A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prevenção de Riscos Profissionais.  Conjunto de medidas de protecção que promove a segurança física do trabalhador durante a realização do seu trabalho,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prevenção de Riscos Profissionais.  Conjunto de medidas de protecção que promove a segurança física do trabalhador durante a realização do seu trabalho,"— Transcrição da apresentação:

1 Prevenção de Riscos Profissionais

2  Conjunto de medidas de protecção que promove a segurança física do trabalhador durante a realização do seu trabalho, minimizando riscos.

3  Prevenir e reduzir os riscos profissionais;  Proteger e promover a saúde da população trabalhadora;  Humanizar as condições de trabalho;  Contribuir para melhores níveis de desempenho

4 Esta especialidade médica ocupa-se da promoção e da preservação da saúde do trabalhador.  Exames médicos;  Exames de admissão;  Exames periódicos;  Exames ocasionais;  Exames complementares.

5 É toda a lesão ou doença resultante da exposição directa, prolongada e repetida a riscos profissionais, no âmbito do desempenho de determinada actividade profissional.

6 Doença profissional específica. ex. silicose Doença do Trabalho – ocorre no decorrer de uma actividade profissional. ex. lombalgia Doença que o indivíduo já possuía e que se agravou no exercício da sua actividade. ex. hipertensão

7 O incidente é um acontecimento perigoso que ocorre como resultado de uma acção ou inacção, mas que não origina quaisquer ferimentos ou morte. O acidente de trabalho é caracterizado por ser um acontecimento súbito e anómalo, produzido durante a realização de uma actividade económica originando na vítima uma ou mais lesões que podem implicar a morte.

8 Os custos directos ou custos segurados são directamente imputados ao acidente e são quantificáveis com facilidade. Exemplo:  Salários;  Indemnizações;  Assistência médica e medicamentosa.

9 Os custos indirectos não são facilmente quantificáveis, nem normalmente cobertos. Exemplo:  Tempo e gastos com o recrutamento, selecção e formação de um substituto quando necessário;  Perdas da eficiência e da produtividade do acidentado após recuperação.

10 O absentismo é entendido como o não comparecimento ao trabalho, designando falta por motivos alheios à previsão da chefia.  Doenças efectivamente comprovadas e não comprovadas;  Razões familiares/pessoais;  Problemas financeiros e de transporte;  Baixa motivação;  Políticas inadequadas da organização.

11

12

13

14

15 Plano de Prevenção

16 Visa identificar, prevenir e reduzir os riscos de ocorrência e desenvolvimento de incêndios, definindo regras de segurança, de exploração e de comportamento a adoptar. Conceito

17  Co-responsabilizar toda a população trabalhadora no cumprimento das normas de segurança;  Preparar e organizar os meios humanos e materiais existentes, para garantir a salvaguarda de pessoas e bens, em caso de ocorrência de uma situação perigosa. Objectivos Gerais

18  Dotar o estabelecimento de um nível de Segurança eficaz;  Limitar as consequências de um acidente;  Sensibilizar para a necessidade de conhecer e rotinar procedimentos de autoprotecção adoptar, por parte dos professores, funcionários e alunos em caso de acidente;

19 Parâmetros de um Plano de Prevenção  Identificação do edifício;  Caracterização do espaço;  Identificação de riscos;  Levantamento de Meios e Recursos;  Acesso a Viaturas de Socorro;  Organismos de Apoio;

20 Parâmetros de um Plano de Prevenção  Plano de emergência;  Plano de Evacuação;  Plano de Actuação;  Instruções de Segurança;  Segurança aos Sismos;  Cheias e Inundações.

21 Objectivos  Estabelecer a conformidade dos elementos do sistema com os requisitos específicos;  Dar oportunidades de melhorias no sistema;  Averiguar se o sistema de gestão implementado está a cumprir com a política e com os objectivos definidos pela organização;  Reconhecimento do sistema

22 Âmbitos, metodologias e técnicas de auditorias e de inspecções

23 Auditoria Processo sistemático, realizado com o propósito de obter evidência de auditoria e avaliar a mesma de forma objectiva para determinar o cumprimento das políticas, procedimentos ou requisitos utilizados. Inspecção Acção inspectiva com a finalidade de assegurar o cumprimento das disposições integradas no âmbito de competência e com vista a promover a melhoria das condições de trabalho. Conceito

24 Tipos de Auditoria Auditoria Técnica Tem por objectivo a avaliação da eficácia dos meios técnicos adoptados face aos riscos inerentes às actividades ou equipamentos. Auditoria de Gestão Tem por objectivo a avaliação e o controlo do grau de cumprimento da regulamentação, métodos e procedimentos de trabalho.

