Luiz

32 A proposição espírita é muito clara... “O Meu Reino não é deste mundo” Evangelho segundo o Espiritismo, Cap. II Evangelho segundo o Espiritismo, Cap. II E aquele que se segue... E aquele que se segue... “Há muitas moradas na casa de meu Pai.” Evangelho segundo o Espiritismo, Cap III

33 São dois capítulos que abrem espaço para que entendamos que, na dinâmica da Educação, somos seres transcendentes. São dois capítulos que abrem espaço para que entendamos que, na dinâmica da Educação, somos seres transcendentes. Estamos no corpo, mas transcendemos o corpo... Temos o ontem, temos o aqui, o agora e temos o amanhã. Somos Espíritos Imortais!!! Somos Espíritos Imortais!!!

34 Sendo eminentemente uma Doutrina racional, o Espiritismo abre à humanidade uma estrada nova e lhes desvenda os horizontes do infinito.

35 ... E ao nos esclarecer que somos Espíritos Imortais, vem dilatar as fronteiras da educação, pois nos fica claro que ela exerce função nos dois planos da vida, concedendo-lhe assim maior abrangência e apontando objetivos de grande alcance e valor moral.

36 Iniciando a humanidade nos mistérios do mundo invisível, mostra-lhe seu verdadeiro papel na criação, perpetuamente ativo, tanto no estado espiritual, como no estado corporal. O homem já não caminha às cegas: sabe donde vem, para onde vai e porque está na Terra.

37 O futuro se lhe revela em sua realidade, pois já não se trata de uma vaga esperança, mas de uma verdade paupável, como a sucessão do dia e da noite.

38 Na Proposta Espírita da Educação, o desenvolvimento do Espírito, através das vidas sucessivas, é visto como um curso escolar, com seu anos letivos...

39 ... a Terra é tratada como uma escola, onde as almas se matriculam para o seu aperfeiçoamento e O Livro dos Espíritos um manual de Educação Integral oferecido à humanidade para a sua formação moral e espiritual.

40 A alma, depois de residir temporariamente no espaço, renasce na condição humana, trazendo consigo a herança, boa ou má, do seu passado; renasce criancinha, reaparece na cena terrestre para representar um novo ato do drama da sua vida...

41 EVOLUÇÃO A criança é um ser espiritual, criado por Deus, ora vivendo no plano do Espírito, ora respirando num corpo material, como espírito reencarnado.

42 A função educativa da reencarnação – como nova oportunidade de refazer o destino, de aprendizagens diversas e de resgate de faltas passadas – perderia o sentido se o Espírito não retornasse a um corpo infantil.

43 Através desse processo de esquecimento e renovação da vida, ele pode construir uma nova personalidade.

44 O homem será o que da sua infância se faça. A criança incompreendida, resulta no jovem revoltado e este assume a posição de homem traumatizado, violento. A criança desdenhada, ressurge no adolescente inseguro que modela a personalidade do adulto infeliz.

45 A criança é sementeira que aguarda, o jovem é campo fecundado, o adulto é seara em produção. Conforme a qualidade da semente, teremos a colheita.

46 1. Responsabilidade da família: Cabe aos pais a responsabilidade inicial da educação do Espírito encarnado.

47 Fora, os filhos se instruem e se ilustram; em casa, porém, é que eles verdadeiramente se educam. Fora, eles ouvem o que devem fazer; em casa, eles vêem como se faz, através da conduta de seus pais.

48 As impressões positivas que recebe durante a infância são determinantes em sua existência atual e nas próximas.

49 … Conquanto seja o lar a escola por excelência onde a criatura deva receber os mais amplos favores da educação, burilando o sentimento e o caráter, os pais devem encarminhar seus filhos também a escola do saber, viabilizando- lhes a instrução, assim como jamais deverão descuidar-se de aproximá-los dos serviços da evangelização, cujas abençoadas atividades se propiciará a formação espiritual da criança e do jovem. Bezerra de Menezes

50 ... Na condição de pais e orientadores, temos a preocupação de oferecer a melhor alimentação aos nossos filhos; favorecê-los com o melhor círculo de amigos; vesti-los de forma decente e agradável; proporcionar a eles o mais eficiente médico...

51 (...) É natural que, também tenhamos a preocupação maior de atendê-los com a melhor diretriz para uma vida digna e um porvir espiritual seguro e esta rota é a Evangelização Espírita (...). Divaldo Pereira Franco Divaldo Pereira Franco

52 ... Há pais espíritas que, erroneamente, têm deixado, em nome da liberdade e do livre- arbítrio, que os filhos avancem na idade cronológica para então escolherem este ou aquele caminho religioso.... Tal medida tem gerado sofrimento e desespero, luto e mágoa, inconformação e dor Tal medida tem gerado sofrimento e desespero, luto e mágoa, inconformação e dor...

