A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SAÚDE E ALIMENTAÇÃO NUTRICIONISTA - CATHERINE. ASSUNTOS A SEREM ABORDADOS 1.Introdução a uma alimentação saudável; 2.Hábitos alimentares; 3.Deficiências.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SAÚDE E ALIMENTAÇÃO NUTRICIONISTA - CATHERINE. ASSUNTOS A SEREM ABORDADOS 1.Introdução a uma alimentação saudável; 2.Hábitos alimentares; 3.Deficiências."— Transcrição da apresentação:

1 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO NUTRICIONISTA - CATHERINE

2 ASSUNTOS A SEREM ABORDADOS 1.Introdução a uma alimentação saudável; 2.Hábitos alimentares; 3.Deficiências nutricionais; 4.Compulsão alimentar; 5.A importância dos nutrientes no organismo humano; 6.Pirâmide dos alimentos; 7.Digestão dos alimentos; 8.10 passos para uma alimentação saudável.

3 ALIMENTAÇÃO SAUDAVEL Para garantir uma vida sadia e mais longa, com mais disposição para o trabalho, estudo, divertimento e melhor aparência física, é necessário consumir alimentos nutritivos para suprir as necessidades de cada um.

4 HÁBITOS ALIMENTARES O comportamento alimentar nesta fase da vida passa por algumas mudanças devido a diversos fatores que influenciam na hora de escolher o alimento.

5 FATORES EXTERNOS Podem ser constituídos pela atitude dos pais e amigos, valores sociais e culturais, mídia, manias alimentares;

6 FATORES INTERNOS Características psicológicas, imagem corporal, valores e experiências pessoais, preferências alimentares.

7 O adolescente que se alimenta corretamente poderá reduzir alguns dos transtornos causados pelas deficiências nutricionais evitando a manifestação da obesidade e suas consequências e outros distúrbios alimentares (Bulimia e anorexia).

8 OBESIDADE Considerada uma enfermidade é caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, associada a problemas de saúde.

9 PRINCIPAIS FATORES Fator hereditário: o risco de desenvolver a obesidade é maior nos filhos dos pais obesos; Fator hormonal: Na menarca podem ocorrer distúrbios hormonais que podem alterar o metabolismo, assim como aumentar a ansiedade aumentando o consumo alimentar.

10 Fator medicamentoso: Certos medicamentos podem desencadear o aumento do consumo de doces.

11 OBESIDADE = DOENÇAS Hipertensão arterial, diabetes mellitus, problemas cardiovasculares, problemas renais, câncer.

12 HIPERTENSÃO ARTERIAL Pressão arterial é a força que o sangue exerce contra as paredes internas das artérias devido ao trabalho do coração bombear o sangue. A hipertensão ocorre quando essa tensão está aumentada nos vasos sanguíneos.

13 DIAGNÓSTICO Determina-se HAS (hipertensão arterial sistêmica) quando: A pressão arterial sistólica (quando o coração contrai) é maior do que 140 e a pressão diastólica (quando o coração relaxa) é maior que 90.

14 O tratamento é a combinação da dieta hipossódica, exercícios físicos e medicamentos para o seu controle.

15 DIABETES È uma deficiência na produção de insulina, alterando o metabolismo, sobretudo do controle dos níveis de açúcar no organismo.

16 Quando o pâncreas não fabrica a insulina, ou fabrica de maneira inadequada, ele não consegue exercer a sua função fisiológica.

17 DIAGNÓSTICO GLICEMIA JEJUM Normal 70 a 110 mg/dl Suspeito 110 a 139 mg/dl Diabético maior ou igual 140 mg/dl (Atualmente a partir de 100 mg/dl já considera-se suspeito)

18 FATORES DE RISCO Idade, histórico familiar, excesso de peso, sedentarismo, hipertensão arterial, doença coronariana, diabetes gestacional, uso de medicamentos hiperglicemiante.

19 TIPOS DE DIABETES Tipo I – ocorre geralmente em crianças ou jovens e não tem características hereditárias. Tipo II – também chamado de diabetes não-insulino dependentes. Ocorre em adultos com mais de 30 anos.

20 PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES Circulação – os depósitos de açúcar comprometem sobretudo os microvasos que, com o tempo, tendem a bloquear a passagem do sangue.

21 Visão – a glicose acumulada nos vasos localizados no fundo do olho pode dar origem à retinopatia, distúrbio que leva à perda de visão.