25 Órgãos de Consulta e Participação dos Trabalhadores

26 As entidades patronais devem consultar os trabalhadores e/ou os seus representantes e devem possibilitar a sua participação em todas as questões relativas à segurança e saúde no trabalho. Conceito

27  O empregador deve consultar por escrito (pelo menos 2 vezes por ano) os representantes dos trabalhadores ou, na sua falta, os próprios trabalhadores sobre matérias desde medidas de prevenção e protecção;  Estas consultas devem constar de registo em livro próprio;  Os trabalhadores têm direito a formação e consulta em todas as matérias relacionadas com a SHST. Princípios

28 Consulta  Medidas de prevenção e protecção a adoptar pelo empregador;  Medidas e instruções a adoptar em caso de perigo grave e eminente;  Medidas de primeiros socorros, de combate a incêndios e de evacuação do pessoal em caso de sinistro;  Programa e organização da formação em SHST;  Relatório anual da actividade dos serviços de SHST.

29 Medidas Organizacionais

30 As medidas organizacionais prevêem a organização do trabalho, tal como o nome indica e devem ser tomadas tendo em consideração a qualidade de vida dos trabalhadores expostos. 30

31 Estas incluem a formação dos profissionais, rotatividade dos postos de trabalho, implementação de pausas, adequação da carga física e mental do trabalho a cada indivíduo, automatização dos processos, quando necessário, diminuição da exposição ao risco, formação adequada, entre outras. 31

32  Evitar riscos;  Avaliar riscos;  Adaptar o trabalho ao Homem;  Ter em conta o estado da evolução técnica;  Substituir o que é perigoso pelo que é isento de perigo ou menos perigoso;  Combater os riscos na origem;  Planificar a prevenção com um sistema coerente;  Dar prioridade às medidas de protecção colectiva em relação às medidas de protecção individual;  Dar instruções adequadas aos trabalhadores. 32

33 As organizações devem possuir nas suas dependências o serviço de Higiene e Segurança a cargo de um técnico devidamente qualificado que deve actuar em conjunto com um serviço de medicina do trabalho e com a manutenção. 33

34  A arrumação pode ser definida como a organização das coisas no cómodo.  Dividida em dois componentes: Ordem e Limpeza.  Ordem - é a disposição no espaço segundo uma categorização das coisas.  Limpeza - é o produto da acção empreendida a partir de uma classificação do sujo e da eliminação deste. 34

35 Vantagens:  Diminui o risco de acidente;  Aumenta a produtividade;  Promove a boa imagem da empresa;  Entre outros. 35

36

37 As medidas construtivas/técnicas visam a construção de estruturas e medidas que actuam de modo a minimizar ou até mesmo a anular o risco. Os profissionais responsáveis estão sempre a postos para avaliar a eficácia e o reajuste das anteriores. 37

38  Adequação do tipo de Edificação à actividade a desenvolver.  Isolamento - impede que contaminantes passem para o ambiente onde se encontra o trabalhador;  Substituição – de substâncias ou processos perigosos por outros menos agressivos;  Ventilação – Promoção da circulação de ar adequado. 38

39 Métodos de prevenção em relação:  Processos por Via Húmida;  Ventilação;  Acústica;  Isolamento térmico;  Amortecedores;  Manutenção. 39

40 São todos aqueles processos utilizados para diminuir poeiras e processos de refrigeração. Exemplo:  Medidas de prevenção nas pedreiras: utilização do processo por via húmida e a rega dos acessos. Doenças:  Esta profissão pode originar pneumoconioses. 40

41 A ventilação dos locais de trabalho é muito importante, na melhoria do nível de qualidade do ar interior.  Baixa o nível de poluentes;  Dá mais conforto térmico, promove espaços arejados e frescos;  Deve privilegiar-se a ventilação natural. 41

42 A acústica é a parte física dos sons, alguns são agradáveis, mas outros sons são ruído. O excesso de intensidade do ruído provoca distúrbios ao nível do cérebro e do sistema nervoso. Prevenção:  Formação e informação dos trabalhadores;  Organização da rotatividade de mudanças nos postos de trabalho. 42

43 O isolamento térmico consiste na utilização de materiais que dificultam a dissipação de calor. Devem utilizar-se materiais de construção de alta resistência térmica. Devem garantir que não ocorra a passagem do calor entre dois meios. 43

44 Deve ser garantida a sua manutenção. Em situação de desgaste irreversível devem adequar-se sistemas antivibratórios, de forma a diminuir a transmissão das vibrações. Doenças:  Vibrações inadequadas provocam efeitos nefastos sobre o organismo, tais como lombalgias. 44

45 Deve ser feita assegurando cuidados técnicos, frequentes e permanentes, indispensáveis ao funcionamento regular de todos os meios técnicos. Estes cuidados envolvem essencialmente: conservação, adaptação, reparação, substituição e prevenção. 45

46 46

47 47 Formação / Informação Formação é um factor essencial para prevenir lesões e doenças profissionais, permitindo aos trabalhadores aprendam a desempenhar as suas funções em segurança. Objectivos:  A acção de formação tem como objectivo alertar os trabalhadores das empresas dos conhecimentos adequados:  Ao desempenho profissional mais eficaz mediante a adopção de comportamentos e práticas seguras;  À adaptabilidade às novas tecnologias e formas de organização do trabalho.

