A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Mapeamento e Modelagem de Processos Treinamento Mapeamento & Modelagem de Processos Conceitos PROJETO GESTÃO DE VIAGEM SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Mapeamento e Modelagem de Processos Treinamento Mapeamento & Modelagem de Processos Conceitos PROJETO GESTÃO DE VIAGEM SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO."— Transcrição da apresentação:

1 Mapeamento e Modelagem de Processos Treinamento Mapeamento & Modelagem de Processos Conceitos PROJETO GESTÃO DE VIAGEM SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO 1

2 Mapeamento e Modelagem de Processos Objetivo do Treinamento Capacitar a equipe de processos da SEPLAG em mapeamento de processos de negócio utilizando notação BPMN e especificação de requisitos conforme os padrões, melhores práticas e metodologias estabelecidas pela DSCON e implantadas no Processo Digital do Estado do Rio de Janeiro. O macro-processo Gestão de Viagens e os seus processos serão utilizados como exercícios práticos.

3 Mapeamento e Modelagem de Processos

4 Visão da Organização Mapeamento AS IS Modelagem TO BE Simulação de Processos Especificação de Requisitos Prática Capacitação em Mapeamento e Simulação de Processos 1º Dia 3º Dia 2º Dia 5º Dia7 e 8º Dias 9º Dia4º Dia6º Dia

5 Mapeamento e Modelagem de Processos Roadmap - DSCON Modelar Processo De Implementação Especificar Requisitos Elaborar Diagnóstico AS IS Mapear Processos TO BE Modelar Processo TO BE Elaborar Relatório de Melhorias Modelar Macro-Processo E Processo AS IS Mapear Processos AS IS Mapeamento Conhecer a Organização Identificar Cadeia de Valor Priorizar Processos Definir Metas Globais Identificar Processos Críticos Estratégia Prototipar Formulários ROADMAP Simular Processo TO BE Simular Processo AS IS

6 Mapeamento e Modelagem de Processos Roadmap - DSCON ImplementaçãoDesenho Estratégia Produtos & Serviços da Empresa Metas Globais Cadeia de Valor e Contexto Especificação de Requisitos Processo de Implementação Matriz de Priorização De Processos Macro-Processo E Processos Detalhados As-Is Diagnóstico As-Is Relatório de Melhorias Processos Detalhados To-Be ROADMAP Estratégico Tático Operacional Relatório de Simulação de Processos Protótipo Das Telas e Templates Documentais

7 Mapeamento e Modelagem de Processos Entender o Negócio Missão Visão Valores Âmbito de Atuação da Organização Objetivos e Metas Estratégicas Produtos,Serviços, Fornecedores e Clientes Produtos & Serviços da Empresa Estratégico Tático Operacional

8 Mapeamento e Modelagem de Processos Análise Top-down Macroprocessos (Cadeia de valor) Processos Atividades Procedimentos Entender o Negócio Estratégico Tático Operacional Missão Por que existimos? Valores O que é importante para nós? Visão O que nós queremos ser? Produtos & Serviços da Empresa Estratégico Tático Operacional

9 Mapeamento e Modelagem de Processos Motivação para a Gestão por Processos Redução de Custos Padronização dos Processos no Estado Satisfação dos Cidadãos e Servidores Busca por Inovação Controle de Recursos Alinhamento/Integração entre as organizações do Governo Entender o Negócio Produtos & Serviços da Empresa Estratégico Tático Operacional

10 Mapeamento e Modelagem de Processos Uma organização é uma coleção de processos e não uma coleção de áreas. Prof. José Ernesto Lima Gonçalves - FGV Entender o Negócio Produtos & Serviços da Empresa Estratégico Tático Operacional

11 Mapeamento e Modelagem de Processos É uma sequência de tarefas (ou atividades) que ao serem executadas transformam Insumos em um Produto com valor agregado. Diretrizes Habilitadores Regras e políticas Requisitos do Negócio Pressão Externa Tecnologia Recursos Humanos Instalações e Logística Entradas Eventos de Negócio Recursos Consumí- veis Requisi- tos do Usuário Saídas Resulta- dos de Negócio Produtos e Serviços Satisfação do Usuário Entender o Negócio Produtos & Serviços da Empresa Estratégico Tático Operacional