22 Neuropatias – a circulação deficiente faz o paciente perder a sensibilidade nas extremidades. Por isso, podem ocorrer problemas principalmente nos pés.

23 Rins – o excesso de glicose no sangue, em casos não tratados e crônicos leva a nefropatia, isto é, os rins perdem a capacidade de purificar o sangue.

24 SINTOMAS FREQUENTES Fraqueza, sede, muita urina, perda de peso, feridas não cicatrizadas, visão embaçada, fome por doces, prurido vaginal.

25 BULIMIA É caracterizada por episódios de compulsão alimentar, chegando a ingestão de 2000 a 5000 kcal por episódio, acompanhados de vômitos forçados, uso de laxantes e diuréticos, dietas restritas, jejuns prolongados e exercícios físicos intensos.

26

27 Esses episódios acontecem às escondidas e são acompanhados de sentimentos de vergonha, culpa e desejo de autopunição. A perda de peso é sempre menor quando comparada a anorexia.

28 As complicações são decorrentes das manobras compensatórias (vômitos, uso de laxantes) e ocorre: a perda de minerais, desgaste do esmalte dos dentes, calosidades nas mãos, irritação da garganta, rachadura e machucados nos lábios.

29 Os indivíduos que apresentam bulimia são extrovertidos e sexualmente mais ativos, apresentam traços de personalidade mais histéricos.

30 ANOREXIA É caracterizada por uma restrição alimentar voluntária com sequelas graves, no qual o adolescente ingere quantidades mínimas de alimentos normalmente escolhidos pelo baixo valor calórico, consumindo em média 500 a 700 kcal/dia. Isso também se reflete na prática de exercícios físicos excessivos e no uso abusivo de laxantes e diuréticos.

31 CONSEQUÊNCIAS CLÍNICAS: amenorréia, edema em membros inferiores, baixa pressão arterial, hipotermia, osteoporose, pele e cabelos ressecados, cabelos e unhas quebradiças, desnutrição e desequilíbrio hidroeletrolítico.

32 Os indivíduos que apresentam anorexia nervosa são pessoas introvertidos, obsessivos, inativos sexualmente e apresentam imagem distorcida de sua composição corporal, enxergando-se sempre gordos.

33

34 O tratamento dos transtornos alimentares é bem complexo e envolve uma abordagem multidisciplinar em que os medicamentos é auxiliar junto com o acompanhamento psicológico e nutricional.

35 IMPORTÂNCIA DOS NUTRIENTES A água auxilia na regulação da temperatura do corpo humano, elimina as toxinas através da urina e da transpiração, molda bolo fecal, faz a distribuição de muitos nutrientes pelos diversos órgãos do nosso corpo;

36 Vitaminas e sais minerais As vitaminas e os minerais são substâncias reguladoras que desempenham um papel importante no bom funcionamento de intestino, contribuem na formação de ossos, dentes, cartilagens e no processo de absorção do organismo;

37 Pode ser encontrado nas frutas, vegetais, cereais integrais, leite, sementes, carnes, ovos e grãos.

38 CARBOIDRATO Têm a função de fornecer energia necessária para que você realize as atividades do dia-a-dia;

39 CARBOIDRATO SIMPLES É rapidamente metabolizado e sua absorção ocorre imediatamente elevando os níveis de glicemia. Pode ser encontrado nos cereais, arroz, batata, mandioca, trigo, milho, farinhas, pães e massas, vegetais e frutas.

40 CARBOIDRATO COMPLEXO São os mais indicados, visto que eles sofrem um processo de digestão e absorção mais lentos, não elevando tão rapidamente a glicemia. Pode ser encontrado nos alimentos integrais, frutas com muitas fibras, verduras e alimentos com grãos.

41 PROTEÍNA Auxilia no crescimento e no desenvolvimento essencial do organismo, incluindo a regeneração dos tecidos.

42 As principais fontes são as carne, aves, peixes, leite, soja, grãos e sementes, leguminosas e cereais

43 GORDURA Têm a função calórica essencial exercida pelas gorduras saturadas e não saturadas.

44 GORDURA SATURADA Essa gordura é mais prejudicial ao nosso organismo, pois dá origem ao colesterol LDL, chamado de colesterol ruim. Essa gordura pode ser encontrada nas carnes, leites e derivados e também no óleo de coco e azeite de dendê.