48 48 Informação É da responsabilidade da empresa informar os trabalhadores sobre:  Valores de análise ambiental (concentração de determinadas substancias, níveis de ruídos, etc.);  Na admissão de novos colaboradores, mudança de postos de trabalho ou das funções desempenhadas e na alteração no processo, quer se trate de introdução de novos equipamentos, alteração dos existentes ou da introdução de novas substâncias no processo fabril;  Riscos existentes para a sua saúde e segurança, medidas de prevenção e protecção e respectivas aplicação, tanto em termos de postos de trabalho como gerais da empresa;

49 49  Actuação em caso de perigo grave ou iminente;  Medidas de primeiros socorros, combate a incêndios e evacuação das instalações em caso de emergência e respectivas constituições das equipas intervenientes em cada uma delas.

50 50

51 51 Conceito Os Equipamentos de Protecção Colectiva, ou EPC, têm como objectivo proteger um grupo de pessoas enquanto realiza determinada tarefa ou actividade no seu posto de trabalho.

52 52 Medidas Deve-se:  Usá-los apenas para a finalidade que se destina;  Responsabiliza-se por sua guarda e conservação;  Comunicar qualquer alteração que o torne impróprio para o uso;  Adquirir o tipo adequado a actividade do empregado;  Treinar o trabalhador sobre seu uso adequado;  Tornar obrigatório seu uso;  Substituí-lo quando danificado ou extraviado.

53 53 Manutenção/Conservação dos equipamentos Os equipamentos de protecção colectiva (EPC), devem ter prioridade, conforme determina a legislação, uma vez que beneficiam todos os trabalhadores. Os EPC´S devem ser mantidos nas condições que os especialistas em segurança estabelecerem, devendo ser reparados sempre que apresentarem qualquer deficiência.

54 54 Aplicações de EPC  Sistema de exaustão que elimina gases, vapores ou poeiras contaminantes do local de trabalho;  Comando bimanual, que mantém as mãos ocupadas, fora da zona de perigo, durante o ciclo de uma máquina;  Cabo de segurança para conter equipamentos suspensos sujeitos a esforços, caso venham a se desprender.

55 55 Exemplos EPC´s Guarda - corpos: Serve para proteger as pessoas de quedas e acidentes em função de desnível de piso ou de ambientes mais altos em relação aos outros. Manta ou cobertor: Serve para abafar ou envolver a vitima de incêndio, deve ser de lã ou algodão e nunca de fibras sintéticas. Mangueira ou extintor de incêndio: O modelo padrão, comprimento e localização são fornecidos pelas normas do Corpo de Bombeiros, e são utilizados em caso de incêndio.

56 56 Chuveiro de emergência e lava-olhos: O chuveiro de emergência e os lava-olhos são utilizados para descontaminação de produtos químicos nocivos. Sprinkle: Borrifador de tecto em caso de incêndio. Vaso de areia ou balde de areia: É utilizado sobre o derramamento de álcalis para neutralizá-lo.

57 Equipamentos de Protecção Individual EPI´s

58 São todos os dispositivos, de uso pessoal destinados a proteger a integridade física e a saúde do trabalhador. Tais como;  Capacete;  Luvas;  Botas;  Arnês;  Entre outros.

59  Os equipamentos deverão cumprir os riscos a que corresponde a sua utilização, a sua classificação e as actividades ou sectores de actividade onde podem ser necessários.

60

61  É um conjunto de símbolos e sinais específicos.

62  Atrair a atenção;  Dar a conhecer a mensagem de forma rápida e inteligível;  Ser clara e de interpretação única;  Informar sobre a conduta a seguir.

63 Sinais de obrigação (Indica algum comportamento obrigatório) Sinais de Perigo (Indica situação de perigo) Sinais de Proibição (Indica algum comportamento proibido) Sinais de emergência (Fornecem informação)

64

65 A prevenção pode ser definida como um conjunto de medidas e acções cautelares tendentes a eliminar ou limitar as consequências de um acidente antes que se produza. A protecção é entendida como um conjunto de medidas e acções destinadas a preservar ou minimizar as consequências de um acidente quando este acontece.

66 Princípios gerais  Evitar/ eliminar os riscos inerentes ao local de trabalho;  Avaliar com rigor os riscos não anuláveis;  Combater os riscos na sua origem;  Adoptar o trabalho ao homem e não o inverso;  Diagnosticar a origem dos factores de risco e suas consequências.

67 Acções preventivas: Acção para eliminar a causa de uma potencial não conformidade ou de uma potencial situação indesejável Acção correctiva: Acção para eliminar a causa de uma não conformidade detectada ou de outra situação indesejável.

68

69


Carregar ppt "Prevenção de Riscos Profissionais.  Conjunto de medidas de protecção que promove a segurança física do trabalhador durante a realização do seu trabalho,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google