12 Mapeamento e Modelagem de Processos Uma cadeia de valor representa o conjunto de atividades desempenhadas por uma organização desde as relações com os fornecedores e ciclos de produção e de venda até à fase da distribuição final. A cadeia de valor permite a compreensão do fluxo de agregação de valor ao consumidor final no âmbito de uma ou mais unidades de negócio interdependentes, isto é, retrata uma cadeia de atividades situadas em uma ou mais organizações independentes. Identificar Cadeia de Valor Cadeia de Valor e Contexto Cadeia de Valor

13 Mapeamento e Modelagem de Processos Identificar Cadeia de Valor Diagrama de Contexto O diagrama de contexto tem como objetivo principal representar a interação entre as entidades, a comunicação entre os fluxos e apresentá-lo em um único processo permitindo a visão do todo. Fonte: Projeto SEA Cadeia de Valor e Contexto

14 Mapeamento e Modelagem de Processos Diagrama de Objetivos Estratégicos E Metas Globais Manter a criminalidade em patamares toleráveis Mediante políticas de prevenção e repressão com diretrizes estratégicas, inteligência e prestação de contas à sociedade. Garantir o acesso, a integralidade e a qualidade da atenção à saúde Diminuir as taxas de mortalidade infantil e de mortalidade materna em patamar razoável com a ONU Promover o planejamento integrado das ações de governo e aperfeiçoar a gestão pública Modernização da gestão informatizada de processos nas áreas de planejamento e gestão (orçamento, logística, recursos humanos e patrimônio imobiliário) através do desenvolvimento e da integração de seus sistemas de informação. SEPLAG SES SESEG Metas Globais Definir Metas Globais

15 Mapeamento e Modelagem de Processos Matriz de Priorização de Processos Matriz de Priorização De Processos Identificar Processos Críticos

16 Mapeamento e Modelagem de Processos Mapear Processos AS IS Técnicas de Levantamento Entrevistas Questionários Brainstorming JAD - Joint Application Design Macro-Processo E Processos Detalhados As-Is

17 Mapeamento e Modelagem de Processos Mapear Processos AS IS Modelagem do AS IS Qual a descrição (escopo) do Processo? Qual o objetivo do processo? Responsável pelo Processo? Quais as condições de início para o processo? Quem são os fornecedores das entradas do processo? Quais os dados de entrada do processo (documentos, formulários, insumos necessários etc...)? Quais as saídas produzidas pelo processo (documentos, formulários e etc...)? Quem são os clientes do processo? Quais as expectativas do cliente? Quais são os Fatores Críticos de sucesso? Quais e quantos recursos são utilizados para realizar o processo? Quais as regras, leis, portarias envolvidas no processo? Quais os principais papéis envolvidos no processo? (nome e descrição) Quais as principais Atividades e seu sequenciamento? (nome e descrição) Quais os principais documentos utilizados e gerados pelo processo? (nome e descrição) Qual a quantidade de requisições para o processo? Qual o tempo e o custo por atividade do processo? Quantas pessoas interagem com o processo? Este processo é somente utilizado internamente ou tem interação com entidades externas? Quais entidades externas interagem com processo? O Processo depende de contrato de fornecimento de terceiro? O Processo consiste em processo Administrativo? As exceções no processo são tratadas por quem? Quais sistemas suportam o processo? Registrar as desconexões identificadas nas entrevistas de modelagem do AS IS. Macro-Processo E Processos Detalhados As-Is

18 Mapeamento e Modelagem de Processos Mapear Processos AS IS

19 Mapeamento e Modelagem de Processos Elaborar Diagnóstico AS IS Diagnóstico As-Is

20 Mapeamento e Modelagem de Processos 20 Objetivos da Notação BPMN O principal objetivo da BPMN é disponibilizar uma notação facilmente inteligível por todos os papéis das áreas de negócios; do analista de processos responsável por elaborar o mapeamento até os gestores que irão monitorar e gerenciar os processos, passando pela equipe técnica de TI que irá automatizar e implementar os sistemas que dão suporte à execução dos mesmos. Podemos concluir, então, que a BPMN surgiu para preencher a lacuna que existia entre o desenho dos processos de negócio e a automação e execução dos mesmos, através de sistemas informatizados. Macro-Processo E Processos Detalhados As-Is

21 Mapeamento e Modelagem de Processos Introdução à Notação A BPMN define um Diagrama de Processos de Negócio (BPD – Business Process Diagram), que é baseado em técnicas de desenho de fluxos customizada para criar modelos gráficos das operações de negócio. É um conjunto de objetos gráficos que representam as atividades desempenhadas em uma organização e seus fluxos de sequencias e decisões, definindo a ordem na qual o trabalho é executado de forma horizontal, permeando todos os departamentos da empresa.