53 ... Uma vez perdido o ensejo educativo na idade propícia à sementeira evangélica, os corações se mostram endurecidos, qual terra ressequida, árida, rebelde ao bom plantio. Bezerra de Menezes

54 2. Responsabilidade do Centro Espírita:

55 O Centro Espírita é uma escola de almas e é imperioso se reconheça na Educação das almas tarefa da mais alta expressão na atualidade da Doutrina Espírita.

56 A Evangelização da criança e do jovem é a melhor maneira do Centro Espírita realizar a maior das finalidades do Espiritismo: transformar a todos em homens de bem, além preparar com bases sólidas os futuros obreiros da Casa e do Movimento Espírita.

57 ... Tem sido enfatizado, quanto possível, que a tarefa de Evangelização Espírita Infanto-juvenil é do mais alto significado dentro das atividades desenvolvidas pelas Instituições Espíritas, na sua ampla e valiosa programação de apoio à obra educativa do homem. Divaldo Pereira Franco Divaldo Pereira Franco

58  Considerando-se, naturalmente, a criança como o porvir acenando-nos agora e o jovem como o adulto de amanhã, não podemos, sem graves comprometimentos espirituais, sonegar-lhes a educação, com base no Evangelho de Jesus à luz do Espiritismo.

59 ... Consciente de sua missão, caberá ao dirigente espírita mobilizar o maior empenho e incentivo, envidando todos os esforços para que a evangelização de crianças e jovens faça parte integrante das atividades do Centro Espírita e jamais como atividade à parte. Bezerra de Menezes

60 ... Ao dirigente espírita cabe a tarefa de propiciar aos evangelizadores todo o apoio necessário ao bom êxito do empreendimento espiritual. Não apenas a contribuição moral de que necessitam, mas também as condições físicas do ambiente, o entusiasmo doutrinário atraindo os pais, as crianças e os jovens, facilitando o intercâmbio entre todos os participantes e, por sua vez, envolvendo-se no trabalho que é de todos nós, desencarnados e encarnados... Francisco Thiesen

61 O que se faz na área da infância e juventude sob a denominação de Evangelização Espírita Infanto- Juvenil é a difusão do conhecimento espírita e da moral evangélica pregada por Jesus. Eu sou o caminho da verdadeira vida...

62 As aulas devem oferecer situa ç ões de aprendizagem em que o aluno é convocado a opinar...

63

64 Para a execu ç ão desta tarefa de tão grande responsabilidade, os evangelizadores devem estudar com dedica ç ão a Doutrina Esp í rita, aprofundando conhecimentos doutrin á rios.

65 “ A criança é o sorriso do futuro na face do presente. Evangelizá-la é, pois, espiritualizar o porvir...” Francisco Spinelli Francisco Spinelli

66 3. Responsabilidade do Espírita: 3. Responsabilidade do Espírita:  Contribuir para que a Evangelização Infanto- juvenil atinja os seus objetivos é compromisso de todo espírita responsável e disposto ao trabalho no bem.   Todos os espíritas engajados realmente nas fileiras da fé raciocinada devem estar empenhados na tarefa de evangelização que é, sem duvida, o sublime objetivo da Doutrina Espírita.

67 Elevar, transformar, despertar consciências, contribuindo para a mudança interna dos homens, essa deve ser a meta de todo espírita. Mas... O que é ser espírita?

68 Ser espírita, na concepção plena da palavra, é engajar-se num processo de autoeducação. Ser espírita, na concepção plena da palavra, é engajar-se num processo de autoeducação. É praticar a caridade da educação em todas as dimensões possíveis, fazendo isso existencialmente, no seu meio familiar, profissional, social, espiritual... É alguém engajado na própria evolução e na evolução coletiva. Conforme a qualidade da semente, teremos a colheita.

69  É exercer sua tarefa de educação sem impor suas convicções.

70 Por isso, Educação, sob a ótica da Doutrina Espírita é um compromisso de todos os instantes, através do nosso exemplo.

71 “Filhos, somente através do Evangelho vivido à luz da Doutrina Espírita encontrará o homem a paz, a serenidade e o caminho do amor nobre. Bezerra de Menezes

72 Considerações Finais

73 A desordem e a imprevidência são duas chagas que só a educação bem entendida pode curar. A desordem e a imprevidência são duas chagas que só a educação bem entendida pode curar. Esse o ponto de partida, o elemento real do bem- estar, o penhor da segurança de todos. Esse o ponto de partida, o elemento real do bem- estar, o penhor da segurança de todos. Allan Kardec Allan Kardec Conforme a qualidade da semente, teremos a colheita.

