A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ESTUDO DA SORÇÃO DE PETRÓLEO POR FIBRAS VEGETAIS HALLYJUS BEZERRA (ANP, Eng. Mecânica) GEORGE MARINHO (Eng. Mecânica)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ESTUDO DA SORÇÃO DE PETRÓLEO POR FIBRAS VEGETAIS HALLYJUS BEZERRA (ANP, Eng. Mecânica) GEORGE MARINHO (Eng. Mecânica)"— Transcrição da apresentação:

1 ESTUDO DA SORÇÃO DE PETRÓLEO POR FIBRAS VEGETAIS HALLYJUS BEZERRA (ANP, Eng. Mecânica) GEORGE MARINHO (Eng. Mecânica)

2 Estudo da sorção de petróleo por fibras vegetais OBJETIVO Estudo da viabilidade do uso de fibras vegetais como material sorvente de petróleo É possível usar fibras vegetais como material sorvente de petróleo? Quais fibras? sisal capoc curauá abacaxi algodão Como? Determinação do grau de sorção de óleo de cada tipo de fibra.

3 Estudo da sorção de petróleo por fibras vegetais JUSTIFICATIVA PetróleoProblemas ExploraçãoDerramamentos ProduçãoVazamentos TransporteDespejos ilegais ArmazenamentoImpactos Ambientais Ecossistema marinho Atividades de pesca Turismo Praia no Rio coberta de óleo após vazamento em um duto da REDUC em 2000 (Fonte: Scientific American – Brazil, ago/05)

4 Estudo da sorção de petróleo por fibras vegetais JUSTIFICATIVA Vantagens Técnica ambientalmente correta Fontes renováveis Biodegradáveis Baixo custo Alternativa sustentável Mercado brasileiro de fibras naturais 1 milhão de empregos Ecologicamente amistosos Liberação de oxigênio no cultivo Redução dos efeitos do aquecimento global

5 Estudo da sorção de petróleo por fibras vegetais METODOLOGIA Etapa I – Seleção das fibras vegetais FASES FIBRAS1ª2ª AbacaxiX AlgodãoX BananaX CapocX CurauáXX SisalXX

6 Estudo da sorção de petróleo por fibras vegetais METODOLOGIA Etapa II– Testes de sorção de petróleo 1 – Pesagem inicial Peso padrão de 1 g Três amostras para cada teste 2 – Imersão em petróleo Tempo de 30, 60, 120, 180, 240 e 480 minutos 3 – Escorrimento Tempo padrão de 1 minuto 4 – Pesagem final Cho e Cloud (1992) e Annunciado et al., (2005).

7 Estudo da sorção de petróleo por fibras vegetais METODOLOGIA Etapa III – Cálculos

8 Estudo da sorção de petróleo por fibras vegetais METODOLOGIA Etapa IV – Cálculos (rede)

9 Estudo da sorção de petróleo por fibras vegetais RESULTADOS PRELIMINARES 1ª FASE Melhor desempenho Pode ser atribuído ao menor diâmetro das fibras, que implicam numa área superficial de absorção maior para um mesmo valor de massa. Shukla et al. (2002), apud (Annunciado et al., 2005).

10 Estudo da sorção de petróleo por fibras vegetais RESULTADOS PRELIMINARES 1ª FASE Estrutura semelhante ao sisal Apenas 4,8% melhor

11 Estudo da sorção de petróleo por fibras vegetais RESULTADOS PRELIMINARES 1ª FASE In natura x NaOH 2% p/p In natura: 3,5% melhor Pouca alteração superficial devido à concentração de NaOH Porém, maiores concentrações degradam fibras.

12 Estudo da sorção de petróleo por fibras vegetais RESULTADOS PRELIMINARES 1ª FASE Desempenho inferior Menor área de contato p/ mesma quantidade de massa

13 Estudo da sorção de petróleo por fibras vegetais RESULTADOS PRELIMINARES 2ª FASE Fibras de semente Fibras de folha

14 EXTENSÃO Projeto de Extensão: APOIO A ATIVIDADES EM TERMOMETRIA – Laboratórios da UFRN – Alunos IC e PG

15 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PARTICIPAÇÃO EM ATIVIDADES DE PESQUISA

16 PROJETOS DE PESQUISA Projeto PPGEM – Carlos Cardoso / CEFET-BA Projeto PPGEM – Carlos Cardoso / CEFET-BA – Indução de escoamento de ar por convecção livre num duto inclinado

17 PROJETO DE PESQUISA Projeto PPGEM – Tarsimar Macedo / CEFET-BA Projeto PPGEM – Tarsimar Macedo / CEFET-BA – Desenvolvimento de compósito para isolação térmica

18 PROJETO DE PESQUISA Projeto PPGEM – Tatiana Ferreira Projeto PPGEM – Tatiana Ferreira – Comparação entre PU e COF aplicados à sorção de petróleo.

19 PROJETO DE PESQUISA

20 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PRODUÇÃO CIENTÍFICA

21 CBEE 2007 RESINA POLIURETÂNICA DE ÓLEO DA SEMENTE DA MAMONA APLICADO À ISOLAÇÃO TÉRMICA Tarsimar MacedoCEFET – BA Hallyjus BezerraUFRN – Eng. Mecânica George MarinhoUFRN – Eng. Mecânica

22 CBEE 2007

23

24 LAB GEOFÍSICA - UFRN

25 CBEE 2007

26

27 COMPARAÇÃO DE DESEMPENHOS TÉRMICOS ENTRE ESPUMAS DE PU E DE MAMONA Hallyjus Bezerra – ANP, Eng. Mecânica – UFRN Dabney Guedes – ANP, Eng. Mecânica – UFRN Jacques Borges – PPGEM - UFRN George Marinho – Eng. Mecânica - UFRN CIC UFRN

28 OTIMIZAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS DE CALIBRAÇÃO NA GRANDEZA TEMPERATURA Dabney Guedes – ANP, Eng. Mecânica – UFRN Hallyjus Bezerra – ANP, Eng. Mecânica – UFRN Luis Pedro Araújo – Eng. Mecânica – UFRN CIC UFRN

29 SUBSTITUTION OF PU BY BIODEGRADABLE FOAM APPLIED TO THERMAL INSULATION Bezerra, H. A. D.; Borges, J. C. S.; Marinho, G. S.

30 RIO PIPELINE 2007 FIBRAS VEGETAIS COMO MATERIAL SORVENTE DE ÓLEO EM DERRAMAMENTOS

31 Agradecimentos


Carregar ppt "ESTUDO DA SORÇÃO DE PETRÓLEO POR FIBRAS VEGETAIS HALLYJUS BEZERRA (ANP, Eng. Mecânica) GEORGE MARINHO (Eng. Mecânica)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google