22 Mapeamento e Modelagem de Processos O que é BPMN? Significa Business Process Modeling Notation (notação para modelagem de processos de negócio). Notação gráfica para mapear processos de negócio e interações. Padrão aberto mantido pelo OMG; Versão atual é 2.0. Notação neutra em relação a fabricantes. Amigável ao Negócio Versátil o suficiente para ser utilizada em diferente níveis, iniciando a partir de uma descrição de nível macro até o fluxo detalhado do processo para implementação. Simples o suficiente para ser entendida pelos usuários de negócio, porém rica em semântica para ser utilizada por desenvolvedores para implementação. Possui capacidade para modelar elementos ou processos não executáveis. Pronta para Execução Através da combinação de elementos gráficos e de suporte, permite um modelo ser populado com informações suficientes para gerar processos executáveis. Provê um mecanismo para gerar modelos executáveis (Business Process Execution Language – BPEL) a partir do modelo do processo. Mapeia umsubconjunto do BPMN para WS-BPEL. Introdução ao BPMN

23 Mapeamento e Modelagem de Processos São tipos de tarefas: Tarefa de Serviço(Interação de sistema síncrona) Tarefa de Envio e Recebimento (Interação de sistema assíncrona) Tarefa de Usuário (Atividade humana– gerenciada por um motor de workflow) Tarefa Manual (não gerenciada por um motor de workflow) Tarefa de Negócio (gerenciada por um motor de regras de negócio) Tarefa de Script (utilizada para executar scripts) Tarefa de Chamada (para fazer uma chamada a outros processos BPMN – Cadeia de Processos) BPMN – Tipos de Tarefas

24 Mapeamento e Modelagem de Processos O BPMN é composto por 3 principais objetos: Activity(atividade): Representa o trabalho a ser realizado Gateway(operador lógico): Controla a lógica do fluxo dos processos. Utilizada para dividir e juntar caminhos. Event(evento): Suporta comunicação assíncrona com outros processos, gestão de erros e controle da lógica do fluxo. Atividade Operador Evento Sequence Flow(fluxo de sequência) Um Sequence Flow é utilizado para definir a sequência na qual as atividades são executadas em um processo. Evento Final Evento Inicial Sequencia do Fluxo Atividade Conceitos BPMN

25 Mapeamento e Modelagem de Processos Raias Provê um significado visual para categorizar atividades dos processos baseados em perfis. BPMN - Raias

26 Mapeamento e Modelagem de Processos Tarefa de Negócio Tarefa de Serviço Tarefa de Usuário BPMN – Tipos de Tarefas

27 Mapeamento e Modelagem de Processos BPMN – Tipos de Tarefas Objetivo: Descrever as regras, relação lógica existente entre os Eventos e Funções. Ou (Ou exclusivo) Só uma das alternativas - Obrigatório E Todas as alternativas - Obrigatório E/OU Pelo menos uma das alternativas Operadores Lógicos

28 Mapeamento e Modelagem de Processos Exclusiva condição pode ser representado por ou Um e apenas um dos caminhos pode ser escolhido baseado na condição para escolha nas ramificações (caminhos). Utilizado para exibir múltiplos caminhos alternativos. Caminho padrão Caminhos alternativos BPMN – Gateway do tipo XOR

29 Mapeamento e Modelagem de Processos XOR XOR Junção BPMN – Split Condicional Exclusivo

30 Mapeamento e Modelagem de Processos Junção sem o XOR Gateway Junção com o XOR Gateway O Gateway do tipo XOR não é necessário para juntar fluxos com condicionais exclusivas. BPMN – Junções utilizando XOR

31 Mapeamento e Modelagem de Processos Bifurcação e Junção Paralela é representado por. Todos os caminhos de saída são escolhidos. Caminhos paralelos podem ser juntados por um Caminho paralelo ou pode levar a eventos finais separados. Parallel Joins são utilizados para juntar apenas unconditional parallel paths. BPMN – Gateway do tipo AND