74 A proposta espírita, na visão da educação, nos mobiliza para um novo caminho...

75 ... e Allan Kardec é a chave, segundo Emmanuel, através de Chico Xavier, que abre esta porta. É é a senha que abre este portal através do qual somos convidados a caminhar. Um caminho onde o Cristo representa o máximo em termos de perfectibilidade que o homem conheceu na Terra, conforme proposto na questão 625 de O Livro dos Espíritos...

76 … um caminho onde é preciso que cuidemos, da criança e do jovem, plantas em processo de crescimento, ainda amoldáveis e dicecionáveis para o bem maior.” … um caminho onde é preciso que cuidemos, da criança e do jovem, plantas em processo de crescimento, ainda amoldáveis e dicecionáveis para o bem maior.”

77 “Unamo-nos, que a tarefa é de todos nós. Somente a união nos proporciona forças para o cumprimento de nosso serviços, trazendo a fraternidade por lema e a humildade por garantia de êxito.” Bezerra de Menezes

78

79 Obrigada!!! Obrigada!!!

80 Bibliografia:  O Livro dos Espíritos  Evangelho segundo o Espiritismo  A Gênese  A Educação segundo o Espiritismo Dora Incontri - Feesp Dora Incontri - Feesp  Allan Kardec – Meticulosa Pesquisa Bibliográfica Zêus Wantul e Francisco Thiesen – FEB Zêus Wantul e Francisco Thiesen – FEB  Educação do Espírito – Introdução à Pedagogia Espírita Walter Oliveira Alves Walter Oliveira Alves  Jornal Comemorativo do Bicentenário de Allan Kardec Federação Espírita do Distrito Federal Federação Espírita do Distrito Federal  O Problema do Ser do Destino e da Dor Léon Denis Léon Denis

81   A Importância da Evangelização - Entrevista com Divaldo Franco – IDE   As Leis Morais – Segundo a Filosofia Espírita - Rodolfo Calligaris – FEB   Cristianismo e Espiritismo - Léon Denis – FEB   Conferência Dr. Alberto Almeida - IV Congresso Espírita Mundial – Paris 2004   Pedagogia Espírita - J. Herculano Pires   Apresentação sobre Educação - Arlete Länzlinger- CEEAK- Winterthur-Suíça 2006   Site Grupo Espírita Seara do Mestre   Site Vera Stefanello 

82 Conceito e Filosofia da Educação - FEB   Material IV Encontro de Evangelizadores – FEB Evangelização: O que é? O que fazer? Como fazer?   Pelos Caminhos da Evangelização - Cecília Rocha – FEB   Currículo para as Escolas de Evangelização Espírita Infanto- Juvenil – FEB   O Livro dos Espíritos - Allan Kardec   Leis Morais da Vida - Joanna de Ângelis - Divaldo Franco   A Educação segundo o Espiritismo - Dora Incontri   Jornal Comemorativo do Bicentenário de Allan Kardec - Federação Espírita do Distrito Federal

83   Apostila de Didática - FEB   Recursos Didáticos – Material de Apoio - FEB   Educação do Espírito – Walter Oliveira Alves   Mensagem de Bezerra de Menezes sobre a Importância da Evangelização Espírita Infanto-juvenil na formação da Sociedade do Terceiro Milênio (Reformador 1985)   Educação Espírita de Nossos Filhos – Geziel Andrade   A Educação à luz do Espiritismo – Lydienio Barreto de Menezes   Como Aprendemos, teoria e prática na Educação Espírita – Lucia Moyses   Diretrizes da Escola de Evangelização Espírita – Sociedade de Divulgação Espírita Auta de Souza   Currículo para Evangelização Espírita Infanto-juvenil – Federação Espírita do Paraná

84   Proposta para Evangelização Espírita – Conceição Salles – CEERJ, Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro   Coleção Diretrizes – Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro   Curso de Preparação de Educadores Espíritas da Infância – USE, União das Sociedades Espíritas – Estadual São Paulo   Apostilas de Evangelização, Planejamento e Execução – FERGS, Federação do Estado do Rio Grande do Sul   Allan Kardec – Meticulosa Pesquisa Bibliográfica Zêus Wantul e Francisco Thiesen – FEB   Educação do Espírito – Introdução à Pedagogia Espírita - Walter Oliveira Alves   Jornal Comemorativo do Bicentenário de Allan Kardec Federação Espírita do Distrito Federal


Carregar ppt "Doutrina Espírita, ferramenta primordial para a Educação Integral do Ser Humano Claudia Werdine"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google