A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução ás Bases de Dados Mas o que é uma Base de Dados!!?? É muito simples: uma base de dados não é mais do que um conjunto de dados, organizados.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução ás Bases de Dados Mas o que é uma Base de Dados!!?? É muito simples: uma base de dados não é mais do que um conjunto de dados, organizados."— Transcrição da apresentação:

1

2 Introdução ás Bases de Dados Mas o que é uma Base de Dados!!?? É muito simples: uma base de dados não é mais do que um conjunto de dados, organizados de um certo modo, de maneira a que o utilizador tenha um acesso fácil á informação neles contida. E como armazenamos esses dados? As primeiras formas de base de dados organizadas foram os arquivos (aqueles armários enormes cheios de ficheiros que continham informações acerca de algo).

3 Introdução ás Bases de Dados Com a evolução dos tempo, a quantidade de informação a ser armazenada foi aumentando, de tal modo que passou a ser impossível armazena-la toda em armários. Sendo assim, hoje em dia temos as bases de dados sob a forma de 1 e 0, armazenados em suportes informáticos (como uma disquete ou disco rígido). Com o aparecimento dos computadores, esse problema foi resolvido: um só computador pode armazenar milhões e milhões de ficheiros, num espaço muito mais reduzido.

4 Introdução ás Bases de Dados E como podemos aceder a esse tipo de base de dados? Para aceder a este novo tipo de base de dados, foi necessário criar uma nova ferramenta: o SGBD (Sistema de Gestão de Bases de Dados). Com esta ferramenta podemos efectuar diversas operações na nossa base de dados digital, como por exemplo criar novas tabelas, inserir ou eliminar registos ou até mesmo ditar regras de tratamento dos dados nela existentes.

5 Introdução ás Bases de Dados O que contêm asses bases de dados? Estas bases de dados são compostas por Tabelas (ou entidades), que contêm Campos (ou atributos de uma tabela). É nestes campos que se vão inserir os dados. Tabela Campo

6 Introdução ás Bases de Dados A cada linha de uma tabela chamamos um Registo Registo

7 Introdução ás Bases de Dados Basicamente, uma BD está dividida em 3 Níveis: Nível Físico Nível Conceptual Nível de Visualização

8 Introdução ás Bases de Dados Nível Físico Consiste na forma como os ficheiros das BD são armazenados num determinado suporte informático (como uma disquete ou CD) Nível Conceptual A este nível apenas têm acesso os programadores ou os utilizadores mais avançados. É neste nível que se vai definir, por exemplo, quais as tabelas que vão compor a BD

9 Introdução ás Bases de Dados Nível de Visualização A este nível têm acesso os utilizadores finais, que apenas necessitam de manipular os dados existentes na BD.

10 Introdução ás Bases de Dados Quando as primeiras BD apareceram, as ligações entre os vários registos que as compunham era regida pelo Modelo Hierárquico, que consistia no seguinte: Como o próprio nome indica, existe uma espécie de relação hierárquica entre os vários registos, ou seja, a estrutura da BD toma a forma de um diagrama de árvore. Caso o registo que ocupe uma posição “superior” for eliminado, todos os que estão abaixo dele serão igualmente eliminados.

11 Introdução ás Bases de Dados Para suprimir as grandes desvantagens deste modelo, foi criado o Modelo de Rede. Este modelo é muito semelhante ao seu antecessor, mas em vez de ter um aspecto de um diagrama de árvore, parece-se com uma rede informática, onde cada registo está interligado com muitos outros, em conformidade com as relações que queremos representar.

12 Introdução ás Bases de Dados Mais recentemente foi criado o Modelo Relacional. É este modelo que é utilizado pelo SGBD Access. Foi neste modelo que se introduziram as tabelas, uma forma muito simples de suprimir todas as desvantagens dos dois modelos anteriores. A utilização das antigas bases de dados estava muito dependente de quem as programava e do conhecimento destas pessoas.

13 Introdução ás Bases de Dados No Modelo Relacional, para podermos interligar as várias tabelas, temos de ter um Campo (ou coluna) da tabela que identifique de forma única cada registo da tabela. A esse campos chamamos Chave Primária. Existem dois tipos de Chaves Primárias: Chave Primária Simples Chave Primária Composta

14 Introdução ás Bases de Dados Chave Primária Simples: quando esta é composta por apenas 1 atributo. Chave Primária Composta: quando a Chave é composta por mais de um atributo.

15 Introdução ás Bases de Dados A um campo de uma determinada tabela que esteja ligado a uma chave primária de uma outra tabela chamamos de Chave Externa. Chave PrimáriaChave Externa Ligação

16 Introdução ás Bases de Dados Existem outros tipos de Chaves numa BD do tipo Relacional. Chaves Candidatas: no caso de termos 2 ou mais chaves possíveis para uma tabela; Chaves Alternativas: No caso de termos várias chaves possíveis, uma delas será indicada para Chave Primária. As restantes podem ser consideradas Chaves Candidatas.

17 Introdução ás Bases de Dados Para que a integridade de uma BD do tipo Relacional não seja violada, existem duas regras que temos de cumprir: Integridade de Entidade: impõe que os valores dos atributos que correspondem á chave primária de uma entidade não podem ser nulos nem iguais a outros já existentes; Integridade Referencial: impõe que um valor da chave externa tem de,obrigatoriamente, existir como elemento constituinte da chave primária da tabela relacionada com aquela chave externa.

18 Introdução ás Bases de Dados O SGBD mais utilizado é o Microsoft Access. Este SGBD utiliza a linguagem SQL para executar todas as suas funções. Visto que esta linguagem de programação é muito vasta e algo complexa, o Access veio simplificar essa tarefa, através da Vista de Estrutura.

19 Introdução ás Bases de Dados É na Vista de Estrutura que vamos criar e editar as Tabelas de uma BD. Na parte superior da Vista de Estrutura encontramos a tabela com os vários campos da BD. Na coluna Nome do Campo definimos qual o nome que cada Campo terá. Na coluna Tipo de Dados vamos definir que tipo de dados vai ser inserido em cada Campo. Na coluna Descrição podemos (ou não) inserir um comentário ao campo em questão.

20 Introdução ás Bases de Dados Na parte inferior da Vista de Estrutura vamos encontrar as Propriedades do Campo seleccionado. Dependendo do Tipo de Dados desse campo, vamos encontrar definições diferentes.

21 Introdução ás Bases de Dados Este menu permite-nos gerir a BD. Na coluna da esquerda, podemos seleccionar os Objectos que queremos criar na BD: Tabelas, Macros, Consultas, etc. Ao seleccionarmos uma destas opções, podemos visualizar, na coluna da direita, o que já criámos, o que podemos criar e como podemos criar, correspondentemente a esse Objecto.

22 Introdução ás Bases de Dados Aqui podemos constatar a existência de Chaves Externas, por exemplo: na Tabela Campos temos a Chave Primária CodCampo (a Negrito), que está associada á tabela Campeonato, na Qual passa a ser Chave Externa. Este menu permite-nos gerir todas as Relações existentes na BD, ou seja, podemos criar, alterar, apagar, etc ligações de uma BD.

23 Aula dada por: Frederico Richart Nelson Lima


Carregar ppt "Introdução ás Bases de Dados Mas o que é uma Base de Dados!!?? É muito simples: uma base de dados não é mais do que um conjunto de dados, organizados."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google