32 Mapeamento e Modelagem de Processos Raias XOR operador Tarefa de NegócioTarefa de Serviço Paralelo operador Junção BPMN – Processo de Cotação

33 Mapeamento e Modelagem de Processos Gateways do tipo OR ou inclusivos são decisões onde existe mais de uma possibilidade de saída. Representados por. São normalmente seguidos por um Inclusive (OR) Gateway para juntar os caminhos. Caminhos de saída de um Inclusive Gateway podem ter um caminho padrão. BPMN – Operador do tipo OR

34 Mapeamento e Modelagem de Processos OU Inclusivo Junção Inclusivo São possíveis os seguintes cenários (1) Ambos Aprovação da Cotação e Termos de Aprovação serão executados. (2) Apenas o Aprovação da Cotação será executado. (3) Apenas o Termos de Aprovação será executado. BPMN – Split Inclusivo

35 Mapeamento e Modelagem de Processos Complexo Split Junção Paralela Os seguintes cenários são possíveis: (1) Aprovação da Cotação será sempre executada. (2) Termos de Aprovação será executada baseada em uma avaliação condicional. BPMN – Split Complexo

36 Mapeamento e Modelagem de Processos Complex Gateways são decisões onde há definições de comportamento mais avançadas Representado por. Chained split – As últimas divisões são determinadas pela avaliação das divisões anteriores BPMN – Gateway Complexo

37 Mapeamento e Modelagem de Processos Loops podem ser criados utilizando um operador XOR e conectando um fluxo de sequencia a um passo anterior. Normalmente utilizado para verificação de condições e execução de retrabalhos. Loop BPMN – Loops utilizando o operador XOR

38 Mapeamento e Modelagem de Processos Loop de volta BPMN – Looping

39 Mapeamento e Modelagem de Processos Sub-processo Encapsulado Sub-processo expandido BPMN – Embbeded Sub Process

40 Mapeamento e Modelagem de Processos Sub-processos denotam uma atividade de composição (escopo) Similar a um escopo BPEL. Pode ter seus próprios eventos de início e fim mas não pode ter raias. Fluxo de sequencia não podem cruzar as barreiras de um sub- processo encapsulado. Pode ser colapsado para ocultar detalhes ou expandido para exibir os detalhes. Podem existir um sub-processo encapsulado dentro de outros sub- processo encapsulado. Utilização Utilizado para representação simplificada dos Processos. O Sub-processo encapsulado também é utilizado para definir o escopo do manuseio de eventos. BPMN – Embbeded Sub Process

41 Mapeamento e Modelagem de Processos EPC X BPMN – Interface de Processos EPC Cópia de Ocorrência Processod e onde veio Evento Inicial Processo para onde vai Processo para onde vai Evento Final Processod e onde veio Interface de Processo

42 Mapeamento e Modelagem de Processos Processamento de Cotação – Processo Macro Processamento de Cotação – Sub-Processo BPMN – Sub Processo Reusável Atividade de Chamada

43 Mapeamento e Modelagem de Processos Uma Atividade de Chamada é utilizada para chamar outro processo BPMN. Uma Atividade de Chamada representa um elemento de chamada e o processo filho é o elemento chamado. O elemento chamado é o sub-processo reutilizável ou processo filho. Ao invocar um subprocesso reutilizável, é necessário passar o contexto da instância do processo de chamada para o elemento chamado e vice- versa. Quando o sub-processo chamado é finalizado, o controle é retornado para o processo de chamada. Ao executar um duplo clique em uma atividade de chamada, a mesma deverá exibir o sub-processo chamado. BPMN – Atividade de Chamada e Processo Reusável

44 Mapeamento e Modelagem de Processos BPMN – Detalhamento das Atividades BPMN Não notação BPMN, o detalhamento das atividades é realizada na descrição de cada atividade. Boa prática usar o 5w1h. EPC Na notação EPC é utilizado o diagrama FAD.