45 GORDURA NÃO SATURADA São mais benéficas, pois já está provada sua participação na produção do colesterol HDL, também chamado de bom colesterol. Pode ser encontrado no azeite de oliva, girassol, canola, milho e frutas oleaginosas (amendoim, castanha-do-pará, abacate)

46 Mesmo sendo gorduras saudáveis, não podemos esquecer que elas também possuem as mesmas calorias das gorduras saturadas e por essa razão não podemos abusar na quantidade.

47 FIBRAS As fibras presentes nos alimentos vegetais podem existir de duas formas: insolúvel ou solúvel. Embora essas duas frações atuem no nosso organismo de maneira diferente, ambas trazem benefícios à nossa saúde.

48 FIBRA INSOLÚVEL Este tipo de fibra atua principalmente na parte inferior do nosso intestino (intestino grosso), aumentando o volume fecal e fazendo com que haja a produção de fezes mais macias. Por isso, elas estão relacionadas à prevenção de prisão de ventre e de doenças como diverticulite e câncer de cólon. É encontrada nos cereais (farelos de um modo geral), hortaliças, frutas (especialmente nas cascas) e leguminosas.

49 FIBRA SOLÚVEL Este tipo de fibra atua principalmente na parte superior do trato gastro-intestinal, mais especificamente no estômago e no intestino delgado, onde ocorre a digestão e absorção dos nutrientes. 1. Promove saciedade = importante no tratamento da obesidade; 2. Promove menor elevação da taxa de glicose no sangue = importante no tratamento do diabetes; 3. Promove menor absorção do colesterol = importante no tratamento de doenças cardiovasculares É encontrada principalmente em alimentos como a aveia, cevada, frutas cítricas (bagaço), maçã (casca), goiaba e em certas gomas e mucilagens.

50 Não existe um alimento que sozinho, forneça todos os nutrientes necessários ao organismo.

51

52 Digestão dos alimentos A digestão e a absorção dos alimentos ocorrem em várias etapas. O sistema digestivo se estende da boca ao ânus

53 BOCA Na cavidade bucal a saliva atua como um lubrificante, umedecendo os alimentos; Os dentes são responsáveis pela mastigação, cujo qual auxilia na digestão do alimento;

54 Após a mastigação, o bolo sofre a deglutição, que pode ser dividida em 3 etapas: Etapa voluntária: etapa que dá início ao processo de deglutição. O alimento é empurrado voluntariamente até a faringe pela pressão da língua. Etapa faríngea: consiste na passagem do alimento da faringe para o esôfago. E por fim a etapa esofágica, outra fase involuntária que promove a passagem do alimento e bebida da faringe para o estômago.

55 ESTÔMAGO Ocorre a mistura do alimento com as secreções gástrica, promovendo a lenta passagem do alimento para o intestino delgado para que este realize adequadamente a digestão e a absorção.

56 INTESTINO DELGADO E GROSSO É no intestino que ocorre a maior parte da digestão, já que cerca de 90% dos alimentos ingeridos são absorvidos durante a passagem por seus 8 metros.

57 E por fim o reto e o ânus controlam a defecação.

58

59 10 PASSOS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL 1)Para manter, perder ou ganhar peso procure a orientação de um profissional da saúde; 2)É legal comer 5 ou 6 vezes ao dia: café da manhã, no almoço e jantar, além de fazer lanches saudáveis nos intervalos das refeições; 3)Tente comer menos salgadinhos de pacote, refrigerantes, biscoitos recheados, lanches industrializados, alimentos de preparo instantâneo, doces, sorvetes e frituras; 4)Procure comer sempre que puder, frutas, verduras e legumes; 5)Faz bem comer feijão, arroz, massas, tomar leite e ou derivados todos os dias; 6)Escolha sempre alimentos saudáveis para o lanche da escola e nos momentos de lazer; 7)Beba bastante água no decorrer do dia; 8)Diminua o consumo de sal nas refeições; 9)Retire a gordura e a pele de aves quando estiver comendo; 10)Pratique pelo menos 30 minutos de atividade física (jogar bola, andar de bicicleta, caminhar).


Carregar ppt "SAÚDE E ALIMENTAÇÃO NUTRICIONISTA - CATHERINE. ASSUNTOS A SEREM ABORDADOS 1.Introdução a uma alimentação saudável; 2.Hábitos alimentares; 3.Deficiências."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google