45 Mapeamento e Modelagem de Processos Annotations(anotações) Notas (texto livre) Podem ser associadas com um processo ou atividade através de Association Flows. São artefatos e não possuem uma semântica definida. BPMN – Anotação de Processos

46 Mapeamento e Modelagem de Processos BPMN – Exemplo OR

47 Mapeamento e Modelagem de Processos BPMN – Exemplo Chamada de Processo

48 Mapeamento e Modelagem de Processos BPMN – Exemplo XOR

49 Mapeamento e Modelagem de Processos BPMN – Exemplo AND

50 Mapeamento e Modelagem de Processos Introdução à Notação BPMN - Eventos Uma mensagem chega de um participante e dispara o início do processo. Uma data/hora específica ou um ciclo específico (por exemplo, toda segunda-feira às 9 da manhã) pode ser definido para disparar o início do processo. Representa a captura de um erro ocorrido para possível tratamento. Um sinal chega depois de ser transmitido por outro processo e dispara o início do processo. Observe que um sinal não é uma mensagem, a qual possui um destino específico. Várias formas de iniciar o processo. Se uma delas tornar-se verdadeira o processo é iniciado. Evento de término do processo. Conectar atividades de um mesmo processo. Será lançado no momento que o processo alcançar um evento de fim de cancelamento. Representa a chamada por uma atividade de compensação.

51 Mapeamento e Modelagem de Processos Introdução à Notação BPMN – Evento Mensagem

52 Mapeamento e Modelagem de Processos Introdução à Notação BPMN – Evento Link

53 Mapeamento e Modelagem de Processos Introdução à Notação BPMN – Eventos Timer e Link

54 Mapeamento e Modelagem de Processos BPMN – Exemplo Evento Timer

55 Mapeamento e Modelagem de Processos Exercícios de Modelagem Solicitação de Viagem Aérea Solicitação Passagem Terrestre Cálculo de Diárias - Viagem Nacional Cálculo de Diárias - Viagem Internacional

56 Mapeamento e Modelagem de Processos Exercícios - Restaurante A4) Restaurante Self-Service O Cliente comparece na entrada do restaurante self-service e a recepcionista posicionada na entrada, entrega a comanda ao cliente. O Cliente se dirige ao balcão e se serve com a refeição de sua escolha. Em seguida, o Garçom oferece bebida ao cliente, que pode solicitar uma bebida ou não. Se o cliente desejar bebida, solicita ao Garçom, que anota a solicitação na comanda do cliente e serve a bebida solicitada. O Cliente recebe a bebida e realiza a sua refeição. O Cliente tem a opção de escolher ou não as sobremesas disponíveis no cardápio. Após o término da refeição, o Cliente se dirige ao balcão para pagamento, faz o pagamento ao Caixa e ao mesmo tempo o Garçom retira os pratos, copos e talheres utilizados pelo cliente, o que agiliza o atendimento e a entrada de novos clientes. Macro-Processo E Processos Detalhados As-Is

57 Mapeamento e Modelagem de Processos Exercícios - Restaurante

58 Mapeamento e Modelagem de Processos Exercício de Modelagem A A1) Analisar o pedido de crédito Um vendedor da Peças & Peças, telefona com um pedido de financiamento. Ele é atendido por uma das 14 pessoas do Pool de Atendimento, que registra a proposta num formulário adequado. A proposta é encaminhada ao Departamento de Crédito e Taxas Contratuais, onde um Analista de Crédito digita as informações em um sistema de computador. Caso os dados cadastrais do cliente estiverem desatualizados ou seja novo, o especialista deve antes atualizar suas informações, o que ocorre em 30% dos casos. Depois ele consulta o limite de crédito do cliente, caso o crédito do cliente seja rejeitado, o que ocorre em 10% dos casos, o documento é devolvido aos atendentes, que se encarregam de comunicar o resultado ao vendedor. Exercícios Macro-Processo E Processos Detalhados As-Is

59 Mapeamento e Modelagem de Processos A2) Montar o contrato Caso o cliente tenha o seu crédito aprovado, o especialista anota o resultado da verificação do crédito na proposta, compromete o limite do cliente com o valor do novo financiamento e despacha o documento para o Departamento de Contratos. No Departamento de Contratos, um Advogado Sr. (que dispõe de seu próprio sistema computadorizado), está incumbido de adequar as cláusulas dos acordos de empréstimo à solicitação específica do cliente. Isso feito, os termos especiais são anexados ao documento de solicitação. A seguir, a solicitação passa para um Analista de Taxas, no Departamento de Crédito e Taxas Contratuais, que digita os dados em uma planilha eletrônica, para determinar a taxa de juros apropriada a ser cobrada do cliente. O Analista anota a taxa na proposta que, com os demais papéis é reencaminhada ao Departamento de Contratos, onde será transformada, por um Advogado Pl., num contrato de financiamento. O contrato então é despachado ao vendedor, através dos serviços de um dos boys do Serviço Externo. Exercícios Macro-Processo E Processos Detalhados As-Is

60 Mapeamento e Modelagem de Processos A3)Efetivar o contrato De posse do contrato, o vendedor finaliza a venda da Peças & Peças. O contrato assinado é então devolvido à Crédito Direto, sendo recebido pelo Atendimento, de onde inicia seu processo de efetivação: Atualização do Crédito pelo Analista de Crédito, Registro no Depto Jurídico por um Advogado Jr., provisionamento do pagamento da quantia financiada à P&P por um Auxiliar do Contas a Pagar e dos recebimentos correspondentes à amortização do cliente por um Auxiliar do Contas a Receber, sendo finalmente arquivado por um dos Advogados Jr. do Depto de Contratos. Os pagamentos e recebimentos provisionados são administrados de forma independente pelo Departamento Financeiro, através do controle integrado do fluxo de caixa. Todas as transferências de documentos entre os departamentos são feitas pelos boys do Serviço Interno. Exercícios Macro-Processo E Processos Detalhados As-Is

61 Mapeamento e Modelagem de Processos A4)Realizar evento de capacitação 1. O servidor do RH identifica necessidade de realizar evento de capacitação e solicita autorização ao gerente de RH para realizar o evento. 2. Se o gerente de RH aprovar a capacitação, o servidor de RH redige descritivo do evento de capacitação e encaminha por para a instituição. 3. Os servidores das áreas solicitam participação no evento por , preenchendo um formulário de requisição de treinamento. 4. O servidor do RH recebe por os formulários preenchidos e imprime todas as requisições. 5. O servidor de RH abre processo de capacitação e insere todas as solicitações recebidas. 6. O servidor de RH analisa todas as solicitações e emite análise técnica dos participantes que são elegíveis para participar do evento. 7. O servidor de RH encaminha todo processo de capacitação ao gerente de RH. 8. O gerente de RH assina o processo e devolve ao servidor do RH. 9. O servidor do RH comunica aos solicitantes a participação e detalhes sobre o evento de capacitação. 10. O servidor de RH solicita á área de logística a infraestrutura necessária para o evento, através de um check-list. 11. O servidor da área de Logística recebe a solicitação do RH e reserva sala de treinamento, solicita coffe-break e disponibiliza recursos audiovisuais. 12. Ao mesmo tempo em que o servidor de logística prepara a infraestrutura, o servidor de RH contrata instrutor para a capacitação e repassa para ele as informações sobre o evento por O servidor de RH prepara apostilas e listas de presença. 14. Na data do evento, o servidor de RH recebe o instrutor e o encaminha para a sala de treinamento. 15. O instrutor ministra o treinamento. 16. Ao término da capacitação, os participantes preenchem formulário de avaliação do curso. 17. O instrutor entrega os formulários de avaliação e listas de presença ao servidor de RH. 18. O servidor de RH tabula os dados da avaliação e encaminha para o gerente de RH. Exercícios Macro-Processo E Processos Detalhados As-Is

62 Mapeamento e Modelagem de Processos Cadeia de Valor proposto por Porter, desenvolva as atividades abaixo: Atividades: 1.Identifique as principais agentes (organizações) ao longo da cadeia de valor externa (fornecedores, clientes, distribuidores, etc.) 2.Mapeie a cadeia de valor interna 3.Analise as atividades primárias e de apoio considerando a estratégia, a criticidade, as questões econômicas e políticas e o tipo de relacionamento a ser estabelecido com os participantes da cadeia. 4.Monte o sistema de atividades para a organização. Exercícios – Macro-Processo

63 Mapeamento e Modelagem de Processos Atividades Primárias Atividades de Apoio Exercícios – Macro-Processo

64 Mapeamento e Modelagem de Processos Cadeia de Valor!!!

65 Mapeamento e Modelagem de Processos Processos Detalhados To-Be Processo Mapear Processos TO BE

66 Mapeamento e Modelagem de Processos Elaborar Relatório de Melhorias Relatório de Melhorias

67 Mapeamento e Modelagem de Processos Princípios para o Redesenho de Processo Eliminação da burocracia Eliminação da duplicação de atividades Avaliação do valor agregado Simplificação Redução do tempo de ciclo do processo Verificação de erros Linguagem simples Padronização Parceria com fornecedores Melhoria criativa Automação Mapear Processos TO BE - Melhorias Processos Detalhados To-Be

68 Mapeamento e Modelagem de Processos Solicitação de Viagem Como iniciar o Redesenho de Processo Analisar desconexões, pontos críticos, gaps e oportunidades de melhoria; Como resolver os pontos críticos levantados pensando no novo desenho do processo; Automação dos processos; Inovação; Alinhamento à estratégia da organização; Identificação das atividades do processo que são críticas para a criação de valor do negócio; Avaliação dos papéis e responsabilidades; Revisão das necessidades dos clientes, dos pontos de alavancagem econômica e das tendências de mercado; Criar um protótipo e detalhar o desenho do novo processo. Mapear Processos TO BE - Melhorias Processos Detalhados To-Be

69 Mapeamento e Modelagem de Processos O redesenho de processos requer um conjunto de fatores atendidos para que possa vir a ser bem-sucedida. Entre os fatores mais relevantes pode-se destacar: Disponibilização de tempo pelas equipes internas. Fornecimento de dados e informações (quantitativos e qualitativos) sobre o desempenho dos processos atuais. Priorização do redesenho de processos que tenham impacto relevante sobre as oportunidades e ameaças críticas. Participação dos gestores. Apoio dos dirigentes de cúpula da organização. Envolvimento das partes interessadas. Comunicação intensa ao longo de todo o projeto. Condução clara da metodologia pela equipe técnica/consultores. Fatores Críticos de Sucesso do Redesenho de Processo Mapear Processos TO BE - Melhorias Processos Detalhados To-Be

70 Mapeamento e Modelagem de Processos Simulação de Processos Simulações de processos são modelos que fornecem uma perspectiva valiosa da dinâmica do processo. Simulações requerem dados suficientes que tipicamente permitem que o processo seja matematicamente simulado sob vários cenários, cargas, etc. As simulações podem ser utilizadas para atingir os seguintes aspectos: 1) Validar um modelo ao demonstrar que conjuntos de transações reais, quando executados através do modelo exibido, produzem as mesmas características de desempenho que a do processo real. 2) Prever o desempenho do desenho sob diferentes cenários, variando o número de transações ao longo do tempo, colaboradores, etc. 3) Determinar quais variáveis têm mais influência no desempenho do processo. 4) Comparar o desempenho de diferentes desenhos de processo sob o mesmo conjunto de circunstâncias. Relatório de Simulação de Processos

71 Mapeamento e Modelagem de Processos Modelar os processos de negócio Selecionar as medidas de desempenho Realizar coleta de dados para simulação Implementar nos diagramas os dados para simulação Realizar validação do modelo de simulação Identificar melhorias no processo simulado Metodologia para Simulação de Processos Relatório de Simulação de Processos

72 Mapeamento e Modelagem de Processos Processo Simular Processo TO BE Relatório de Simulação de Processos

73 Mapeamento e Modelagem de Processos Relatório de Simulação de Processos Relatório de Simulação de Processos

74 Mapeamento e Modelagem de Processos Processo Modelar Processo de Implementação Processo de Implementação

75 Mapeamento e Modelagem de Processos Modelo TO BE de Negócio Aprovador Processo de Implementação

76 Mapeamento e Modelagem de Processos Modelo TO BE de Implementação Processo de Implementação

77 Mapeamento e Modelagem de Processos Processo Especificar Requisitos Especificação de Requisitos

78 Mapeamento e Modelagem de Processos Prototipar & Gerar Templates Documentais Protótipo Das Telas e Templates Documentais

79 Mapeamento e Modelagem de Processos Detalhar Requisitos De Processos e Documentos Especificação de Requisitos

80 Mapeamento e Modelagem de Processos Detalhar Requisitos De Atividades Especificação de Requisitos

81 Mapeamento e Modelagem de Processos Dúvidas!


Carregar ppt "Mapeamento e Modelagem de Processos Treinamento Mapeamento & Modelagem de Processos Conceitos PROJETO GESTÃO DE VIAGEM SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google